Não, encunhamento não é a religião criada por Eduardo Cunha (que Deus tenha piedade dessa nação), não é isso.

Na verdade, encunhamento é um termo bastante comum na construção civil, principalmente se você estiver frente a frente com a construção de uma parede de tijolos e, sendo este o método construtivo mais comum no Brasil, as chances de você precisar utilizar um encunhamento em sua obra são grandes.

Nesse artigo iremos te explicar de uma vez o que é o encunhamento, qual a sua finalidade e como você pode fazê-lo. Preparado? Pois então vamos lá!

O que é o encunhamento?

Vamos supor que você está realizando uma construção. Nessa construção a ordem normal é a fundação, pilares e vigas, para só então virem as paredes, correto?

Eis então que você está levantando uma parede para que ela chegue até a viga, então você vai assentando tijolo sobre tijolo, ou bloco sobre bloco, dependendo da sua estrutura em questão. Quando você está quase chegando até a viga, você se dá conta de que no espaço restante não será possível colocar mais uma fiada de tijolos/blocos, o que fazer?

Derrubar tudo? Desfazer a viga e aumentar o pilar milimetricamente para que a próxima fiada de tijolos ou blocos caiba ali? Amaldiçoar a sua vida e dizer o quanto o mundo é injusto? Não, nada disso. É exatamente nessas horas que o encunhamento vem a calhar.

O conceito de encunhamento é bastante simples de se entender, pois é basicamente a maneira que você irá preencher aquela última fiada que é pequena demais para que você possa simplesmente colocar um tijolo ali e seguir a vida. E aqui o método utilizado varia bastante, você pode cortar uma porção dos tijolos para que eles caibam ali, se utilizar de uma espuma expansiva, argamassa, ou alguma outra técnica que te ajude a fechar aquele espaço em aberto.

Mas o encunhamento é importante mesmo?

Essa é uma pergunta que, honestamente, nem precisamos mais respondê-la, não concorda?

Imagine entregar uma obra cujas paredes não “toquem” no teto, impensável, ou no mínimo abstrata demais pelos padrões da arquitetura para que as pessoas consigam entendê-la e aceitá-la. Ou seja, sim, o encunhamento trata-se de uma etapa realmente importante em uma obra.

“Ah, mas eu não faço o encunhamento, minhas paredes sempre fecham direitinho”

Então das duas uma, ou sua obra está milimetricamente projetada para que sua fiada de tijolos morra na viga, e aí temos de bater palmas para o engenheiro estrutural que conseguiu calcular a obra com tal precisão e para os pedreiros que executarem tudo conforme projeto, sem errar por 1 centímetro sequer.

Ou então você pode dizer que você utiliza uma tática diferente do encunhamento para fechar sua parede. Aí sinto lhe informar mas, independente da “tática” que você use para fechar sua parede, isso por si só já configura como um encunhamento. Ou seja, dificilmente você irá fugir do encunhamento.

Construindo uma parede e realizando o encunhamento

Realizando o encunhamento

Acho que já ficou bem claro que o encunhamento está diretamente relacionado a construção de uma parede, correto? Assim sendo, fica um pouco esquisito te ensinarmos a como fazer um encunhamento sem para isto lhe ensinarmos o passo a passo de construir uma parede.

Ou seja, aqui você irá aprender o passo a passo para a construção de uma parede, até chegarmos ao encunhamento. Preparado?

Passo 1: Projeto em mãos, comece marcando tudo

O primeiro passo para a construção de uma parede é ter o projeto arquitetônico em mãos. É a partir deste projeto que você terá uma boa noção da disposição dos cômodos e consequentemente das paredes na residência.

Com isto em mente, comece uma marcação dos locais onde serão feitas as paredes, e para isso você pode literalmente desenhar as paredes no chão, uma dica aqui é fazer esta marcação no chão pelo eixo das paredes ou então pela face do tijolo/bloco que você vá utilizar, lembrando sempre de descontar a espessura utilizada para os revestimentos.

Após “desenhar” todas as paredes você perceberá como é fácil ter uma visão geral de como a sua obra irá ficar, muito mais fácil para que você consiga se organizar.

Passo 2: Assentando os tijolos (ou os blocos)

Aqui é o momento que você irá “subir sua parede”, e o ideal é que todos os tijolos e blocos que serão utilizados estejam próximos a você, isso evita que você tenha de ficar se locomovendo para buscá-los.

Comece este passo assentando as mestras no vértice da parede, puxando em seguida a linha para que você possa assentar a primeira fiada. Confira sempre o prumo, esquadro, alinhamento e amarração nos encontros da parede.

Uma dica valiosa aqui é levar em conta a argamassa que será utilizada entre os tijolos, pois, quando você estiver calculando a altura final de sua parede, aquela argamassa que estará entre cada tijolo irá ajudar a compor a altura final, ou seja, é bom colocar esses 1 cm (ou menos) em cálculo.

Passo 3: Enfim o encunhamento

Enfim chegamos a parte central por trás de todo este artigo, o encunhamento, que é quando sobra aquela “fenda” na parede, logo antes dela encostar na viga. Então, para que você faça essa união da parede com a estrutura, você pode fazer de três maneiras, na verdade há mais de duas, mas vamos trabalhar com essas três possibilidades por serem as mais comuns:

  • Você poderá quebrar tijolos/blocos no tamanho exato do espaço que está faltando, só para que você consiga o completar;
  • Você pode fazer uso de uma espuma expansiva de Poliuretano, só lembrando que para se utilizar desta espuma o espaço não pode ser superior a 5 cm;
  • Ou então, dependendo do tamanho da brecha a ser preenchida, você pode simplesmente preenchê-la com uma argamassa, sem maiores dificuldades.

Bem simples, não acha? Se quiser se aprofundar um pouquinho mais nesse passo a passo de como fazer uma parede, é só conferir o artigo que nós fizemos sobre Alvenaria de Vedação.

Cuidados a serem tomados durante o encunhamento

É necessário que alguns cuidados sejam tomados durante o encunhamento, de modo a evitar o surgimento de patologias e fissuras.

O primeiro cuidado é se certificar que a estrutura tenha sido finalizada com 60 dias de antecedência, pois com este tempo quaisquer deformabilidades estruturais que possam vir a ocorrer já terão ocorrido. Isso irá evitar que a estrutura comprima o encunhamento e acabe gerando fissuras.

Antes que você comece o encunhamento, certifique-se de que o local está limpo e as paredes estão umedecidas. E, enquanto estiver realizando a execução, lembre-se de monitorar os recalques das fundações.

Sua obra possui mais de um pavimento? Pois então o correto é que você comece o processo de encunhamento do nível mais elevado até o térreo, isso fará com que os pavimentos inferiores suportem melhor quaisquer deformações que estejam sujeitos.

A aplicação irá depender do método que você escolher, sendo possível se utilizar de equipamentos específicos ou então através das bisnagas.

Conclusão

Está fera no encunhamento não é mesmo? Eduardo Cunha estaria orgulhoso Ou seja, agora você já sabe o que fazer sempre que sua parede não chegar ao teto, sem problemas, sem estresse, tudo muito simples!

Caso tenha aprendido algo com a leitura deste artigo (e nós esperamos sinceramente que tenha aprendido algo) compartilhe-o com seus amigos, é sempre bom espalharmos conhecimento com todos ao nosso redor.

Escreva um Comentário