O processo de cura do concreto trata-se de uma etapa em uma construção que definitivamente não deve ser ignorada, mesmo que em muitas situações seja exatamente isto que ocorre.

Aqui neste artigo nós iremos focar exclusivamente na cura do concreto, iremos lhe passar qual sua real importância, todos os tipos de cura que existem, como fazer a cura corretamente e muito mais.

Então, se você quer aprender mais sobre esta parte tão importante de uma obra, é só continuar aqui com a gente.

A cura do concreto e sua real importância

A cura do concreto é a responsável por manter a hidratação do concreto, fazendo assim que a evaporação de água prematura no concreto não ocorra, e consequentemente não surjam trincas e fissuras.

Quando falamos em hidratação estamos nos referindo a reação entre a água e o cimento, a qual se origina as características de pega e de endurecimento. A água, parte essencial do concreto, pode acabar evaporando por diversas intempéries.

Para se ter uma ideia, quando a água acaba evaporando muito rapidamente ao longo do processo de endurecimento do concreto, isto pode acabar gerando fissuras na obra. Fissuras também podem acabar se formando por conta da permeabilidade e porosidade da mistura.

Mas, caso a cura do concreto seja feita certinha, de modo que todos os passos sejam respeitados, então aí é só sucesso! Para se ter uma ideia, 30% da resistência de seu concreto está condicionado a uma boa cura, além é claro do surgimento de trincas e fissuras na edificação estarem diretamente relacionadas aqui.

Ah, e não pense que este tipo de cuidado deve ser tomado apenas no verão e em épocas de calor intenso, é necessário estar atento também no inverno. Sim, no inverno, pois além de temperaturas baixas, há também ventos muito fortes e uma umidade baixa no ar, tudo isto pode influenciar diretamente no tempo de cura do concreto

Então, só pra recapitular, a cura do concreto além de evitar trincas e fissuras também lhe dá um ganho em resistência mecânica na sua estrutura. Só para irmos um pouquinho além dos ganhos aqui, a cura do concreto também lhe fornece uma proteção contra o ataque de agentes externos, aumentando a durabilidade de sua estrutura, consequentemente aumentando sua vida útil.

Ou seja, além de te proteger contra anomalias, a cura irá ainda melhorar o seu acabamento, consequentemente deixando suas peças de concreto com uma melhor aparência, o que, caso se trate de uma estrutura de concreto aparente faz toda a diferença.

Tipos de cura do concreto

Ao todo, há três tipos diferentes de cura: térmica, úmida e química. Abaixo vamos nos aprofundar em cada uma delas para que você consiga entender melhor suas diferenças e julgar qual delas é a melhor para sua obra em específico.

A cura térmica

Precisa de rapidez em seu projeto? Então a cura térmica é a aconselhável aqui.

Com ela você consegue atingir a cura do concreto no menor tempo possível, mas também com a menor resistência mecânica (basicamente “na risca” da necessária). Esta cura consiste em submeter as peças de concreto a temperaturas elevadas de maneira programada, sendo que é bastante utilizada em empresas que trabalha com pré-moldados.

A redução no tempo de cura permite que sejam utilizadas fôrmas, leitos de protensão e também equipamentos de cura em menores intervalos, reduzindo assim as áreas de estocagem. Permitindo também que peças sejam postas em serviço em um menor tempo do que se a cura convencional fosse utilizada.

A cura química

A cura química consiste na aplicação de uma película sobre a superfície do concreto ainda fresco (até 12 horas do lançamento) com o intuito de impedir que a água se evapore. Esta película consiste em parafinas, resinas acrílicas ou ceras.

A cura química apresenta vantagens tanto de logística quanto financeiras. Com ela é possível poupar a mão de obra que manteria o concreto úmido nos primeiros sete dias, além é claro de ser sustentável ambientalmente. Porém, mesmo com estas vantagens, ela ainda é pouco utilizada no Brasil.

A cura úmida

Por fim temos a cura úmida, que trata-se da cura do concreto que já é tradicionalmente utilizada. Este tipo de cura é basta utilizada em lajes de residência, e a técnica por trás é bastante simples, sendo basicamente apenas mantar a superfície de concreto com água, de modo a conservar a umidade que se espera.

Quanto tempo devo deixar o concreto curando?

O tempo de cura do concreto depende de diversos fatores, sendo que não há uma data única válida para todas as situações. Deve se analisar cada caso separadamente, levando em conta inclusive variações climáticas e ambientais, as quais influenciam de maneira direta no processo de cura. Ainda mais se considerarmos que o Brasil há diferentes variações climáticas dependendo da região que você se encontra.

A NBR 6118 – Estruturas de concreto armado – Procedimento recomenda uma cura do concreto de ao menos sete dias, podendo se prolongar para 14 dias dependendo da situação. É importante destacarmos que este prazo de 14 dias é mais relacionado ao uso de cimentos comuns que apresentam um endurecimento mais lento.

Já a NBR 14931 – Execução de estruturas de concreto – Procedimento determina que, se tratando de elementos estruturas de superfície tais como a laje, a cura deve ocorrer de modo que o concreto usinado consiga alcançar uma resistência à compressão que seja igual ou então superior a 15 MPa.

