Tipos de Flores: Guia para Decorar seu Jardim

Advertisements

Ter flores no jardim é, sem dúvida, o modo mais interessante de criar um belo visual. Antes de investir nas plantas, porém, é interessante que você conheça os diversos tipos de flores existentes. A variedade é imensa, e pode te ajudar a criar um jardim ideal à sua personalidade!

Num jardim, as pétalas dão cor ao espaço, além de criarem a sensação de delicadeza e cuidado. Algo que, se combinado com pequenos arbustos ou vasos decorados, tem efeito ainda mais atraente.

Apesar do que você pode estar imaginando, um jardim florido pode ser obtido também em apartamentos. A variedade de plantas é tão grande que é possível aproveitá-la, por exemplo, em jardim verticais. Ou mesmo em vasos que, quando decorados, tornam o visual ainda mais belo. Tudo depende de escolher a planta certa.

Para te auxiliar, então, vamos listar neste texto muitos dos tipos de flores disponíveis para sua decoração. Listaremos ainda algumas dicas de como utilizá-las, e todas as suas vantagens. Continue acompanhando!

Jardins verticais e de inverno

Antes de avaliar as flores por sua preferência de cores e  visual, é importante saber que elas devem ser posicionadas nos locais adequados. Como no caso dos jardins verticais, feitos com “paredes verdes” ou com vasos pendurados.

Para que o jardim não seja apenas um conjunto de folhagens você pode investir, por exemplo, em bromélias. As orquídeas, gardênia e azaleias também criam um belo visual na parede, dando colorido ao espaço. Esse tipo de jardim pode ser instalado em diferentes locais, mas é mais comum numa parte externa ao imóvel.

Já um jardim de inverno é mais comum no interior do imóvel. É necessário, porém, que o ambiente conte com luz ambiente, o que requer uma vidraça e/ou vão para passagem do sol. Para essa opção, é interessante investir em flores como a calêndula, a boca de leão, prímula, amor-perfeito ou heléboro.

Toda flor para o jardim de inverno deve começar a ser cultivada no início de outono. Dessa forma, elas já terão se desenvolvido o suficiente para florescerem na primavera.

É importante ainda considerar a posição do jardim para escolha das plantas. Algumas das flores são sensíveis ao sol, e você deve evitá-las em locais em que há incidência direta do sol sobre as plantas. Se for esse o caso, existem flores mais resistentes, como a alamanda, agapanto, clúsia e moreia.

Tipos de flores: mais conhecidas

Entre as flores mais comuns nos jardins está o girassol. Não só por sua bela cor amarela, mas porque a planta é das mais conhecidas, até mesmo por crianças. Afinal, que nunca viu a tela “Girassóis”, de Van Gogh?

A planta se destaca por seu intenso amarelo, de pétalas afinadas. Seu cabo grosso facilita bastante seu cuidado, mesmo considerando que a flor requer rega constante e abundante. Outro destaque do Girassol é que ele cresce sempre em direção ao sol, e por isso pode direcionar suas pétalas até para cima. Tudo depende da direção de incidência da luz.

Outra flor bastante conhecida é a lavanda. Não muito por sua plantação, mas pelo delicioso perfume que caracteriza produtos para o cuidado da casa e das roupas. Até itens estéticos extraem sua essência da planta!

A lavanda deve ser plantada em vasos ou diretamente no solo. Ela é caracterizada por pequenas pétalas em tons roxos, que transmitem incrível delicadeza ao jardim. Para crescer, a lavanda requer intenso sol, um solo pobre e sem muita regra. Sim, ela demanda coisas bem diferentes das outras plantas.

Margaridas também requerem bastante sol, mas precisam de regas constantes. Suas flores são brancas, com miolo amarelo intenso. Para mantê-las saudáveis, é fundamental fazer a poda todas as vezes que as flores estiverem murchas ou com pouca vitalidade.

Há ainda a Azaléia, que aparecem em tons de rosa, violeta e até branco. Durante seu crescimento, a planta requer regas abundantes e constantes, além de boa fertilização. Como gostam de sol, elas são as ideais para espaços com grande incidência de calor.

