Nós já falamos antes sobre como funciona a impermeabilização de lajes em um outro artigo por aqui mesmo, agora iremos focar nos tipos de impermeabilização que existem.

Vamos passar pelos principais tipos de impermeabilização, mostrando suas vantagens e desvantagens, para que assim você possa definir qual deles é o melhor para você.

Vamos lá?

Por que a impermeabilização é importante?

Antes de sair por aí escolhendo um tipo de impermeabilização entre as várias existentes, você saberia dizer o por que da impermeabilização ser tão importante?

Os impermeabilizantes são utilizados em quase todas as estruturas dentro da construção civil, isso inclui até mesmo as fundações e subsolos, e eles são usados justamente por garantirem uma maior durabilidade para a construção, além, é claro, de evitarem infiltrações e danos que poderiam ser causados à estrutura devido a ação de fungos e bactérias, especialmente em locais que sejam muito úmidos.

Caso você, responsável direto pela obra em questão, não der a devida atenção para esta etapa, você irá correr o risco de por toda a estrutura e os demais elementos ao risco de patologias tais como manchas, bolor, oxidação a deterioração das peças no geral. Ou seja, a impermeabilização deve ser considerada como uma etapa essencial em toda a sua obra, recebendo até mesmo um projeto próprio, de modo que a segurança e o conforto do usuário sejam garantidos.

Não por acaso existem diversos tipos de impermeabilização, sendo que cada tipo é executado de acordo com seu projeto específico e de acordo com as determinações da obra e do local que será impermeabilizado.

Classificando os tipos de impermeabilização

Certo, antes que o apresentemos a todos os tipos de impermeabilização disponíveis no mercado, é necessário que você tenha em mente que podemos classificar os sistemas de impermeabilização em dois tipos: rígidos flexíveis.

E claro, nós iremos te explicar o que cada um destes dois significam e suas principais diferenças.

Os sistemas rígidos

Os sistemas rígidos são as argamassas industriais – ou seja, os produtos que possuem aditivos químicos – e que podem ser adicionadas ao concreto e a argamassa comum. Costumam ser comercializados como cimentos poliméricos, resinas epóxis e cristalizantes.

Este tipo de sistema é indicado quando há necessidade da utilização de materiais rígidos em locais que a mobilidade da estrutura seja menor, como por exemplo abaixo da linha do solo, em fundações, em pisos internos que estejam em contato com o solo, contenções, piscinas aterradas, etc.

Os sistemas flexíveis

Já os sistemas flexíveis são misturas moldadas no local, ou então mantas pré-moldadas, feitas de fibra flexível e de poliéster e, quando essas estruturas secam, elas funcionam como uma membrana protetora.

Este tipo de sistema deverá ser instalado em locais cuja movimentação estrutural dos materiais seja maior, onde haja uma grande circulação de pessoas e de cargas, em espaços que estejam sujeitos a rachaduras e também ao sol (devido a dilatação dos materiais)m em lajes, estacionamentos, terraços, pátios, banheiros, piscinas, cozinhas, reservatórios de água, etc.

Os tipos de impermeabilização

Os tipos de impermeabilização

Tudo depende inteiramente da área que você pretende impermeabilizar para que você possa escolher o melhor dentre todos os tipos de impermeabilização. Com isso em mente, vem dar uma conferida abaixo e definir qual dos tipos de impermeabilização é o melhor para você!

Ah, lembrando que para a impermeabilização é sempre bom ter debaixo do braço a NBR 9575 – Impermeabilização – Seleção e projeto.

1 – Argamassa com polímeros

Trata-se de um material que é produzido de cimentos especiais, polímeros impermeabilizantes e aditivos. É classificado como semi-flexível, sendo que é possível utilizá-lo em diferentes elementos estruturais.

É comumente utilizado em subsolos, muro de arrimo, poços de elevador e vigas baldrame. Também costuma ser bastante utilizado como a camada anterior a da pintura, em paredes internas, em pisos frios de banheiros e cozinhas, e também como camada anterior a argamassa de assentamento utilizada em revestimentos cerâmicos. Podemos dizer que este tipo de impermeabilização irá prolongar a vida útil dos elementos estruturais que for aplicada, formando uma barreira física que irá dificultar a passagem de água.

As vantagens deste tipo de impermeabilização ficam por conta de sua fácil aplicação, podendo ser aplicada em diferentes locais, e na facilidade de encontrar mão de obra para realizar esta instalação.

Já as desvantagens ficam por conta de sua durabilidade e baixa resistência a movimentações térmicas grandes.

2 – Aditivos hidrófugos

Componentes que são incorporados na argamassa cujo objetivo é torná-la impermeável são chamados de aditivos hidrófugos. É importante sempre salientarmos que este tipo de impermeabilização deve sempre ser feita durante o período da obra, pois os custos para reformar ou refazer este sistema são elevados, o que inviabilizaria a operação. Porém, quando planejado com antecedência, os custos elevados não são problema, fazendo deste um bom sistema de impermeabilização.

