Não, patologia não tem absolutamente nada a ver com patos! Na verdade, o termo “patologia” significa “estudo das doenças”, ou seja, quando falamos em patologias do concreto nós queremos dizer o estudo das doenças do concreto.

“Mas como assim? Quer dizer que o concreto pode ficar doente?”

Mas é claro que sim! Agora, imagine só o concreto de um edifício inteiro ficando “doente”, isso é algo que certamente poderia colocar a vida de todos os moradores em risco, não é mesmo?

Pois é pensando exatamente nisto que neste artigo nós iremos te mostrar as principais patologias que podem acontecer no concreto, medidas que você deve tomar para evitar que elas ocorram e o que você pode fazer uma vez que elas já tenham ocorrido!

Preparado para aprender? Pois então vamos começar!

Porque é importante saber sobre as patologias do concreto

Atualmente, a demanda por construção vem crescendo cada vez mais, basta comparar a quantidade de prédios que são construídos em todos os locais. Isso por um lado é bom, mas por outro levanta a dúvida de se estes edifícios estão sendo construídos da maneira correta ou não.

A melhor analogia que podemos fazer aqui é relacionar o edifício ao corpo humano, onde há edifícios saudáveis e também os doentes, inclusive existe até um termo para isto: síndrome do edifício doente!

E se você está perguntando onde as patologias do concreto entram nisso tudo, elas são os sintomas de uma doença, a qual se não for tratada pode inclusive levar a “morte do edifício”, o que não é difícil chegar a conclusão que poria em risco a vida de todos os moradores ali presentes.

As patologias do concreto são em sua maioria causadas por falhas na construção, casos de negligência, falta de manutenção, uso inadequado e até mesmo desconhecimento das práticas corretas de construção, o que apenas ressalta a necessidade de sempre haver um Engenheiro responsável por detrás do projeto.

Abaixo vamos entender melhor quais são as principais patologias do concreto e o que você pode fazer em cada caso.

As patologias do concreto

Ao primeiro sinal de desaprumos, trincas, fissuras, pisos afundando, deve-se procurar um profissional capacitado para que ele possa realizar a correta análise aqui. Nada de chamar um vizinho ou um conhecido que “entendo do assunto”, a patologia deve ser corretamente diagnosticada aqui antes que você possa decidir o que fazer para tratá-la.

Confira abaixo as principais patologias do concreto que você deve sempre estar atento.

1 – Trincas e fissuras

Fissura. trinca e rachadura

Trincas e fissuras são as patologias mais comuns do concreto, as quais podem ocorrer tanto na parte externa da estrutura como também internamente, bem no teto da casa dos moradores. É importante ficar bastante atento para estas patologias, pois outros problemas podem ocorrer em consequência a ela, como por exemplo as infiltrações.

Algumas das principais causas para este tipo de patologia são:

  • O solo não foi preparado de maneira adequada para esta construção, e aqui reforça o fato de a fundação ser a parte mais importante da obra;
  • A mistura do concreto não foi realizada adequadamente, utilizar um concreto menos resistente do que o indicado em projeto pode ser fatal para uma obra;
  • A construção está sendo má utilizada;
  • A mais peso do que o previsto em projeto na estrutura;
  • A estrutura foi má dimensionada, reforça o fato de ser necessário a contratação de um Engenheiro Calculista devidamente capacitado;
  • Intempéries naturais, como terremotos, no Brasil esta é a hipótese menos comum entre todas.

São vários os causadores, porém, independente de qual seja o motivo, é necessário agir de imediato, já que isso pode levar a danos irreversíveis.

Ah, e nada de cair na armadilha de que “Essa fissura já tá aqui há anos, não é nada não!”, não é bem assim que as coisas funcionam!

Para o tratamento um pouco de massa corrida e uma tela específica para isto poderá lhe ajudar aqui. Porém, isso de maneira alguma exime a necessidade de um profissional capacitado, o qual deve avaliar se não se trata de um problema mais sério, que necessita de uma resolução mais específica, apenas “fechar o buraco” fará com que você só maqueie o real problema. No vídeo abaixo você pode ter uma noção melhor de como funciona esta tratativa:

2 – As infiltrações e a umidade

infiltrações e umidade

As infiltrações costumam ser uma das piores, e mais comuns, patologias do concreto. Suas causas vão desde uma instalação hidráulica mal feita, um sistema de escoamento de água que é ineficiente e até mesmo a má preparação do concreto utilizado.

