Steel Frame: Preço, Desvantagens, Custo, Construção!

O steel frame é um tipo de sistema de construção ainda pouco conhecido. Com execução bastante rápida e limpa, tem durabilidade imensa, economia de insumos e outra série de vantagens. Apesar de tantos benefícios, porém, o material é visto pela população ainda com certa estranheza.

Advertisements

O steel frame é um tipo de sistema de construção ainda pouco conhecido. Com execução bastante rápida e limpa, tem durabilidade imensa, economia de insumos e outra série de vantagens. Apesar de tantos benefícios, porém, o material é visto pela população ainda com certa estranheza.

É essa estranheza que queremos desmistificar nesse texto. Conheça o sistema, suas vantagens e diferenças, e descubra como utilizá-lo ao seu projeto!

O que é o steel frame?

Imagine chegar a um canteiro de obras e visualizar o “esqueleto” de um imóvel. Sua imaginação, provavelmente, o levou à ideia de uma casa com alicerces, vigas e estruturas em madeira. Esse é o tipo de construção mais comum no Brasil: uma estrutura que depois será preenchida por tijolos, dando origem às casas de alvenaria.

Toda obra de alvenaria, porém, demanda grande tempo. Também é caracterizada pela imensa “sujeira” do canteiro de construção, já que é necessário fazer a mistura de diversos materiais, como o cimento e pedregulhos, e contar com uma imensa quantidade de tijolos. Seria ótimo, então, que existisse um sistema mais limpo e prático, correto? Esse é o steel frame!

A alternativa funciona por meio da estruturação de um imóvel feita toda em metal. Conhecido também como Light Steel Frame (LSF), o método de construção segue um projeto pré-estabelecido do imóvel, contando com cada parte necessária na edificação. Todo pedaço é, então, construído com peças de metal, formando todo o contorno da casa em metal. Em seguida, essa armação é coberta por peças de cimento, madeira ou outros materiais.

Ou seja, o edifício erguido desse modo possui três partes principais: a estrutura externa, feita em metal; os isolamentos termoacústicos, importantes para o conforto no interior do espaço; e o fechamento interno, que é, na verdade, toda a estrutura que cobre o metal e cria as paredes. O resultado é um imóvel com a aparência comum, mas muito mais resistente à ação do tempo e da natureza. Confira uma foto do sistema:

Resultado de imagem para steel frame

Materiais utilizados

O metal utilizado para o esqueleto da edificação em LSF é o aço galvanizado. Extremamente resistente, o material dá segurança à estruturação do imóvel. Sua vida útil fica em torno de 300 anos, o que significa que o prédio construído desse modo irá durar, ao menos, três gerações.

O fechamento interno do imóvel é feito por meio de placas. Placas essas semelhantes a cerâmicas colocadas na cozinha – ou seja, quadrados que juntos formam uma única parede. Nesse caso, podem ser utilizados materiais como placas feitas de cimento, de madeira ou gesso. Caso o objetivo seja uma casa com o estilo colonial, é da mesma forma possível aderir a uma cobertura com tijolos coloniais.

Origem do steel frame

O método de construção por steel frame surgiu nos Estados Unidos, no século dezenove. Na primeira metade do período, o território americano viu sua população crescer consideravelmente. Por isso, cada vez mais casas eram necessárias – mas a construção comum por alvenaria era muito demorada para atender à demanda. Logo, foi necessário criar um meio de acelerar a obra e entregar moradias às novas famílias.

Nesse caso, foi criado o wood frame. A técnica era utilizada da mesma forma que o LSF, mas a base do imóvel era de madeira. Ou seja, ao invés de uma estrutura em metal, o esqueleto de toda casa era armado com madeira, e depois coberto com placas de gesso ou madeira. A escolha pelo material deveu-se à sua abundância na natureza americana, assim como pela facilidade de manuseio.

Algumas décadas depois, o mundo viu a evolução da indústria metalúrgica. Principalmente no período da Segunda Guerra Mundial, em que o metal era trabalhado para criação de armas. Após o conflito, restou o conhecimento e o excesso de aço, produzido mas não utilizado para abastecimento dos soldados. Assim, a Construção Civil resolveu substituir o método já popular do wood frame pelo steel frame, de modo que os imóveis se tornassem ainda mais resistentes. A substituição também acelerou a obra, que já era rápida.

Mesmo após dois séculos, o método do wood frame ainda é um dos mais populares nos Estados Unidos, seu criador. Porém, os números do LSF não ficam muito atrás. Segundo dados do United States Census Bureau, apenas em 2016 foram construídas no espaço norte-americano 33 mil novas edificações utilizando o esqueleto de metal.

