Como construir uma casa economizando? Veja 12 dicas!

Advertisements

O sonho da casa própria ainda é o objetivo de muitos brasileiros. Ainda mais se for possível construir o imóvel do zero, exatamente de acordo com o número de ambientes e disposição de cômodos desejada. Quer saber como construir uma casa sem gastar muito? Acompanhe o texto! Nele, listaremos 12 dicas que podem te ajudar.

Como construir uma casa economizando?

Dica 1: contrate um arquiteto

Imagine que sua família é formada por você, seu cônjuge, e dois filhos. O ideal de uma casa, então, é que o imóvel tenha pelo menos três quartos. Caso você ainda goste de receber amigos e familiares, pode pensar em uma acomodação para os hóspedes – logo, quatro quartos.

Além destes cômodos, seu projeto vai contar com uma cozinha, um banheiro, uma suíte, lavanderia, copa, sala de jantar, de estar…. UFA! São muitas as opções de construção, e nem sempre é fácil “encaixar” todos estes sonhos em um projeto. Assim, é mais que fundamental contar com o auxílio de um arquiteto.

Diferentemente do que muita gente pensa, contratar um arquiteto não é um gasto desnecessário. Conhecedor do assunto, o profissional vai definir a melhor disposição dos cômodos, as áreas de cada um (de acordo com a extensão do lote), e os cálculos que serão utilizados para colocar o projeto de pé.

Um bom arquiteto ainda ajuda o consumidor a definir o melhor modo de construção. Afinal, pode ser mais interessante utilizar a alvenaria comum, ou então a chamada alvenaria estrutural. A estrutural utiliza blocos de concreto para a construção, e não requer vigas e pilares.

A instalação de um jardim ou piscina precisa, do mesmo modo, de plano detalhado. Não apenas pelo espaço, mas também considerando toda a necessidade de drenagem e escoamento da água. Apesar de, por vezes, parecerem simples, os sistemas são complexos.

Ademais, o profissional da área pode indicar os melhores materiais e os locais adequados para a compra de cada um. Assim, você economizará tempo ao seguir a “Dica 4” deste texto.

Dica 2: contrate mão de obra qualificada

Mais do que um bom arquiteto, é fundamental contratar mão de obra capacitada para a execução do projeto. Do contrário, todo o planejamento e cálculos feitos não serão seguidos, resultando em um imóvel bem aquém do desejado.

Por isso, evite contratar um profissional apenas porque ele é o mais barato. Antes de fechar negócio, busque conhecer os trabalhos anteriores dele, converse com antigos contratantes. Isso é um modo de resguardar a segurança de sua família, tendo a certeza de que a construção será corretamente executada.

Dica 3: construa na vertical

Um método interessante de economizar é optar pela construção de um sobrado, ou seja, uma casa de dois ou mais pavimentos. Isso porque, um sobrado pode ter custo de 10% a 15% mais barato do que uma casa térrea, uma vez que utiliza a mesma fundação e telhado. Além disso, a opção é uma ótima alternativa para dividir os quartos – o modelo clássico é colocá-los no andar superior, e deixar os demais cômodos na parte de baixo do imóvel.

Dica 4: pesquise para compra dos materiais

Nunca – nunca! – adquira os materiais de construção na primeira loja que visitar. Mesmo que seu arquiteto tenha indicado o estabelecimento, ou mesmo que o vendedor garanta que você só poderá aproveitar o desconto se fechar o negócio imediatamente.

O ideal é que a compra dos materiais seja feita toda de uma só vez. Como são diversos os itens necessários, você pode encontrar variação de preço que fará grande diferença no custo final.

Dessa forma, a solução é pesquisar. Procure preços na internet e visite as lojas já sabendo o valor médio de cada produto. Além de ter maior noção do barato e do caro, assim você potencializará seu poder de barganha. Afinal, quando conhece o que procura, você fala com maior propriedade, e dificilmente será “passado para trás”.

Como citado, compre toda a quantidade necessária do material de uma só vez, sempre que possível. Isso costuma gerar descontos, e faz muito bem ao bolso.

Dica 5: considere materiais reutilizados

Pode ser que você não conheça, mas existem lojas de materiais de demolição no mercado. Nelas, é possível encontrar produtps descartados por outros imóveis, mas com plena possibilidade de uso. Por serem “reutilizadas”, as peças geralmente são mais baratas do que as novas. Assim, você pode encontrar pisos, vidros, corrimões, granitos, madeira, portas, escadas e várias outras com o preço bem mais em conta.