Tipos de flores para vasos

Falando das flores para vasos, há muitas belas e destacáveis. Como a Rosa do Deserto, que possui pétalas de um intenso rosa e branco. Ela chama a atenção também por ser uma mini árvore, com tronco bastante  atraente. A flor é exótica, e precisa ser cultivada num vaso ou canteiro de areia. Para seu cuidado, é importante manter rega constante, mas não exagerada. A adubação, por outro lado, deve ser realizada mais ou menos a cada oito semanas.

Hibiscos também podem ser plantados em vasos. Contudo, apesar de bonita, com um vermelho intenso, a planta é mais conhecida por seus poderes medicinais. É comum seu consumo para combate à hipertensão, às cólicas menstruais ou a problemas no físico.

Um hibisco pode ser cultivado ao sol ou à meia sombra. Além da flor, o vaso ganha um arbusto cheio de folhas, no qual a flor se desenvolve. Para garantir a saúde do vegetal, é necessário manter o solo relativamente úmido, além de retirar folhas e flores murchas do recipiente.

Alpínias, por sua vez, são flores com pétalas mais “duras”. Elas crescem em formato vertical, formando uma espécie de caule colorido, geralmente em vermelho ou rosa. Seu formato pode ser assemelhado a uma espiga, com folhas parecidas com as da bananeira.

Originária da malásia, a alpínia requer bastante sol e calor. Seu solo, contudo, deve permanecer sempre úmido, para que ela obtenha nutrientes para crescimento.

Já a Ixora é uma flor conhecida por atrair bastante borboletas. Elas aparecem em cores diversas, como o vermelho, laranja e amarelo, e tem pétalas que se agrupam em formato circular. Seu cultivo precisa ser feito em sol pleno, em um solo fértil e que não acumule água. Para manter esse último requisito, uma dica é adicionar cascalho ao solo.

Tipos de flores: brasileiras

Com uma flora tão diversa, é compreensível que existam inúmeras espécies de flores brasileiras. Belas e características, as plantas proporcionam um visual bastante atraente aos mais variados tipos de jardins.

É o caso, por exemplo, da begônia. Com diversas cores disponíveis no mercado, suas folhas lembram corações, o que agrega bastante ao visual “fofo” da planta. A espécie se adapta facilmente ao clima, seja ele frio ou quente, mas demanda proteção contra o vento.

Jacarandás Paulistas, por sua vez, crescem em árvores, grandes e frondosas. O roxo de suas pétalas se assemelha aos tons da lavanda, e seu tronco pode ser utilizado na produção de móveis. Apesar de  pouco comum nos jardins, ela é ótima opção caso você deseje uma árvore para sombra, mas que ao mesmo tempo ofereça delicadeza ao espaço.

Enquanto isso, as Onze-horas tem pétalas que crescem formando um círculo. Só que as pétalas nem sempre ficam abertas: a flor se abre durante o dia, e fecha suas pétalas ao cair da tarde. Seu nome, então, indica as 11 horas aproximadas que ela permanece aberta a cada dia. Seu solo deve ser fértil e úmido.

Para tons intensos de rosa, ou arroxeado, a flor Primavera é a ideal. Apesar de poder ser plantada no solo ou no chão, ela é uma incrível alternativa para a criação de “paredes verdes”, ou mesmo “tetos verdes”. Como crescem bastante juntas, as flores conseguem oferecer ótima sombra quando posicionadas no alto. Sua rega é necessária a cada 15 dias aproximadamente, o que torna sua manutenção mais simples.

Tipos de flores para jardim

Além de todas as citadas até aqui, o Crisântemo é uma ótima opção como flor de jardim. A planta pode ser cultivada no solo ou em vaso, e floresce no inverno. Suas pétalas aparecem em variadas cores, geralmente em várias “camadas”, que tornam seu visual mais cheio.

Já o Lisianto é bastante semelhante à clássica Rosa. O círculo formado pelas pétalas, no entanto, é mais aberto, e deixa perceber uma espécie de  redemoinho. A planta não é indicada para ambientes muito abertos, pois é vulnerável ao ataque de pragas e doenças.