Uma obra limpa

O primeiro benefício de uso do sistema light steel frame é a economia geral. Aliás, esse um dos pontos normalmente mais preocupantes aos consumidores. O uso do aço galvanizado na construção pode parecer, de início, mais cara, pois o material é mais custoso que alicerces e tijolos. Na conta final, porém, esse gasto vale muito a pena.

Inicialmente, pela quantidade de material gasto. A formação do esqueleto de um imóvel é feita com material previamente calculado. Isso significa que não existem desperdícios, que acontecem muito em obras comuns. Se você já construiu algo, sabe bem como tijolos se quebram, como as pedras e cimento se esvaem após a chuva, ou quanto material é descartado pelo simples descuido dos construtores.

Desse modo, a edificação em LSF não requer corte de material ou qualquer tipo de descarte de peças. Isso leva a geração de resíduos para quase zero. Quanto menos resíduos, menor o desperdício; quanto menor o desperdício, menor o gasto com materiais. A menor quantidade de resíduos ainda melhora a limpeza do canteiro de construção. Isso facilita muito o trabalho como um todo, e elimina a necessidade da limpeza com água corrente.

Outras vantagens do sistema

A economia é oferecida também pelo gasto com mão-de-obra. Como são necessários menos dias para a finalização do imóvel, o valor pago aos serventes é menor.

O tempo de obra, aliás, é um bastante destacável nesse quesito: a pouca demora de todo o processo garante a possibilidade de uso mais rápida do imóvel. Se o prédio for comercial, permite que o negócio se inicie logo e gere lucros. Se residencial, dá ao novo morador a possibilidade de economizar com o aluguel de outro lar. O tempo de execução da edificação, em média, é 1/3 menor do que o necessário em obras de alvenaria. Em alguns casos, é possível finalizar a obra em apenas 15 dias!

Além disso, há grande economia com o processo de fundação da cada, ou seja, de preparação do solo para a sustentação do peso do imóvel. Nesse caso, o steel frame permite redução de custos em até 75%.

Falando ainda da fundação do imóvel, pode-se utilizar as do tipo mais “simples” e baratas. Tão seguras quanto outros tipos de fundações, essas opções funcionam para o LSF porque o aço galvanizado tem peso bem menor do que a alvenaria. Desse modo, a estrutura não exige muito do solo, pois é leve.

Ao mesmo tempo, o sistema em steel frame oferece grande precisão na execução da obra. Como painéis e esqueletos são fabricados com projeto pré-estabelecidos, a indústria responsável dificilmente erra nessa estruturação. Essa é, inclusive, outra característica que diminui o tempo de execução da construção. Há ainda a facilidade de manuseio e montagem de todo o prédio, assim como o menor número de etapas necessárias à construção.

Maior espaço e conforto

Os benefícios do sistema steel frame ainda não acabaram! Quando edificado com esse método, o prédio oferece, por exemplo, espaços para a passagem de instalações elétricas, hidráulicas, de gás e outras que se fizerem necessárias. É claro que a alvenaria também permite isso. No entanto, nas casas de tijolos é necessária a quebra dos tijolos. No caso de uma manutenção, é a quebra da parede que se faz necessária. No esqueleto feito de aço, porém, já existe espaço pronto para passagem dessas instalações. Como a estrutura é também coberta por placas de cimento ou outro material, sua retirada é mais prática para qualquer conserto futuro.

O espaço interno da casa LSF é também maior. Isso porque as peças de metal que a estruturam são mais delgadas, finas. Isso quer dizer que as dimensões ocupadas por vigas na casa de alvenaria ficam livres. O resultado é um ganho de espaço interno de aproximadamente 4% e 5% em relação aos prédios feitos de tijolos e alicerces.

Finalmente, imóveis desse tipo possuem ótimo isolamento acústico e térmico. Isso porque esses aspectos da construção são pensados com cuidado, com materiais que vão eliminar o “frio” do metal. Em breve nesse texto você vai conhecer mais sobre esses insumos. Continue acompanhando!

LSF: o mito da fragilidade

Como já citado, as casas feitas em wood frame ainda são muito comuns nos Estados Unidos, graças à sua velocidade de erguimento. São casas desse tipo que vemos em filmes americanos, em que um simples soco atravessa a parede. Essa visão cria certo receio nos consumidores. “Se o wood e o steel frame têm fechamentos internos parecidos, isso não significa que as casas com steel são frágeis?”.

Numa cultura como a do Brasil, é difícil aderir a novidades na Construção Civil. Podemos dizer, porém, que esse receio é infundado. As paredes de um edifício em LSF oferecem ótima resistência. Segundo especialistas, essas divisórias suportam peso de até 10kg. Isso significa que impactos simples não vão danificar a superfície. Pendurar um quadro ou outro objeto com até 10kg na parede também não é um problema. Caso seja necessário, de qualquer forma, é possível instalar na estrutura reforços que suportem peso maior.

