Tudo na vida tem que ser trocado ou reformado eventualmente, até nossos corpos sofrem “reformas” biológicas frequentemente, afinal de contas, o tempo sempre retira algo de nós. O mesmo acontece com as obras; o concreto sofre carbonatação, as pinturas secam e descascam, os metais enferrujam, os prédios desabam, etc. E o piso escapa? Não, ninguém escapa do tempo, nem mesmo o piso, muitas vezes sendo necessário apelar no uso do piso sobre piso.

“Mas pra que eu faria isso? Pra ter cerâmica quebrada e poeira em toda casa? E o que é “piso sobre piso”?”

Sim, você tem toda razão! Estas são consequências inevitáveis na reforma do piso? Sim. Contudo, não quer dizer que não existam meios mais viáveis financeiramente ou métodos menos invasivos. Por isso, o assentamento de piso sobre piso entra em cena para resolver todos esses problemas.

Nesse texto lhe mostraremos o passo a passo de como fazer o assentamento do piso sobre piso, além das vantagens do mesmo.

Então? Interessou-se por esse método?

Continue sem precaução!

Passo a passo do piso sobre piso

Primeiramente, se quiser ter um trabalho bem feito e resultados com máxima eficiência é importante possuir os materiais indicados e as ferramentas apropriadas para o assentamento do piso. Ter alguém com experiência por perto durante o trabalho ajudará bastante é o ideal.

Enfim, sem mais delongas, vamos para o passo a passo.

Passo 1 – Observe o nivelamento da superfície

Antes de qualquer ato, é bom observar se a superfície tem o nivelamento adequado para o trabalho. Além disso, observe também se a declividade para os ralos e pontos de saídas está correta.

Passo 2 – Retire as peças velhas com defeitos

Nessa etapa é onde são removidas as peças que apresentem qualquer tipo de defeito ou anormalidade no piso antigo. O que eu quero dizer com isso? Ora, peças que apresentem qualquer tipo de fissura, trincas, desplacamentos e até perda da cor (esse último é opcional), devem ser removidas.

“Pera, como verifica o desplacamento?”

Simples, pegue um martelo de borracha e vá batendo no piso. Se emitir um som de eco, isso quer dizer que a peça sofre desplacamento e precisa ser removida.

Assim que tiver retirado às peças defeituosas, se deve realizar a adequação da superfície com a argamassa de cimento e areia.

Passo 3 – Limpeza

No local onde será aplicada a argamassa, limpe-a todinha, inclusive a cera sobre os pisos.

Além disso, dependendo do tipo de sujeira que possa existir na superfície, isso inclui poeira, óleo, manchas de graxa, gordura, qualquer outro tipo de contaminante e até mesmo a cera não escapa. Tente eliminar essas sujeiras da maneira mais adequada possível para que todo o procedimento saia bem, caso contrário, isso poderá afetar a efetividade da argamassa.

Passo 4 – aplicando a argamassa

Tudo limpo? Beleza, então agora é hora de preparar e aplicar a argamassa colante na superfície.

Como a argamassa colante tem um tempo de uso consideravelmente curto, será necessário espalhar a argamassa em uma região limitada que possa lhe oferecer mais tempo hábil para aplicar a cerâmica em toda a superfície sem que apresente problemas. Aliás, “desenhe” saliências da superfície da argamassa usando os dentes de uma desempenadeira de metal.

Contudo, em casos onde o piso antigo for do tipo de pedra, ardósia resinada ou madeira, para que garanta a aderência da argamassa, será necessário lixar a superfície para tirar todo o verniz do material.

Passo 5 – assentando as peças cerâmicas

Para assentar as peças de cerâmicas é necessário observar as práticas mais comuns de assentamento de piso. Para fazer isso, se deve passar a argamassa no fundo da peça e fazer as saliências de modo que seja feito o assentamento apropriado da peça.

Feito tais procedimentos, pressione a peça com bastante cuidado para garantir o assentamento.

Ah! Não se esqueça de verificar se o nivelamento das novas peças assentadas está impecável.

Passo 6 – colocando os espaçadores

Para que o espaço do rejunte seja garantido é importante o uso de espaçadores plásticos.

Passo 7 – O acabamento final

Essa parte do procedimento para assentamento do piso sobre piso é basicamente limpar o excesso de argamassa das peças utilizando uma esponja molhada.

Já a aplicação do rejunte deve ser feita da maneira convencional sem nenhum uso de aplicação específica, e deve ser realizada após a argamassa colante ter secado completamente.

Cuidados na hora de fazer o piso sobre piso

Cuidados piso sobre piso

Como você pode perceber o primeiro cuidado para se ficar atento é qual argamassa você deverá utilizar. No passo 4 se foi especificado a argamassa colante, já que é a mais indicada para esse tipo de trabalho.

Além disso, a escolha do método de como será aplicada a argamassa no revestimento cerâmico é crucial. Por exemplo, a argamassa não pode ser aplicada no sistema de borrões (colocar a argamassa apenas no centro e nas extremidades da peça), já que isso pode causar desplacamentos posteriores.

A aplicação correta da argamassa envolve duas etapas cruciais:

  • Preencher toda a superfície no local que a peça será instalada e no fundo da peça;
  • Fazer os chamados cordões (saliências) na argamassa usando dentes de desempenadeira, antes de assentar cerâmica.

Aliás, pisos que contenham problemas com umidade não são indicados para o uso do assentamento de piso sobre piso, sendo necessários recorrer a outros meios.

Por último, mas não menos importante, saiba que fazer o assentamento de piso sobre piso aumenta o nível do seu piso em alguns centímetros, já que você está colocando outra camada de pisos em cima da outra. Portanto, tome cuidado com as dimensões de soleiras, portas, móveis e etc.

Vantagens do piso sobre piso

Existem muitas vantagens ao adotar o assentamento de piso sobre piso, sério, é surpreendente. Principalmente quando o trabalho é feito por boas mãos, um bom piso sobre piso é aquele que não proporciona nenhum tipo de prejuízo para a construção e se comporta como um piso assentado como qualquer outro.

Enfim, uma das grandes vantagens na adoção do piso sobre piso é a redução de serviços. Como o procedimento é basicamente assentar um piso novo sobre o antigo, isso evita qualquer tipo de demolição ou técnica invasiva no edifício e sujeira.

Se a demolição é eliminada na questão, então você não necessitará de gastar dinheiro para se livrar do entulho produzido, sendo um atrativo melhor para o bolso do usuário.

Além disso, como não há necessidade de realizar procedimentos de demolição, aliado ao fato de que o assentamento do piso sobre piso ser um método fácil de ser aprendido e feito, é uma tarefa rápida de ser feita em comparação a outros tipos de métodos.

Mais dicas para fazer piso sobre piso

Mesmo que a internet ofereça uma quantidade absurda de conhecimento, passo a passo e guias, uma análise das condições dos revestimentos já existentes vindas de um profissional ou alguém experiente na área é inegavelmente valorosa para um trabalho bem feito.

Agora, a dica é sobre a compra da argamassa. Certifique-se que a argamassa seja para assentamento ou então alguma outra especifica para ser utilizada no piso sobre piso.

Encerrando

Com tudo dito, ao utilizar o assentamento de piso sobre piso você ganha vários benefícios, tantos financeiros como práticos, para a reforma da sua casa. Por isso é um opção viável para arrumar aquele piso velho e trincado que incomoda aos olhos de qualquer um.

E aí? Gostou do texto? Compartilhe com seus amigos e nas suas redes sociais, você pode acabar ajudando alguém no processo.

Escreva um Comentário