Tipos de Tijolos: Alvenaria, Decorativos, Leves e Ecológicos!

Advertisements

Na hora de construir um imóvel, é interessante conhecer os tipos de tijolos. Afinal, as diversas opções no mercado podem criar ambientes únicos! Além, é claro, de uma estrutura sólida e segura que todo local merece.

Para te ajudar nessa tarefa, listamos neste texto os tipos de tijolos que você pode contar. Há aqueles classificados de acordo com o material com que são produzidos – uma das divisões mais conhecidas. Listamos também os tipos segundo sua utilidade, além do número de cada um.

De qualquer modo, é importante que, no momento de escolha do material você conte com ajuda especializada. Apenas um profissional, como um pedreiro ou engenheiro, poderá atestar a melhor opção ao seu projeto. Principalmente porque, dependendo do número de andares e cômodos, o tijolo ideal pode ser diferente do esperado. Acompanhe no texto!

Tipos de tijolos: conforme o material

A classificação dos tipos de tijolos segundo seu material dividem o produto, basicamente, em cinco grupos. São eles: os tijolos feito de barro, o de concreto, argila, vidro e o ecológico. Dentre todos, sem dúvida o feito de barro é o mais conhecido e utilizado nas construções.

Primeiro, há o tijolo de barro cozido, disponível no formato de bloco e de tijolinho. O bloco, também chamado de bloco cerâmico, é o principal material utilizado na alvenaria. Ou seja para o erguimento de paredes e muros.

Numa obra dominada pelo bloco cerâmico, o mais comum é que ele seja coberto por argamassa ou concreto. Isso prepara a parede para receber pintura, papel de parede ou outros.

Já o tijolinho de barro é o escolhido quando o consumidor deseja deixar as peças aparentes. São eles os utilizados, por exemplo, na construção de churrasqueiras. Seu visual bonito é bastante interessante à decoração, em casa ou na lareira.

Com função estrutural tão boa quanto o anterior, ele ainda pode dar origem a paredes e outros semelhantes. O tijolinho costuma ter custo mais elevado que o bloco.

Já o tijolo de barro cru é conhecido como Adobe. O modelo é fabricado a partir da mistura entre fibras naturais, palha e água, e sua secagem é feita ao sol. Mais rústica, a peça funciona para a construção em fazendas e sítios, e também para paredes externas que terão função decorativa.

Os Tipos de Tijolos que abordaremos neste artigo são:

  • Concreto
  • Adobe
  • Vidro
  • Ecológico
  • Refratário
  • Laminado
  • Cobogó

Adobe e de concreto

O Adobe é barato, e tem característica ecológica, uma vez que seus componentes são facilmente encontrados. Ele possui característica de bom isolante térmico, e consegue manter a temperatura amena ao seu redor. No entanto, o material absorve facilmente a água, inclusive da chuva, o que o torna pouco durável. Por isso ele não é dos mais interessantes para função estrutural, nem para espaços sem proteção contra os agentes naturais do tempo.

Na construção autoportante, ou seja, aquela que não precisa de vigas ou pilastras para se sustentar, o bloco de concreto é dos mais utilizados. Sólido e resistente, o produto é ideal para grandes construções, incluindo prédios de diversos andares. Suas variações disponíveis no mercado apenas diferem quanto ao número de andares que poderão suportar sem a ajuda de vigas.

Além dessa facilidade estrutural, o tijolo de concreto se destaca pelo seu custo. Mais barato, o material também requer menos argamassa para sua junção, tornando toda a obra mais barata. Geralmente, ele ao mesmo tempo recebe camada de cimento sobre si, para que depois seja possível pintar a superfície. Se o objetivo for um aspecto mais rústico e industrial, porém, é possível deixá-los sem cobertura.

Tijolo de Vidro

Você provavelmente já viu uma parede de vidro em imóveis mais “requintados” da televisão. Elegante e bonita, a estrutura é das preferidas para a decoração dos espaços. Inclusive porque deixa passar a luminosidade, de forma difusa, sem tornar o ambiente demasiadamente claro. Por isso, ele é ideal para paredes com boa entrada de luz, e como divisória de ambientes.

