É visto como Trabalho em Altura todo e qualquer procedimento feito acima de 2 metros de altitude da base inicial com perigo de queda do profissional. Esse perfil de trabalho necessita de uma atenção muito especial para que possa ser realizado de modo seguro, diminuindo as ameaças sofridas pelo trabalhador e disponibilizando toda a segurança para que essa atividade consiga ser realizado de modo satisfatória.

Esse tipo de profissão trás riscos ao profissional que podem ser fatais, dessa forma é indispensável acompanhar à risca todas as normas, para que o Trabalho em Altura consiga ser executado do modo correto. É necessário que os trabalhadores encontram-se devidamente treinados e preparados para realizar o trabalho e que tanto empregado quanto empregador obedeçam as técnicas estabelecidas pela NR-35 Trabalho em Altura.

Neste artigo vamos apresentar tudo o que você necessita entender sobre o Trabalho em Altura para que seja realizado com segurança, considerando todas as normas e técnicas de segurança. Aprenderá quais são as mais importantes responsabilidades do empregador, as principais responsabilidades do trabalhador, quais os EPIs essenciais para o Trabalho em Altura e outros conhecimentos necessários para colocar você por dentro de tudo sobre este assunto.

Responsabilidades do Empregador

O empregador possui obrigações bem claras e fundamentais para a execução do Trabalho em Altura, e é importante que ele as conheça bem para que possa oferecer toda informação e segurança que os trabalhadores necessitam. Listaremos aqui as principais responsabilidades do empregador para o Trabalho em Altura.

É obrigação da empresa para realização do Trabalho em Altura:

  • Assegurar a implantação das medidas de proteção instituídas na NR-35;
  • Garantir a execução da Análise de Risco e a divulgação da Permissão de Trabalho, quando preciso;
  • Criar um processo operacional para as ações de rotinas de trabalho em altura;
  • Atualizar aos trabalhadores sobre informações recentes dos riscos e das medidas de controle;
  • Assegurar que o trabalho só comece depois que todas as medidas da NR-35 estiverem aplicadas;
  • Cancelar as atividades sempre que uma ameaça não esperada acontecer. Analisar sempre as metodologias adotadas e, na possibilidade de uma ocorrência, treinar toda a equipe novamente.

Responsabilidades do Trabalhador

O empregado é, com certeza, o mais prejudicado por todos os prováveis danos de um trabalho em altura realizado sem que as orientações das medidas de segurança sejam tomadas. Assim, é necessário que ele realize os treinamentos obrigatórios, com carga horária mínima de 8 horas, e ganhe certificado para esse tipo de atividade. É importante que ele esteja a par de suas responsabilidades e deveres para conservar sua integridade física.

É obrigação do empregado para a realização do Trabalho em Altura:

  • Realizar as decisões legais e normativas sobre Trabalho em Altura, até mesmo as metodologias emitidas pelo empregador;
  • Contribuir com a empresa na implantação das obrigações contidas na NR-35;
  • Paralisar suas atividades sempre que tiver riscos graves e iminentes para sua segurança e saúde ou a de outras pessoas, executando o direito de renuncia, anunciando imediatamente a ocorrência ao seu superior hierárquico, que providenciará as medidas cabíveis;
  • Cuidar da segurança e saúde dele e de outras pessoas que possam ser prejudicas por suas ações ou falhas no ambiente trabalho;
  • Renovar o curso para o Trabalho em Altura cada 2 anos ou sempre que acontecer variação na legislação, mudança de empresa ou qualquer outra situação que necessita de alterações.

EPI’s para Trabalho em Altura

Um elemento fundamental do Trabalho em Altura é a proteção do empregado. Para que essa proteção seja realizada de modo eficaz, é necessário o uso correto dos EPI’s próprios para o Trabalho em Altura. Com o uso dos EPI’s sugeridos para esse tipo de atividade, a empresa e trabalhador reduzem os casos de acidente ou fatalidade.

É responsabilidade da empresa proporcionar os EPI’s com validade vigente para os seus funcionários. E cabe ao trabalhador conferir a correta utilização dos equipamentos básicos para garantir a sua segurança.

