SINAPI | O que é? Tabela 2018

A sigla SINAPI significa Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil. Ou seja, uma tabela que inclui os custos e números da Construção Civil no Brasil.

Imagine que você vá construir um imóvel, e precisa verificar se todos os seus custos estão dentro das suas possibilidades. Afinal, ninguém deseja ficar endividado com uma construção, não é mesmo? Dessa forma, é importante que o seu arquiteto ou engenheiro ofereça o orçamento bastante completo. Principalmente: essa estimativa precisa ser a mais realista possível, considerando cada material previsto. Até mesmo aqueles que são bem pouco utilizados.

Caso o profissional tivesse que buscar cada loja de materiais da sua cidade, o processo seria bastante trabalhoso. Seriam muitos “passeios” pelos estabelecimentos, ou ao menos muitas ligações. Tudo para obter uma média de valores para que o orçamento fosse preparado.

Melhor então, poder contar com um índice completo já produzido, certo? É aí que a tabela SINAPI entra!

Como a SINAPI é produzida?

Para que as informações da tabela SINAPI sejam as mais fidedignas possível, os dados são coletados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O IBGE é o principal instituto de pesquisa do País e é o responsável, por exemplo, pelo censo que verifica o número de habitantes no território.

Logo que coletadas, as informações são reunidas na lista e disponibilizadas pela Caixa Econômica Federal. Assim, qualquer profissional, e até os consumidores, têm fácil acesso às informações.

Na hora da descoberta dos dados, o IBGE consulta os fornecedores de materiais de todo o Brasil. Assim como as empresas construtoras do setor. As regras para o sistema nasceram em 2013, pelo Decreto 7983/2013. Na norma há, por exemplo, indicações sobre o modo de uso das informações, para a obtenção de uma referência de custos.

O uso da tabela para obras particulares é opcional, mas sempre indicado. Afinal, com ela o consumidor terá noção mais clara dos valores necessários para a construção.

Já obras públicas devem contar obrigatoriamente com dados vindos da tabela. Assim, a elaboração do orçamento por uma construtora ficará dentro dos padrões do mercado. Esse cuidado diminui as chances de superfaturamento de uma licitação, por exemplo.

Como usar as informações?

A tabela SINAPI é atualizada mensalmente, e fica disponível por Estado. É fundamental que o responsável pela construção sempre obtenha os dados mais atualizados possíveis. Desde modo, o custo por metro quadrado da construção será mais preciso.

As informações sempre se referem, além de sobre os materiais, aos custos dos equipamentos e mão de obra necessários. Por isso, é possível falar de duas tabelas “diferentes”: da SINAPI como tabela de preços de insumos e mão de obra, e da SINAPI como tabela de composições unitárias.

SINAPI: insumos e mão de obra

Na primeira lista, é possível consultar os custos de todos os materiais necessários para obra. Assim como o quanto deverá ser pago para cada trabalhador que atuar na construção.

Antes de utilizar os dados, o arquiteto/engenheiro deve enumerar todos os produtos necessários para obra. Cada um deles, para que o orçamento obtido seja bastante próximo do real. Isso significa, então, que é preciso listar desde o cimento da construção até o acabamento que será utilizado no canto das paredes.

Em seguida, é necessário acessar o site do SINAPI/Caixa e buscar a tabela mais recente, correspondente ao estado de localização da obra. O arquivo fica disponível em PDF, e pode ter o download realizado para uma consulta mais cuidadosa.

Uma tabela SINAPI sempre conta com o código e nome do insumo, unidade de medida e o preço correspondente.

É importante dizer que os custos correspondentes à mão de obra aparecem de forma bastante semelhante. Contudo, eles não incluem os encargos sociais dessas contratações. Os valores correspondentes, neste caso, ficam previsto no topo de cada página.

SINAPI: composições unitárias

Já uma tabela de composição unitária não precisa ser analisada de acordo com a localização da construção. Na verdade, basta selecionar a lista mais atualizada de informações e tomá-la como base das estimativas. Neste caso, as informações obtidas irão se referir ao custo por m², m³ e outras da obra.

Ao utilizar dessa SINAPI, o objetivo é saber quanto será gasto para a execução de uma área da construção. Neste caso, você precisará saber os valores de cada material a ser utilizado e de toda a mão de obra necessária. Por isso, na lista é possível verificar as classes, descrições, unidades de serviço e coeficientes de consumo.

Visando facilitar o entendimento às informações, a SINAPI conta com alguns índices, com as “legendas” das siglas apresentadas. Verificando os coeficientes de consumo disponíveis, deve-se multiplicá-los pelo preço encontrado na primeira tabela. Todos os valores obtidos, referentes a cada insumo, deverão ser somados. Aqui, será obtido o custo por metro quadrado do imóvel.

Depois, o resultado da soma de informações deve ser multiplicado pela quantidade de serviço na unidade de composição. Ou seja, pela medida em m² (m³ ou outra unidade utilizada) total da construção daquele item.

Considere, por exemplo, a execução de um piso de 110 m². Os valores obtidos na primeira operação, dos coeficientes de consumo, deverão ser multiplicados por 110. Asim, será possível definir o custo total da construção da obra, e não apenas dos itens utilizados nela.

Passo a passo para utilizar a tabela SINAPI

  • Defina as informações necessárias para o seu orçamento (insumos, mão de obra);

  • Acesse a página do Índice SINAPI neste link;

  • Role a página até a parte intitulada “Preços e Custos de Referência”;

  • Selecione o estado desejado para realizar a pesquisa (no caso da tabela de insumos e mão de obra) ou acesse a opção “Catálogo de Composições” disponível logo ao lado direito da página (para composições unitárias);

  • Escolha qual tabela utilizar (a mais recente, desonerada ou não);

  • Faça o download dos arquivos necessários;

  • Abra a pasta de arquivos que foram salvas em seu computador e acesse cada tabela listada. Os dados podem ser visualizados por meio do Microsoft Excel ou o LibreOffice Calc;

  • Utilize os dados disponíveis para estimar os gastos na construção.

Viu só como o uso da tabela SINAPI é importante e prático? Consulte as informações e peça para o seu arquiteto/engenheiro utilizar dos dados para o seu orçamento!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.