Outra vantagem do tijolo de vidro é o ótimo isolamento acústico e térmico que ele proporciona. No entanto, ele tem custo mais elevado, podendo chegar a R$ 12 por peça. Por isso, também, ele é normalmente utilizado apenas como um detalhe no imóvel.

Refratários e ecológicos

Tijolos produzidos com argila enriquecida da mesma forma estão disponíveis para construção. Chamados de refratário, o produto tem incrível capacidade isolante do calor, e suporta altas temperaturas. Por isso, é um dos mais interessantes para churrasqueiras – até mais do que os tijolos de barro.

O tijolo ecológico, por sua vez, é produzido a partir da mistura do cimento, água e solo. Prensado de forma manual ou mecânica, ele não precisa ser queimado, o que o torna ainda mais condizente com a preservação da natureza.

Para a utilização das peças, é necessária apenas pouca quantidade de argamassa. O produto oferece ótimo isolamento acústico e térmico, mas demanda profissional especializado para sua utilização. Pouco indicado para ambientes úmidos, ele pode se tornar parte da decoração, ficando aparente no espaço.]

Cobogó e o laminado

Voltando a peças decorativas, é possível citar o tijolo vazado. As peças têm, literalmente, buracos, que formam desenhos interessantes. Logo, podem ser instalados em paredes, especialmente nos ambientes em que o objetivo seja a entrada de ar e luz. Eles são igualmente indicados para paredes divisórias de ambientes.

Também chamado de cobogó, esse tijolo pode aparecer na sua cor base – cerâmica, cor de barro – ou colorido.

Por fim, mais um tipo de tijolo indicado para a churrasqueira: o laminado. Com 21 furos, o material tem ótima aderência à argamassa, deixando qualquer estrutura mais firme. Para isso, de qualquer modo, é indicado que ele seja utilizado na horizontal, deixando a parte lisa aprende.

Classificação conforme os furos

Os furos de um tijolo geralmente definem sua capacidade acústica e térmica. Quanto menos furos o material possui, melhores são essas suas qualidades, uma vez que não haverá “espaço” oco na construção.

Deste modo, o tijolo maciço é o mais interessante quanto à capacidade de isolamento. Sem nenhum furo, a peça consome pouca argamassa, pois não é necessário inserir o cimento em nenhum orifício. A secagem da estrutura montada com tijolo maciço, porém, é mais demorada. Para não atrasar a obra, então, ele é geralmente utilizado apenas em paredes e outras estruturas decorativas, montadas por último.

Já o tijolo baiano é o mais utilizado nas obras pelo Brasil – você com certeza já viu um! Dentre os mais comuns há o com oito furos. As peças possuem ranhuras laterais, têm ótima aderência uma à outra, e agilizam muito a montagem das estruturas. A economia de argamassa também existe nesse caso, uma vez que as ranhuras facilitam a “colagem” entre as porções.

Como os furos do tijolo deixam o produto mais leve, a peça é indicada apenas para paredes e alicerces. Ou seja, não são os mais adequados para a fundação do imóvel. Afinal, poderão ser pouco resistentes no caso dessa base do lar.

Tipo segundo a utilização do tijolo

Os tipos de tijolos também podem ser classificados segundo sua função. Nesse caso, todos os materiais já citados são divididos em dois grupos: o de tijolos estruturais, e o daqueles que são blocos decorativos.

O tijolo estrutural é aquele que tem como função principal o erguimento das paredes. Assim, os blocos de concreto e de cerâmica são os mais importantes, uma vez que são os mais utilizados para a construção no País.

Sua função de sustentação requer bastante resistência, uma vez que serão eles a manter o imóvel sólido e em pé. Assim, é fundamental escolher tijolos de boa qualidade para a construção. Tenha sempre o cuidado de adquirir peças de empresas especializadas e, principalmente, que sigam as regras da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). A norma ABNT NBR 15270-1:2017 é a que regula o setor, e determina, por exemplo, quantidade necessária de cada componente na construção. Cuidados desse tipo vão garantir a segurança do produto.

Na maioria das vezes, os blocos estruturais não ficam aparentes. O mais comum é que eles sejam cobertos por cimento e argamassa. Em seguida, recebem pintura, papel de parede, revestimentos e o que mais o consumidor desejar. Assim, ganham visual mais atraente e bem cuidado.

