Você quer conhecer mais sobre os inibidores de corrosão?

Você quer aprender mais sobre os seus tipos?

Você quer saber como aplicá-las?

Se você chegou até aqui querendo saber as respostas para estas perguntas a cima, não tema, lhe daremos todas elas, e totalmente de graça!

Primeiramente, ter conhecimento sobre o uso correto de medidas preventivas e de controle da corrosão de concreto armado é um conhecimento de grande valia. Pense bem, existem muitos agentes que causam corrosão em muitos lugares, principalmente em grandes áreas urbanas ou no litoral com sua forte maresia e umidade provindas do mar. Assim, tornando o uso dos inibidores de corrosão indispensáveis para aumentar a vida útil da obra.

E sim, os inibidores de corrosão não são os únicos capazes de realizar essa tarefa! Embora existam outros meios para controlar a corrosão do concreto armado, o uso dos inibidores de corrosão é o mais fácil de ser manuseado e ainda o mais usado, o que contribui também no seu preço.

Quer saber mais? Continue sem precaução!

Inibidores de corrosão, o que é e como funciona?

Como funcionam os inibidores de corrosão

Os inibidores de corrosão são compostos químicos com capacidade de retardar e prevenir o progresso corrosivo, protegendo o material. Infelizmente, não existe garantia de que esse produto consiga interromper o processo de corrosão, contudo, eles podem diminuir a taxa de surgimento de corrosões e ainda paralisar a corrosão precoce, portanto, isso faz com que seu uso ainda seja recomendado.

Quer mais? Além não só oferecer proteção, mas como também não alterar as propriedades físicas, químicas e mecânicas do material de concreto.

Esse composto funciona da seguinte maneira:

  1. Primeiramente, se inicia com a adsorção (adesão de moléculas de um fluído a um sólido) sobre a superfície do aço carbono;
  2. Após a reação ter ocorrido, começa a surgir um filme fino e aderente que funciona como um tipo de barreira física ou uma capa protetora;
  3. Por último, acontece a modificação do meio corrosivo pela formação de elementos que agem como barreira física ou pela reação com íons/substâncias agressivas que podem estar ali.

Como usar os inibidores de corrosão

O inibidor de corrosão pode, simplesmente, ser aplicado diretamente na preparação da massa do concreto. O procedimento aqui não é muito difícil, basta apenas colocar o produto juntamente com a água do amansamento, entretanto, sempre tome cuidado em manter a homogeneidade da mistura.

A camada de filme fino, citado anteriormente nesse texto, consegue retardar a corrosão causada pelo ataque de íons de cloreto à armadura ou pela diminuição do pH do concreto no local do seu embutimento.

Aplicações

Lembre-se que o uso de inibidores de corrosão é uma técnica voltada para garantir proteção do material aplicado, mas também serve como uma medida preventiva diminuindo a taxa de corrosão da armadura. Com isso em mente, esse material pode ser aplicado em processos de reparos em várias tipologias de obras, desde pontes de viadutos e até mesmo edificações.

Para esse tipo de ação, existe um tipo de inibidor especifico utilizado sobre o componente metálico previamente tratado. O material é aplicado junto com uma tinta que confere proteção a mais, além também pelo fato da criação da “barreira” contra penetração de agentes agressivos. Se quiser, a pintura pode ser usada sobre a superfície do concreto de obras recém-criadas, como uma medida preventiva.

Tipos de inibidores de corrosão

Umas das maneiras pelo qual se define qual será o tipo de inibidor de corrosão é como ele atua.

Por exemplo, os inibidores anódicos são os produtos que influencia as reações da oxidação dos metais.

Por outro lado, se o produto altera as reações catódicas de corrosão, então recebe o nome de inibidor catódico.

  • Os anódicos favorecem a formação e manutenção de películas sobre a superfície de metal. A camada só surge quando a reação do inibidor com os produtos de corrosão do aço-carbono acontece. Os anódicos são bastante usados para o concreto armado dos mais variados tipos de obras;
  • Já os catódicos conseguem inibir as reações catódicas por meio de mecanismos que incluem misturas com o oxigênio dissolvido na solução, assim formando elementos insolúveis que se depositam na superfície do metal. Infelizmente, sua eficiência é menor em comparação ao inibidor inódico, o tornando menos utilizado nas obras de construção civil;
  • Por fim, temos os mistos, eles inibem as reações em ambos os casos de corrosão eletroquímica (tanto a anódica como a catódica), geralmente pela formação de uma película por adsorção sobre a superfície do aço.

Outro meio de classificação, é pela sua composição química, ou seja, orgânicos e inorgânicos, e também através de seu campo de aplicação. Só para ilustrar, aqui um exemplo: nas estruturas de concreto, os inibidores de corrosão devem ser eficientes o suficiente na proteção do aço em meio alcalino, tendo em vista a presença de água na mistura, além do fato de o concreto apresentar pH elevado.

Riscos do uso incorreto

Caso os inibidores de corrosão forem aplicados de maneira incorreta, como quando se utiliza o tipo de produto inadequado para as características do concreto, dosagem errada do produto e outros erros de aplicação, com certeza irão surgir problemas. Por consequência, tais erros afetam diretamente no desempenho da proteção, até mesmo aumentando o aceleramento do aparecimento das corrosões. Por isso, a dosagem correta e controlada é prioridade.

Já no concreto endurecido, a aplicação é feita como parte de um sistema de reabilitação, necessitando calcular previamente o número de demãos. A quantidade que deve ser passada precisa ser o suficiente para atingir a superfície da armadura, contudo, tenha cuidado com o acúmulo excessivo do produto sobre o elemento metálico.

Vale lembrar também que o inibidor tem efetividade temporária, a sua duração dependerá de vários fatores, como dosagem, condições de exposição das estruturas e do estado da superfície da armadura. Como pode ver, é difícil definir exatamente a duração e reposição do produto. Sendo assim, o uso do monitoramento periódico da corrosão é recomendado para determinar a reaplicação do inibidor.

Encerrando

Como você pode perceber, os inibidores de corrosão tem uma grande utilidade na área da construção civil, como obras de centros urbanos ou nos litorais. Portanto, possuir um bom conhecimento e saber como aplicar corretamente dos inibidores de corrosão é uma habilidade essencial.

Eaí? Gostou do texto? Então compartilhe nas suas redes sociais ou na sua rede de contatos!

Escreva um Comentário