No caso das mini-margaridas, o que temos são margaridas em tamanho menor. Delicada, a espécie é indicada para vasos, onde crescem em grande quantidade e criam uma jardim atraente. Elas estão disponíveis no mercado em diferentes cores, além do branco comum das margaridas.

Entre as mais procuradas, de qualquer forma, há as rosas. A espécie aparece nas mais diversas tonalidade, principalmente porque vários tipos da planta são facilmente “cruzados” pelos produtores. Logo, é fácil encontrar a planta que melhor se encaixa ao seu desejo: vermelho para um jardim mais marcante, lilás ou azul claro para espaços mais meigos.

Orquídeas são igualmente procuradas. A espécie, no entanto, é mais delicada, e demanda cuidado constante e intenso. Por isso, só é indicada caso você seja fã de jardins, tendo prazer em cuidar dele.

Para vasos suspensos, há a incrível Brinco-de-Princesa. As flores crescem pendentes, e criam um belo visuals onde quer que sejam inseridas. Sua cor principal é o vermelho, mas ela também pode ser cultivada em tons mais claros, como o rosa.

Tipos de flores: perfumadas

Se o objetivo é um perfume intenso e jardim delicado, a melhor opção é a moreia. Com pétalas brancas, a planta pode ser plantada dentro ou fora de casa, sendo mais vantajosa para interiores devido ao seu cheiro.

Também com intenso perfume, há as Rosas de Escalada. A espécie possui constante flora, e é bastante resistente. Ela é ideal para jardins verticais, pois cresce para cima, podendo chegar a até 10 metros.

Flores de mel são também conhecidas como Álisso. Seu perfume é semelhante ao do mel, e ela produz inflorescências com várias flores pequeninas. Os cachos resultantes são bastante delicados, o que torna a planta ideal para combinação com arbustos também delicados. Para se desenvolver, a flor requer bastante sol. Suas cores variam entre o roxo, rosa, branco e alaranjado.

Um jardim pode contar também com o asessippi lilás. A espécie é um arbusto grande, formado que exclusivamente pelas flores com fragrância de lavanda refrescante.  Seu florescimento acontece durante a primavera, sendo que a planta pode atingir os 12 metros de altura.

No caso do Jacinto, as flores crescem formando inflorescências verticais, em formato cilíndrico. Brancas, vermelhas, laranjas, azuis, rosas ou amarelas, as flores são bastante perfumadas. Seu cultivo é mais bem-sucedido em espaços frios, uma vez que a espécie não tolera o calor excessivo.

Tipos de flores para área externa

As dedaleiras, por sua vez, são semelhantes a sinos, pois suas pétalas se alongam formando um fino recipiente. Por esse motivo, elas são também conhecidas como Campainhas. Podendo atingir até 5 metros, a espécie é indicada para o cultivo no solo. Além do visual, a planta tem propriedades medicinais contra  problemas cardíacos.

Clethras alnifolias são flores cor-de-rosa, famosas por atrair borboletas. A altura média de seu arbusto é de 2,5 metros, e seu cultivo deve ser feito em solos úmidos e ricos e nutrientes. Enquanto isso, o Beijo-pintado exige pouca manutenção e tem aparência mais rústica. Suas tonalidades variam entre o rosa, salmão, vermelho, violeta e tons pastéis. O Beijo deve ser protegido contra o vento, apesar de poder permanecer sob sol intenso.

Flores Boca-de-leão, por sua vez, têm formato característico. Suas pétalas, quando abertas, formam desenho semelhante a uma boca grande. Ela pode ser plantada em vasos ou jardineiras, e suas cores variadas, quando colocadas num mesmo vaso, dão incrível visual ao jardim

Já a Botão-de-ouro é uma flor solitária, que tem origem no Brasil. Seu tom é amarelo intenso, e suas pétalas bastante compactas. As folhas de seu arbusto, por outro lado, apresentam coloração verde-clara. Rústica, ela pode ser considerada uma “flor do campo”, e ideal caso seja este o objetivo da decoração.

