Quais as etapas de um projeto de engenharia e arquitetônico?

Você conhece as etapas de um projeto de engenharia e arquitetônico? Segui-las é fundamental para o sucesso de qualquer construção. Afinal, apenas por meio delas cada parte do imóvel poderá ser adequadamente montada, garantindo segurança e beleza.

Um projeto arquitetônico e de engenharia é aquele que materializa a ideia de um imóvel. Ou seja, o que coloca no papel cada cômodo, divisória e medida do espaço. Por meio dele, o responsável pela obra consegue, inclusive, prever possíveis problemas na execução do projeto. Mais do que evitar o desgaste da estrutura, isso pode economizar tempo e dinheiro na edificação.

Para obter um bom projeto, de qualquer forma, é importante buscar o auxílio de um profissional. Apenas um arquiteto ou engenheiro podem definir corretamente todas as informações necessárias para a construção. Neste caso, eles seguirão as etapas de um projeto que explicaremos a seguir. Acompanhe!

Etapas de um projeto de engenharia e arquitetônico

1. Levantamento de informações

Também chamada de briefing, essa etapa da realização do projeto consiste no entendimento do que o consumidor deseja. Quais serão os cômodos e as medidas aproximadas? Quais os objetivos de cada espaço? Quais as necessidades e padrões que o indivíduo deseja obter em sua edificação?

Apenas com base nessas informações o especialista consegue obter parâmetros para o estabelecimento do projeto do que virá a ser o imóvel.

2. Estudo do espaço

Definido um projeto base, o engenheiro precisará avaliar o local onde o imóvel será construído. Isso porque, uma série de aspectos do ambiente influencia no projeto. Como a luminosidade do local; solo; drenagem necessária; sujeição a intempéries; e mais.

Deste modo, o profissional realiza a metragem do espaço, verifica os níveis do solo, as condições topográficas e ambientais. Muitas vezes, é necessário que ele conte com equipamentos de precisão, inclusive contratando um profissional para seu manuseio.

Com os dados dessa avaliação, o arquiteto pode prever problemas relacionados ao terreno e até o conforto térmico do imóvel. Logo, o projeto apresentado na etapa seguinte poderá ser bastante fiel à construção final, além de adequado ao ambiente.

3. Estudo preliminar

Na fase conhecida como estudo preliminar, o cliente recebe o primeiro esboço do projeto. Não apenas em um desenho plano, mas também com plantas humanizadas, em 3D e com layouts conceituais.

Assim, é possível que o consumidor visualize melhor suas ideais e avalie a possibilidade de mudanças. Afinal, nem sempre o imaginado é executável e, verificando as possibilidades de construção, o usuário pode verificar se aquilo é mesmo o desejado.

Levando em conta todos os aspectos do terreno, o arquiteto também pode apresentar o melhor sistema construtivo e a durabilidade necessária dos materiais. Assim como o conforto do ambiente, especialmente em relação à luminosidade.

4. Anteprojeto

Assim que o primeiro projeto, da fase anterior, é aprovado, o profissional da Construção Civil trabalha o anteprojeto. Ou seja, a evolução do estudo preliminar. Nele, são especificadas instalações e componentes, medidas e todos os demais elementos necessários para a obra, incluindo o estilo e concepção estrutural do imóvel.

Nessa etapa, as plantas obtidas são ainda mais detalhadas. São apresentadas, por exemplo, as plantas de cada pavimento e os cortes esquemáticos da edificação. Tal qual o tipo de fachada e os seus acabamentos.

5. Projeto Arquitetônico

Já o projeto arquitetônico detalha em mais um espectro toda a obra. Para isso, aliás, ele é subdividido em algumas etapas. São elas: o projeto legal; executivo; e coordenação e compatibilização de projetos.

a) Projeto básico ou legal

Em um projeto básico, ficam definidas todas as informações necessárias para o desenvolvimento dos planos hidráulico, elétrico, estrutural, de sistemas e outros do imóvel.

É nele também que são produzidos todos os desenhos técnicos necessários para a aprovação da construção na Prefeitura. Uma edificação que não conta com essa aprovação é considerada irregular, e seus donos podem ser submetidos a uma série de sanções – especialmente à multa.

Por isso, são finalizadas plantas de implantação; plantas de situação; plantas de todos os pavimentos, elevações e cortes, com níveis, cotas e dimensões básicas de todos os espaços; fachada frontal; planta de cobertura; elevação do gradil; perfis transversal e longitudinal do terreno; cálculo de áreas e quadro de esquadrias; e indicação dos principais acabamentos. Aqui, os projetistas ainda realizam o registro de responsabilidade técnica pelos projetos. Logo, serão responsabilizados por qualquer problema na execução do plano.

É importante destacar, em todo o caso, que o arquiteto ou engenheiro não é obrigado a gerenciar o processo de aprovação na Prefeitura. O próprio dono do imóvel pode fazê-lo. Caso prefira o auxílio do especialista, porém, o indivíduo pode contratar os seus serviços “extras”. Assim, o profissional terá maior facilidade em adequar todas as informações necessárias e em revisá-las sempre que solicitado.

Para a autorização Municipal, é necessário apresentar cada detalhamento do projeto e o levantamento topográfico do terreno. O consumidor ainda precisa apresentar toda a documentação jurídica e cadastral do imóvel. Taxas devem ser igualmente quitadas junto à Prefeitura.

Por esse motivo, aliás, nesta etapa é possível prever o quanto será gasto na obra. Afinal, o indivíduo já contará com todas as informações sobre a execução da construção, além do quanto será cobrado de taxas de autorização. Prazos também conseguem ser bem previstos.

b) Projeto Executivo

Com a aprovação da Prefeitura Municipal, obtém-se todos os dados técnicos da edificação. Completos e definitivos. Assim, o arquiteto também pode especificar todos os materiais e equipamentos que serão necessários para a construção: cimento, areia, metais, louças, pisos, escadas, guarda-corpos e outros. A fase de projeto executivo ainda costuma resultar em planilhas de orçamento e cronogramas para a construção.

c) Coordenação e compatibilização de projetos

A última subetapa do projeto arquitetônico é também realizada durante toda a execução dessa fase. Isso uma vez que ela adequa o projeto arquitetônico, urbanístico e paisagístico com os demais projetos da edificação. Como com o levantamento planialtimétrico, projeto elétrico e diversos outros. A compatibilidade de todas as informações da execução e do ambiente são fundamentais para uma obra de sucesso.

6. Acompanhamento de obra

O profissional responsável pelo projeto também pode acompanhar a sua execução. Nesse passo, ele irá garantir que o plano seja tirado do papel da forma mais adequada possível.

Com a execução correta de todas etapas de um projeto de engenharia e arquitetônico, a edificação será segura, bonita e durável. Lembre-se, então, de contar com um profissional capacitado e de confiança.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.