Laje de isopor: É segura? aguenta peso? Vantagens e desvantagens

Se seu arquiteto sugeriu fazer uma laje de isopor, uma série de dúvidas provavelmente surgiu em sua mente. “Laje de isopor? Mas isso é seguro? É mais barato? É durável? Posso construir em cima?”. É normal ter tantos questionamentos. Afinal, o produto ainda é pouco conhecido, e utilizado, pelo público.

Assim, este texto tem como objetivo principal entender tudo o que você precisa sobre a laje de isopor. Mesmo que no momento você não esteja em obra, a opção pode ser interessante para uma construção futura.

Primeiro, é importante destacar que existem muitas nomenclaturas para este tipo de laje. Além de isopor, ela é conhecida especialmente como laje de EPS. Sua estrutura é formada por uma laje nervurada, que garante vigas e ótima sustentação.

É comum também que a laje de isopor seja mais leve que as comuns lajes de alvenaria. Sua utilização oferece uma série de vantagens aos espaços, e também ao meio ambiente.

Laje de isopor é segura?

Sem dúvida, a principal dúvida de quem pensa em aderir uma laje de isopor é se ela segura. Afinal de contas, o isopor é um material frágil – como então ele poderia sustentar um teto?

Todo o receito ao redor desse método, no entanto, não precisa existir. Uma laje de isopor é montada por meio de um sistema nervurado, que explicaremos logo mais. Este sistema é um dos mais seguros da construção, tanto que permite o uso de poucas vigas e obtenção de grandes vãos nos imóveis.

De modo geral, a escolha pela laje de isopor é também econômica. Isso porque a opção permite utilizar menos concreto e menos aço, além de não demandar mão de obra especializada. Logo, os custos finais com a obra são cerca de 30% mais baixos do que quando outros tipos de laje são utilizadas.

Lajes de isopor podem ser utilizadas nas mais variadas edificações. Como proporciona grandes vãos, contudo, ela é mais indicada para espaços de grande trânsito de pessoas ou automóveis, ou que têm o posicionamento de grandes máquinas. Como indústrias, shoppings, estacionamentos, garagens, hospitais e outros. Veja também: Concreto Armado: Vantagens, Caracteristicas, Composição

Atenção à mão de obra!

O cumprimento do processo adequado de montagem da laje de isopor nervurada é fundamental para garantir sua segurança. Apesar de não demandar mão de obra especializada, é importante que você, consumidor, tenha certeza de que os trabalhadores contratados darão conta do procedimento.

Antes da montagem da laje, é necessário garantir que sua base de estruturação estará correta. Nesse caso, é necessário, primeiro, fazer a estruturação do escoramento metálico e das vigas da obra.

Imagine a construção de um imóvel de alvenaria clássico. Assim como esse imóvel precisa de bases de madeira no teto, para construção da laje, a edificação com o sistema nervurada também precisa. No entanto, suas bases serão feitas de ferro, e apoiadas em grandes e fortes vigas.

Montagem – Como montar uma laje de isopor?

Com a base estabelecida, é preciso criar uma malha de ferro para o posicionamento das peças de isopor. Aqui, o construtor irá utilizar vergalhões, ou então perfis de aço produzidos exatamente para esta etapa. Com a malha montada, é possível posicionar as peças de isopor, que geralmente aparecem na forma quadrada.

Em seguida, é feita a concretagem da laje. Para isso, utiliza-se máquina para a distribuição do produto sobre o teto, o que agiliza o processo. O trabalho do responsável pela obra é de apenas garantir que o concreto seja bem distribuído por toda a superfície, nivelando-o logo depois.

Após o processo de cura, ou seja, de secagem do concreto, é necessário retirar as vigas de escoramento da estrutura. Geralmente, é necessário deixar escoramento apenas a cada 1,5 m². A medida pode variar de acordo com o tamanho do espaço e projeto do arquiteto.

O resultado é da visualização das peças de isopor no interior da edificação. As peças podem ser mantidas assim, ou então cobertas com massa corrida para que seja possível fazer pintura e dar acabamento mais atraente.

Entre cada “lajota” de isopor, é comum também de sejam utilizadas vigotas. Vigotas são barras de ferro que aumentam a segurança e estabilidade de toda a estrutura da laje.

É importante ressaltar que existem outros tipos de laje nervurada. Como as que possuem cerâmica em vez de isopor, ou as que criam um visual cheio de “buracos”, em vez de uma superfície interior lisa. No caso do visual “furado”, a estrutura não recebe uma base metálica, mas sim um tablado e algumas forras de plástico. Após a concretagem, então, essas formas são retiradas pela parte de baixo da laje, e assim formam os clássicos buracos da estrutura.

Espessura de concreto da laje

Independentemente do tipo de laje nervurada utilizada pelo consumidor, é indicado que seja utilizada uma espessura mínima de concreto na estrutura. Afinal, o concreto será parte importante em manter a base em pé e segura.