Para uma bela decoração

Os tijolos decorativos, por outro lado, são produzidos para permanecerem aparentes ao fim da obra. Assim, entram nessa categoria as peças em vidro, as vazadas e os tijolinhos. Os materiais possuem alto valor estético, e podem ser utilizados tanto dentro, quanto fora de casa.

Alguns dos blocos decorativos, como os de barro, podem também funcionar para função estrutural. Em muitas situações, porém, eles são mais frágeis, e até mais caros. Por isso, é necessário avaliar a real necessidade pelo produto em toda a obra.

Com os tijolos aparentes, é importante lembrar de protegê-los contra agentes externos. Especialmente da umidade, já que ela pode causar trincas, infiltrações e até mofo. Assim, é indicado utilizar vernizes e selantes específicos ao produto. Como o silicone líquido, que penetra o tijolo mantendo sua aparência normal. Produtos desse tipo deverão impermeabilizar os tijolos, diminuindo seu desgaste com o tempo e fatores naturais.

Neste caso, também é indicado o uso de resinas acrílicas. Feitas à base de solvente, as resinas podem garantir visual acetinado, semi-brilhante ou brilhante ao tijolo. Tudo depende da escolhida pelo consumidor.

Outras alternativas interessantes

Além de todas essas opções, é possível encontrar no mercado as chamadas placas de tijolo. O revestimento é instalado sobre uma parede comum, e funciona como um ‘”tijolo falso”. Ao invés de mais grosso, como os comuns, o material nada mais é do que uma fina camada de barro, em forma de placa, que dá um charme especial ao espaço.

Dá, por exemplo, para instalar uma placa dessas em apenas uma das paredes da sala, criando um canto diferente e especial. Instalar apenas uma pequena extensão na sala, como um apoio para a TV, é igualmente interessante. Se sua churrasqueira não tem o visual de tijolinhos, mas você o deseja, as placas são a melhor solução para a decoração deste local.

É possível escolher entre diferentes colorações e tamanhos de “tijolos”, para que o consumidor escolha a mais adequada a seu objetivo.

Papéis de parede que imitam tijolinhos também estão disponíveis no mercado. Nesse caso, eles são indicados quando o imóvel não é seu, o que limita um pouco as modificações estruturais. O papel de parede é o melhor modo de obter o detalhe delicado dos tijolos, mas sem mudar realmente o estrutural do ambiente.

Como escolher o tijolo?

Na hora de escolher a alternativa mais adequada ao seu imóvel, é fundamental considerar diversos aspectos. Primeiro, seu objetivo, se estrutural ou decorativo. Se a decoração for o ponto principal, tenha o cuidado de harmonizar os tijolos aos seus móveis e objetos pessoais. Uma parede de cor muito escura, por exemplo, pode destoar de materiais em bege.

Ao mesmo tempo, é essencial avaliar seus gastos. Não apenas com a compra do tijolo, mas com os materiais que serão necessários para instalá-lo e, claro, com a mão-de-obra especializada. Mesmo quando a alternativa é pela placa de tijolos, é interessante ter o auxílio de um profissional. Do contrário, o resultado pode não ser dos mais interessantes.

Nesse caso, os tijolos ecológicos costumam ser mais “caros”, pois demandam mão de obra ainda pouco comum. Já as peças em cerâmica são mais fáceis de serem trabalhadas, apesar de demandar grande quantidade de argamassa.

Mais dicas

Lembre-se ainda de adquirir material de empresa responsável e autorizada à produção. Como já citada, a fábrica deverá seguir as regras da ABNT para que seus produtos sejam resistentes o suficiente. Peças com imperfeições ou trincas precisam ser descartadas, ou poderão comprometer a estruturação do imóvel.

Leve em conta ainda fatores como o isolamento acústico e térmico das peças, assim como sua absorção de água. A escolha do tijolo deve obedecer às particularidades do ambiente, ou o material poderá logo ser degradado pela umidade, vento ou sol.

Com todos esses cuidados, tanto a escolha pelo tijolo, quanto o resultado da sua obra serão mais acertados. Lembre-se ainda de conversar com profissional responsável por sua obra. O especialista poderá auxiliar muito na definição dos produtos e tipos de tijolos adequados a cada ambiente do imóvel.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.