Ao falarmos da Arquitetura Grega, é bem provável que você pense em grandessíssimas estruturas, com enormes colunas, não é mesmo?

Pois essas são as principais características deste tipo de arquitetura. Como é o caso do Parthenon, em Atenas, um templo icônico construído no século V a.C.

Mas os destaques deste tipo de arquitetura ainda vão além. Para te apresentar a todos eles, nós produzimos este conteúdo. Continue lendo!

História da Arquitetura Grega

A história da Arquitetura Grega começa no século VIII a.C. Diferente do que seu nome sugere, ela não se desenvolveu apenas na Grécia que conhecemos hoje.

Na verdade, o estilo de construção se estendeu ainda por locais como as ilhas do Mar Egeu, as colônias gregas em Ionia, Peloponeso e em Magna Grécia (ou seja, nas colônias gregas na Itália e na Sicília).

As construções são imponentes e um retrato de uma das sociedades mais ricas dessa época do mundo — a Grega.

Grande parte da arquitetura da época era estabelecida como uma homenagem às divindades daquele povo. Como a deusa Atena, Zeus, Apolo etc.

Por isso as estruturas eram tão grandes. Elas buscavam se assemelhar ao poder dos deuses, mostrando seu poder por meio de um visual impressionante.

Ao mesmo tempo, a Arquitetura Grega foi desenvolvida como uma busca do homem pela superação. Até então, grandes estruturas já haviam sido construídas. Por que não desenvolvê-las ainda maiores?

Nos templos, algumas das principais construções da época, os gregos realizavam toda a sua vida social. Como eventos religiosos, civis e até esportivos.

prédio grego

Para garantir toda a imponência visual das construções, o mármore era o principal material utilizado. Afinal, além de bonito, o material é pesado e precisava ser finamente trabalhado para a estrutura.

Além dele, a Arquitetura Grega utilizada a madeira, para coberturas e o alabastro para as telhas. O nome alabastro se refere aos minerais gesso e calcite. Seu aspecto é levemente translúcido.

A argila também era utilizada, mas dessa vez para tijolos em construções secundárias, menos importantes. Para as mais imponentes, o mármore ainda compunha quase que 100% da estrutura.

Características da Arquitetura Grega

São vários os aspectos importantes na arquitetura grega. Todos eles marcaram o desenvolvimento das grandes estruturas que hoje são vistas principalmente em ruínas. Veja abaixo.

Precisão matemática

Os gregos foram os primeiros a usar cálculos precisos para determinar seu modo de construção. Esses cálculos foram essenciais para estabelecer as grandes dimensões das estruturas.

Para se ter uma ideia, os arquitetos usavam o chamado sistema de ordens. Com ele, eles conseguiam definir as proporções ideais de cada estrutura de um edifício.

Diferentes colunas

colunas arquitetura grega

Se você não for um estudioso da Arquitetura Grega, pode ser que não perceba muita diferença entre as grandes colunas das construções. Mas elas são de tipos diferentes e divididas em três ordens características.

Essas ordens são chamadas de dórica, jônica e coríntia. O estilo Dórico é o mais simples de todas as colunas, pois não tem muitos detalhes de ornamentação.

O Parthenon, em Atenas, é um grande exemplo de construção com este tipo de coluna. Nenhuma delas possui muita ornamentação, nem base. Mas todas elas são caneladas, ou seja, possuem um detalhe de apoio na sua parte superior. As colunas Dóricas transmitem uma sensação maior de firmeza.

Já o estilo Jônico é um pouco mais trabalhado, trazendo um acabamento minucioso a toda a coluna. Sua base é circular e, no topo, sempre há algum detalhe arredondado na construção. O desenvolvimento deste tipo aconteceu nas ilhas do Mar Egeu e nas cidades gregas em Ionia.

Por fim, existe o estilo Coríntio. Ele é muito semelhante ao jônico, mas suas ornamentações são ainda mais detalhadas. Geralmente, as colunas são mais finas e trabalhadas com figuras.

Exatamente por ter um alto nível de detalhamento, as colunas coríntias não foram muito utilizadas pelos gregos.

Ausência de argamassa

Imagine a construção de um imóvel. Muito provavelmente, você pensou na necessidade da argamassa para unir os tijolos, certo? Mas isso não acontecia na Arquitetura Grega.

Na antiguidade, as colunas eram erguidas com grandes pedaços de pedras e grampos de ferro. As demais partes em pedra eram perfeitamente encaixadas umas às outras, sem qualquer material de ligação entre eles.

Rigor nas estruturas

Cada construção grega precisava ser completamente simétrica e ter proporções rigorosas. Elas também eram pensadas em perspectiva. O rigor em cada aspecto da estrutura foi o que permitiu estabelecer construções tão imponentes e duradouras através dos séculos.

Exatidão nas formas

O rigor nas estruturas também aparecia na preocupação dos gregos com a exatidão e equilíbrio visual de cada estrutura. Por isso as colunas coríntias não foram tão utilizadas, como citado. Elas precisavam de um nível de detalhamento tão alto que podiam comprometer a precisão das construções.

Estética perfeita

Visualmente, toda a arquitetura grega precisa ser bela. Extremamente bela, do tipo que agradasse aos deuses. Afinal de contas, a maior parte das estruturas foi erguida como uma homenagem aos seres divinos.

Obras monumentais

Nas fotos, dá para ver que a Arquitetura Grega não economizava na grandeza das suas obras. Os templos e outras construções eram enormes, pois tinham como objetivo reforçar a pequenez dos homens perante os deuses.

Principais construções gregas

Na Arquitetura Grega antiga, alguns tipos de obras eram os mais comuns. Começando pelos templos, que deveriam, como explicamos antes, demonstrar a devoção e temor dos gregos aos seus deuses.