Os principais EPI’s para a realização do Trabalho em Altura são:

  • Trava-quedas;
  • Cinto de Segurança tipo Paraquedista ou Cinto de segurança tipo Alpinista;
  • Capacete com jugular;
  • Talabartes ajustáveis;
  • Talabartes simples;
  • Talabarte Y;
  • Botinas de segurança;
  • Óculos de segurança;
  • Luvas de segurança.

Planejamento, Organização e Execução

Antes de começar, o trabalho em altura precisa ser planejado, levando em consideração a hierarquia das medidas de controle analisando as seguintes perguntas:

  • O trabalho consegue ser feito de outro modo, evitando o trabalho em altura?
  • Se não for possível fugir do trabalho em altura, este consegue ser feito sem o risco de queda?
  • Caso não haja a oportunidade do risco de queda ser afastado, como conseguimos diminuir os efeitos no cenário de uma queda inesperada?

Usar outras opções de execução sem colocar o funcionário no risco de queda é a melhor alternativa. Existem algumas opções que são consideradas para evitarem o trabalho em altura em algumas tarefas, como a demolição de prédios através de explosões, que impedem o acesso direto de trabalhadores com ferramentas e equipamentos por períodos prolongados.

Outro exemplo é o uso de postes de iluminação onde a luminária é movimentada através de equipamentos mecânicos, viabilizando a troca de lâmpadas no nível do solo. A verificação de risco da atividade precisa considerar sempre outra opção que será adotada quando necessário.

A instalação do sistema de guarda corpo e corrimãos são exemplos de medidas de proteção coletiva que minimizam o risco de queda. O uso de redes de proteção ou de cintos de segurança são outros exemplos de medidas de segurança coletiva e individual para diminuírem os resultados da queda.

Análise de Risco para Trabalho em Altura

Um ponto indispensável para o Trabalho em Altura é a Análise de Risco, que precisa ser realizada rigorosamente antes de qualquer atividade em altura. Fora todos os riscos naturais desse tipo de tarefa, a análise de risco precisa considerar:

  • O local em que o serviço será executado e o seu entorno.
  • O isolamento e a sinalização no entorno da área de trabalho.
  • O estabelecimento dos sistemas e pontos de ancoragem.
  • As condições meteorológicas adversas.
  • O risco de queda de materiais e ferramentas.

Permissão de Trabalho para Atividade em Altura

Quando tiver Atividades em Altura não rotineiras, é necessário que elas sejam primeiramente autorizadas e aprovadas por uma Permissão de Trabalho, que precisa conter a validade do tempo de execução da atividade. Esse importante documento necessita ter as seguintes informações:

  • Os requisitos mínimos a serem atendidos para a execução dos trabalhos.
  • As disposições e medidas estabelecidas na Análise de Risco.
  • A relação de todos os envolvidos e suas autorizações.

Trabalho em altura no Brasil

Acidentes com quedas retratam uma enorme perda para o País. Trabalhadores pagam na maioria das vezes com a própria vida, quando não sofrem invalidez temporária ou permanente com sequelas. Empresas perdem dias de trabalho parados, pagam despesas emergenciais e estão suscetíveis a ações judiciais para reembolso dos trabalhadores e do INSS. Há perda de produtividade. Todos perdem.

De 2013 a 2017 aconteceram 208.350 acidentes com quedas, sem contar muitos casos não registrados, totalizando 1.033 mortes e milhares de incapacitações. No meio das atividades que mais sofrem acidentes estão motoristas de caminhão, servente de obras, vendedores do comércio varejista e pedreiros. Acidentes com quedas são comuns em muitos segmentos, mas acontecem com mais periodicidade na construção civil, no transporte rodoviário de cargas e no comércio varejista.

Temos muitos exemplos de pessoas que não levam a sério o uso de equipamento adequado para trabalho em altura e acabam contanto muito com a sorte, sorte essa que é fatal muito das vezes. O cuidado deve partir tanto da empresa quanto do funcionário e sempre que necessário use outros meios como alternativas para evitarem esse tipo de atividade.

Restaram dúvidas sobre trabalho em altura? Se sim, é só deixá-la nos comentários abaixo e nós estaremos prontos para lhe responder! Agora, caso tenha conseguido retirar suas dúvidas com este artigo, então não deixe de compartilhar com seus amigos e conhecidos, nunca se sabe quem você pode acabar ajudado no percurso!

Escreva um Comentário