A orquídea Cymbidium é um dos gêneros de orquídeas que possuem muitas espécies e híbridos, além de um dos mais famosos e adorados por orquidófilos no mundo inteiro. Conhecida internacionalmente por “the boat orchid”, devido ao formato do labelo de suas flores, muitas espécies desse gênero de orquídeas são epífitas e também terrestres, podendo ser cultivadas em vasos ou como flores de corte.

Sua característica mais marcante é florescência exótica, longa e abundante em que as flores de cores diferentes, aparecem desde os pecíolos curtos, brotam em cachos pendentes, com uma durabilidade duradoura e forte resistência.

No entanto, a planta prefere um clima mais ameno ou frio, e apesar de ter sido muito hibridizada pelo ser humano ao longos dos anos, é originária de regiões onde as altitudes são elevadas e a temperatura mais frias, como dos continentes Africano, Asiático e Oceania, tendo sido espalhadas por países como Austrália, China, Índia, Sri Lanka, Malásia, Japão, Filipinas, Nepal e Vietnã.

Quer aprender como cultivar orquídeas Cymbidium e conhecer algumas das suas principais espécies e características? Então, continue lendo esse artigo abaixo, que vamos contar tudo sobre ela!

Sobre a Orquídea Cymbidium

A orquídea Cymbidium foi descoberta por Olof Swarts em 1799 e registrada como gênero há mais de 100 anos. A partir de sua descoberta, suas espécies foram hibridizadas pelo ser humano criando mais de 11 mil híbridos espalhados pelo mundo, de cores variadas.

Seu nome deriva do termo “Cymba”, palavra latinizada do grego “κυμβός” (kymbes), que significa “em forma de barco”, em referência à forma do labelo de suas flores.

Em seu habitat natural a Cymbidium cresce como uma planta epífita presa aos troncos de árvores, necessitando de um suporte para acomodar suas raízes e retirar seus nutrientes da atmosfera que estas lhe proporcionam. Mas também como uma planta terrestre, próxima ao solo, de onde retira os nutrientes de materiais em decomposição que caem das árvores.

Originária de regiões de altitudes elevadas e temperatura frias dos continentes Africano, Asiático e Oceania (Austrália, China, Índia, Sri Lanka, Malásia, Japão, Filipinas, Nepal e Vietnã), a orquídea Cymbidium é uma planta que possui resistência e tolerância a ambientes hostis e não necessita de muitos cuidados para se desenvolver e florescer.

Anúncios

Por esta razão, as orquídeas Cymbidiums estão entre as orquídeas mais adoradas pelos brasileiros e entre as mais comercializadas no país, sendo a grande maioria delas híbridas.

No entanto, assim como as orquídeas Cattleya, elas preferem um clima mais ameno, sendo menos populares em regiões mais quentes como o Nordeste, e muito mais popular em regiões como o Sul e o Sudeste do Brasil.

Características das Cymbidiums

Por ter sido largamente hibridizada, as características físicas das Cymbidiums podem variar muito dependendo da espécie, com tamanhos extremamente pequenos e outras alcançando até um metro.

A orquídea Cymbidium possui folhas longas, resistentes e finas, que crescem a partir da base do solo no pseudobulbo. Estes são cobertos pelas bainhas das folhas, dispostos um contra o outro ao nível do solo com uma ligação entre si feita por curtos rizomas subterrâneos.

Já as raízes aparecem a partir da parte inferior dos pseudobulbos e são carnudas, podem ser ligeiramente ramificadas. As raízes também são cobertas por um velame de cor esbranquiçada.

Em relação às flores, elas podem ter várias cores diferentes como rosa, amarelo, laranja, branco, marrom (vinho) e verde, monocromáticas ou coloridas, dependendo dos seus cruzamentos.

A Cymbidium pode produzir de 5 até 25 flores por haste, com a capacidade de produzir três ou mais ramos floridos por temporada (1 vez por ano), geralmente no outono e verão (de setembro até janeiro), podendo durar em média aproximadamente seis semanas.