Sustentabilidade do Steel Frame

Numa época em que a sustentabilidade está em voga, o steel frame também funciona como alternativa para cuidar do meio ambiente. Entende-se por sustentabilidade o uso de materiais que não “farão falta” ao meio ambiente, pela extração excessiva; por ações que utilizem peças recicláveis; por imóveis que durem grande período de tempo, sem a necessidade de gasto de mais insumos em poucas décadas; e pela priorização de atividades que não provoquem o desperdício.

O método em steel atende a todas essas especificações. Primeiro porque o aço galvanizado é um material utilizado de modo a evitar o consumo de peças mais poluentes, como o cimento. O insumo, inclusive, pode ser reaproveitado de outras utilizações, como vindo da indústria bélica. A durabilidade dos prédios construídos por esse meio é de aproximadamente 300 anos. Finalmente, o pouquíssimo desperdício de material evita que a natureza sofra com os resíduos gerados por uma obra.

Além disso, esse tipo de edificação não requer o uso de grande quantidade água. Na construção em alvenaria, o líquido é fundamental para preparação da massa, limpeza do espaço e outras atividades. O resultado é uma obra mais limpa e econômica em relação aos recursos naturais.

Especificações para construção

Para que seja garantida a segurança de uma construção com steel frame, o construtor responsável pela edificação precisa seguir algumas regras. Regras essas definidas pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). São três as Normas Técnicas sobre o assunto: a ABNT NBR 15.575/2013 – Edificações Habitacionais – Desempenho; a ABNT NBR 14.762/2010 – Dimensionamento de estruturas de aço constituídas por perfis formados a frio; e a ABNT NBR 6355/2012 – Perfis estruturais de aço formados a frio — Padronização. É fundamental que o arquiteto ou engenheiro do seu imóvel tenha conhecimento sobre elas – o que torna igualmente fundamental a escolha por um bom profissional ou empresa especializada nesse tipo construção.

As normas indicam, por exemplo, o metal específico para a edificação. Os perfis em steel frame devem ser formados por uma fina chapa de aço galvanizado que tenha espessura entre 0,80mm a 3,0mm. Essas placas devem ser revestidas por uma massa de zinco de pelo 180g/m². Apenas com essas especificações o material é capaz de suportar, sozinho, o esqueleto de um imóvel.

Pavimentos e finalização da obra

Se o imóvel possuir mais de um pavimento, o cuidado necessário é redobrado. A separação entre um pavimento e outro precisa ser estruturada por lajes leves. Essas lajes são compostas pelo aço galvanizado revestido de madeira, placa de cimento ou outro material. Ou seja, o material que vai formar a parede na casa deve ser aplicado na divisão entre andares.

Além disso, as regras da ABNT definem o tipo de material para fechamento interno e externo do esqueleto de metal. Para o lado externo, é indicado o uso de placa de cimento, painel de OSB (um material derivado da madeira), e isolantes acústicos e térmicos. No interior da edificação, esse preenchimento pode ser feito com os mesmos insumos, mas aqui acrescenta-se a possibilidade, principalmente, de uso do gesso. Já o acabamento interno pode ser realizado como numa casa de alvenaria comum, utilizando pintura, cerâmica, pastilhas, madeira ou outro material preferido pelo consumidor.

Etapas de construção

Os imóveis em light steel framing são edificados por meio de quatro etapas: a fundação, execução dos painéis estruturais, lajes e cobertura e acabamento.

Dessa forma, na fundação o solo ganha isolamento hidrófugo (que protege contra umidade e infiltrações), concreto e “desenho” predeterminado das instalações elétricas e hidráulicas necessárias. Nessa etapa, a base em aço também é fixada em concreto, para que haja estabilidade do prédio.

No trabalho com os painéis estruturais, todos os perfis de aço pré-fabricados são montados no espaço. Isso molda o esqueleto do imóvel. Apesar de existir a possibilidade de produção no canteiro de obras, o melhor é que todas as peças venham de uma indústria especializada. Isso poupa tempo e desperdício de material.

Em seguida, lajes e coberturas são montadas. Na finalização, os revestimentos internos e externos do edifício são aplicados, inclusive com isolamentos termoacústicos. Aqui, as instalações hidráulicas e acústicas são também concluídas.

Tipos de fechamento

São diversos os tipos de material para o fechamento de uma obra em light steel frame. Diz-se fechamento porque a estrutura de aço galvanizado funciona como um esqueleto do imóvel, com o todo seu espaço aberto. Logo, é necessário “tampar” todas esse esqueleto, criando então uma obra visualmente sólida.

A escolha pelo tipo de fechamento depende do tipo de edificação, seu objetivo (comercial ou doméstico), e também pelo projeto arquitetônico. As peças em OSB (Oriented Strand Board), por exemplo, são as ideais para ótimo isolamento acústico e térmico. Isso porque o material é produzido a partir de lascas de madeira, e a madeira possui características de isolamento muito boas.