Dica 6: acompanhe sua construção

A execução do seu imóvel precisa ser acompanhada de perto. Isso porque, ninguém mais do que você terá atenção a detalhes e afinco em economizar. Nem sempre os pedreiros, engenheiros e eletricistas estão dispostos a gastar maior tempo para criar um trabalho perfeito. Com a sua supervisão, porém, os profissionais se sentirão mais motivados a realizar o melhor possível pela obra.

Dica 7: cuide bem dos materiais

Um erro comum após a compra dos materiais para construção é fazer seu mau acondicionamento. Além de prejudicar a qualidade dos produtos, esse descuido provoca ao desperdício dos insumos.

Imagine, por exemplo, que a areia não seja protegida contra a chuva: quando houver precipitação, parte dela vai ser levada pela água. E então, será necessário adquirir mais areia, mesmo que o primeiro lote tenha sido comprado com a quantidade exata que seria utilizada na obra.

Este cuidado de armazenamento ainda garante a segurança do canteiro, e por isso também deve incluir as ferramentas de trabalho. Se ficarem “jogadas” pelo terreno, elas podem ser perdidas ou provocarem acidentes. Solicite o auxílio dos trabalhadores da construção para manter esse cuidado.

Dica 8: planeje revestimentos

Existem materiais que não precisam de revestimento, pintura ou polimento. É o caso dos azulejos e do concreto, assim como do cimento alisado. Por isso, se possível, insira materiais deste tipo em seu projeto. Eles requerem pouco trabalho, costumam ser mais baratos, e ainda vão demandar pouca manutenção ao longo dos anos.

Dica 9: defina etapas de construção

Ao construir um imóvel, o mais importante é colocar as paredes de pé, fazer o pavimento e ir morar no novo lar. Outras etapas podem ser realizadas ao longo do tempo de moradia, com economias feitas todos os meses.

Isso inclui, por exemplo, revestir todas as paredes de gesso, pintar a fachada, instalar luminárias mais elegantes, ou posicionar os azulejos até o teto. Nenhuma dessas etapas vai influenciar em seu bem-estar dentro de casa – elas apenas dizem respeito à estética. Por isso, deixá-las para depois pode ser ótimo modo de economia. Quando você realiza o trabalho aos poucos, pode melhor adequar suas finanças para lidar com os gastos.

Dica 10: elimine paredes

Que tal deixar os ambientes mais integrados? Para isso, você só precisa eliminar algumas paredes divisórias, como entre a sala de jantar e a sala de estar. Essa também é uma ótima opção entre a cozinha e a sala, em que você pode, inclusive, inserir uma bancada e criar uma cozinha americana. Quanto menor o número de divisórias de um imóvel, maior a economia.

Dica 11: faça você mesmo!

Sempre que possível, é interessante que você faça parte da construção. Não no caso do erguimento do imóvel, pois isso deve ser feito por especialistas. Assim como situações de instalações elétricas ou hidráulicas.

Estamos falando de procedimentos mais simples, como montar o jardim, fazer a pintura das paredes ou a sua nova horta. Desse modo, você irá economizar na mão de obra, e ainda poderá deixar tudo com a sua cara.

É importante porém, que você saiba o que está fazendo. Pesquise sobre na internet, veja vídeos de passo a passo, estude até ter a certeza de que entendeu o melhor modo de colocar o “faça você mesmo” em prática. Assim, você vai garantir um bom trabalho e, principalmente, vai evitar ter que contratar um especialista para fazer tudo novamente. O retrabalho costuma sair mais caro do que a primeira tentativa de um profissional.

Dica 12: considere casas pré fabricadas

Resultado de imagem para casa modular montagem

Este texto não poderia terminar sem falar de uma opção que vem se tornando tendência no mercado: as casas modulares. Também chamada de imóvel pré-fabricado, a casa modular tem seu projeto e paredes feitas na fábrica. Depois, cada peça é levada ao terreno da construção, e montado como uma casa de peças Lego.

Apesar de parecer estranho, o método é bastante seguro. Muitas vezes, também pode ser mais barato, pois não requer tanta mão de obra como uma construção de alvenaria. Sem dúvida, é ainda mais rápido, pois as peças só precisam ser montadas, com a ajuda de um guindaste, em vez de completamente erguidas.

Outra opção, caso você esteja disposto a inovar, são as casas contêineres. O método de construção utiliza contêineres descartados do transporte de carga, e tem grande flexibilidade de construção. Ele pode ser mais barato porque é também mais rápido, e porque já possui as “paredes” já erguidas – as laterais do contêiner.

Como qualquer outra obra, contudo, o gasto vai depender do projeto estipulado de construção. Assim, compare todas as suas alternativas antes de iniciar a sua obra.

Agora que você sabe como construir uma casa, será mais fácil realizar seu sonho de moradia!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.