Tipos de laje: Treliçadas, Nervuradas e Maciças.

Advertisements

Você já parou para pensar que existem diversos tipos de laje? Com funções e montagens diferentes, as estruturas terão um teto aos imóveis, além de garantirem a segurança de toda a estrutura. Para conhecer sobre o assunto, acompanhe este texto. Nele, vamos explicar desde os tipos, aos cuidados com essa armação. Confira!

A laje de um imóvel é um plano com função estrutural interessante. É ela, por exemplo, quem faz a cobertura de um espaço. Pode também servir como forro, de modo a fazer a sustentação do telhado. Ainda consegue suportar um pavimento superior, tornando seguro transitar pelo segundo andar.

Com tantas funções assim, é fundamental estabelecer uma laje sólida. Por isso é interessante conhecer os tipos de lajes disponíveis na Construção Civil. Não porque você deverá escolhê-la – o melhor é que um profissional da área faça isso. Saber das alternativas, porém, dá margem à sugestão, e você e o profissional poderão definir a estrutura mais adequada ao seu imóvel.

Os tipos mais comuns de laje são:

  • Lajes moldadas in locco
  • Pré fabricadas
  • Pré Moldadas
  • Treliçadas
  • Treliçadas com isopor
  • Nervuradas
  • Maciças

Lajes moldadas in loco

O primeiro tipo de laje disponível à Construção Civil é a chamada in loco, ou a moldada na obra. A opção dispensa a necessidade de mão de obra especializada para a montagem, e tem tempo de execução médio. Isso porque, em sua produção, faz a cura do concreto, o que demora certo período.

A montagem da laje in loco começa com a montagem de uma estrutura de madeira, que determina todo o espaço do imóvel. Nessa extensão são disponíveis vergalhões metálicos, que deverão aumentar a resistência de toda a estruturação. Em seguida, essa estrutura de vergalhões é preenchida por concreto, que deverá secar ao sol. Ao fim, a montagem inicial de madeira é retirada, deixando o concreto já estabelecido na laje.

Como resultado desse tipo de montagem, há uma armação bastante resistente. Ele também é pouco suscetível a trincas, pois o concreto seco gera um bloco único e uniforme. A montagem no entanto, tem custo considerável, pois requer grande quantidade de concreto e madeira.

Dentre as lajes moldadas in loco, existe inicialmente a chamada laje maciça simples. Com espessura entre 7 e 15 centímetros, a armação pode ser utilizada em imóveis de pequeno e médio porte. Logo, é a ideal para residências e espaços comerciais. A armação metálica, completamente preenchida por concreto, apresenta alto grau de resistência, apesar de se necessário seu apoio por vigas, também de concreto.]

Mais lajes montadas na obra

Já a laje cogumelo é apoiada diretamente sobre pilares. É comum vê-la em espaços mais amplos, uma vez que esses pilares dão sustentação a imóveis desse tipo. A estrutura tanto pode ser maciça, quanto a anterior, quanto produzida por meio de lajes nervuradas, que serão explicadas logo mais.

Para a utilização desse tipo de teto, é necessário que a estrutura tenha grande espessura. Por isso, mais uma vez, a alternativa tem alto custo. Inclusive pelo extensivo uso do aço e pela necessidade de mão de obra especializada para execução do trabalho. De qualquer modo, esse tipo de laje facilita a passagem de tubulações e instalação elétrica.

Falando da laje nervurada, podemos listar uma série de vantagens. A estrutura é construída por meio de uma “grade” de aço, preenchida por concreto, tijolo, isopor ou materiais semelhantes. A alternativa geralmente é utilizada em espaços de grande altura, e é bastante econômica. Afinal, a quantidade de material de “preenchimento” é menor.

Tipos de laje: pré-fabricadas

Lajes pré-fabricadas, como o nome já sugere, são aquelas moldadas antes, na fábrica, e só montadas no canteiro de obras. Esse tipo de estrutura costuma tornar a construção mais barata, além de rápida, pois os materiais são menos desperdiçados. Afinal, a indústria já entrega as peças para montagem fácil.

Para que sejam tão seguras e proveitosas quanto as lajes in loco, as pré-fabricadas são produzidas por meio de material de qualidade e de grande resistência. Sua regularidade dimensional também facilita a construção, ainda de permitir seu uso para as mais variadas extensões de imóveis.

Esse tipo de estrutura, no entanto, deve ser instalada com cuidado redobrado. Do contrário, poderá apresentar fissuras, que comprometerão a solidez da obra.

Entre as lajes pré-moldadas, uma das mais comuns é a treliçada. O sistema é constituído por uma laje nervurada, como a explicada anteriormente. Nela, os “espaços” da laje são preenchidos por elementos inertes, como o isopor, e por uma capa de concreto. Os elementos conseguem, ao mesmo tempo, garantir leveza e solidez à estruturação.

A laje treliçada é indicada para os mais variados espaços – dos pequenos aos mais extensos. Sua rapidez de construção é uma incrível vantagem, além da sua capacidade de isolamento térmico. Nesse último caso, o componente não absorve calor, mantendo a temperatura interna do imóvel sempre estável.

As peças treliçadas com lajotas cerâmicas, por sua vez, têm seus espaços preenchidos por cerâmica. Na obra, essa estrutura vai receber o concreto, finalizando a solidez da estrutura. A alternativa é mais adequada a casas pequenas, uma vez que são mais frágeis. Seguras, mas frágeis. Por isso, aliás, é necessário maior cuidado no transporte da laje pré-moldada até o canteiro de obras.

Outras lajes pré-moldadas

Há ainda a laje de painéis treliçados. Nessa opção, a estrutura não possui lajotas de isopor ou cerâmica. Para sua sustentação, apenas as vigotas de concreto da obra são suficientes. O processo de montagem da peça exige pouca madeira e escoramento.

Dentre as lajes pré-fabricadas, é possível citar também as alveolares. A opção é composta por grandes painéis, feitos de cabos de aço de alta resistência. A laje é indicada para projetos de grande porte, incluindo ambientes comerciais de institucionais.

Para aumentar a segurança dessa armação, cada uma delas recebe uma armadura de travamento das placas, além de uma camada “extra” de concreto. O transporte do material, no entanto, é mais trabalhoso, pois os painéis são pesados e grandes, devendo ser erguidos por guindastes.

Cuidados na montagem da laje

A escolha da laje mais adequada ao imóvel em construção deve sempre ser realizada por um profissional especializado. Assim como sua montagem. Além dessa definição, o especialista poderá indicar a melhor forma de escoramento e auxiliar na compra dos materiais de melhor qualidade para a obra. O esquema de montagem e escoramento deverá sempre seguir a recomendação do fabricante do material. Assim, será o mais seguro possível ao fim da montagem.

No caso da necessidade de se fazer recortes na laje, o cuidado deve ser ainda maior. É preciso reforçar o vão, de modo que ele não interfira no restante da estrutura. O recorte deve ser feito durante a montagem, e não após ela. Assim, é necessário projeto cuidadoso e detalhado do imóvel.

Por fim, escolha fabricantes de materiais de construção registrados no Conselho Regional de Engenharia. Esse cuidado vai garantir material de boa procedência e qualidade à sua obra!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.