Você não precisa ser “versado” em Construção Civil para já ter ouvido falar em massa corrida. É o tipo de revestimento utilizado para emassar as paredes, criando uma superfície mais lisa e com ótima vedação. Mas é preciso saber como passar massa corrida de forma adequada para obter os melhores resultados ou prejudicar a sua reforma ou construção.

A massa corrida é um produto industrial produzido por meio da mistura de água, calcita, CMC, parafina, emulsões, bentonita, bactericida e outros compostos. A maior parte destes componentes é de ação selante, a fim de proporcionar a principal função da massa: a de selar uma superfície.

Ao passar massa corrida na parede, o responsável pela obra obtém uma superfície lisa e uniformizada. Mas o produto deve ser sempre utilizado antes da aplicação da pintura nas paredes. Do contrário, a superfície estará porosa, absorvendo muito mais líquido que o necessário.

Quando uma parede não é emassada, ela tende a apresentar manchas, devido à retenção de tinta em algumas áreas. Assim, dificilmente você consegue obter um efeito agradável visualmente, e pode demandar um duplo trabalho para consertar essa má aparência. Nesse caso, tendo que utilizar a massa corrida, de qualquer jeito, só que sobre a tinta e depois pintar a superfície novamente.

Além disso, parede não emassada pode provocar furos, buracos, rachaduras e até diferenças de nivelamento. Portanto, aprenda abaixo como passar massa corrida de forma adequada e evite dores de cabeça com relação à esses problemas na sua obra!

Para que serve a Massa Corrida?

Como citado anteriormente, a massa corrida funciona como preparação da parede para que ela possa receber pintura. Ela é fundamental para nivelar a superfície e retirar a sua porosidade.

Como o material é branco, ele cria uma “tela” mais fácil de ser preenchida pela cor. Cor que, aliás, vai manter-se mais fiel ao proposto pelo fabricante, algo que não aconteceria tão bem se a tinta fosse aplicada numa parede cinza da argamassa.

Tipos de massa corrida: PVA e acrília

São dois os principais tipos de massa corrida disponíveis no mercado: a massa acrílica e a massa de PVA, mais barata que outras.

Seu custo mais baixo é devido ao material não ser indicado para áreas úmidas, nem para aquelas que possuem contato direto com chuvas, ou seja, áreas externas.

Dessa forma, esse tipo de massa corrida é indicado apenas para espaços internos. Ele pode ser aplicado em bases de alvenaria, concreto, fibrocimento ou gesso, e consegue nivelar bastante bem a superfície. Isso quer dizer que o material pode aparecer na parede e teto.

Outra característica da massa de PVA é que ela é mais fácil de lixar. Seu acabamento é fosco, favorecendo a aplicação de qualquer tinta sem nenhuma influência sobre sua cor.

Já a massa corrida acrílica é ideal para espaços externos. Ela oferece resistência à chuva, à umidade e a outros tipos de fatores naturais, uma vez que promove a vedação completa da superfície em que é aplicada.

Antes da aplicação desse tipo de material, no entanto, é preciso tomar um cuidado especial. Quando dizemos que ela promove a vedação completa da parede, significa que ela tampa todos os poros e qualquer tipo de respiração dela.

Assim, caso haja umidade acumulada ali, ela pode desenvolver infiltração e mofo na parede. Logo, certifique-se de que não há acúmulo de água na superfície. Caso haja, conserte o problema e aguarde que a área secar por completo antes de aplicar a massa corrida.

Outros tipos de massa corrida

Além da massa acrílica e PVA, é possível encontrar outros quatro tipos de massa. Como a massa Plástica, que serve para a colagem de peças como pias e vasos. Ela também é indicada para corrigir imperfeições no mármore, granito ou caixas d’água.

No caso da massa Multiuso, a indicação também é para o assentamento, reboque ou revestimento de paredes e tetos. A diferença aqui é que a massa tem aplicação mais rápida, e seu acabamento é mais simples de ser realizado.

Para a madeira, existe massa específica. Ela é indicada para corrigir imperfeições em peças de madeira. Visando facilitar esse trabalho, o mercado oferece massas coloridas, que se assemelham a diferentes tipos de madeira. Assim, o conserto da superfície é quase imperceptível.

