Laudo Técnico é um termo um tanto quanto rebuscado, mas afinal de contas, você sabe para que ele realmente funciona? Qual sua importância? E como fazer um? Pois calma, nós estamos aqui justamente para te explicar tudo isso, e mais, sobre o laudo técnico (bem como também sobre o laudo pericial e sobre o laudo técnico de vistoria de obra), para que você saia daqui dominando o assunto.

Preparado? Pois então vamos ao que interessa!

O que é o Laudo Técnico

O Laudo Técnico nada mais é do que um relatório feito (sob aspectos técnicos) para apresentar qual é, na verdade, a real situação de uma obra ou então de uma edificação. Mas claro, não é um relatório simples do tipo que se faz em um trabalho escolar, aqui o profissional habilitado deverá seguir normas, tirar fotos e realizar visitas até o local que está sendo analisado. E, durante tais visitas, é necessário que o profissional busque entender qual é a realidade do cliente, bem como o contexto em que sua construção está inserida. É também dever dele buscar pelo histórico da construção.

Porém, ao se tratar de um condomínio, é primordial que o Laudo Técnico seja feito por um perito (assim como em uma residência). O perito irá levantar os defeitos construtivos que o edifício possui, para que o condomínio possa então, juntamente à construtora, conseguirem uma solução para os problemas, sendo que o Laudo Técnico de defeitos serve para que se possa negociar com a construtora em questão. E, caso não haja um acordo entre o condomínio e a construtora, então o laudo pericial funcionará para instruir uma ação judicial.

Confira também: A síndrome do edifício doente!

Levando em conta a necessidade do cliente, um parecer técnico pode ser incluso juntamente com o laudo. Neste parecer irão constar tudo o que poderá ter ocasionado as falhas construtivas, além de possuir recomendações técnicas para serem realizadas intervenções no local. Esse parecer irá se basear inteiramente na experiência do perito, sendo tido mais como um conselho ou então um esclarecimento técnico sobre um assunto que seja de especialidade do perito, tudo sempre de acordo com a NBR 13754 – Perícias de Engenharia na Construção Civil. Vamos dar uma breve olhada agora em dois outros tipos de laudos; o laudo pericial e o laudo técnico de vistoria de imóvel!

O laudo pericial

Um laudo pericial nada mais é do que o documento final do parecer do especialista que foi designado para avaliar uma situação dentro dos seus conhecimentos. Ou seja, é como se através deste laudo o especialista desse seu parecer para aquilo que lhe foi designado.

Um exemplo disso é durante uma determinada sentença, quando é necessário avaliar alguma questão pela ótica de um especialista. Nesta situação o juiz irá indicar um especialista para esta tarefa, o qual irá realizar um laudo pericial com o seu parecer técnico sobre o assunto.

O laudo técnico de vistoria de imóvel

Você já entende a função de um laudo técnico e de um laudo de pericial, então provavelmente agora você já faz uma noção do que um laudo técnico de vistoria de imóvel é, não é mesmo?

De maneira resumida, nós podemos dizer que o laudo de vistoria de imóvel tem como função indicar todas as condições de um imóvel no momento de sua locação. Neste laudo avalia-se todos os detalhes do imóvel, e todo tipo de defeito que for encontrado deve ser listado no laudo, pois é através deste documento que será possível comparar a situação do imóvel futuramente.

Exatamente por isso o laudo de vistoria de imóvel se faz tão importante, pois é através dele que locatários e inquilinos podem garantir suas seguranças. Sendo possível até mesmo que o inquilino requisite que todos os problemas e defeitos que forem encontrados no imóvel sejam listados no momento da locação. Isso é algo que pode evitar dores de cabeça futuras, uma vez que tudo estará devidamente documentado.

A real importância de um Laudo Técnico

Após ler acima brevemente sobre laudo pericial, e sobre o laudo técnico de vistoria de imóvel, uma ideia da real importância do laudo técnico já deve estar começando a ser formada em sua cabeça. Pois vamos te ajudar a clarear esta ideia ainda mais.

Caso hajam ocorrências relacionadas a construção em sua residência e você queira relatá-las (infiltrações, rachaduras, trincas, etc), é exatamente aí que o Laudo Técnico entra.

O Laudo Técnico é mais do que apenas uma prova técnica para que você possa se precaver de danos futuros, ele também irá apontar se é possível ou não  realizar alterações em uma obra, assim ele irá acrescentar uma segurança extra para sua residência. Mas isso não é, nem de longe, tudo o que um Laudo Técnico tem a oferecer.

Um perito, que seja realmente competente, poderá além de identificar os problemas existentes, também prever problemas futuros, e não, não há nenhuma mágica aqui, somente o poder de um Laudo Técnico bem executado. Este tipo de análise é eficaz para impedir que certas patologias retornem, ou até mesmo que surjam pela primeira vez, isso evita que a edificação se desgaste e garante que haja uma menor necessidade de manutenções.

Como já foi citado acima, ele também serve para fazer uma análise se é ou não possível realizar uma reforma no local. Se você estiver pensando em, por exemplo, construir um andar extra, de maneira alguma você deve simplesmente contratar um pedreiro e começar a construir, pois pode ser que sua construção não suporte um novo andar e tudo terminar em tragédia.

Mas então o que você pode fazer para ter certeza se é ou não possível construir este andar extra que você tanto deseja? Contratar um perito para que ele realize um Laudo Técnico! E apesar de termos citado o exemplo de um andar extra nós nem precisamos ir tão longe assim, uma simples parede que você queira remover, ou então a construção de um banheiro a mais, tudo isso deve antes ser analisado por um perito para definir sua viabilidade.

