A Arquitetura Romana é, nada menos, do que a mais presente em Roma, na Itália. Foi nessa cidade que todas as suas características se desenvolveram e se tornaram grandes exemplos da engenharia mundial.

Entre as principais obras dessa Arquitetura estão estádios, teatros, anfiteatros, aquedutos e estradas, longas e largas.

Um exemplo muito conhecido de teatro é o Coliseu de Roma. Você sabia que grandes batalhas eram encenadas no espaço, como entretenimento? Houve ocasiões até em que o Coliseu era enchido de água, para encenação de batalhas navais.

O Coliseu também recebia jogos e gladiadores do Império Romano. Ele foi erguido entre os anos de 70 a 80 d.C. e tinha capacidade para até 80 mil espectadores.

Já um exemplo de templo romano muito conhecido é o Panteão de Roma. Ele foi construído em 126 d.C. Seu exemplo de arquitetura é impressionante, com paredes que sobem em formato circular até uma cúpula.

O visual de dentro, e também de fora do ponto turístico são alguns dos que mais atraem turistas hoje. Até porque, a parte externa do Panteão tem grandes colunas, imponentes.

Enquanto isso, as termas romanas eram construções destinadas a banhos públicos. Elas são como piscinas, em que havia água quente e fria, vestiários e bibliotecas.

Por último, uma estrutura romana que merece destaque são os arcos triunfais. Eles estão espalhados por Roma ainda hoje, como peças históricas de um tempo em que a cidade foi o centro do mundo.

Os exemplos mais famosos, nestes caso, são o Arco do Triunfo de Druso, Triunfo de Tito e o Triunfo de Constantino.

Abaixo, nós falamos mais sobre a história da Arquitetura Romana e das características que marcam esse tipo de construção. Continue lendo!

História da Arquitetura Romana

A Arquitetura Romana nasceu no início do século II a.C., com fortes influências da arquitetura grega e a etrusca.

Essas influências são percebidas, por exemplo, no uso frequente das colunas em estruturas romanas. Colunas altas e imponentes, que destacam a estrutura e a aproximavam dos deuses.

No caso da influência etrusca, é possível perceber estruturas como abóbodas e arcos na engenharia de Roma. Juntas, essas inspirações criaram um estilo único de arquitetura, mais imponente e que sobrevive até hoje. Principalmente, que é muito admirada pelos turistas e moradores locais.

Para garantir a segurança de estruturas desse tipo, os romanos resolveram utilizar tecnologias avançadas da época. Como o uso do concreto nas construções.

A presença das colunas era necessária, especialmente, porque as obras romanas eram monumentais. Como o Panteão, que tem altura de 43,3 metros.

arquitetura romana

Durante o governo César Augusto (filho adotivo de Júlio César) foi quando a Arquitetura Romana mais se desenvolveu. Isso porque, foi um tempo marcado especialmente marcado pela paz, em que as pessoas podiam desfrutar da arquitetura dos espaços públicos.

Logo, as construções úteis e belas, pois ganharam muitas esculturas para decoração e uso da arte. As pedras utilizadas eram nobres e refletiam o poder e o luxo do Império.

Características da Arquitetura Romana

Agora que você já sabe mais sobre Arquitetura Romana, é hora de apresentar algumas características importantes desse tipo de construção.

São características que não só marcaram esse tipo de arquitetura, como também chamam bastante a atenção hoje de quem visita as ruínas e estruturas ainda de pé da Arquitetura Romana.

O Coliseu pode ser um exemplo de “ruína”, apesar de boa parte dele ainda estar em ótimas condições. Enquanto isso, o Panteão é um exemplo de estrutura que superou o tempo e continua demonstrando toda a sua imponência. Isso mesmo que ambos tenham já passado por revitalizações, para garantir a segurança dos visitantes.

É possível ver várias das construções típicas romanas em cidades como Roma e em outros municípios italianos. Afinal, foi lá que o Império Romano se estabeleceu e se desenvolveu, se tornando um dos maiores do mundo na época. Acompanhe abaixo!

Arcos e abóbadas

Sem dúvida, os arcos e abóbadas são alguns dos que mais marcam a Arquitetura Romana. Até porque, nessas construções, novos formatos deles foram criados. Como a abóboda de berço e a de aresta.

A abóboda de berço era construída como um contínuo arco de volta perfeita. Já a abóboda de aresta é formada pela intersecção de duas abóbadas de berço.

As abóbodas são o teto das construções, mas com formato de cunha. Ou seja, um visual curvo, que se apoia nas paredes, pilares ou colunas da estrutura.

Já os arcos sempre foram os grandes responsáveis por trazer um aspecto mais artístico à Arquitetura Romana. Esse elemento também tem visual curvo e emoldura a parte superior de um vão.