Na imagem abaixo você poderá ter uma noção do tempo mínimo de cura que é recomendado dependendo do tipo de cimento e da relação água/cimento que você estiver utilizando. Acompanhe:

Tempo mínimo de cura do concreto

É necessário que a superfície esteja sempre imersa em água, e que o concreto seja molhado ao menos três vezes ao dia, geralmente nos horários de 8:00 h, 12:00 h e 15:00 h, ou em quaisquer horários que estejam previstos pelo Engenheiro responsável. Este tipo de procedimento é bastante comum e lajes de casas.

É importante também olhar o concreto sempre que alguma secura se apresentar, levando em conta que em algumas períodos há uma baixa umidade do ar e bastante sol. Ou seja, é necessário também estar sempre atento para aspectos visuais de sua estrutura.

Uma boa dica aqui é evitar que, em época de verão intenso, a laje seja feita por volta de meio-dia. É importante buscar sempre por períodos menos quentes, e claro, o mesmo vale para o inverso. Invernos muito rigorosos em que a temperatura chegue até mesmo a atingir valores negativos deve sempre ser evitado, uma vez que a água do concreto pode acabar congelando, impedindo seu endurecimento e até mesmo aumentando seu volume. Neste cenário nem um pouco hipotético, tensões internas na massa do concreto acabam por se formar, o que ocasiona a separação dos materiais.

Tudo isto deve estar previamente previsto pelo Engenheiro responsável pela obra, de modo que a equipe não seja pega de surpresa.

Fazendo a cura do concreto

Fazendo a cura do concreto

Uma vez que você já entende do que se trata a cura do concreto, então é hora de botar a mão na massa (literalmente) e começarmos a executar a cura.

A cura do concreto é iniciada logo após a concretagem, sendo que é necessário molhar frequentemente a superfície de concreto de modo a evitar que ela fique seca. Já se tratando de superfícies horizontais, nas quais serão encaixadas as lajes, vigas, chão, etc, cura deverá ter início de duas a quatro horas após o concreto ser aplicado.

Nas superfícies verticais, onde são encaixados os pilares, muros, colunas, etc, é necessário saturar as fôrmas com água logo antes do concreto ser lançado. As fôrmas deverão se manter umedecidas por um tempo mínimo de sete dias.

Uma boa solução que irá garantir a eficácia da curo do concreto é cobrar os pisos e as lajes, logo após estes serem molhados, com manta, lona ou então um lençol impermeável de plástico. Com isso você garante que a superfície possa se manter úmida por mais tempo, assim evitando que a água evapore rapidamente. Uma vez que seja necessário refazer o processo de umedecimento, é só inserir uma mangueira debaixo da cobertura e pronto.

Coberturas úmidas são bastante utilizadas para trabalhos pequenos, cotas de superfícies mais altas ou então com desníveis acentuados e leves, escadas e também outros locais que o lançamento de água seja trabalhoso ou até mesmo traga riscos para o operário.

Você também poderá optar por utilizar serragem ou areia nas superfícies de concreto. Ambas ajudarão com a manutenção da umidade da estrutura, além de garantirem uma maior eficácia para a cura do concreto. E, se focarmos na cura química por um instante, a aplicação de compostos pode ser realizar através de regadores ou então com equipamentos de pulverização, o que é mais recomendado. Neste caso, em uma ou mais camadas, dependendo da especificação do produto.

É importante lembrarmos sempre que a superfície sobre a qual será aplicada a cura do concreto deve ser devidamente limpa, sem contar com óleos, pó, graxas ou resíduos de desmoldantes. E claro, nada de materiais que possam obstruir a aplicação do produto sobre a superfície.

Após a cura do concreto é normal que haja pó sobre a superfície, mas isso não chega a ser um problema. O pó poderá ser facilmente retirado através de uma lavagem com água e sabão neutro, ou então com um jato de areia, em especial para superfícies que irão receber algum acabamento.

Mas, independente do tipo de cura que você decidir por utilizar, a presença do Engenheiro e profissionais capacitados é imprescindível. As recomendações do Engenheiro responsável sempre devem ser seguidas, sendo que é ele quem deverá avaliar tudo sobre a cura do concreto, com relação ao tipo, tempo e qual a resistência o concreto deverá alcançar.

Conclusão

Ufa! Um artigo bem extenso, porém com tudo o que você precisa saber sobre a cura do concreto. A este ponto você já sabe qual a importância da cura, os tipos de cura e como realizá-la corretamente, então não devem ter sobrado mais dúvidas, não é mesmo? Ah, ainda tem uma dúvida sobre? Pois então é simples, basta perguntar nos comentários abaixo e nós estaremos prontos para lhe responder!

E claro, caso tenha realmente conseguido retirar suas dúvidas e tenha achado este artigo instrutivo, então não deixe de compartilhá-lo com seus amigos e conhecidos, afinal de contas, nunca se sabe quem você poderá acabar ajudando no processo!

Escreva um Comentário