Suas flores são de tamanho grande e exibem um lábio como padrão, divididas em várias hastes de 10 cm a mais de 1 metro, podendo ser de 3 tipos: eretas, semi-pendentes e pendentes.

Leia mais: Como Cuidar de Orquídeas? Conheça os Cuidados Necessários!

Cymbidium: Cuidados

Em geral, as espécies de orquídeas Cymbidium são bastante resistentes. Sendo assim, o seu cultivo pode ser algo fácil ou difícil, dependendo da região onde você for cultivá-la.

Isso porque ela gosta de climas mais frios ou amenos, não se adaptando muito bem aos climas quentes. Normalmente, para cuidar bem da orquídea Cymbidium é necessário fornecer uma temperatura mais baixa, bastante luz solar indireta, umidade média, boa ventilação e substratos capazes de manter a umidade.

Além disso, as regas devem ser feitas em momentos certos, os adubos devem ser adequados à cada fase do seu desenvolvimento e o seu vaso de terracota, sendo replantada a cada 2 ou 3 anos, conforme a necessidade dela.

Veja abaixo com mais detalhes!

Temperatura ideal

A temperatura ideal é muito importante para a orquídea Cymbidium, pois elas não toleram temperaturas muito altas e são muito mais resistentes ao frio do que outras orquídeas, sendo capazes de aguentar temperaturas muito baixas por pequenos períodos de tempo.

No entanto, ela deve ser protegida de geadas e de chuvas. Sendo assim, a temperatura ideal para ela fica entre 15ºC e 24ºC durante o dia, podendo diminuir para de 10ºC a 16ºC durante a noite, ou seja, uma diferença de ao menos -7ºC de temperatura do dia para noite.

Anúncios

Essa climatização de temperatura deve ser mais focada no período da floração e na fase de maturação dos botões da planta, principalmente na queda de temperatura das noites, que não pode ser mais elevada do que 12°C. Sendo assim até o outono ela pode ser deixada ao ar livre. Caso a temperatura for mais alta que essa, os botões podem cair.

Para criar essa baixa na temperatura durante a noite em regiões onde o inverno é mais ameno, a sugestão é borrifar a planta com água gelada à noite e colocar pedras de gelo sobre as bordas do vaso ou deixá-la exposta à céu aberto no frio da madrugada.

Luminosidade ideal

Muita gente confunde luminosidade com temperatura, mas são duas coisas muito diferentes, pois um ambiente bastante iluminado não é necessariamente quente. Uma boa luminosidade significa raios solares indiretos ou sob telas de sombreamento.

Dessa maneira você evita que as folhas se queimem com a incidência solar direta, além de não deixar que o substrato seque antes do tempo.

Para saber se a orquídea Cymbidium está recebendo uma quantidade de luz ideal, basta verificar a cor de suas folhas: folhas verde muito claro ao amarelo, significa exposição demais; folhas verde-escuro significa pouca luminosidade.

Umidade perfeita

Outro fator que muita gente confunde é a umidade, pois não tem nada a ver com regas, mas com a umidade relativa do ar. Esse é um dos maiores problemas encontrados no cultivo de orquídeas.

Isso porque nem todo mundo que cuida de orquídeas investe em um aparelho para medir a umidade do ar. No caso dos ambientes internos, como apartamentos ou lugares menores, que geralmente são isolados do solo, eles tendem a ser extremamente secos, devido a inúmeros fatores.

Como por exemplo, falta de circulação do ar, cortinas, tapetes, móveis estofados e até livros, todos capazes de retirar a umidade do ar e tornar o ambiente mais seco.

Essa baixa umidade relativa do ar, além de desidratar e debilitar a planta, favorece o crescimento de pragas, como cochonilhas e pulgões. No caso, da orquídea Cymbidium, a umidade perfeita para ela é de 40% a 60%, ou seja, não é um valor de alta umidade.

Mas, essa umidade do ar vai depender bastante do clima e da temperatura externa, pois durante o verão as temperaturas podem subir mais, sendo necessário criar uma ambiente mais úmido para elas.

