Como tirar mofo da parede

Advertisements

O mofo é dos principais responsáveis por danificar móveis e paredes em casa. Além disso, ele apresenta visual desagradável, mau cheiro e ainda pode prejudicar a saúde. Se você sabe bem do que estamos falando, provavelmente tem convivido com o problema. Que tal, então, aprender como tirar mofo da parede? Acompanhe esse texto e descubra tudo que você precisa para eliminar de vez esse problema!

O mofo nada mais é do que uma formação de fungos. São diversos os tipos existentes, que prejudicam de diferentes modos móveis e parede. Geralmente, de qualquer forma eles crescem em filamentos, em cores que vão do esverdeado ao azulado. Eles também podem aparecer em vermelho, esbranquiçados, em cinza ou em forma de pontos pretos.

Mofo: o que é?

Os fungos do mofo se desenvolvem tanto em matéria orgânica, como frutas, quanto em espaços físicos, como a parede de casa. O que favorece esse crescimento é a umidade e a baixa circulação de ar. Ambientes úmidos são igualmente suscetíveis ao problema, principalmente se essas condições se manterem por longo período.

Por isso, locais fechados são os preferidos ao desenvolvimento do mofo. Armários, porões, pias, guarda-roupas e paredes. Estofados, carpetes, telhas e canos também podem sofrer do fungo, pois oferecem as condições propícias a ele.

Nas paredes, além da pouca ventilação do ambiente. um fator de risco pode ser o vazamento de algum encanamento. Caso haja umidade “brotando” na parede, o mofo encontra o local perfeito para crescer. No caso de uma impermeabilização ruim, a umidade exterior ao espaço também pode favorecer essa ocorrência. Ainda nesse sentido, a tubulação do ar condicionado pode ser um problema, caso não seja isolada corretamente durante sua instalação.

Será que é mofo?

Identificar o mofo não é difícil. Além das cores já citadas, o fungo exala um odor desagradável e característico. Por isso é fácil identificá-lo mesmo na parede mais alta, que seria de visualização difícil. Rachaduras na parede também pode ser sinal dessa formação.

O mofo se desenvolve em questão de horas. Isso significa que não apenas um espaço por muito tempo fechado e pouco ventilado poderá sofrer do problema. Apesar, claro, desse ser o ambiente “preferido” pelo agente. Locais com fatores momentâneos também podem acabar mofados. Nesse caso, porém, a limpeza e eliminação do bolor é mais fácil.

Além de na parede lisa, o fungo pode se desenvolver em locais azulejados. Nesse caso, no entanto, ele aparece no rejunte dos azulejos, pois a área tende a acumular umidade. Por isso é comum que apareçam manchas escuras entre os quadrados de cerâmica. Não se engane: as marcas não são sujeira, mas sim fungos, e por isso devem ser sempre eliminados. Do contrário, poderão “consumir” o rejunte com o tempo.

Mofo e saúde

O bolor provoca muito mais do que cheiro e visual desagradáveis. A formação fúngica é um problema para a saúde, uma vez que seus esporos são prejudiciais ao aparelho respiratório. Assim, doenças respiratórias podem tanto surgir devido ao mofo, quanto serem agravados por ele. É o caso da asma alérgica, sinusite alérgica, rinite alérgica, aspergilose broncopulmonar alérgica e micose broncopulmonar alérgica

Outra ocorrência comum em quem convive com o fungo é a síndrome da resposta inflamatória sistêmica. O problema está associado a biotoxinas. A biotoxina é uma substância tóxica emitida pelo mofo, bastante perigosa, e que pode atacar órgãos como fígado e rins.

Além das doenças, o indivíduo que esteja em ambiente bolorento apresenta uma série de sintomas esporádicos, apenas de mal estar. Como cansaço, dor de cabeça, bronquite crônica e perda de peso. A ocorrência de problemas gastrointestinais, queda de cabelo, rachaduras e coceira na pele, tosse crônica, perda de olfato, dores musculares, tremores e ansiedade também é comum. Os dados são de um estudo americano.

Pessoas com baixa imunidade estão mais sujeitas a esses sintomas e doenças. Por isso, é importante manter o cuidado com a saúde, principalmente com boa alimentação e prática de atividades físicas.

Caso o indivíduo apresente algum desses sintoma, é importante que busque um médico. Assim, o especialista poderá indicar o mofo como fator causal, ajudando o paciente a perceber o problema em casa. Se a causa for outra, também poderá ser identificada nos exames médicos.

Qualquer mofo pode provocar problemas de saúde. O bolor preto, no entanto, é dos mais perigosos, e por isso o que deve ser combatido com maior afinco.

Como tirar mofo da parede?

No mercado, há uma série de produtos fabricados justamente para a eliminação do mofo. Você pode facilmente encontrá-los na prateleira dos supermercados e, seguindo as instruções das embalagens, eliminar o bolor da parede de casa.

No entanto, existe uma série de métodos caseiros para combater os fungos. Eles costumam ser mais práticos, pois são realizados com produtos comuns principalmente na cozinha. Assim, não é necessário buscar composto específico, apenas lançar mão do que você mais próximo.

O vinagre branco é o primeiro composto possível para o combate ao fungo. Ele pode ser utilizado tanto sozinho, quanto junto ao bicarbonato. Tudo depende da gravidade do mofo e, claro, do que você tem à disposição. O vinagre funciona porque possui ótimas propriedades antifúngicas e antibacterianas.