Finalmente, existe a massa corrida para calafetar. O produto é indicado para correção de danos mais profundos, como trincas, buracos, fissuras e frestas. Ela adere bem a diferentes materiais, como a argamassa, vidro, metais e plástico. No caso de superfícies com polietileno ou silicone, o produto deve ser evitado.

É interessante ainda dizer que, além do clássico branco, existem massas corridas coloridas. Elas têm como objetivo evitar a necessidade de pintura da parede. Assim, a tonalidade oferecida pelo produto será aquela com a qual a decoração do seu espaço será potencializada.

Aliás, a decoração dos espaços também ganha quando a massa corrida é utilizada para criar texturas. Nesse caso, a aplicação não deve ser feita com nivelamento, mas criando “desenhos” na parede. Colorida ou para ser pintada depois, essa massa cria um belo visual ao espaço.

Ao comprar sua massa corrida, lembre-se de analisar todos esses tipos do produto. Assim, você terá a certeza de adquirir o material adequado para a sua obra.

Fonte da Imagem: https://www.ufrgs.br/eso/content/?p=1286

Como preparar a superfície para receber a massa corrida

Independentemente do tipo de massa corrida escolhida, é fundamental preparar a parede que vai recebê-la. Isso deve ser feito, primeiro, por meio da limpeza da superfície. Com um pano úmido, retire o mofo, a umidade, a poeira e qualquer outro que estejam poluindo o espaço.

Em seguida, lixe a parede com numa lixa grossa, nº 180. Isso vai retirar a tinta antiga e a massa antes utilizada. Logo após, limpe a superfície novamente, para retira o pó restante.

Se necessário, você pode utilizar detergente neutro para retirada de sujidades mais “resistentes”. A mistura entre água é cloro costuma ser igualmente eficiente.

Para iniciar o processo de aplicação da massa, você vai precisar de alguns materiais, como por exemplo:

  • uma espátula de aço;
  • uma desempenadeira de aço;
  • mais lixas de diferentes espessuras;
  • selador;
  • rolo de pintura;
  • massa corrida.

É também importante proteger os olhos e a boca com materiais de segurança. Utilize ainda roupas fechadas, boné e luvas.

Todo o processo do uso da massa em si começa com a aplicação do selador sobre a parede. Isso caso a parede já tenha sido pintada alguma vez, ou se tiver contato direto com a umidade no dia a dia.

A etapa deve ser realizada com o rolo de pintura. Após passar o produto na superfície, deixe-a secar por 4 horas, ou então de acordo com o tempo indicado pelo fabricante.

Como preparar a massa corrida

Primeiro de tudo você terá que escolher a versão ideal de massa corrida: para áreas externas a acrílica (resistente às ações climáticas) e para ambientes internos, a massa corrida de PVA. Geralmente, a massa corrida já é comprada pronta para uso. Se este não for seu caso, siga as recomendações do fabricante do produto para prepará-la.

Feito isso, sigas os passos abaixo:

Como passar a massa fina na parede

  • Retire a massa corrida da embalagem com a ajuda da espátula e a aplique sobre a superfície com o auxílio da desempenadeira. Se precisar, utilize escadas ou andaimes para locais altos;
  • Utilize a espátula e coloque sobre a desempenadeira a quantidade necessária de massa;
  • A aplicação do material deve começar pelo canto da parede, em direção ao centro;
  • Certifique-se de que você está formando camadas finas e uniformes em toda a parede, sendo que os resultados são melhores com duas demãos. A primeira vai corrigir todas as imperfeições mais evidentes, e a segunda nivela os pequenos defeitos;
  • para evitar o desperdício, aplique a massa de baixo para cima, para não deixar cair no chão.

Após a sobreposição, é necessário aguardar cerca de dois minutos, e então retirar o excesso de massa da parede. Isso ainda deve ser feita com a desempenadeira.

O indicado é que você aguarde essa primeira camada secar por 24 horas, e depois aplique nova demão na superfície. A segunda demão costuma secar em 3 horas, aproximadamente. Depois, basta lixar a parede com uma lixa fina, limpá-la e aplicar a tinta desejada.

De seu objetivo for criar textura na parede, o processo é o mesmo. Porém, em vez de deixar a aplicação lisa e nivelada, faça movimentos diferentes com a desempenadeira.

