Detalhes muitas vezes fazem toda a diferença em um projeto arquitetônico. Elementos estruturais que contemplem a qualidade de vida, estética e funcionalidade de um ambiente são fatores primordiais que podem ser decisivos para o sucesso de um projeto. Brises são um desses fatores, e neste artigo vamos discutir quais os tipos de brise existentes no mercado e como escolher o melhor para o seu projeto.

Vamos iniciar explicando o que exatamente é um brise e qual a sua funcionalidade. Em seguida abordaremos quais são os tipos de brise existentes e como cada tipo pode melhor se encaixar no seu projeto.

Em seguida, para finalizar, apresentaremos alguns modelos de brise e conversaremos sobre alguns dos possíveis materiais dos quais brises podem ser fabricados e quais as vantagens e desvantagens de cada um deles.

O Que São Brises?

Brises são elementos arquitetônicos cuja funcionalidade é diminuir, ou até mesmo bloquear completamente, a incidência da luz solar dentro de um determinado ambiente. Além disso, podem ser incorporados como elemento estético de um projeto, trazendo profundidade e personalidade às fachadas onde é adicionado.

A origem do termo “brise”, da forma como utilizamos no Brasil, é uma derivação de brise-soleil, palavra de origem francesa que significa “quebra-sol”.

A forma mais comum de brise são as aletas, lâminas de um determinado material colocadas no lado de fora de janelas ou fachadas. Mas essa é somente uma das formas na qual as brises são comercializados.

Brises podem ser fabricados utilizando uma imensa variedade de materiais, como aço, concreto, madeira, plástico, vidro, policarbonato. As variedades de materiais são quase infinitas.

A variedade de materiais só é superada pela variedade de designs cujo um brise pode assumir. Nesse caso, os designs possíveis são, de fato, virtualmente infinitos, podendo inclusive ser fabricados sob medida e com formas e designs exclusivos.

Isso é possível graças a capacidade do brise de ser produzido in loco, ou seja, no próprio local onde ele vai ser instalado. Além disso, a possibilidade do planejamento por encomenda, dependendo do material de escolha, realmente faz com que a imaginação seja o limite.

O bloqueio da luz solar proporcionado pelos brises é sinônimo de economia. Uma vez que o ambiente recebe menos incidência direta de luz solar, os custos com iluminação e climatização são muito reduzidos.

Com um estudo de insolação correto, essa redução pode inclusive se tornar altamente significativa. Estudos de insolação envolvem o uso de cartas solares, que são conjuntos de informações sobre a localização geométrica do sol em uma determinada região ao longo do dia.

Os brises são fabricados e instalados com base nesses estudos, realizados por um profissional qualificado na área.

Tipos de Brise

Vamos começar falando dois grandes grupos nos quais os brises são divididos: Brises Horizontais e Brises Verticais.

Brises Horizontais

Essa categoria de brise é indicada para fachadas que recebem a luz do sol ao longo de todo o dia. No Brasil, essas fachadas estão geralmente voltadas para a face norte. Podem também ser incorporadas em fachadas voltadas para o sul, mas como a incidência do sol é bem menor nesse caso, muitas vezes isso não se faz necessário.

Brises Verticais

Já os brises verticais são indicados para as fachadas voltadas para o leste e para o oeste. As fachadas leste recebem mais incidência de luz solar na parte da manhã, enquanto as fachadas oeste recebem mais luz solar na parte da tarde.

Dentro de horizontais e verticais, os  brises ainda são subdivididos em duas categorias: Brises Móveis e Brises Fixos.

Brises Móveis

Brises móveis são indicados para empreendimentos onde é desejado controlar a posição de acordo com a necessidade do usuário, podendo inclusive se tornar um elemento totalmente fechado ou totalmente vazado, tendo o papel de orientar a incidência solar. Podem apresentar mais dificuldades no quesito manutenção, uma vez que as lâminas móveis podem ser de difícil acesso.

Vale lembrar que os brises móveis podem ser tanto manuais quanto automatizados.

Brises Fixos

Esse modelo, como o nome sugere, é fixado permanentemente na fachada. É o mais indicado para prédios comerciais, uma fez que não há a possibilidade de as lâminas serem movidas com a movimentação de transeuntes. A manutenção dos brises fixos pode ser mais fácil em comparação com os brises móveis.

Outros dois elementos arquitetônicos, Cobogó e o Muxarabi, também podem ser considerados tipos de brise fixos.

