Ter plantas dentro de casa é uma ótima opção em diversas situações. Como se você possui pouco espaço, especialmente em uma apartamento. Ou se prefere usar o quintal de casa para outros fins, mas adoraria ter maior contato com a natureza. Apesar de ótima alternativa, porém, investir em plantas para interiores é algo que merece cuidado.

O primeiro cuidado a se tomar para ter a natureza dentro de casa é planejar seu tempo. Apesar de algumas plantas quase não precisarem de cuidados, elas sempre vão demandar água, poda e adubo em algum momento. Por isso, se você não possui tempo, ou disposição, dificilmente o cultivo de um vegetal será uma boa experiência.

Se você, por outro lado, considera o cultivo um hobbie, algo para relaxar, terá outra preocupação principal: qual planta escolher? São muitas as alternativas, mas cada uma delas possui particularidades. Algumas, por exemplo, precisam do sol para se desenvolver. Outras se contentam com pouca luz, enquanto algumas semelhantes quase abominam o calor.

Como escolher a planta ideal?

O primeiro passo para escolher a planta ideal para seu lar é considerar onde ela será posicionada. Na entrada do imóvel? Num espaço escuro ou claro? O local comporta vegetais grandes, ou apenas pequenos?

Além dessas características de tamanho e luz, é fundamental evitar a proximidade entre as plantas e equipamentos eletrônicos. Afinal, essa proximidade poderia ser problema para ambos: a umidade do vegetal pode estragar o dispositivo, e a eletricidade dele pode causar aquecimento das folhas.

É também importante escolher local em que a planta fique protegida do frio. Mesmo os vegetais que se desenvolvem em ambientes frios podem ser prejudicados pela temperatura muito baixa.

O ar muito seco é igualmente um problema. As folhas de muitas plantas se tornam amareladas, e acabam por não se desenvolver de forma saudável. Por isso, é preciso evitar tanto ambientes com baixa umidade, quanto aqueles que possuem ar condicionado. O equipamento de resfriamento é bastante prejudicial aos vegetais.

Colocar o verde em espaço de grande trânsito também pode ser um problema. Afinal, o contato humano constante, o toque dos indivíduos, pode “machucar” as folhas. Crianças, por exemplo, adoram brincar com as plantas, e podem dificultar seu crescimento se tiverem acesso fácil a elas.

Outros cuidados para cultivo interno

Cada espécime ainda requer uma base específica. Algumas plantas se desenvolvem apenas quando possuem espaço para crescer verticalmente, ou seja, nas paredes. Outras, crescem em vasos, com ou sem base específica, como à base de carvão. As que têm raízes mais profundas costumam requerer espaço mais amplo diretamente no solo.

No caso do uso de vasos, deve-se possuir atenção na escolha de seu tamanho. Plantas pequenas requerem vasos pequenas; as grandes, vasos maiores. Se mal escolhido, o vaso pode oferecer ou mais, ou menos do que a planta necessita. Assim, ela não conseguirá crescer com plenitude. Ou seja, o recipiente deve ser sempre proporcional ao vegetal.

Para a decoração, uma ótima opção é fazer um mix de plantas no mesmo espaço. Alguns vegetais, porém, não se “dão bem” juntos, podendo “roubar” os nutrientes uns dos outros. Se bem combinados, porém, eles podem criar um efeito bastante bonito. Nesse caso, é importante conversar com um paisagista e indicar suas preferências. Ele poderá lhe dizer se as plantas escolhidas poderão se desenvolver juntas e de forma saudável.

De qualquer forma, é importante refletir sobre o posicionamento dessas plantas juntas. A grande diferença de tamanho ou cores não é das melhores apostas, pois pode criar um aspecto desordenado ao jardim.

Finalmente, as plantas devem ser escolhidas pensando na segurança de animais e crianças. São muitas as espécies que fazem mal quando ingeridas, ou mesmo tocadas. Isso pode prejudicar as crianças e animais, que são curiosas e terão interesse em conhecer os vegetais mais de perto. Por esse motivo, deve-se conhecer melhor as propriedades da planta antes de inseri-la no jardim.

Vantagens das plantas para interiores

Ter plantas dentro de casa oferece diversas vantagens ao lar. Para começar, o verde agrega muito à decoração. Além de serem belos, os vegetais conseguem dar nova vida aos ambientes, com cores variadas e brilhantes. Se a escolha é pelas flores, é possível ainda aproveitar de seu perfume, que cria um ambiente delicado e aconchegante. A combinação com vasos ainda é ótima saída para preencher espaços até então insossos e/ou vazios.

Outro benefício é pela melhora do ar interno. Por menor que seja o vegetal, ele vai realizar a fotossíntese. É por meio desse processo que a planta obtém energia para se manter viva. Durante ele, o espécime absorve o gás carbônico, que torna a atmosfera poluída, e libera o oxigênio puro. Logo, os indivíduos passam a respirar uma atmosfera mais pura e saudável.