Como movimentos circulares, ou retos interrompidos a meio caminho. O tempo de secagem aqui deve ser maior. Lembre-se de fazer um teste em uma superfície descartável antes de criar a textura definitiva.

Como passar massa corrida no teto

Aplicar a massa corrida no teto é um processo idêntico ao anterior. Você precisa limpar a superfície, lixá-la, utilizar selador, passar duas demãos e deixar secar.

O método será mais cansativo, e também vai requerer maior segurança. Ao utilizar a massa no alto, é ainda mais importante proteger os olhos e a boca, pois o risco de queda do produto nessas áreas do corpo é enorme.

Tenha atenção ainda ao uso de escadas, ou andaimes. Os objetos devem ser seguros para que você consiga aplicar a massa sem qualquer risco de queda.

Como passar massa corrida nas quinas das paredes

O cuidado na aplicação da massa corrida nas quinas e cantos das paredes precisa ser triplicado. Isso porque, o mau acabamento nessas aéreas pode prejudicar por completo o visual do espaço.

Ainda assim, o processo não é muito diferente dos anteriores. Aqui, você precisa saber, apenas, que após a aplicação da masa em um canto, ela costuma se acumular entre as paredes que formam a quina. Então, logo após a aplicação, é preciso passar o dedo no encontro entre essas duas paredes, espalhando a passa acumulada.

Como resultado, será formada uma linha marcada. Com a espátula, você precisará desfazer essa linha, garantindo o espalhamento do produto para o restante da extensão da parede.

Também é possível utilizar desempenadeira própria para cantos e quinas. Neste caso, o processo é mais rápido e simples, pois a ferramenta é formada por duas chapas perpendiculares de metal. Apenas o posicionamento correto da desempenadeira já cria a superfície reta e bem-acabada desses espaços específicos.

Como passar massa corrida com rolo de tinta

Para muita gente, utilizar as ferramentas clássicas dos pedreiros pode ser um desafio. Nesse caso, é possível contar com uma opção mais prática e conhecida: passar massa corrida utilizando um rolo de tinta!

Um rolo de tinta vai demandar que a massa corrida seja mais mole do que o comum. Assim, o consumidor precisa despejar o produto num grande recipiente. Em seguida, deve misturar água ao material, até que ele obtenha uma consistência mole. Atenção: consistência mole, mas não aguada. Apenas o suficiente para que o rolo de tinta consiga absorver o produto.

As etapas seguintes são ainda mais simples. Mergulhe o rolo no recipiente com a massa corrida e passe-o na parede como se estivesse utilizando uma tinta comum. É necessário fazer várias demãos, mas não aguarde a secagem por muito tempo.

Se a parede for de grande extensão, apenas o tempo de finalizá-la com uma demão costuma ser suficiente para a secagem do início da superfície.

Após essas demãos, passe um rodo sobre a parede, sem fazer muita pressão. Um rodo comum, como o que você utiliza para limpar a casa. Essa etapa vai fazer o nivelamento da dimensão.

Utilizar o rolo de pintura para passar a massa corrida torna mais difícil criar texturas. Mas não impossível. Você pode criar aspecto “pontilhado” da parede, fazendo o pressionamento do rolo por toda a extensão.

Assim, você vai criar pontinhos mais altos e outros mais baixos, que vão mudar o visual da decoração. Lembre-se de não nivelar a superfície nesse caso. Se seu objetivo, no entanto, é obter texturas mais marcantes, a solução é o método tradicional para aplicação da massa.

Qual o preço? Quanto custa?

O custo para a aplicação da massa corrida varia de acordo com uma série de fatores. Primeiro, em relação a quem vai realizar a obra. Se você será o responsável por ela, não haverá custo nenhum.

No entanto, se for necessário contratar um profissional, será preciso quitar certo valor. O cobrado pelos profissionais varia de acordo com a região do país, mas costuma girar em torno de R$7 por m². O custo dobra se o mesmo profissional for realizar a pintura.

Já o preço da massa corrida varia de acordo com o tipo do produto. Uma lata da de PVA , com 18 litros, pode ser encontrada por aproximadamente R$75.

Agora que você já sabe como passar massa corrida em sua casa, obtenha o melhor material e invista na sua reforma!

Perguntas e respostas sobre Massa Corrida

Qual o número de lixa para massa corrida?