Neste caso, a umidade pode ser elevada colocando uma vasilha com água perto de sua orquídea ou embaixo dela, desde que você eleve o vaso colocando seixos nessa vasilha, para que suas raízes não toquem na água. Outra opção é cultivar orquídeas próximas à fontes de água e aquários ou usar umidificadores de ar.

Ventilação

A ventilação é o fator mais fácil de ser proporcionando, pois praticamente todas as espécies de orquídeas, sem exceção necessitam do mesmo tipo de ventilação: correntes de ar de temperatura moderadas.

No entanto, tenha cuidado em deixá-las ao ar livre durante a primavera por conta da temperatura mais alta ou durante a floração para não arrancar suas flores e botões.

Sendo assim, a regra geral é mantê-las em local ventilado para que as temperaturas não se elevem demais, mas fora de correntes de ar muito bruscas para não derrubá-las, arrancar suas flores ou secar muito rápido o substrato e a umidade do ar.

Substrato ideal

Quando plantadas em vasos, a orquídea Cymbidium, como a maioria das outras orquídeas, necessita de substratos para o seu bom desenvolvimento. O ideal é ele ser uma mistura de húmus esterilizado e areia de rio, mas principalmente deve ser leve, poroso e capaz de manter um pouco da umidade por mais tempo.

Sendo assim, os substratos mais recomendados são a argila, seixos, brita e pedriscos de tamanhos variados, casca de pinheiro, fibra de coco, carvão vegetal e casca de orquídeas. Esta última é recomendada a fina e média para Cymbidiums menores de 15 cm e a casca de orquídea grossa é recomendada para as maiores que 15 cm.

Irrigação

A irrigação é outro fator preocupante ao aprender como cuidar de orquídeas. Isso porque a quantidade de água é muito importante para o sucesso do seu cultivo. Isto é, se você regar em excesso pode acarretar em várias doenças e apodrecer suas raízes, matando a sua orquídea.

E caso você deixar de regá-la, o seu substrato vai secar e ela vai ficar fraca, permanecendo sem florescer por 2 anos, podendo até morrer. Portanto, existem alguns cuidados básicos que devem ser seguidos quanto à sua irrigação.

Se possível, a água pode ser de chuva, senão que seja em temperatura ambiente. Por ter
raízes grossas e muito absorventes, devido à resistência aos ambiente mais hostis na natureza, a quantidade de regas podem ser semanais.

Além disso, regue com mais frequência durante os meses mais quentes (2 a 3 vezes por semana), pois nesses períodos a umidade tende a ser mais baixa e a temperatura mais alta, aumentando a evaporação da água rápida.

Anúncios

Regue também apenas quando o substrato estiver quase seco. Quando os pseudobulbos pararem de crescer, pode reduzir a rega, pois ela não vai precisar mais de tanta água. Durante o inverno, regue apenas 1 vez por semana.

Já durante a sua floração, evite molhar as flores para evitar infecções ou ataque de doenças, regando apenas as folhas e as raízes. Mas faça regas mais frequentes e abundantes, deixando-as úmidas, mas nunca encharcadas.

Leia mais: Como Regar Orquídeas: Saiba Como Mantê-las Sempre Belas

Adubação/Fertilização

Apesar de simples a adubação, você deverá tomar alguns cuidados para não atrapalhar o crescimento da orquídea Cymbidium em determinadas fases. Isso significa que a sua fertilização deve ser feita com regularidade, mas alterando a proporção de acordo com o estágio de desenvolvimento da planta.

Isso porque, como na irrigação, a falta ou o excesso de adubos podem prejudicar a floração. Além disso, um dos principais fatores para não prejudicar a planta é observar se o substrato está seco.

Isso porque não se pode adubar a orquídea se ela estiver completamente seca, pois o adubo pode queimar suas raízes e folhas. Por isso que a adubação é sempre feita juntamente com a rega, para não correr esse risco.

Há dois tipos de tipos de adubação: orgânica e química. No caso da adubação orgânica, uma boa opção é utilizar farinha de osso e torta de mamona. Na adubação inorgânica, basicamente você vai encontrar adubos conhecidos pela fórmula NPK, sendo mais fácil de utilizar, principalmente no cultivo dentro de casa.