Dessa forma, a camada superior à laje, chamada de mesa, deve ser sempre maior ou igual a 1/15 da distância entre as nervuras. Seguindo o projeto correto, a medida vai corresponder a pelo menos 3 cm. Ou seja, é necessário que o concreto aplicado na laje tenha ao menos 3 centímetros de espessura na mesa.

No caso da inserção da tubulação na laje, é importante que essa espessura seja de ao menos 4 cm. Nesse caso, a tubulação deve possuir diâmetro máximo de 12,5 mm, para que se encaixe corretamente à superfície. Além dessa opção, existem fabricantes que oferecem pinos para a instalação de tubos e fiações elétricas. Assim, converse com seu arquiteto e verifiquem qual a melhor opção para instalação dos componentes.Veja também: Steel Frame: Preço, Desvantagens, Custo, Construção!

Escoramento da laje de isopor

No momento de concretagem da laje, é fundamental que ela conte com certa sustentação. Do contrário, as peças de isopor poderão ceder, prejudicando toda a construção. Logo, é necessário fazer o escoramento da laje de isopor.

As escoras para a execução da obra devem ser posicionadas antes da colocação dos blocos de isopor na laje. Para isso, é necessário escorar vigas verticais no contrapiso do imóvel, de modo que elas permaneçam bastante firmes.

A distância máxima indicada entre cada viga é de 1,30 metro. Também é importante posicionar os chamados pontaletes, que vão escorar as vigotas no espaço. No caso das tábuas horizontais utilizadas no escoramento, elas devem ser niveladas pelo respaldo para vãos até 2 metros.

Apesar de o que se costuma acreditar, é importante que os pontaletes sejam posicionados um pouco mais altos do que as paredes. Desse modo, a laje ficará levemente curvada para cima, formando uma contra-flecha. Ou seja, uma elevação na linha de escora central. Esse método permite que, após a retirada das escoras, a laje esteja adequadamente nivelada. Ele também previne deformações da superfície do teto.

Após a concretagem da laje, é necessário aguardar ao menos 18 dias para a retirada das escoras. O prazo pode variar de acordo com a amplitude da obra. Por isso, é interessante seguir as indicações do projetista do imóvel.

Vantagens da Laje de Isopor

As peças de isopor garantem grande levez à laje. Cada quadrado de EPS tem densidade de aproximadamente 13 kgf/m³, bem menos do que qualquer outro material. Além do resultado mais leve, essa característica garante que as peças sejam mais facilmente carregadas pela obra, o que, por sua vez, torna todo o processo mais rápido.

Outra vantagem da alternativa é o isolamento térmico que ele proporciona. O isopor é ótimo isolante do calor, e quando aplicado na laje garante que a estrutura não absorva altas temperaturas. Ao mesmo tempo, ela consegue “prender” o calor dentro do imóvel em dias mais frios. O conforto dos indivíduos é imenso.

Ao mesmo tempo, o isopor é ótimo isolante acústico. Ele dá à laje a capacidade de evitar o “escape” de sons, e também de evitar a entrada exagerada de ruídos na edificação. Como citado anteriormente, a laje ainda facilita a instalação de conduítes. E não apenas pelos métodos já indicados: é possível também cortar parte das bases de isopor e inserir ali as instalações necessárias.

Além da economia citada para a laje nervurada como um todo, o consumidor também pode economizar em peças de isopor. Isso porque o material não se quebra facilmente, como acontece com peças de cerâmica, por exemplo. O isopor é também mais fácil de cortar, e trincam menos. Logo, há menor perda de materiais do que o comum, evitando o desperdício de peças.

O isopor é ainda bastante resistente e durável. Na natureza, o material leva ao menos 500 anos para se decompor! Para garantir que ele sustente bem a estrutura da laje, o profissional responsável pela construção deverá fazer cálculos exatos. Especialmente em relação ao número de placas e vigas necessárias.

Ademais, uma laje de isopor tem fundação de carga menor. Isso significa que toda a estrutura do imóvel acaba por suportar carga mais leve. Aqui, pode ocorrer economia até mesmo com os materiais de fundação. A construção ainda elimina a necessidade de estruturas de madeira, clássicas em construções de alvenaria comuns. Isso uma vez que o isopor funciona como suporte para o concreto.

Finalmente, a construção com laje de isopor gera poucos resíduos. Isso garante que o que é descartado na natureza aparece em pouca quantidade.

Desvantagens

Apesar de termos apontado o isolamento térmico como uma vantagem anteriormente, podemos apontá-lo também como desvantagem. Isso no caso da laje ser mal planejada em relação ao restante do espaço da casa. Para que seja eficaz, a laje deve cobrir cômodos com grandes janelas. Essas janelas vão garantir a ventilação adequada do espaço, evitando que a conservação de calor o torne abafado.

Qual a diferença entre laje de isopor e lajota?

Uma laje de lajota nada mais é do que a laje normalmente utilizada nos imóveis, produzida por meio de tijolos de cerâmica. Além do material de cobertura, são diversas as diferenças entre a opção e a laje de isopor.

