Piso de cozinha fácil de limpar

Advertisements

Além de ser um espaço para as maiores delícias culinárias, a cozinha é um lugar que acaba por se sujar bastante. Afinal, há a água, alimentos, gordura e tudo o mais, que podem sujar paredes e chão. Você com certeza sabe do que estamos falando…. Por isso, uma das coisas mais procuradas na hora de uma reforma ou construção é um piso de cozinha fácil de limpar. Para ajudar em sua escolha, listamos neste textos dicas, cuidados e as melhores opções para a sua casa. Acompanhe!

Como escolher o piso?

Claro que o foco deste texto é pela limpeza. Afinal, não é nada agradável manter uma cozinha suja, principalmente se for pela dificuldade de limpá-la “apenas” com um pano úmido. No entanto, além desse ponto, é importante considerar algo no momento da escolha do piso para cozinha: a decoração.

Assim como em qualquer espaço da casa, as cores e objetos aplicados na cozinha fazem completa diferença ao bem-estar visual do cômodo. Além de funcional, então, o piso precisa ser bonito. Deve ainda combinar com o restante do imóvel, para que não cause estranhamento após certo tempo.

Pensando nisso, a primeira dica pra escolher seu piso ideal é fugir do branco. A menos, é claro, que você realmente deseje utilizar a cor. Apesar da ideia de que o branco deve ser necessariamente utilizado na cozinha, ele é apenas uma opção entre tantas outras existentes.

O mercado oferece, por exemplo, pisos pretos, amarelos, azuis, alaranjados e de qualquer outra tonalidade desejada. As texturas disponíveis também criam visual diferente, e podem tornar o ambiente único. Uma cozinha com piso escuro, por exemplo, é mais moderna, sóbria e elegante.

Já pisos em tons de cinza ou bege são os mais interessantes para “esconder” a sujeira. Como normalmente possuem veios e pigmentos, as superfícies não deixam perceber aquela fina poeira que se acumula ao longo do dia no chão. Assim, a sensação de limpeza é grande.

O tipo de piso tem igual efeito na decoração. Azulejos e pastilhas, por exemplo, são os ideais se o objetivo for criar um ambiente clássico. Se coloridas, as peças permitem um visual retrô.

Que pisos não escolher?

No momento de escolha do piso, é também importante avaliar a característica antiderrapante do produto. Produtos escorregadios na cozinha são perigosos, e podem acabar por causar acidentes. Isso uma vez que é comum a queda de água, gordura ou outros líquidos e alimentos no chão. Nesse caso, o melhor é evitar materiais com acabamento polido.

Apostar na madeira também não é uma boa alternativa para a cozinha. Afinal, o material, mesmo que envernizado, tem facilidade em absorver líquidos. A característica facilita manchas, que ao longo do tempo podem tornar o visual do material sujo e desagradável.

O cimento queimado também seria boa opção, se não fosse sua facilidade em se engordurar e manchar com facilidade. De qualquer modo, o piso desse tipo não possui rejunte, não acumula sujeira e tem limpeza prática. Ele também tem custo mais barato, pois é feito basicamente com água, areia e cimento.

Piso de cozinha fácil de limpar: as melhores opções

Como explicado até aqui, um bom piso para a cozinha deve combinar com a decoração de casa, ser antiderrapante e não acumular sujeira. Não deve possuir também a qualidade a absorção, pois isso provoca manchas, uma vez que o cômodo frequentemente tem líquidos e alimentos pelo chão. Com essas características, podemos listar seis tipos principais de piso, eleitos então como os mais adequados à cozinha.

Os primeiros são o mármore e o granito. O granito é uma rocha natural, formada por três minerais: o quartzo, a mica e o feldspato. Muito resistente, ele é principalmente utilizado em bancadas da cozinha. O mármore é da mesma forma natural, formado a partir do calcário.

Ambos os materiais são mais caros que outras alternativas que serão aqui citadas. No entanto, são também mais resistentes, tanto em relação a impactos, quanto a líquidos e ao tempo. Ao mesmo tempo, mármore e granito são impermeabilizados e pouco porosos, permitindo que um pano molhado retire facilmente a sujeira acumulada.

As pedras também possuem característica visual interessante: “veios”, manchas naturais de pigmento. Esse visual mesclado e cheio de “manchas” disfarça a sujeira e manchas de água e gordura, permitindo que o indivíduo cuide da sua cozinha apenas quando houver tempo, sem se preocupar tanto com o visual sujo.

A instalação dos materiais é realizada com a chamada junta seca, que possui rejunte bastante fino. Logo, não há acúmulo de sujidades nessas junções. Isso evita, inclusive, que os rejuntes se encardam, o que provoca visual incômodo.

Porcelanato: beleza e praticidade em forma de piso

Dentre todas as alternativas mais fáceis de limpar, o porcelanato com certeza se destaca. O material é liso e não absorve água, uma vez que tem baixíssima porosidade. Seu rejunte também é fino, evitando o acúmulo de sujeira nas junções entre azulejos.

O porcelanato é igualmente destacável por sua grande resistência. O piso durável evita a necessidade de troca durante o tempo, e há pouca ocorrência de trincas mesmo com a queda de objetos. Sua variedade de texturas e cores também é destacável: é possível escolher entre peças claras, mescladas, “marmorizadas”, coloridas ou brancas. Em algumas, o visual imita até mesmo a madeira, pedras ou a fibra natural.

Para a limpeza do porcelanato, basta apenas utilizar água, detergente neutro e um pano. A limpeza é super simples, e permite tem superfície brilhante novamente em apenas alguns minutos.

Pisos mais “clássicos”

Já a cerâmica é dos materiais mais clássicos na cozinha. Tanto ela, quanto as pastilhas, precisam apenas de um pano úmido e detergente para a limpeza, assim como o porcelanato. São, porém, opções mais baratas, apesar de também serem menos resistentes.

O problema da cerâmica e pastilhas está em seu rejunte. Os materiais requerem espaço maior entre uma peça e outra, e isso cria margem ao acúmulo de sujidades na região. Por isso, o cuidado precisa ser dobrado, e geralmente a necessidade de limpeza é mais frequente.

De qualquer modo, as opções têm grande variedade de texturas e cores. Com elas, é possível criar um ambiente clássico, ou moderno, retrô, alegre ou o que mais o indivíduo desejar. A combinação de diversas cores de pastilhas, aliás, pode criar um padrão único e decoração personalizada ao imóvel.

Por fim, há o piso epóxi. Com característica reflexiva e visual semelhante a um adesivo, o produto é resistente e bastante higiênico. Sujidades dificilmente se acumulam sobre ele e, caso o façam, podem ser retiradas com água e sabão. A alternativa, contudo, é mais cara, e por isso indicada principalmente para espaços mais extensos.

E então, qual será sua opção de piso de cozinha fácil de limpar?

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.