Este tipo de sistema é considerado como rígido, ou seja, bom para locais que estejam enterrados, poços de elevador, muros de arrimo, áreas com movimentação térmica baixa, etc.

As vantagens deste sistema são relacionadas ao seu custo baixo, desde que executado durante o período da obra, além de não ter necessidade de se utilizar uma mão de obra especializada.

Já as desvantagens são que este tipo de sistema está sujeito a falhas durante sua execução e, caso comece a apresentar falhas, sua recuperação e manutenção são difíceis.

3 – Aditivos cristalizantes

Similares aos hidrófugos por se tratarem de compostos químicos adicionados no concreto com o intuito de impermeabilização. Ele fornece a impermeabilização do concreto através da formação de cristais que são insolúveis nos capilares e se expandem quando em contato com a umidade, preenchendo fissuras e poros, além de formar uma barreira que não permita a percolação da água.

Se você planeja construir reservatórios de água e estações de tratamento, este é um bom sistema para se utilizar. Ele também pode ser utilizado em piscinas, lajes de subsolo, túneis e em fundações.

As suas vantagens são que este é um sistema de fácil aplicação, uso versátil e não carece de uma mão de obra especializada.

Já as desvantagens são que, se tratando de um sistema rígido, ele não poderá ser aplicado em áreas que estejam sujeitas a movimentação térmica, também possui uma dificuldade para reparos e manutenção.

4 – Resina epóxi

Com certeza você já ouviu falar desse alguma vez. Trata-se de um sistema de impermeabilização que possui bons índices de resistência além de uma rápida aplicação. Ela forma uma membrana transparente, resistente e fina que adere muito bem a superfície de concreto.

Esse sistema de impermeabilização é bastante utilizado em pisos de fábrica, oficinas mecânicas, cozinhas industriais e locais que possuem uma frequência e exigência maior para com a limpeza.

Sua vantagem é sua rápida aplicação, fácil manutenção, durabilidade boa, limpeza fácil, sistema sem juntas e emendas e rápida liberação.

As desvantagens são que este este sistema apresenta uma agressividade alta contra o meio ambiente, aqui já há a necessidade de utilizar uma mão de obra especializada, e também não é aconselhável que ele seja exposto ao sol.

5 – Poliureia

O sistema de impermeabilização de poliureia é indicado para ambientes que sejam bastante agressivos. Por possuir uma espessura fina, isso é considerado um ponto positivo para quando não é possível que o nível do piso seja elevado.

De vantagens para este sistema podemos destacar o fato dele ser o melhor para ambientes agressivos, o tráfego pode rapidamente ser retomado, seu índice de absorção de água é baixo, apresenta bons índices de durabilidade e de resistência.

Já as desvantagens ficam por conta de seu alto custo, a necessidade de uma mão de obra que seja extremamente especializada devido a sua execução ser difícil, basicamente este sistema é apenas indicado para casos específicos.

6 – Emulsão acrílica

Trata-se de um sistema flexível, resultado da emulsão de água com compostos acrílicos termoplásticos, que é aplicada diretamente na superfície que será impermeabilizada, entre as demãos é também posto um material estruturante, tal como a fibra de poliéster. A emulsão é bastante utilizada em locais de acesso difícil, devido a sua fácil aplicação.

As principais vantagens desse sistema ficam por conta da sua facilidade de execução, consequentemente tornando ela uma boa opção para locais de acesso difícil, é também uma boa opção em reformas.

Já as principais desvantagens ficam por conta de este sistema não resistir a abrasão, nem a presença de lâminas de água.

7 – Manta asfáltica

Um dos sistemas que é mais utilizado por todo o país, além de ser indicado para praticamente todos os elementos estruturais. Ele é um sistema pré-fabricado, onde são vendidos rolos que posteriormente, com o auxílio de um maçarico, são instalados no local.

Não vamos delongar muito aqui, pois já temos todo um artigo sobre a manta asfáltica, para você que quer saber mais sobre este sistema de impermeabilização.

As vantagens deste sistema ficam por conta dele ser facilmente encontrado no mercado, além de seu custo ser bastante competitivo.

Já as desvantagens ocorrem devido a sua dificuldade de reforma e manutenção, além de ser necessária a utilização de mão de obra qualificada, pois a possibilidade de ocorrerem falhas em sua execução é alta.

Conclusão

Agora que você conhece todos os principais tipos de impermeabilização, está mais preparado para decidir qual deles é o melhor para sua obra em específico. E, caso tenha aprendido alguma coisa com este artigo, compartilhe-o, seja o facilitador para que outras pessoas também conheçam os tipos de impermeabilização que nem você, compartilhar conhecimento é sempre uma boa coisa a se fazer!

Escreva um Comentário