Uma curiosidade aqui, não relacionada ao tema, é que o termo “goteira no teto” trata-se de um pleonasmo, já que na parede escorre e no chão é poça!

Claro, o clima também pode acabar influenciando aqui, principalmente em locais que contam com a presença do mar. Isso pois, a umidade do local favorece um maior surgimento de problemas relacionados a patologia, mais do que em regiões secas. Isso só reforça a necessidade de um Engenheiro, pois a própria ABNT já estipula normas que levam em conta o ambiente ao seu redor.

E não se engane, problemas de infiltrações vão bem além do que apenas o quesito estético da obra. As infiltrações são bem invasivas, podendo até mesmo comprometer vigas de sustentação e armaduras metálicas, as quais são de extrema importância para a estabilidade da construção.

Esta é uma das patologias do concreto mais fácil de ser identificada, pois seu dano é aparente. Paredes úmidas e com uma aparência meio granulada, a qual fará com que bolhas, rachaduras e mofos acabem surgindo, se você identificar algo assim então pode ter certeza de que há algo de errado ali. E em casos mais extremos, como manchas alaranjadas ou então em que você possa ver a armadura metálica do local, então neste caso você tem um problema bem mais sério em mãos, e deve procurar o quanto antes a ajuda de um Engenheiro.

A manutenção preventiva sempre será a melhor tratativa aqui, porém você também pode buscar auxílio na impermeabilização da parede.

3 – Os poros

poros no concreto

Poros, os inimigos invisíveis, uma das patologias do concreto que podem acabar provocando grandes danos à construção.

Antes de entendermos o porquê dos poros serem tão prejudiciais assim, temos de entender o porquê de utilizarmos armaduras metálicas no concreto:

  1. A alcalinidade do concreto funciona como uma capa, a qual protege as armaduras metálicas da acidez da chuva e também da umidade;
  2. O concreto funciona como uma espécie de barreira, a qual isola a armadura metálica do ambiente agressivo.

E o que os poros têm a ver aqui? Os poros acabam por comprometer esta capacidade que o concreto tem de resistir a penetração de ambientes externos, fazendo com que a estrutura sofra com carbonatação, ataque de cloretos e sulfatos. Ou seja, é como se a armadura metálica ficasse exposta aqui, o que é extremamente prejudicial para a integridade de toda a estrutura.

A má preparação do concreto é a principal causa aqui. Ou seja, o ideal a se fazer é evitar que o concreto seja preparado em condições ambientais que sejam adversas, além de um controle rigoroso em sua preparação, para que tudo saia como previsto em projeto.

Para lidar com este problema o procedimento é complexo, e deve ser feito apenas por profissionais. O procedimento consiste na remoção de todo o concreto solto ao redor da armadura que está exposta, escovar o aço com cerda para remover a corrosão ali presente, pintar a armadura com uma tinta fosfatizante, e preencher o entorno com a argamassa polimérica do tipo Groute, a qual possui uma resistência superior ao concreto, e possui uma capacidade de aderência que não apresenta fissuras de retração.

A prevenção ainda é a melhor tratativa!

Acima você pôde ver algumas das principais patologias do concreto, porém não se engane, a prevenção ainda continua sendo a melhor tratativa aqui!

Há patologias que só aparecem quando imóvel é entregue, e desde o dia 21 de maio de 2020 a NBR 16747 – Inspeção predial – Diretrizes, conceitos, terminologia e procedimento está em vigor. Tal lei detalha como as inspeções prediais devem ser realizadas, as quais são feitas apenas por profissionais habilitados, e tem como objetivo identificar as condições em que o prédio se encontra.

“Tem por objetivo constatar o estado de conservação e funcionamento da edificação, seus sistemas e subsistemas, de forma a permitir um acompanhamento sistêmico do comportamento em uso ao longo da vida útil, para que sejam mantidas as condições necessárias à segurança, habitabilidade e durabilidade da edificação”.

Tal lei está ao lado do morador, para que ele não sofra com maiores danos, porém ela somente reforça o que falamos ao início deste artigo. Buscar sempre projetos que tenham sido realizados por profissionais devidamente qualificados é a melhor coisa que você pode fazer, afinal de contas, prevenir é sempre melhor do que remediar!

Escreva um Comentário