Anúncios

Em geral, a orquídea Cymbidium deve ser adubada com uma mistura na proporção de NPK 30:10:10, que significa 30 partes de azoto (Nitrogênio N), 10 partes de Fósforo (P) e 10 partes de potássio (K), durante a fase de crescimento.

Na fase de floração planta é necessário aumentar a quantidade de fósforo na fórmula, variando para NPK 10:30:20, para em seguida equilibrar a fórmula utilizando NPK 10:10:10 ou NPK 20:20:20 nos demais períodos.

Lembrando que essa aplicação deve ser feita duas vezes por semana com o produto dissolvido em água de irrigação numa porcentagem bem baixa, em torno de 0,5%, não excedendo 1 grama por litro de água. Ou seja, em uma proporção 2x menor do que o recomendado na embalagem.

Pragas e Doenças

De um modo geral, a orquídea Cymbidium é muito resistente a pragas e insetos quando cultivada corretamente. Mesmo assim, são necessários alguns cuidado para que ela não seja infectada por doenças ou insetos.

Uma das principais pragas que podem atacar a orquídea Cymbidium é o ácaro vermelho, porém, apenas se ela estiver em ambiente muito seco ou na falta de regas. Para exterminá-lo é preciso utilizar um bom acaricida e deixar o solo e o ar úmidos, evitando encharcar o vaso para não apodrecer a raiz.

Outros tipos de ácaros também podem aparecer eventualmente, como os pulgões e cochonilhas, bactérias e fungos, devido à falta e/ou excesso de umidade, luz e substrato ruim.

Como plantar orquídea Cymbidium

Além de tomar cuidado com todos os fatores citados acima, para plantar a orquídea Cymbidium é essencial escolher o melhor vaso para facilitar o seu cultivo. Sendo assim, o ideal é que ele tenha uma boa drenagem e escoamento de água, além de ser pequeno, mais apertado e alto.

Preenchendo estes requisitos, temos o vaso de terracota com furos em suas laterais. No entanto, ela também pode ser plantada em árvores, pedaços de troncos e na terra, caso seja uma espécie terrestre.

No entanto, para plantar a orquídea Cymbidium na terra, saiba que nem todas podem ser colocadas diretamente no solo. Por isso, prefira utilizar vasos, pois eles têm uma maior probabilidade de se adaptar à espécie da sua orquídea.

Para plantá-la no vaso, basta retirar com cuidado a sua orquídea do vaso original e colocá-la dentro do vaso escolhido. Se for o de terracota ou de fibra, hidrate-o um dia antes, deixando submerso algumas horas em água.

No dia seguinte, preencha o fundo com uma das opções de substrato ou combinações dele. Este material, que pode ser isopor, brita ou argila expandida, tem a função de impedir que a água se acumule e prejudique o desenvolvimento das raízes das orquídeas.

Em seguida, coloque a sua planta sobre ele e preencha com o restante de substrato, musgo úmido (esfagno) e cascas de árvore para que ela fique firme, sem abafar suas raízes. Por fim, regue um pouco e deixe escoando bem a água.

Como replantar

O replantio também é extremamente necessário para que sua orquídea seja bem cultivada, pois à medida que vão crescendo as orquídeas Cymbidium vão ficando grandes demais e o vaso mais apertado.

Anúncios

Além disso, os seus substratos também vão ficando velhos, retendo demais água ou não conseguindo reter água. Mas não se preocupe, pois a orquídea Cymbidium apenas precisa de replantio em média a cada 2 ou 3 anos, podendo ser dividida ou replantada em vaso maior.

No entanto, o melhor momento para se replantar uma orquídea, é 2 a 3 semanas após a floração, seguindo as mesmas precauções e passos do plantio acima.

Como recuperar uma orquídea Cymbidium

Mesmo com muitos cuidados, nenhuma orquídea está livre de sofrer de alguns males, seja por falta de conhecimento ou negligências, acarretando em raízes apodrecidas ou somente desidratadas.