Além disso, há o bem-estar promovido pelo simples contato com a natureza. Para muita gente, o verde traz a sensação de paz, de renovação, e dá novo ânimo à rotina. Assim, ter plantas dentro de casa será um lembrete constante desse bem-estar.

Espécies de Plantas para interiores

Para quem pensa que a lista de plantas para cultivar dentro de casa é pequena, é porque ainda não conhece todas. Fizemos uma lista com 32 espécies que você pode escolher. Conheça melhor a característica de cada uma delas e escolha a que combina melhor com o seu espaço.

Espada de São Jorge

A Lança de São Jorge possui folhas verticais e em formato cilíndrico. É mais indicada para ficar nos cantos dos cômodos. Por ser muito resistente, pode ser plantada em vasos ou em jardins de pedra. Lembre-se de irrigá-la uma vez a cada duas semanas, borrifando a água nas folhas.

Rosa de Pedra

Esse tipo também é conhecido como Echeveria. É uma planta que conta com um formato muito parecido com uma flor. Sua rega também deve ser feita a cada duas semanas e sem direcionar a água diretamente sobre ela, borrifando nas folhas. Ela gosta muito de sol, por isso, opte por colocá-la na parte mais iluminada da sua casa.

Mini Cacto

Os mini cactos estão super em alta no mundo da decoração, pois não exigem muito cuidado e cabem em qualquer espacinho. Não precisam de muito sol ou água. Para saber se está na hora de regá-lo, cheque a terra, se ela estiver seca, é a hora certa. Provavelmente, será com um intervalo de uma semana. Uma dica muito importante é tomar cuidado com os espinhos, eles são muito fininhos e difíceis de tirar da pele.

Palmeira-ráfia

Essa planta é originária da China e possui caules finos e longos, como o bambu. Seu crescimento é lento e deve ser cultivada em locais com meia-sombra e regada semanalmente. Fica perfeita em salas de estar, combinando com uma decoração leve, tropical e oriental.

Violeta

A violeta é plantada em pequenos vasos e deve ser posta em locais com incidência indireta do sol. Essa pequena planta fica incrível em diversos ambientes, pois conta com uma variedade grande de cores. Enfeite mesas e parapeitos de janelas. Lembre-se que a rega deve ser feita de duas a três vezes por semana.

Begônia

A begônia vai trazer mais vida para a sua casa. É uma planta colorida e que deve ser plantada em vasos. Gosta de ambientes com pouca luminosidade e deve ser regada de duas a três vezes por semana, mas certifique o estado de umidade da terra para ter certeza.

Pau d’água

O pau d’água é uma planta mais rústica, combinando com esse estilo decorativo. Não precisa ficar exposta diretamente ao sol e sua rega deve ser de duas a três vezes na semana. Para uma planta mais saudável, pulverize as folhas com água.

Zamioculca

Para quem busca uma planta resistente, essa é a escolha certa. Ela não gosta muito de sol, então coloque à meia-sombra ou em locais com pouca luminosidade. Regue-a uma vez por semana. E uma coisa muito importante de saber, a zamioculca é venenosa, então deve ser mantida longe do alcance de crianças e animais de estimação.

Camedórea-elegante

Uma espécie de palmeira para se ter dentro de casa. A camadórea-elegante, não chega a ter dois metros de altura e pode ser plantada em vasos. Fica incrível em jardins de invernos ou salas de casa com um pé direito bem alto. Ela gosta de muita umidade e deve ser regada até quatro vezes por semana. Opte por ambientes à meia-sombra.

Palmeira-leque

A palmeira-leque possui uma folhagem muito bonita e chamativa. Ela precisa de uma luz indireta e uma terra úmida, então, lembre-se de irrigá-la até quatro vezes por semana, e borrife água nas folhas todos os dias.

Pleomele

Essa planta é tropical e muito vistosa. Suas folhas possuem bordas brancas ou verde-limão, que garantem um visual incrível. Regue-a regularmente, pois a pleomele gosta muito de umidade. Prefira colocá-la em ambientes com pouca luminosidade ou em que a luz do sol não seja direta.

Lírio da paz

O lírio da paz conta com folhas brancas características e que não gostam de luz direta do sol porque podem queimar. Coloque-o em locais com sombra e irrigue-o pelo menos três vezes por semana. Essa é uma planta tóxica e deve ser mantida longe de crianças e animais.

Palmeira-areca

A palmeira-areca possui uma folhagem elegante, anelada e vistosa. Ela cresce muito bem quando exposta ao sol, mas prefere locais à meia-sombra por se dar melhor em locais mais frios. Lembre-se de regá-la regularmente.

Antúrio

O antúrio combina perfeitamente com locais internos com pouca iluminação. Costuma ser plantado em vasos e conta com uma cor que se destaca. Lembre-se que pouca iluminação não quer dizer escuro, porque áreas escuras prejudicam seu crescimento. Por gostar de bastante umidade, deve ser regado até 4 vezes por semana.

Jiboia

A jiboia possui folhas brilhantes e que alternam conforme a maturidade da planta. Ela gosta de luz, podendo ser cultivada com luz direta, no entanto, se dá melhor com locais à meia-sombra. Sua irrigação deve ser constante e ela faz parte do grupo de plantas tóxicas, por isso, deixe-a longe do alcance de crianças e animais de estimação.