E, de maneira mais direta, o Laudo Técnico pode ser usado também para apontar culpados. Ou seja, uma patologia causada por vizinhos, pela construtora,  ou então pelos antigos moradores, ou então uma fissura causada por uma obra nas proximidades, não importa de quem tenha sido a culpa, o Laudo Técnico servirá para que você possa responsabilizá-los. Ou seja, caso queira acioná-los judicialmente por danos em sua residência, você precisará de um Laudo Técnico ao seu lado.

Como fazer um Laudo Técnico

Antes de mais nada vamos bater na tecla de que um Laudo Técnico deve ser feito apenas por um perito especialista no assunto. Entretanto, de nada impede que você tenha noção do passo a passo por trás de sua elaboração, seja você um aspirante a perito ou apenas um morador curioso. Assim sendo, vamos ao passo a passo que deverá ser seguido em todos os Laudos Técnicos:

1 – Identificação do problema

É necessário, antes de mais nada, que você tenha claro em mente qual é o problema, ou seja, que você entenda o que o cliente necessita e porque você está fazendo este laudo. Você está ali para desenvolver um laudo sobre um problema, e precisa entender qual é este problema.

Então a primeira dica aqui é que você peça para que o próprio cliente escreva sobre o problema, e informando o que ele necessita deste laudo. Assim, após entender bem do que se trata  e fazer você mesmo sua descrição do problema, leia-o para o cliente até que tudo esteja claro entre ambos.

2 – Estruturando o laudo

Dependendo do motivo que você tenha sido chamado para realizar o laudo, pode ser que o cliente já possua um modelo de formulário que deverá ser seguido e, se for o caso, o siga. Do contrário caberá a você definir a estrutura do laudo, e lembre-se sempre de que é assim que seu trabalho será avaliado, sempre de acordo com a organização que você prestar.

E, apesar de o Laudo Técnico sofrer algumas poucas alterações, ele basicamente possui este padrão:

  1. Uma capa;
  2. Uma falsa folha de rosto onde deverá estar incluso apenas o título dado ao laudo;
  3. Uma folha de rosto que deverá conter o nome do perito (seu nome), tal como o título do laudo sua data e seu local;
  4. Um breve resumo, com cerca de 300 palavras, que deverá conter suas conclusões e, caso haja, suas recomendações;
  5. Um sumário;
  6. Uma introdução que deverá definir qual o objeto do laudo e seus objetivos gerais;
  7. A lista de gráficos, tabelas, abreviações e siglas;
  8. O desenvolvimento sobre o objeto do laudo;
  9. Sua conclusão sobre o laudo feito;
  10. As referências que você tenha utilizado para realizar o laudo, tais quais as Normas Técnicas que o regulam.

Exemplo de um laudo técnico

3 – A formatação também é importante

Como dito acima, a estrutura, a maneira que você apresente seu trabalho é importante, e a formatação faz parte direta nisso. Um laudo feito cada hora com uma fonte e tamanho de letra diferentes certamente não será bem visto.

E, caso não lhe tenha sido atribuído previamente uma formatação a ser seguida, você poderá se basear no padrão de formatação para laudo técnico:

  • Times New Roman
  • Tamanho 12
  • Espaçamento de 1,5 cm;
  • Margem superior de 2,5 cm;
  • Margem inferior de 2,5 cm;
  • Margem direita de 2,5 cm;
  • Margem esquerda de 3,5 cm.

4 – A linguagem utilizada também é importante

O tipo de linguagem a ser utilizada em um documento depende de qual é o seu público alvo, a linguagem que você deve utilizar para um público especializado dificilmente será compreendido por quem não está por dentro do assunto. Ou seja, a dica aqui é que você identifique qual o seu público alvo antes de começar a escrever.

E, caso possua dúvidas de quem será seu público alvo, evite utilizar muitos termos técnicos, e quando utilizá-los, explique-os, evite também utilizar abreviaturas. E claro, não é nem necessário que digamos que o Laudo Técnico deve estar de acordo com as regras ortográficas e gramaticais, e definitivamente não deve conter erros de português.

Tenha sempre em mente que não há necessidade do laudo possuir várias palavras difíceis, na verdade, quanto mais claro e objetivo ele for melhor, tanto para quem lê quanto para você que o escreve.

5 – Atenção ao levantamento de dados

Caso o cliente já possua dados de outras fontes que possam lhe ajudar, use-os. Mas, caso veja a necessidade de realizar testes para seu levantamento de dados, faça-os sempre de acordo com suas respectivas Normas Técnicas, pondere até mesmo a contratação de profissionais qualificados para lhe auxiliarem no assunto.

6 – Apresentando provas

É necessário que você se apegue a tudo que pode apresentar como provas para o Laudo Técnico. Provais tais como fotos, tabelas, gráficos, estatísticas, referências de profissionais e tudo o mais que você possa utilizar para embasar seu laudo.

7 – Não precisa ser longo

Não há a menor necessidade de escrever em 10 mil palavras quando você pode dizer claramente em 2 mil. Lembre-se, quanto mais claro e sucinto for seu laudo melhor, não queira prolongá-lo apenas para ocupar mais páginas, do contrário você poderá acabar deixando sua leitura massante.

E por fim

Se você chegou até aqui em sua leitura, então você está por dentro do que é um Laudo Técnico, desde sua funcionalidade até mesmo como formular um.

Ou seja, quando houver a necessidade de um Laudo Técnico, opte sempre por profissionais capacitados, um serviço de tamanha importância jamais pode ser deixado nas mãos de quem não sabe o que está fazendo!

Restaram dúvidas com relação ao laudo técnico? Pois basta nos pergunta nos comentários abaixo e nós estaremos prontos para lhe responder!

Escreva um Comentário