A começar pelo peso das estruturas. Como o EPS é um produto bastante leve, o peso do teto construído por meio dele é bem menor do que o percebido em uma lajota.

Em contrapartida, as peças de cerâmica são mais baratas do que as de isopor. Contudo, elas também estão mais sujeitas a desperdícios, já que se quebram facilmente. Logo, é comum que o consumidor precise adquirir uma quantidade maior do que o previsto para a obra.

Em todo caso, a laje de isopor tem melhor qualidade isolante. Tanto como isolante térmica, quanto como isolante sonora. Enquanto isso, as peças de cerâmica podem precisar contar com uma manta específica a estes objetivos.

Em relação à estruturação das lajes, não há grandes diferenças entre as opções. Ambas precisam de armações em ferro e vigotas de concreto. Assim como de apoios verticais, que sustentarão a superfície durante sua concretagem e cura (secagem) completa.

Na hora de avaliar a melhor alternativa para o seu imóvel, converse com o projetista da obra. O especialista poderá indicar qual tipo de laje é a mais vantajosa ao seu objetivo, ambiente e orçamento.

Laje de isopor ou tijolo?

Na hora de escolher entre uma laje de tijolo ou isopor, é necessário considerar uma série de fatores. Como o caso da ventilação do espaço, citado anteriormente. Caso seja naturalmente abafado, o imóvel vai acabar por conservar ainda mais seu calor com a laje de isopor, tornando o ambiente desagradável no dia a dia. Logo, a opção de tijolos de cerâmica seria mais interessante neste caso.

O preço das alternativas geralmente não é considerado nesse comparativo. Isso porque a diferença entre o custo do isopor e das peças de cerâmicas é pequeno. Ainda assim, o isopor é mais barato, e por isso pode ser boa opção.

Considere ainda o tempo que você possui para montagem. Como não demanda muitos cortes, ou tem cortes mais rápidos, a laje de isopor tem execução mais rápida. Eles são também mais resistentes durante o transporte, e mais leves para serem levados de um lado a outro. A cura do concreto é, ao mesmo tempo, mais rápida, pois o isopor não acumula umidade. O tijolo, por outro lado, retém parte da água, e assim demanda maior tempo para secagem.

De qualquer modo, considere ambas as opções com o engenheiro do seu projeto. De acordo com o que já foi realizado, e com o planejado, ele poderá indicar qual a melhor alternativa no momento de montagem da laje. A consideração conjunta vai garantir um parecer tanto técnico, quanto pela preferência do consumidor dono da obra.

Veja também: Tipos de laje: Treliçadas, Nervuradas e Maciças.

Laje de isopor aguenta peso?

Como explicado até aqui, uma laje de isopor é construída por meio do sistema nervurado, um dos mais seguros da Construção Civil. As vigotas e vigas garantem que a estrutura permaneça intacta mesmo que tenha que aguentar grande peso. Afinal de contas, não é o isopor “frágil” que suporta as cargas, mas sim toda uma estrutura de ferro e alvenaria abem preparada para tal.

Pode construir em cima?

Dessa forma, caso o consumidor deseje construir sobre a laje de isopor, pode fazê-lo À vontade. Como faria numa laje de alvenaria comum, considerada por muita gente as mais confiáveis nas obras. A estrutura de metal e concreto da laje nervurada permite qualquer tipo de obra em cima dela.

É necessário, contudo, que o consumidor tenha cuidado com o posicionamento das paredes. As paredes sobre a laje de isopor devem ser posicionadas acima das paredes do nível inferior. Ou então sobre as vigas de sustentação do imóvel. As vigas são parte fundamental dessa sustentação, e se forem “ignoradas” poderão ser insuficientes para a manutenção do imóvel.

Caso haja necessidade, porém, basta realizar reforço das vigas ou inserção de novas bases na edificação. Assim, o uso de paredes no andar superior não será um problema.

Preço m² da laje de de isopor

O custo para a instalação das lajes de isopor varia. Varia de acordo com a região do país, com o formato das peças de isopor, com sua configuração (dividida em quadrados ou em fileiras) e com a fabricante do material. É possível, contudo, determinar um custo médio da opção: cerca de R$28 por m².

O valor, porém, refere-se apenas ao custo do isopor. Para fazer o cálculo total da obra, é preciso considerar o gasto com cada material necessário, como as vigas de ferro e vergalhões para montagem das malhas. Uma malha de ferro de 0,15 cm x 0,15 cm, por exemplo, custa em torno de R$ 35. Já o concreto usinado sai por valor aproximado a R$ 280,00 o m³. Ao calcular os valores, lembre-se ainda de verificar o custo com a mão de obra para a execução do projeto.

Agora que você já sabe tudo sobre a laje de isopor, tem uma nova opção para considerar para sua edificação. Lembre-se que a alternativa pode sim ser aplicada em obras de pequeno porte, apesar de ser muito mais comum em ambientes de grande porte.

Quanto pesa uma laje de isopor?

Veja os dois vídeos abaixo

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.