Mas saiba que é possível recuperá-las. No caso da desidratação das raízes, basta utilizar soro fisiológico com um borrifador, aplicando na orquídea durante 15 dias.

Há também uma técnica conhecida por “UTI das orquídeas”, que consiste em colocar a planta em uma garrafa PET com substrato.

Para utilizar a técnica, basta limpar bem a planta, retirando as partes apodrecidas e lavando com cuidado. Em seguida, pegue uma garrafa PET previamente lavada e desinfete. Depois, corte-a no meio, na altura do rótulo e coloque a planta no fundo da garrafa com o esfagno, fechando-a.

Vale ressaltar que o esfagno tem que ser fervido por 10 minutos para hidratar e esterilizar, e a garrafa deve ficar em lugar sombreado, sem luz direta, por alguns dias ou até que a planta apresente resultados de melhora.

Orquídea Cymbidium: Como fazer florir

No caso das orquídeas Cymbidium, os novos brotos costumam surgir durante a primavera e o verão, sendo que as hastes começam a despontar no outono, florescendo no inverno.

No entanto, novos brotos podem surgir em outras épocas do ano, mas hastes e flores somente desenvolvem-se durante o outono e o inverno, induzidos pela queda de temperatura típica destas estações.

Isto porque, como dissemos, a orquídea Cymbidium é nativa de países asiáticos como China, Indonésia e Japão, sendo que a sua ocorrência se dá principalmente em locais de clima temperado e altitudes elevadas onde o clima fica mais propício nessa época do ano.

Por isso, é mais difícil cultivar a orquídea Cymbidium em regiões de climas mais quentes.

Sendo assim, para fazer esta orquídea florescer torna-se um desafio quase impossível, dificilmente dando flores quando cultivada dentro de casa ou apartamentos, pois ela se desenvolve melhor em jardins e áreas externas, já que além de orquídeas epífitas, elas também são orquídeas terrestres.

Além disso, nem sempre são erros de cultivo os culpados da orquídea Cymbidium não florescer, existem também alguns motivos naturais como ela ser muito nova ou estar em um período logo após o replantio. Neste caso elas demoram a florescer de 6 meses a 1 ano.

Como esse é um dos maiores desafios enfrentados por orquidófilos, vamos abordá-lo mais a fundo abaixo:

Temperatura

Para começar, a orquídea Cymbidium necessita de um clima mais ameno ou frio para florir, sendo necessárias as variações de temperatura. Mais precisamente, elas necessitam de uma queda de temperatura durante a noite.

Essa queda de temperatura faz com que as hastes florais se soltem para que a floração aconteça. Por isso, o recomendado é tentar baixar a temperatura à noite para 10 graus.

Local e Iluminação

Caso os botões estejam caindo antes de abrir as flores, isso pode ser um sinal de que o local não esteja apropriado. Talvez você tenha mudado ela de lugar e elas não gostam disso, pois demoram a se climatizar, atrapalhando a floração.

Assim, escolha bem o melhor local para colocar sua orquídea e troque menos possível. Observe também se ela está recebendo quantidade suficiente de luz. Quando elas não recebem muita iluminação as flores demoram a surgir, ou quando a luz é em excesso, as folhas são queimadas, suprindo a floração.

Água e Adubação

Outro item que pode afetar a floração da orquídea Cymbidium é a água utilizada durante as regas. Água com um teor de sal muito alto, fazem as folhas cair, deixando as pontas pretas, podendo até matar a planta.

A adubação incorreta também pode atrapalhar, pois ela precisa de uma quantidade de nutrientes específicos para realizar a sua floração ou ela pode estar sendo sobrecarregada com excesso de adubo. Se for excesso de adubo, nesse caso as raízes começarão a apodrecer.

Haste Floral

Anúncios

Além dos cuidados para fazer ela florir, é preciso também cuidar dela durante a floração para que as flores durem. Por exemplo, quando sua haste ou cachos estiverem bem formados, forneça um tutor para suporte.

Ou seja, pegue uma vareta de bambu ou alguma estaca e amarre-os para evitar que as hastes quebrem durante seu desenvolvimento e prejudique novas florações. Isso porque elas devem se manter eretas. Após o uso, descarte as estacas de madeira utilizadas e não as reutilize, para evitar transmitir doenças para as outras orquídeas.