Brise: Tipos de Materiais

Como falamos anteriormente, brises podem ser fabricados de uma imensa variedade de materiais. Porém, os brises mais comuns encontrados no mercado são fabricados utilizando madeira e metal, então começaremos discutindo-os.

Brises de Madeira

A madeira é uma das opções mais sustentáveis e baratas do mercado, uma vez que até mesmo madeira de demolição pode ser utilizada na fabricação de brises (não indicado). Os brises de madeira são considerados extremamente eficientes em estabelecer conforto térmico no ambiente, além de proporcionarem uma bela aparência.

Por estar em constante contato com a poluição atmosférica, a manutenção dos brises de madeira pode ser complicada e requer constante atenção. Se a madeira for clara, pode ficar escurecida pela poluição. Em contrapartida, se for escura, a poluição a deixará esbranquiçada.

Limpeza simples não é o suficiente. É preciso lixar a madeira para retirar a sujeira acumulada na superfície. O lixamento retira também o verniz da madeira, que precisa ser aplicado posteriormente à limpeza para finalizar a manutenção.

Brises Metálicos

Brises metálicos estão entre os mais eficientes do mercado. Devido à sua versatilidade, resistência e facilidade de manutenção, cresceram muito em popularidade nos últimos anos e estão sendo incorporados com cada vez mais frequência tanto em projetos clássicos como nos mais modernos.

Diversos tipos de metal podem ser utilizados na sua fabricação, entre eles ACM, Zinco, Cobre, Aço Carbono e Aço Inox. O metal mais utilizado, no entanto é o alumínio. Um metal extremamente leve e resistente.

Brises metálicos são fáceis de instalar e altamente personalizáveis, mesmo em escala industrial. A manutenção também é incrivelmente simples, mesmo nos brises móveis. Pode exigir um custo maior inicial, mas as vantagens são visíveis e, atualmente, são consideradas a melhor opção de material para brises.

Brises de metal devem ser tratados como carros no quesito manutenção. Uma limpeza anual ou semestral é o suficiente, e apenas a utilização de água e sabão neutro em combinação com uma esponja macia e jato de água bastam.

Além de madeira e metal, outros materiais menos tradicionais podem também ser utilizados na fabricação de brises.

Brises de Concreto

O concreto foi o material de escolha quando os brises começaram a ser utilizados no Brasil, por volta da década de 1930. É um dos tipos mais comuns de serem encontrados em prédios públicos.

Possuem alta durabilidade e manuntenção simples, mas não promovem tanto conforto térmico quanto seus concorrentes. Além disso, diferente dos outros materiais, precisam ser obrigatoriamente fixos.

A manutenção se dá como em qualquer estrutura de alvenaria, podendo-se utilizar jato de água para a lavagem e pintura com tinta padrão de paredes.

Brises Vegetais

Uma das apostas mais modernas no design de brises são os chamados brises vegetais, ou brises verdes. Em essência, os brises vegetais são jardins verticais que cobrem a fachada com diversos tipos de planta.

Essas plantas são capazes de crescer verticalmente graças ao auxílio de uma estrutura de metal galvanizado conhecida como cocho. O cocho é resistente à ferrugem e ao clima, o que o torna uma excelente base para as plantas.

O cocho pode ser considerado basicamente como um brise metálico por si só. Porém, com a possibilidade do plantio, gasta-se menos material, uma vez que as plantas são excelentes absorventes para o calor da luz do sol.

Instalação de Brises

A instalação de brises não é tão simples. Primeiramente, como mencionamos anteriormente, é preciso fazer um estudo de insolação da área. Dependendo do resultado desse estudo, algumas opções serão limitadas.

Além disso, existem várias questões estruturais que devem ser consideradas, uma vez que o peso do brise pode ter impactos negativos nas fachadas. É preciso sempre da orientação de um profissional no momento de manufatura e instalação de brises.

Os brises metálicos são considerados atualmente como os de maior valor custo-benefício no mercado, uma vez que apresentam praticidade na instalação e facilidade de manutenção.

Além disso, são uma combinação perfeita entre um produto personalizável e a produção em massa, o que os torna uma escolha top de linha para  a maioria dos projetos arquitetônicos. Apresentam ainda a possibilidade de serem convertidos em brises vegetais, contanto que sejam fabricados utilizando aço galvanizado.

*Sobre o Autor

Enrico Bertanha é Sócio Fundador da BEPEX. Empresa que há mais de 10 anos distribui chapas perfuradas e expandidas direto da fábrica para todo o país.

 

Escreva um Comentário