Quanto maior a gramatura de uma lixa, mais fina ela é, e mais fino é o acabamento obtido por ela. Por isso, muitas vezes é indicado utilizar mais de uma lixa. Uma 120, por exemplo, é ideal para o primeiro cuidado com a superfície, retirando rebarbas mais grossas. Em seguida, é indicado o uso de uma lixa nu00ba 220, para que a superfície tenha resultado delicado. As lixas com gramatura 150, 180, 240, 260, 280 e outras são igualmente interessantes.

É sempre importante utilizar lixas novas, pois elas têm maior facilidade em aderir à superfície e nivelá-la. Para o acabamento, também é necessário que a lixa seja utilizada em movimentos circulares. Assim, é mais simples remover partes mau emassadas e garantir uma superfície lisa.

Qual é o rendimento da massa corrida?

O rendimento da massa corrida varia de acordo com a fabricante do produto. Por isso, antes de adquiri-la, é importante verificar a embalagem do material. Uma massa PVA Suvinil, por exemplo, tem rendimento de 40 a 50 mu00b2 por demão.

É bastante comum que o rendimento apareça na embalagem com a medida de mu00b2. Logo, é preciso conhecer o tamanho do espaço em que a massa será aplicada. Assim, você terá maior segurança do quanto precisa adquirir do material.

Para este cálculo, basta multiplicar a largura pela altura da superfície que será massada, seja ela o teto ou a parede. Depois, some todas as áreas calculadas, e você saberá quantos metros quadrados precisará cobrir com o produto.

Agora você já sabe como passar massa corrida nas paredes e teto do seu imóvel. Está esperando o que para começar a obra?

Como recuperar massa corrida que ficou dura?

Antes de apresentarmos como passar massa corrida, é importante destacarmos alguns pontos importantes sobre o produto. Assim, você estará preparado para imprevistos e até para a compra adequada dos materiais para obra.

Para começar, você precisa saber que, nem sempre, toda a massa corrida adquirida é utilizada de uma única vez. O produto tem ótimo rendimento, e por isso é comum que parte dele sobre ao final da obra. Guardada por um tempo, então, a massa tende a endurecer, e é preciso amolecê-la antes de uma nova utilização.

Não é difícil recuperar a massa corrida que ficou dura, mas o processo requer dedicação. Afinal, o amolecimento do material não é imediato. Neste caso, é preciso começar pela perfuração da massa dura com a ponta de uma chave de fenda. Isso vai dividir o produto em diversos pedaços, que devem ter tamanho aproximado ao de bolinhas de gude.

Em seguida, é preciso despejar na lata de massa 1/4 de xícara de água quente. Com cuidado, então, você deve utilizar a chave de fenda para misturar o produto, perfurando os pedaços para que eles se tornem ainda menores.

Depois, é necessário utilizar uma betumadeira, ou seja, uma espátula de inox ou aço, com cabo de madeira ou plástico. A betumadeira vai ajudar a partir os caroços de massa. É preciso mexer o produto até que todos os pedaços desapareçam.

Caso a água quente utilizada seja insuficiente, você pode aplicar um pouco mais do líquido. Lembre-se, apenas, de acrescentá-lo aos poucos. Do contrário, haverá o risco de que a massa fique muito mole. A consistência final do produto deve ser flexível, mas grossa o suficiente para que não escorra na espátula, nem quando aplicada na parede.

O que passar primeiro: selador ou massa corrida?

Com a massa corrida adequada, será possível obter uma parede lisa e bem-acabada. Neste caso, o uso do selador se torna opcional.

Geralmente, o selador é aplicado em uma parede que não vai receber massa corrida. Assim, a tinta posteriormente aplicada não é absorvida em demasiado pela superfície. O uso da massa, porém, elimina essa necessidade. Logo, a aplicação do selador, tanto antes, quanto depois da massa, fica a critério do consumidor.

Qual o número de lixa para massa corrida?

Quanto maior a gramatura de uma lixa, mais fina ela é, e mais fino é o acabamento obtido por ela. Por isso, muitas vezes é indicado utilizar mais de uma lixa. Uma 120, por exemplo, é ideal para o primeiro cuidado com a superfície, retirando rebarbas mais grossas. Em seguida, é indicado o uso de uma lixa nº 220, para que a superfície tenha resultado delicado. As lixas com gramatura 150, 180, 240, 260, 280 e outras são igualmente interessantes.

