Uma das plantas preferidas de todo o paisagista é a palmeira. Afinal, são tantos os tipos de palmeiras que é fácil combiná-la com os mais variados ambientes e plantas. Com tanta variedade assim, é importante conhecer as principais, para que você mesmo possa cultivá-la e manter seu jardim sempre bonito. Acompanhe nesse texto tudo que você precisa saber para plantar agora mesmo seu exemplar!

Palmeira é um nome genérico para uma série de plantas da família das palmáceas, sendo que mais de 4 mil espécies são conhecidas da ciência. Todas elas, de qualquer forma, possuem características comuns, facilmente identificáveis.

Uma palmeira, por exemplo, tem seu caule, ou tronco, chamado de estipe. Na maior parte das vezes, ele é reto e esguio. Em uma das espécies decorativas, ele também aparece curto e dilatado. Sua casca é sempre endurecida, formado por fibras bastante fortes.

Outra característica importante é que as palmeiras não criam galhos como as outras árvores. Além de seu caule, sua outra única parte é a folhagem, também característica. As folhas dessa planta são semelhantes a lâminas, que aparecem formando grandes leques. Essas folhas têm tamanhos variados, que variam principalmente com a altura da planta.

Independentemente da espécie da palmeira, de qualquer forma, ela possui grande característica ornamental. A decoração realização com a ajuda da planta tende a ser elegante e a destacar bastante o espaço.

Conheça abaixo alguns tipos de palmeiras para jardins residenciais.

Veja também: Plantas para jardim

palmeira fenix

Palmeira Fênix

Dentre as espécies mais utilizadas no paisagismo, uma das mais conhecidas é a palmeira-fênix. Atingindo entre 2 e 4 metros, a planta é ereta e indicada para espaços externos. Afinal, seu crescimento pode ser demasiado para dentro de casa.

A melhor forma de cultivar a fênix é num espaço com incidência direta e constante do sol. O espécime, porém, também consegue se adaptar bem à meia-sombra.

É necessário, no entanto, ter dois pequenos “inconvenientes” com essa escolha. O primeiro é que os frutos dessa palmeira, de cor vinho-escuro, são bastante apreciadas por pássaros.

Assim, se você não deseja ter esses animaizinhos por perto, é melhor optar por outra variação do vegetal. Além disso, a planta possui espinhos na base de suas folhas. Assim, é fundamental ter cuidado ao podar ou mesmo regar a árvore.

Clique na imagem para visualizar no tamanho completo.

Palmeira Areca

Palmeira Areca

Outra espécie querida no paisagismo é a palmeira-areca, e pode ser utilizado tanto em espaços externos, como a decoração dentro dos imóveis. Uma única muda dá origem a vários caules, ou seja, a planta se desenvolve como um conjunto de plantas. Ela pode atingir até nove metros de altura, mas seu crescimento pode ser “controlado” de acordo com o espaço disponibilizado para seu progresso. À meia luz, suas folhas ficam mais verdes e bonitas.

Clique na imagem para visualizar no tamanho completo.

palmeira imperial

Palmeira Imperial

A palmeira imperial, por sua vez, é uma das maiores espécies utilizadas nos jardins dos imóveis. Originária de cuba, a planta pode atingir até 40 metros! É a palmeira imperial a geradora do palmito muitas vezes consumido pelo ser humano. Outras espécies da planta também possuem essa iguaria em seu caule.

Clique na imagem para visualizar no tamanho completo.

 

Palmeira Real

Palmeira Real

De grande porte, a palmeira real pode atingir até 40 metros. Como é menor do que a imperial, porém, ela pode facilmente aparecer num jardim menor, inclusive mais próximo à casa e à sombra. De qualquer forma, tenha atenção ao espaço necessário, para que ela não traga problemas no futuro.

Clique na imagem para visualizar no tamanho completo.