Singônio

Essa planta também é venenosa, no entanto, sua folhagem é muito vistosa e vai decorar qualquer ambiente muito bem. Sua terra precisa estar sempre úmida, por isso, regue-a com frequência. Além disso, coloque-a em ambientes à meia-sombra.

Pacová

O pacová é típico de regiões trocais e suas folhas são brilhantes. Precisa ser cultivado à meia-sombra. Também conhecido como babosa-de-pau, não deve ser confundido com a babosa, pois é diferente e exige outros cuidados.

Filodendro

Com uma folha em formato de coração, é muito fácil de ser reconhecida. Seu país de origem é o Brasil e precisa sem mantida longe da luz direta do sol, mas o ambiente precisa ser claro. Lembre-se de regá-la toda vez que a terra estiver seca.

Bromélia

A bromélia possui tons complementares, como vermelho que contrasta com o verde escuro. Exige iluminação indireta para não queimar suas folhas. Irrigue-a sempre a cada dois dias.

Jade

A jade traz alegria ao ambiente e se parece com uma mini-árvore. Seu crescimento é mais lento, mas para crescer saudável, precisa de luz direta do sol ao menos uma parte do dia. Não deixe seu solo muito úmido, regando uma vez por semana, assim, você manterá suas folhas com um tom de verde azulado.

Bambu da sorte

O bambu da sorte não gosta muito de luz, mas adora umidade. É ideal para banheiros, que costumam ser mais escuros. Regue-o constantemente. Uma planta perfeita para quem busca por boas energias.

Azaleia

A azaleia precisa de luz direta, então, coloque-a perto da janela. A irrigação deve ocorrer com uma média de dois em dois dias. Suas cores vão te encantar, pois possui uma variedade, como rosa, vermelho e branco.

Aglaonema

Também conhecida como café-de-salão, pode atingir 40 centímetros de altura. Precisa ser bem irrigada e ter uma terra rica em matéria orgânica. Prefere lugares quentes e vai deixar qualquer ambiente melhor decorado.

Árvore da felicidade

Esse arbusto conta com folhas finas e pode chegar a ter 2,50 metros de altura, quando fêmea. Se for macho, pode chegar até 5 metros e possui folhas ovaladas. Por isso, é indicado para locais com pé direto alto. Para conter as folhagens, ela pode receber podas regulares. Coloque-a em locais à meia-sombra e lembre-se de irrigá-la com frequência.

Begônia

As begônias são pequenas e podem crescer até 30 centímetros. Se você gosta de flores o ano todo, essa é a planta ideal. Pode ser cores vermelhas, amarelas, rosa, salmão e brancas. Sua folhagem suculenta pode ser verde ou avermelhada. Irrigue-a com frequência.

Cacto

O cacto precisa de muito sol, então, opte por colocá-lo perto da janela, onde há luz direta. Regue-o uma vez por semana ou a cada quinze dias, cheque a terra para ter certeza.

Ciclanto

O ciclanto, também conhecido como Mapuá, é um arbusto que pode atingir 1,80 metros. No entanto, quando cultivado em um vaso, se desenvolve menos. A rega deve ser constante, pois ele gosta de um solo úmido. Se você mora em locais mais frios, opte por outra espécie, porque o ciclanto não suporta climas frios e geadas.

Clorofito

Essa herbácea mede de 15 a 20 centímetros de altura. Conta com uma folhagem num tom de verde escuro ou na variação com variegação, suas folhas verdes possuem faixas brancas ou amareladas. No verão, apresenta folhas brancas e pequenas. Para crescer saudável, precisa de um solo rico em matéria orgânica e úmido. É uma espécie que tolera baixas temperaturas.

Cróton

O cróton também é um arbusto. Suas folhas são vistosas graças às cores e formatos. Essa espécie não pode ser podada, pois irá prejudicar o seu formato. É uma espécie tóxica, pouco indicada para casas com animais, e exige uma boa drenagem do solo.

Orquídea

As orquídeas são muito famosas e gostam de locais frescos e protegidos da luz direta. Gostam dos raios de sol da manhã. A irrigação precisa ser equilibrada, para não encharcá-la e nem desidratá-la. O solo precisa ser úmido, regando-a de uma a três vezes por semana dependendo da estação.

Ráfis

O ráfis é uma palmeira entouceirada, ideal para vasos em interiores com uma decoração mais rústica. Requer poucos cuidados e pode ser podada com muito cuidado para não deformá-la.

Samambaia

A samambaia cresce de 40 a 70 centímetros. Sua folhagem é bem longa. É uma planta que não gosta de luz solar direta e adore umidade, por isso, a irrigação deve ser constante.

Para escolher a melhor planta ao seu ambiente interno, converse com um paisagista. Ele poderá indicar outras variedades belas e que não precisam do sol. Assim, seu jardim será ainda mais acertado!

Escreva um Comentário