É sempre importante utilizar lixas novas, pois elas têm maior facilidade em aderir à superfície e nivelá-la. Para o acabamento, também é necessário que a lixa seja utilizada em movimentos circulares. Assim, é mais simples remover partes mau emassadas e garantir uma superfície lisa.

Qual é o rendimento da massa corrida?

O rendimento da massa corrida varia de acordo com a fabricante do produto. Por isso, antes de adquiri-la, é importante verificar a embalagem do material. Uma massa PVA Suvinil, por exemplo, tem rendimento de 40 a 50 m² por demão.

É bastante comum que o rendimento apareça na embalagem com a medida de m². Logo, é preciso conhecer o tamanho do espaço em que a massa será aplicada. Assim, você terá maior segurança do quanto precisa adquirir do material.

Para este cálculo, basta multiplicar a largura pela altura da superfície que será massada, seja ela o teto ou a parede. Depois, some todas as áreas calculadas, e você saberá quantos metros quadrados precisará cobrir com o produto.

Agora você já sabe como passar massa corrida nas paredes e teto do seu imóvel. Está esperando o que para começar a obra?

Como recuperar massa corrida que ficou dura?

Antes de apresentarmos como passar massa corrida, é importante destacarmos alguns pontos importantes sobre o produto. Assim, você estará preparado para imprevistos e até para a compra adequada dos materiais para obra.

Para começar, você precisa saber que, nem sempre, toda a massa corrida adquirida é utilizada de uma única vez. O produto tem ótimo rendimento, e por isso é comum que parte dele sobre ao final da obra. Guardada por um tempo, então, a massa tende a endurecer, e é preciso amolecê-la antes de uma nova utilização.

Não é difícil recuperar a massa corrida que ficou dura, mas o processo requer dedicação. Afinal, o amolecimento do material não é imediato. Neste caso, é preciso começar pela perfuração da massa dura com a ponta de uma chave de fenda. Isso vai dividir o produto em diversos pedaços, que devem ter tamanho aproximado ao de bolinhas de gude.

Em seguida, é preciso despejar na lata de massa 1/4 de xícara de água quente. Com cuidado, então, você deve utilizar a chave de fenda para misturar o produto, perfurando os pedaços para que eles se tornem ainda menores.

Depois, é necessário utilizar uma betumadeira, ou seja, uma espátula de inox ou aço, com cabo de madeira ou plástico. A betumadeira vai ajudar a partir os caroços de massa. É preciso mexer o produto até que todos os pedaços desapareçam.

Caso a água quente utilizada seja insuficiente, você pode aplicar um pouco mais do líquido. Lembre-se, apenas, de acrescentá-lo aos poucos. Do contrário, haverá o risco de que a massa fique muito mole. A consistência final do produto deve ser flexível, mas grossa o suficiente para que não escorra na espátula, nem quando aplicada na parede.

O que passar primeiro: selador ou massa corrida?

Com a massa corrida adequada, será possível obter uma parede lisa e bem-acabada. Neste caso, o uso do selador se torna opcional.

Geralmente, o selador é aplicado em uma parede que não vai receber massa corrida. Assim, a tinta posteriormente aplicada não é absorvida em demasiado pela superfície. O uso da massa, porém, elimina essa necessidade. Logo, a aplicação do selador, tanto antes, quanto depois da massa, fica a critério do consumidor.

Tem que passar selador antes da massa corrida?

O uso do selador, como dissemos acima, é opcional, mas se for usado deve ser aplicado antes da massa corrida, principalmente se a parede já tenha sido pintada uma vez, ou se for ter contato direto com umidade.

Normalmente, essa etapa é realizada com o rolo de pintura e deve deixar a superfície secar por 4 horas, ou o tempo indicado pelo fabricante.

Quanto tempo tem que esperar para lixar a massa corrida?

Recomenda-se aguardar 24 horas até a primeira camada secar, depois aplicar nova demão na superfície, deixando secar em 3 horas, aproximadamente. Depois, basta lixar a parede com uma lixa fina, limpá-la e aplicar a tinta desejada.

Escreva um Comentário