 

Palmeira Rabo de Raposa

Palmeira Rabo de Raposa

Ainda para espaços externos, há a palmeira rabo de raposa, que alcança 9 metros. A espécie é australiana, e possui esse nome porque sua folhagem lembra o felpudo rabo de uma raposa. As folhas crescem em diferentes direções, arqueadas e bastante grandes. Sua cor também tem um verde mais claro do que a folhagem de outros tipos de palmeira.

Clique na imagem para visualizar no tamanho completo.

 

Palmeira Washingtonia

Palmeira Washingtonia

O principal diferencial da palmeira washingtonia é seu tronco. Ao invés de claro e mais liso, como é comum, o dessa espécie é marrom escuro e possui algumas “camadas” – seu visual lembra um cacho de bananas.

Uma planta washingtonia possui porte médio, e é indicada que seja plantada diretamente no solo. Em vasos, ela pode não contar com o tamanho necessário para crescer. Suas folhas são também mais circulares, e ocupam grande espaço.

Clique na imagem para visualizar no tamanho completo.

 

Palmeira triângulo

Palmeira triângulo

Já a palmeira triângulo precisa mais de espaço horizontal do que do vertical. Isso porque suas folhas crescem formando um triângulo de cabeça para baixo, ou seja, se expandindo distribuídas em 3 direções.

Clique na imagem para visualizar no tamanho completo.

Palmeira Azul

Palmeira Azul

Também chamada de palmeia Bismarckia, a palmeira azul tem folhas mais próximas deste tom do que do verde. O visual é também considerado prateado, e por isso se destaca bastante no jardim. A planta pode atingir até 25 metros de altura.

 

Palmeira Garrafa

Palmeira Garrafa

Já a palmeira-garrafa pode atingir até 6 metros. Como possui crescimento lento, porém, ela pode ser conservada dentro de casa por alguns anos. No entanto, sua aplicação é sempre melhor no jardim. Sua característica principal é um início do caule mais “gordinho”, com o resto do tronco afinado.

Clique na imagem para visualizar no tamanho completo.

Palmeira Ráfis

Palmeira Ráfis

A palmeira-ráfis, por outra lado, é muito usada apenas na decoração de interiores. Isso graças a seu pequeno porte, além de múltiplos caules, que criam efeito bastante interessante à decoração. As folhas desse espécime são verde-escuras, e precisam de sol pleno para se manterem belas. Assim, é interessante posicionar a planta em local que tenha incidência solar ao menos durante um período do dia.

Clique na imagem para visualizar no tamanho completo.

Palmeira Leque

Palmeira Leque

A palmeira-leque também é de pequeno porte, e é ideal para cultivo em vasos. Suas folhas são um pouco diferente das comuns: ao invés de se separarem em lâminas, elas se mantém juntas, formando uma espécie de semi-círculo verde. Seu tom verde brilhante tem belo visual. Para cultivá-las, é preciso um ambiente bem iluminado e, de preferência sem ventos fortes ou ar condicionado.

Clique na imagem para visualizar no tamanho completo.

Palmeira Camedórea Elegante

Palmeira Camedórea Elegante

Por fim, há a popular camedórea-elegante é igualmente interessante para o interior dos imóveis. Principalmente porque ela não deve permanecer ao sol, ou suas folhas serão queimadas.

Clique na imagem para visualizar no tamanho completo.

Palmeira Laca

A palmeira laca possui um grande efeito paisagístico, pois o colorido do seu tronco é de um vermelho vivo que chama bastante atenção e se destaca das demais espécies. Nos jardins tropicais, ela pode ser plantada isoladamente ou em grupos para emoldurar caminhos ou muros.

Palmeira Cascata

A palmeira cascata é uma planta de pequeno porte que pode atingir até 2,5 metros de altura. Mas em vasos pode se manter em porte menor, com troncos finos e touceiras arredondadas.

Palmeira Rabo-de-peixe

A palmeira Rabo-de-peixe é um dos tipos de palmeiras de porte pequeno cultivadas em regiões de clima ameno, formada por diversos troncos finos, em formato arredondado com folhas largas e recortadas.