Outro material que oferece ótima resistência térmica é o painel do tipo sanduíche. Nesse caso, sua composição é formada por chapas de aço, separadas por camada de Poliuretano (PU) ou Poliestireno (EPS).

Já as placas de cimento, ou cimentícias, são as mais resistentes, e permitem acabamentos diversos, como a pintura ou aplicação de pastilhas. Normalmente, o material é reforçado com fibras sintéticas.

Os painéis de alumínio composto (ACM), por outro lado, são geralmente utilizados para criar fachadas mais bonitas e requintadas. Isso graças à característica refletora do alumínio. Enquanto isso, o gesso é mais prático e leve.

A combinação de todos esses materiais para fechamento da estrutura é possível e bastante indicado. Quando juntas, as características do OSB, aço, alumínio e gesso agregam muito ao resultado da construção.

Steel Frame versus Drywall

Pensando nas bases do steel frame e do Drywall, os sistemas são bastante parecidos. Ambos são produzidos a partir de um esqueleto de metal, cobertos por chapas e então resultando em paredes e divisórias. Apesar dessa semelhança, porém, e do aspecto visual entre as alternativas ser bastante parecido, elas possuem objetivos diferentes.

Veja também: Steel Deck

O steel frame, como explicado até aqui, estrutura todo um imóvel. Suas paredes internas, externas, divisórias, o chão e o teto. O drywall, por outro lado, deve ser utilizado apenas em paredes divisórias e teto. Isso cria, inclusive, a possibilidade de uso do material na formação de novos cômodos ou paredes num imóvel já pronto.

Além disso, as peças em drywall são mais frágeis do que o LSF. Isso não significa que essas paredes são fracas – apenas que elas não são as mais indicadas para a função estrutural de um imóvel!

Por isso, de nada adianta solicitar ao seu arquiteto que projete uma casa toda de drywall. Ele apenas vai aceitar fazê-lo se o sistema escolhido for o de steel, mais resistente e o ideal para esse tipo de obra.

Resultado de imagem para parede de gesso acartonado

Steel Frame ou Wood Frame?

Steel frame e wood frame, por sua vez, são métodos muito parecidos. Ambos podem ser utilizados para estruturação de todo um prédio, com segurança e durabilidade. O que o diferencia, principalmente, é o material-base: no primeiro, o aço galvanizado; no segundo, a madeira.

A vantagem pela eleição do LSF em detrimento do wood frame está na durabilidade dos imóveis. A base do WF é a madeira, e como o material é proveniente da natureza ela possui um tempo de vida findável. Ou seja, com o tempo o produto vai se desgastar. O aço, em contrapartida, tem imensa durabilidade, e um prédio construído por meio dele pode resistir por até 300 anos! Isso uma vez que o aço é um material inorgânico, o que dá a ele esse tempo maior de “vida”.

Mesmo com a escolha do LSF, porém, é interessante utilizar-se das vantagens da madeira. Como com o uso de placas do material para o fechamento do imóvel. O resultado é um espaço com ótimo isolamento termoacústico.

De qualquer modo, é possível escolher outros materiais para esse isolamento. Como as já citadas placas cimentícias e gesso, mas também a lã mineral. Quanto maior o número de placas utilizadas, melhor o resultado isolante. O que não significa, porém, que o exagero é aceitável: é fundamental que o responsável pela obra defina medidas seguras e confortáveis dessas placas. Do contrário, pode-se criar um espaço quente, isolado e “pesado” para as bases em aço.

Desvantagens do steel frame

Mesmo com todas as vantagens citadas até aqui, a escolha pelo steel frame deve ser feita com cuidado. O método, por exemplo, só é indicado para prédios de até 5 pavimentos. Afinal, o aço se sustenta sozinho. Com mais andares, é melhor que a escolha seja pela própria alvenaria, ou pelo bloco de concreto, que é autoportante.

Dependendo da cidade que você está, também pode ser um pouco complicado encontrar mão de obra especializada. Isso uma vez que a opção ainda não é muito comum.

De qualquer forma, o melhor é conversar com seu arquiteto ou engenheiro. Como conhecem as diversas alternativas da Construção Civil, os profissionais podem te auxiliar a definir o melhor método de edificação à sua necessidade.

Cuidados para construção

A escolha por um bom arquiteto ou engenheiro, aliás, é ponto chave para o sucesso da obra. O profissional deve elaborar projeto bem detalhado, com a especificação de cada estrutura de metal, medidas, insumos necessários e mais. A qualidade dos profissionais que vão executar a obra é igualmente importante. Não se esqueça desses quesitos!

Faça já o orçamento de steel frame para sua obra!

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.