Uso do concreto

O uso do concreto como elemento de ligação nas construções foi uma característica e tanto nas obras romanas. Tão importante que, até hoje, esse é principal elemento utilizado na arquitetura.

Os romanos foram os primeiros a desenvolver um concreto com alta capacidade de “cola”. Para isso, eles utilizaram da areia vulcânica e ladrilhos quebrados, o que gerou resultados melhores. Antes, o concreto produzido pelas construções era composto apenas por água, areia e cal.

Foi graças a esse novo concreto que os romanos conseguiram construir estruturas tão monumentais e duradouras, como o Panteão.

Projetos sólidos

Como citamos antes, as estruturas romanas são conhecidas por estarem de pé ainda hoje, e muitas delas em ótimas condições.

Ou seja, o tipo de construção dessa arquitetura gerou projetos sólidos e duradouros, capazes de sobreviver às intempéries e ao tempo.

Essa é uma das características que mais inspiram os arquitetos hoje, já que todos desejam construir algo que permaneça ao longo dos anos.

Uso do mármore nas construções

Antes da Arquitetura Romana, o uso do mármore tinha sido consideravelmente diminuído nas construções. Especialmente porque surgiram outros modos de se estabelecer as estruturas.

Mas com os romanos, o mármore voltou com tudo às obras. Principalmente para a arte, a decoração das estruturas. Assim, as construções romanas são cheias de esculturas espalhadas por sua superfície, o que demonstrava o luxo e riqueza do Império Romano.

Simetria e proporções matemáticas

A simetria das construções é outro ponto importante deste tipo de arquitetura. Para garantir isso, os romanos utilizam projetos muito bem estabelecidos.

Tudo para garantir que, se uma construção fosse “cortada” ao meio, seu visual seria exatamente igual ao outro lado.

Espaços com grandes aberturas

arquitetura romana

Por último, era comum que as construções romanas tivessem grandes aberturas. Entre as colunas de sustentação, na fachada do prédio, com grandes portas e janelas, e também com grandes vãos no interior dos ambientes. Os espaços amplos contribuíam ainda mais para a sensação de grandiosidade das estruturas.

Uso de colunas

As colunas também são uma estrutura importante das obras romanas. Não apenas no exterior delas, mas também em seu interior. O resultado é de um visual mais imponente das estruturas.

Como construir com características da Arquitetura Romana?

Você sabia que o concreto “colante” como conhecemos hoje foi algo inicialmente pensado pelos romanos?/ Pois bem! Mesmo sem saber, você já construía com algo que a Arquitetura Romana contribuiu para os dias atuais.

Mas, na hora de estabelecer a sua obra, existem outras formas de fazer seu imóvel parecer uma estrutura romana. Quer dizer, inspirada nela. Afinal, dificilmente você conseguirá alcançar a mesma imponência deste tipo de obra — o que não significa que você não possa tentar.

Abaixo, listamos algumas sugestões que você pode utilizar na sua construção, se inspirando na Arquitetura Romana. Acompanhe!

Use colunas

Utilizar colunas em uma construção simples pode torná-la mais atrativa e relativamente imponente. Para isso, você pode usá-las como elementos estruturais, ou ainda apenas como uma decoração da fachada.

É possível, por exemplo, instalar colunas na sua varanda, como um elemento decorativo. O visual vai remeter às construções antigas, mas sem exagerar e tornar o visual da estrutura “ultrapassado”.

Preze pela simetria da construção

Outra dica é se apropriar da ideia de simetria das estruturas e se dedicar a ela. Por isso, estabeleça um projeto que, visualmente, será agradável.

Afinal, se cortado ao meio, o imóvel terá as suas duas metades exatamente iguais. Um telhado em triângulo pode aumentar ainda mais essa sensação de simetria.

Construa arcos e abóbodas

Os arcos e abóbodas são estruturas em relativo desuso, mas não precisam ser. Você pode utilizar esse tipo de estrutura na fachada de casa, por exemplo, o que lhe dará um aspecto curvo e moderno.

Outra opção é construir um arco no quintal de casa, como cobertura para um espaço de convivência para os moradores e visitantes.

Só lembre-se de adaptar todas essas ideias ao que você espera de um projeto. E não exagere nas inspirações, ou o resultado poderá ser pouco atrativo.

Viu só como a Arquitetura Romana pode ser atraente? Com tantas características destacáveis, ela demonstra a tecnologia das construções, o luxo e a grandiosidade das estruturas.

Não apenas nas estruturas antigas, mas também se você utilizar de elementos deste tipo de construção em um projeto novo. Basta saber balancear as características e garantir que o resultado se torne simétrico e bonito.

Interessado em conhecer outros tipos de arquitetura para se inspirar? Nosso blog têm vários textos sobre o assunto!

Escreva um Comentário