Callas e Copos-de-leite são bastante semelhantes. Elas geralmente são plantadas em vasos dentro de casa, pois possuem alto valor decorativo. A diferença principal entre as duas espécies está na cor: enquanto a Copo-de-leite é branca, as callas têm diferentes tonalidades. Aparecem, muitas vezes, em vermelho, rosa, alaranjado em amarelo. Ambas as plantas devem ser cultivadas à sombra, com regagem constante e generosa.

As flores e seus diferentes formatos

No caso do Colchão-de-noiva, o destaque são suas flores arredondadas. Pequeninas, as pétalas são indicadas para um visual delicado. Assim como o cravo, que apesar de maior, tem flores bastante delicadas. Suas pétalas têm bordas recortadas, cor aroma suave. Cravos aparecem em tons como o roxo, amarelo, alaranjado e vermelho.

Em formato mini, existem as Crista-de-galo. Semelhante a uma crista do animal, a planta forma inflorescências brilhantes com textura de veludo ao toque. É possível encontrar a flor em vermelho, amarelo, alaranjado, roxa, rosa e creme.

Outra bastante popular é a Iris. As inflorescências da planta são compostas normalmente por duas flores, com algumas pétalas “caídas”. Os tons geralmente aparecem em um roxo intenso, tornando o visual da espécie bastante marcante. Para seu cultivo, é possível utilizar vasos, jardineiras ou mesmo o solo. Em qualquer das escolhas, a terra deve permanecer sempre úmida.

Existem também os lírios, muito populares no mundo. As flores podem aparecer solitárias ou em grupos. Como engloba diferentes espécies, o gênero dos lírios pode ter plantas com pétalas em forma de cálice, turbante, trombeta ou planos. O que é comum a todas as espécies é a beleza e delicadeza do lírio, que pode ser facilmente combinado numa decoração.

Mais tipos de flores

Flores de Lótus são igualmente populares, mas por representarem a sorte e significados místicos em países orientais. Suas pétalas podem ser brancas ou róseas, se abrindo até formarem um belo emaranhado de cor. A planta é aquática, e por isso demanda um jardim aquático para plantio. Assim, é mais indicada para jardins de inverno que possuam fonte de água.

Narcisos são flores amarelas, que aparecem no clima frio do inverno. Eles podem ser plantados principalmente em vasos. A perpétua, por outro lado, é versátil e pode compor canteiros, vasos, jardineiras e outras.

Por fim, existem duas outras muito belas. Primeiro, a Tulipa, coloridas e característica da Holanda – você com certeza já viu um campo de tulipas ao buscar pelo país no Google. Geralmente, a espécie é plantada em vasos, mas pode formar um belo conjunto no solo do jardim. Além dessa, há a verbena, que possui pequeninas flores em buquês. Sua cor principal é o roxo, mas ela também pode aparecer em vermelho e outras.

Tipos de flores: cuidados

Mais do que pelo visual atraente, é importante que você escolha as flores do seu jardim de acordo com suas características de cultivo. Como você notou até aqui, algumas delas necessitam de solo bastante úmido, enquanto outras devem ser plantadas em local seco. Caso você combine plantas tão diferentes assim, uma delas não vai “vingar”, criando um aspecto desagradável.

Outro ponto a se analisar é a incidência de luz solar. Quando a planta requer bastante sol, é indicado que ela seja plantada fora de casa. Mesmo que seja em vasos. As que crescem à meia sombra, porém, podem ser posicionadas no exterior de casa (onde não haja tanta luz), ou no interior do imóvel.

Analisados estes quesitos, preocupe-se em adequar a flor ao seu tipo de decoração. Se escolher uma flor mais rústica, mas sua casa tiver decoração extremamente moderna, os visuais vão ser muito destoantes. Apesar de interessante no início, essa contradição poderá causar cansaço visual após certo tempo.

Ao plantar, lembre-se de preparar o solo como a flor demanda: mais ou menos adubo, umidade extrema ou não. O preparo prévio vai garantir que, logo de cara, a espécie terá o necessário para se desenvolver forte e bonita.

Com estes cuidados, e a manutenção periódica e correta, seu jardim será muito mais bonito! E então, qual dos tipos de flores você irá cultivar?

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.