Palmeira Dracena Arbórea

A palmeira Dracena Arbórea é originária de climas tropicais da Guiné. Ela é muito usada tanto para compor ambientes internos quanto externos, pois conta da sua versatilidade. Ela possui folhas mais longas e caule fino, sendo que dentro de vaso, seu crescimento fica limitado.

Washingtonia Robusta

Essa espécie tem caule mais fino, e é conhecida por tolerar muito bem os transplantes, podendo ser transportada para um vaso a qualquer momento sem perder a força.

Washingtonia Filifera ou Palmeira-de-saia

De caule ligeiramente mais largo embaixo, a palmeira Washingtonia é bem grande, ideal para ser usada em exteriores. É natural dos Estados Unidos e México, e necessita de muito sol. Com muito espaço suficiente para plantio, elas ficam lindas em jardins, chácaras e fazendas, podendo ser plantadas diretamente no solo.

Palmeira Bambu

Conhecida por sua capacidade de purificar o ar, a palmeira bambu é muito utilizada em interiores, já que é bem delicada e resistente aos ambientes sombreados. Muito delicada, ela possui caule e folhas finas. Por isso, consegue dar um ar de leveza ao ambiente.

Palmeira Camberônia

A Cambeirônia é uma palmeira ornamental, originária de florestas úmidas da Nova Caledônia, na Oceania. Ela pode atingir cerca 20 metros de altura, mas usualmente atinge de 6 a 8 metros fora de seu habitat. O que mais chama a atenção e torna esta palmeira tão especial é a bela tonalidade vermelho vivo de sua folha jovem. A cambeirônia adiciona movimento e cor ao paisagismo, compondo em pequenos bosques tropicais, juntamente com outras árvores e palmeiras.

Palmeira Açaí ou açaizeiro

O açaí ou açaizeiro é uma palmeira nativa da região amazônica, cujos frutos são amplamente consumidos pela população local e pelo resto do mundo nas últimas décadas. Ela é bastante semelhante à palmeira-jussara (Euterpe edulis), com a diferença de ser entouceirada, geralmente apresentando mais de 4 estipes por planta.

Palmeira-fuso

A palmeira-fuso é uma palmeira escultural, de estipe único e formato fusiforme, engrossado na base, ligeiramente estreito e depois engrossado novamente, encontrando um palmito mais estreito no topo. Ela é originária da Ilha Rodrigues, do Arquipélago Mascarenhas, no Oceano Índico, onde está seriamente ameaçada de extinção. Apesar disso, é uma palmeira cultivada em regiões tropicais do mundo todo, por suas qualidades como ornamental.

Palmeira Licuala-redonda

A licuala-redonda é uma palmeira ornamental, de estipe único e curto e crescimento bastante lento. Ela se caracteriza por ter até 15 folhas enormes, plissadas, brilhantes, que podem ser palmadas, na forma “peltata“, e inteiras e redondas. Esta palmeira de leque é ideal para cultivar em ambientes internos, em vasos amplos e perfeitamente drenável.

Palmeira-moinho-de-vento

A palmeira-moinho-de-vento é uma espécie ornamental, nativa de regiões temperadas e subtropicais da China, Japão, Birmânia e Índia. Ela se tornou conhecida em diversas partes do mundo, por sua preferência por climas subtropicais e resistência ao frio intenso.

Palmeira-imperial-de-porto-rico

Também conhecida como palmeira-coca-cola, a palmeira-imperial-de-porto-rico é uma espécie imponente, com o tronco em formato de garrafa, originária de Porto Rico, Ilhas Virgens e São Domingos, no Caribe. A palmeira-imperial-de-porto-rico é ideal para formar alamedas em grandes avenidas, ou acompanhar prédios suntuosos, como shoppings, monumentos, museus, condomínios de luxo, clubes, etc.