Para utilizar o produto sozinho, é necessário colocar um copo de vinagre num recipiente borrifador. Em seguida, você deve borrifar o líquido diretamente sobre a área manchada pelo mofo, de forma generosa. Deixe o produto agir por cerca de dez minutos, e depois limpe a superfície com um pano limpo e seco. O processo pode ser repetido quantas vezes for necessário para a retirada do fungo, inclusive se ele retornar a crescer.

O uso com o bicarbonato é interessante se houver grande área afetada pelo bolor, pois ele potencializa o efeito do vinagre. Nesse caso, é necessário preparar uma solução, utilizando 240 ml de vinagre para cada colher de sopa de bicarbonato.

O melhor é fazer a mistura em um recipiente fundo, pois quando colocados juntos o líquido borbulhar. Em seguida, coloque a solução no borrifador e repita o passo a passo citado anteriormente. Para manter os fungos longe, é indicado realizar esse processo ao menos uma vez por mês. Isso vai manter o mofo afastado.

Outros produtos eficazes

Outro ingrediente eficaz para tirar mofo da parede é a água sanitária. Aqui, é importante misturar 100 ml de água para cada litro de água sanitária, pois o produto é muito forte. Se utilizado sozinho, poderá prejudicar a superfície. Aliás, é importante aplicar a água sanitária apenas em paredes brancas, ou no rejunte entre cerâmicas. Do contrário, o resultado serão manchas descoloridas na parede. A aplicação do líquido também pode ser feita com borrifador. É preciso deixá-lo agir por 30 minutos, e depois limpar o local com esponja ou pano limpo.

Pouco menos comum em casa, mas igualmente eficaz, há o óleo essencial de árvore do chá. O produto tem propriedades antibacterianas e antibióticas poderosas, e consegue eliminar o bolor com perfeição. Importante dizer que, apesar de mais caro que produtos próprios para limpeza, o óleo não prejudica a saúde, nem tem cheiro incômodo.

Sua aplicação deve ser feita por meio da mistura de uma colher de óleo para cada meio litro de água. Depois, você pode pulverizá-lo na superfície manchada, e deixar agir por cerca de minutos. Para retirar o produto, é necessário esfregar a parede com um pano ou escova.

Já a água oxigenada, além de conseguir se livrar do mofo, tem propriedades clareadoras. Para utilizá-la, é necessário diluí-la em água, de modo que ela se torne mais líquida. A solução deve, então, ser esfregada na área afetada da parede. Em seguida, deixe-a agir por minutos, e esfregue novamente com uma escova. Sua retirada total deve ser feita com um pano úmido.

Toranja, vodca e saquinhos de sílica

Há ainda a possibilidade de utilização do extrato de semente de toranja. O composto tem muita eficácia na retirada do fungo, e não provoca odor forte durante sua utilização. Para utilizá-lo dilua 20 gotas do extrato em um copo de água. Em seguida, esfregue o líquido sobre a mancha de bolor, deixe agir por dez minutos, e remova o produto com um pano seco e limpo.

Queridinha dos drinks, a vodka também funciona para tirar mofo da parede. A bebida deve ser utilizada pura, sendo aplicada diretamente sobre a mancha de fungo. Sua ação demora dez minutos, e em seguida é necessário esfregar a superfície com uma esponja ou pano.

O percarbonato de sódio, por sua vez, tem capacidade branqueadora excelente. Por isso, é o ideal para paredes ou azulejos brancos, que poderão retomar sua cor brilhante após a limpeza. Para sua aplicação, dilua duas colheres de sopa do produto do produto em água morna. Espalhe-o, então, sobre as áreas manchadas e deixe agir por 20 minutos. É preciso enxaguar a superfície logo em seguida.

Independentemente do produto escolhido para a limpeza, lembre-se que a ventilação do ambiente é fundamental. Assim, logo após a limpeza, e sempre que possível, deixe as janelas do cômodo abertas. Apenas evitando a umidade e calor é possível impedir a volta dos bolores.

Além disso, invista nos saquinhos para umidade. Eles podem ser posicionados principalmente atrás de móveis que “abafam” a parede. No mercado existem saquinhos prontos, com sílica, que são bastante efetivos. Utilizar pedaços de giz embrulhados em tule, ou pedaços de carvão ou cal em potes plásticos, é igualmente interessante.

Dicas para prevenção

Se até aqui você aprendeu como tirar mofo da parede, agora é hora de saber como preveni-lo. Afinal, melhor do que combater um problema, é evitar que ele aconteça. Por isso, o primeiro passo é sempre manter os ambientes arejados e livre de umidades. Conserve as janelas de casa abertas nem que seja apenas por parte do dia. Manter o espaço quente e abafado favorece muito o surgimento de bolores.

É importante manter também a limpeza dos espaços em dia. Para as paredes, mesmo que não haja mofo instalado, você pode usar bicarbonato ou vinagre as faxinas periódicas. Os produtos vão diminuir a possibilidade de ocorrência do mofo.

Se o mofo já tiver acontecido, tenha também o cuidado de descobrir sua causa. Apenas o abafamento do espaço foi suficiente para o surgimento do problema, ou há umidade acumulada? Se houverem problemas de umidade, a “origem” do fungo pode ser o vazamento de um cano. Ou então da tubulação do ar condicionado, conhecida por provocar incômodos. Resolva a situação, e o bolor provavelmente não será recorrente.

Se o espaço é “naturalmente” úmido, como banheiro, a solução pode ser utilizado isopor entre parede e móveis. Afinal, os espaços vazios são os preferidos dos fungos. No caso dos azulejos, o ideal é fazer a impermeabilização antes do posicionamento das cerâmicas. Por isso, atenção no momento de construção ou reforma!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.