Muitos desses templos ainda existem hoje, mesmo que parte em ruínas. Eles são pontos turísticos muito visitados anualmente. Em Atenas, são cerca de 4,5 milhões de visitantes por ano.

Já as stoas são grandes fileiras de colunas, apoiadas por uma parede lisa e coberta. Esses espaços eram utilizados principalmente como um local de reunião para os gregos.

stoas

Enquanto isso, os grandes teatros eram palco de espetáculos, eventos e encontros esportivos. Seu formato era circular e de cima para baixo, sendo que o “palco” ficava embaixo, em um espaço no centro do círculo. Sua parte superior, a arquibancada circular, era enorme e feita de pedra.

Os estádios tinham um aspecto semelhante, de arquibancadas de pedra e que “desciam” até o centro do espaço. Mas, em vez do formato circular, eles tinham um aspecto semelhante a um cilindro.

Esse formato permitia, por exemplo, a corrida de cavalos por uma longa linha reta. O estádio de Olympia, na cidade de Olímpia, Grécia, é um ótimo exemplo desse tipo de construção.

Como construir com características gregas?

Agora que você já sabe o que é a Arquitetura Grega, pode estar se perguntando como construir algo do tipo.

Para começar, podemos dizer que reproduzir esse tipo de arquitetura é quase que impossível. A imponência das construções e mármore quase que compondo-as totalmente é algo difícil e muito caro de alcançar.

Mas não significa que você não possa se inspirar no visual das grandes estruturas gregas para estabelecer seu próprio imóvel.

Para te auxiliar, listamos abaixo algumas dicas importantes do que fazer. Acompanhe.

Colunas na fachada

Se as colunas são a principal característica da Arquitetura Grega, por que não aderir a elas na sua construção? Claro que elas não precisam ser de mármore, mas seu uso com riscados e detalhes vai remeter diretamente ao país europeu.

colunas gregas em casa

Se seu projeto tiver um grande orçamento, essas colunas poderão ser estruturais. Colocadas na fachada do imóvel, elas vão remeter à sensação de imponência do espaço.

Caso esse não seja seu projeto, as colunas podem aparecer de modo mais “tímido”. Basta colocá-las na varanda, como apoio para o guarda-corpo; como “moldura” para as janelas etc.

É importante dizer também que as colunas não precisam, necessariamente, contar com detalhes ao estilo grego. Na verdade, simples colunas arredondadas podem garantir o visual esperado desse tipo de arquitetura.

Nesse caso, porém, será preciso combinar essas colunas com outra das características que citaremos logo abaixo. Dessa forma, o reconhecimento de uma inspiração na Arquitetura Grega será mais simples.

Para reforçar a sensação de amplitude do ambiente, invista em um pé direito alto. As colunas e o teto alto já vão trazer parte do efeito desejado ao espaço.

Precisão das linhas

Nem só de colunas vive a Arquitetura Grega. Como apresentamos ao longo do texto, esse tipo de construção valoriza a precisão e a estética perfeita.

Então, mesmo que seu imóvel não tenha colunas, ele pode se assemelhar à estética esperada. Basta que a estrutura tenha um visual reto, quadrado, como na imagem abaixo.

Percebe como a precisão das linhas cria um aspecto mais imponente da estrutura? Sem contar que o visual mais “limpo” do imóvel, todo branco, reforça essa sensação de poder.

Cores da construção

casa branca grega

Na Grécia Antiga, por causa do mármore, as cores das construções se mantinham no branco e tons de bege. E utilizar cores desse tipo no seu imóvel pode ajudar a dar o visual desejado da arquitetura grega.

Quando a fachada do imóvel é bem estruturada e branca, tem reforçada a sua sensação de imponência, como já mostramos.

Mas você também pode utilizar do azul para a sua construção. Isso porque, o uso do azul e do branco remetem muito a Santorini, um ponto turístico grego conhecido mundialmente. Se o visual remete à Grécia, o seu imóvel também vai.

Vidro para amplitude

Sem dúvida, a imponência das construções é o que mais chama a atenção na Arquitetura Grega. Tanto que nós já falamos dela várias e várias vezes até agora. Para o seu imóvel, você pode utilizar do vidro para reforçar o seu aspecto.

Pense com a gente: uma construção com grandes janelas ou portas de vidro não transmitem a sensação de poder? Especialmente quando o vidro vai do chão ao teto, cobrindo tudo o que seria uma parede comum de alvenaria.

Além disso, o vidro garante uma sensação maior de amplitude do espaço. Visto de dentro, o imóvel parece se prolongar por todo o ambiente externo. Visto de fora, esse efeito acontece como se o prolongamento fosse em direção aos cômodos internos.

Vale também dizer que grandes janelas de vidro promovem uma maior iluminação do ambiente interno. A luz do som pode tornar o imóvel mais agradável, com maior bem-estar à sua família. Pode também auxiliar na economia de luz elétrica, já que ela não será necessária na maior parte do dia.

arquitetura grega

Para garantir certa privacidade e bloqueio da luz, é indicado instalar cortinas ou persianas nas janelas. Assim, você poderá tornar o ambiente escuro sempre que necessário.

Viu só como a Arquitetura Grega pode ser uma boa opção para construir um imóvel? Claro, apenas como uma inspiração, mas com resultado bonito e até semelhante ao que vimos na Grécia.

Na hora de estabelecer o seu projeto, não se esqueça de contar com um bom arquiteto. O profissional poderá te auxiliar na definição das melhores ideias e perceber se o projeto é mesmo viável.

Escreva um Comentário