Brotos

Caso você observe o aparecimento de brotos, isso é um ótimo sinal para sua floração, pois significa que em cerca de 4 a 6 meses vão aparecer as flores. Sendo assim, não retire nenhuma muda nesse período e tome cuidado com brotos em excesso, pois eles podem atrapalhar sua floração. Caso isso ocorra quebre alguns deles, para não sobrecarregar muito a sua orquídea.

Como podar e propagar orquídea Cymbidium

Por fim, você deve tomar um cuidado especial com a poda da sua orquídea Cymbidium, retirando apenas os pseudobulbos velhos se eles estiverem ocupando muito espaço no vaso.

Isso porque, mesmo com uma má aparência, eles ainda fornecem nutrientes para a planta toda – e ainda contribuem para que ela floresça todo ano. Quando ela orquídea não estiver mais utilizando estes pseudobulbos, eles ficam tão secos que você vai poder retirá-los com a mão, sem precisar cortar.

A poda dos pseudobulbos velhos só deve ser feita em casos de melhora na aparência para exposição, por exemplo, ou para ganhar espaço no vaso. Ela também só deve ser feita após a floração, removendo as flores e as folhas que estiverem mortas.

A propagação é feita por divisão de touceiras, a fim de retirar as mudas. Basta dividir sempre com pelo menos dois pseudobulbos, evitando sacrificar a planta-mãe, não danificando as raízes ao retirar a muda.

Tipos de Cymbidium e espécies

As orquídeas Cymbidium podem ser de hastes eretas, semi-pendentes e pendentes. Muitas espécies são utilizadas em cruzamentos híbridos para produzir orquídeas bem famosas como as Cymbidiums amarelas ou brancas. Enquanto outras são muito conhecidas comercialmente.

A criação da Orquídea Cymbidium aconteceu através de diversos cruzamentos entre híbridos de cores diferentes. Para chegar nas flores brancas e rosas, por exemplo, foi utilizado o cruzamento da Cymbidium insigne com a Cymbidium eburneum. Já para as flores amarelas foram utilizadas as Cymbidium traceyanum, entre vários outros exemplos.

As principais espécies desse gênero são: Cym.canaliculatum, Cym.dayanum, Cym.devonianum, Cym.eburneum, Cym.ensifolium, Cym.insigne, Cym.lowianum, Cym.madidum, Cym.parishii, Cym. traceyanum.

Veja abaixo algumas espécies desse gênero:

Orquídea Cymbidium aloifolium

A espécie de Orquídea Cymbidium aloifolium é pequena mais abundante.
A espécie de Orquídea Cymbidium aloifolium é pequena mais abundante.

Essa é uma orquídea epífita, sendo que às vezes até litófita. Normalmente, ela é encontrada em locais de altitude relativamente mais baixa, que podem chegar até 1100 metros.

A orquídea Cymbidium aloifolium possui folhas grossas com tamanho variando entre 12 e 24 polegadas. Ela gosta muito de sol, sendo que em alguns casos pode até receber luz solar direta durante o inverno.

Ela também é usada como remédio anti-inflamatório na Índia para combater paralisia, febre, fraqueza nos olhos entre outras doenças.

Orquídea Cymbidium floribundum

A espécie de orquídea Cymbidium floribundum é bastante exótica.
A espécie de orquídea Cymbidium floribundum é bastante exótica.

Essa é uma orquídea chinesa nativa principalmente do estado de Yunnan. Ela é epífita e em alguns casos litófita, normalmente encontrada em florestas que variam de uma altitude de 400 a 3300 metros.

Sua floração ocorre durante a primavera, produzindo de 6 a 10 flores. Normalmente ela gosta de ambientes mais frios e de vasos mais apertados. A orquídea Cymbidium tiger moth é um híbrido entre essa espécie e a Cymbidium tigrinum.

Orquídea Cymbidium devonianum

A espécie de orquídea Cymbidium devonianum é pendente.
A espécie de orquídea Cymbidium devonianum é pendente.