Palmeira-andante

A palmeira-andante é uma espécie de palmeira bem elegante e escultural, nativa da floresta amazônica e com interesse incomum, devido à forma do tronco e raízes da planta, que conferem um visual curioso. Ela é própria para jardins tropicais e contemporâneas, plantada isoladamente ou em pequenos grupos, com forração baixa ou em gramados, de forma que as raízes fiquem bem visíveis e possam ser admiradas pelos espectadores.Pode ser plantada em vasos , sendo que muitas vezes as raízes ultrapassam a borda dos mesmo, criando um efeito interessante.

Areca-dourada

A areca-dourada é uma palmeira originária das Ilhas de Celebes e Molucas, na Indonésia. Ela apresenta uma grande variação morfológica dentro da mesma espécie, apresentando por exemplo, espécimes de estipe único, enquanto outras entouceiradas. Há uma variedade em particular, com a folhagem de cor marrom e palmito avermelhado, muito valorizada na decoração de interiores, principalmente quando jovens, plantadas em vasos ou em jardins de inverno.

Palmeira-real-de-cuba

A palmeira-real-de-cuba é uma espécie majestosa, de estipe único e grande porte, originária da Flórida, México, América Central e do Caribe. Ela é amplamente utilizada como ornamental em regiões tropicais. Ela alcança de 20 a 30 metros de altura e diâmetro de tronco de cerca de 50 cm. Por isso, ela é ideal para grandes espaços, sendo plantada isolada, em duplas ou em grupos, formando palmeirais em jardins, parques, resorts; ou em linhas, ao longo de avenidas e orlas marítimas.

Palmeira Jerivá

A palmeira Jerivá é elegante, podendo alcançar de 8 a 15 metros de altura e chegar a 60 cm de diâmetro. Suas folhas são longas, com 2 a 4 metros de comprimento, arqueadas, pendentes, pinadas e com numerosos folíolos. No paisagismo, elas podem ser utilizadas isoladas, em grupos ou renques. Seu ar imponente e majestoso cria jardins sofisticados sem custo elevado, comparado a outras palmeiras. Da mesma forma, seu jeitão tropical é perfeito para jardins descontraídos à beira-mar ou em sítios.

Camedórea-bambu

A camedórea-bambu é uma palmeira entouceirada, largamente utilizada para adornar interiores e áreas semi-sombreadas no jardim. Ela é nativa da América Central e do México, de florestas tropicais úmidas, onde chega a formar bosques densos, com um só indivíduo.

Palmeira Arenga

A arenga é uma palmeira bastante ornamental e útil, originária da Malásia. Ela é largamente cultivada no sudeste asiático por ser uma importante fonte de açúcar e fibras e por ser belíssima, com um interessante tronco fibroso, mas cheio de espinhos. De qualquer forma, tem um efeito impactante, sendo ideal para grandes áreas e jardins tropicais, podendo ser plantada isolada ou em grupos.

Palmeira Buriti

A palmeira buriti é aquática, muito frutífera e ornamental. Ela caracteriza uma formação única do cerrado, as veredas, que são áreas localizadas em vales, bastante encharcadas, com nascentes ou cursos d’água, onde pode-se obter sempre passagem e água limpa. Ela é uma das mais abundantes do Brasil, mesmo assim ela ainda é pouco aproveitada em projetos de paisagismo e de recuperação ambiental. Apesar disso, é uma espécie das mais elegantes e rústicas, e foi bastante valorizada por Burle Marx.

Palmeira-sagu

A palmeira-sagu é arbustiva e lenhosa, que é largamente utilizada no paisagismo, pela beleza singular formada pelo conjunto das folhas brilhantes e longas, dispostas em coroa. No jardim a palmeira-sagu geralmente ganha lugar de destaque, como ponto focal. Sua aparência tropical, elegante e escultural é ideal para a entrada da casa, ou isolada em gramados bem aparados.