Essa é uma orquídea rara aqui no Brasil, pois vive em altitudes que podem variar de 1500 a 2000 metros em florestas de países como o Nepal, Butão, Tailândia, Índia e Laos.

Essa espécie é muito utilizada em hibridações, especialmente para produzir Cymbidiums de várias cores como marrom, branco, vermelho ou verdes. Sua floração normalmente gera entre 15 a 35 flores e cada flor possui cerca de 3,5cm de diâmetro.

Orquídea Cymbidium Vermelha/Vinho:

Orquídea Cymbidium canaliculatum
Espécie de flores vermelhas: Orquídea Cymbidium canaliculatum
Espécie de orquídea Cymbidium Vermelha.
Espécie de orquídea Cymbidium Vermelha.
Espécie de orquídea Cymbidium Vermelha/vinho.
Espécie de orquídea Cymbidium Vermelha/vinho.

Orquídea Cymbidium Rosa:

Orquídea Cymbidium rosa
Espécie de Orquídea Cymbidium rosa
Espécie de Orquídea Cymbidium rosa com pintas
Espécie de Orquídea Cymbidium rosa com pintas
Espécie de Orquídea Cymbidium rosa e interiro amarelo.
Espécie de Orquídea Cymbidium rosa e interiro amarelo

Orquídea Cymbidium Amarela:

Espécie de Orquídea Cymbidium tracyanum "Stirling Sweet" amarela e marrom.
Espécie de Orquídea Cymbidium tracyanum “Stirling Sweet” amarela e marrom.
Espécie de Orquídea Cymbidium de flores amarelas
Espécie de Orquídea Cymbidium de flores amarelas
Espécie de Orquídea Cymbidium de flores amarelas e rosas
Espécie de Orquídea Cymbidium de flores amarelas e rosas
Espécie de Orquídea Cymbidium de flores amarelas e vermelho.
Espécie de Orquídea Cymbidium de flores amarelas e vermelho.

Orquídea Cymbidium Verde:

Cym.madidum-lindley-verde
Espécie de orquídea Cymbidium madidum Lindley verde.
Espécie de orquídea Cymbidium lowianum verde.
Espécie de orquídea Cymbidium lowianum verde.
Espécie de orquídea Cymbidium ensifolium verde.
Espécie de orquídea Cymbidium ensifolium verde.
Espécie de orquídea Cymbidium madidum verde.
Espécie de orquídea Cymbidium madidum verde.

Orquídea Cymbidium Branca:

Espécie de Orquídea Cymbidium pseudoballianum branca
Espécie de Orquídea Cymbidium pseudoballianum branca
Espécie de Orquídea Cymbidium insigne branca
Espécie de Orquídea Cymbidium insigne branca
Espécie de Orquídea Cymbidium parishii branca
Espécie de Orquídea Cymbidium parishii branca
Espécie de Orquídea Cymbidium sanderae branca
Espécie de Orquídea Cymbidium sanderae branca
Espécie de Orquídea Cymbidium dayanum Loyola branca
Espécie de Orquídea Cymbidium dayanum Loyola branca
Espécie de Orquídea Cymbidium branca com rosa e vinho
Espécie de Orquídea Cymbidium branca com rosa e vinho

Orquídea Cymbidium Laranja:

Espécie de Orquídea Cymbidium laranja
Espécie de Orquídea Cymbidium laranja
Espécie de Orquídea Cymbidium Darch Dots Wild Cat de flor laranja
Espécie de Orquídea Cymbidium Darch Dots Wild Cat de flor laranja

Agora você já sabe tudo sobre essa planta maravilhosa e vai conseguir cuidar muito bem da sua Orquídea Cymbidium. Basta seguir todas essas dicas e em pouco tempo sua orquídea estará te presenteando com lindas flores. Experimente, e volte depois apra nso contar como está sendo a sua experiência!

2 Comentários

  1. Sou uma apaixonada por orquídeas,pra mim são anti-depressivas pena que ainda não sei cuidar direito ,mas prometo me enpenhar mais

Escreva um Comentário