Palmeira Kentia

A palmeira kentia é de estipe elegante, com folhagem e frutificação ornamentais, nativa da Ilha de Lord Howe, pertencente à Austrália. Ela se tornou cosmopolita, valorizando projetos paisagísticos e de decoração, porque além de bela, é muito tolerante a diversos climas e se adapta com perfeição a ambientes internos com pouca luminosidade. Por isso, a kentia é a escolha para escritórios, halls, lobbies, shoppings, salas de estar, entre outros ambientes que necessitem de uma aura de tropicalidade.

Palmeira Butiá

O butiá ou butiazeiro é uma palmeira muito frutífera e ornamental, nativa do sul do Brasil, Argentina e Paraguai. Suas folhas são longas, pinadas, arqueadas, recurvadas e de cor verde a azul-acinzentada. Elas apresentam bainhas espinhentas e persistentes, que recobrem o caule na maioria das vezes. Por ser uma planta bastante rústica, tanto no aspecto, quanto na facilidade de cultivo, ela pode ser plantada isolada, como destaque, ou em linhas e grupos, sendo interessante seu uso no paisagismo urbano.

Árvore-do-viajante

A árvore-do-viajante é uma planta rizomatosa, de porte arbóreo, mas de textura semi-lenhosa. Ela tem um aspecto escultural e peculiar, próprio das estranhas e belas plantas de Madagascar.

Palmito-jussara

O palmito-jussara é uma palmeira nativa da Mata Atlântica e conhecida principalmente pelo seu palmito comestível, muito apreciado. Ela é elegante e bela, mas ainda pouco explorada no paisagismo, podendo ser conduzida isolada ou em bosques. Além disso, não exige muito espaço e é um atrativo especial para passarinhos no jardim.

Tamareira-das-canárias

A tamareira-das-canárias é uma palmeira robusta e muito rústica, que tem um tronco único, com cerca de 70 a 90 cm de diâmetro, podendo alcançar 20 metros de altura. Devido à sua imponência, a tamareira-das-canárias não é indicada para pequenos ou médios jardins residenciais, pois acaba “reduzindo” o imóvel pela proporção. Mas sua beleza é muito valorizada em parques, avenidas e grandes jardins residenciais ou de empresas.

FAQ – Perguntas e Respostas

Qual a Diferença entre Palmeira e Coqueiro?

A palmeira é qualquer espécie de plantas alpinistas perenes, arbustos, acáulas e árvores pertencente ao grupo das Palmae ou família da Arecaceae também chamadas de Palmáceas.

A maioria das palmeiras distingue-se pelas folhas grandes, compostas e perenes, conhecidas como frondes, dispostas no topo de um talo não ramificado.

No entanto, as palmeiras exibem uma enorme diversidade nas características físicas e habitam quase todos os tipos de habitat dentro do seu alcance, desde as florestas tropicais até os desertos.

Já o coqueiro é uma palmeira da família Arecaceae (família das palmeiras), de porte grande, com cerca de 30 metros de altura, folhas de 4 a 6 m de comprimento. O coqueiro dá o fruto de nome coco. Há muitos coqueiros em países tropicais, como o Brasil, por exemplo.

Quantos Tipos de Palmeiras Existem?

Atualmente as palmeiras constituem 181 gêneros com cerca de 2600 espécies, a maioria restrita a climas tropicais e subtropicais.

Qual a Profundidade da Raiz de Uma Palmeira?

Quando adultas, cerca de 80% das raízes fasciculadas das palmeiras podem se estender à um raio de 2 metros e atingir uma profundidade de até 40 centímetros.

Fotos de palmeiras

 

6 Comments

  1. Elisabete Flores Quesada Reply

    Gostei…completo, detalhado e com fotos. Obrigada!

  2. Excelente matéria, muito bem escrita. Difícil será escolher um tipo, todas são lindas.

  3. Estou aqui em 2019 e quero parabenizar… Excelente matéria! A palmeira que procurava está aqui.
    Gd bjo a todos envolvidos!

Write A Comment