Planejamento e controle de obras

Planejamento E Controle De Obras – Aprenda Tudo Sobre!

Provavelmente você já saiba como o planejamento e controle de obras é indispensável, certo? Talvez o que você ainda não sabe é o impacto que essas atividades têm no bom desempenho da empresa.

Para entender melhor sobre o assunto, elaboramos este artigo para que você faça construções mais planejadas, organizadas e bem-sucedidas!

O planejamento e controle de obras

Procedimentos de planejamento e controle de obras envolvem alguns métodos imprescindíveis. Por causa disso, que o gerenciamento de todas as fases antes mesmo da construção, desde a criação da planta até a aplicação do último tijolo, deve ser efetuado com muito cuidado e atenção.

Existem procedimentos essenciais associados ao planejamento e controle de obras já bem conhecidos por engenheiros civis e outros profissionais do ramo, que podem estabelecer tanto o sucesso quanto o fracasso de uma obra. Apesar disso, não existe nenhuma receita de bolo que sirva para todas as situações.

Não considere que à ação de planejar e controlar seja só prever datas e prazos. Essas funções são complicadas e implica todos os aspectos de uma obra, desde a mão de obra até os materiais que serão usados.

O resultado

É necessário perceber que ter todo este esforço e cuidado no começo da obra pode prevenir muitos problemas, eventualidades, atrasos e até mesmo acidentes.

Junto ao planejamento é possível observar a evolução do projeto e prever ações que podem garantir preço, prazo e qualidade. Através dessa gestão você monitora essas ações e, se preciso, pode alterar sua estratégia.

Logo, o processo de planejamento e controle de obras é essencial para atingir metas no decorrer do projeto.

Métodos de planejamento e controle de obras

Anúncios

Métodos de planejamento e controle de obras

Para um controle completo, o planejamento de obras será desde a   planta ao acabamento, e maior parte dessas etapas são divididas entre um gestor de obras e um orçamentista, várias delas bem longas e cheia de detalhes. Esteja ciente que qualquer uma dessas fases cria um mundo à parte, com várias outras ações a serem executadas dentro da respectiva finalidade.

Anúncios

Abordaremos agora os principais métodos de planejamento e controle de obras, continue lendo e tire suas dúvidas.

1 – Identificar Atividades

Na primeira parte do planejamento, é crucial determinar todas as atividades da obra, sem abandonar qualquer serviço para trás, se isto ocorrer a obra com certeza ficará atrasada. Não deixe de lavar em consideração todas as fases associadas ao canteiro de obras e aos projetos hidráulicos, estruturais, ambientais, arquitetônicos e emergenciais.

A forma mais fácil e simples de compreender quais atividades você precisa realizar na obra é por meio da EAP (Estrutura Analítica do Projeto). O maior benefício em utilizar a EAP é graças a sua facilidade de interpretar o projeto e detectar se algum item da obra está em falta.

Há outros meios de realizar esta etapa do planejamento com mapas mentais ou através de software como o Mindmeister.

2 – Duração da Atividade

Para a elaboração de um cronograma coerente e correto será necessário conhecer a duração das atividades que você irá levantar com a sua EAP.

A duração é a quantidade de tempo em horas, dias, semanas ou meses que o serviço será realizado na construção.

Existem algumas durações que são fixas e não necessitam da quantidade de mão de obra ou equipamentos para serem concretizadas, como por exemplo: a cura do concreto. No entanto, existem também as que se baseiam na quantidade de mão de obra e equipamentos, por exemplo, serviço de alvenaria.

A duração das atividades, portanto irá necessitar da quantidade do serviço, da produtividade da mão de obra e da quantidade de recursos planejado no cronograma.

Pronto, basta determinar esta relação entre prazo/equipe que o projeto precisa possuir para então cumprir com o custo e prazo estabelecidos no orçamento.

Esta é uma das etapas mais importantes para o planejamento e controle de obras serem coerentes, sem deduzir o tempo que cada serviço terá para ser entregue a obra no prazo previsto.

3 – Definir as Precedência

Agora você terá que definir a conexão entre os serviços, isto é, quem vem antes de quem. Conhecer a ordem de cada função é primordial para concluir essa fase.

Nessa etapa é preciso compreender um pouco sobre a metodologia da obra ou ter alguma experiência em campo. Se você não tiver nenhum conhecimento, peça ajuda aos profissionais mais experientes.

Ao realizar isto, possuirá em mãos um plano de execução coerente e principalmente executável que gerará sentido para todos os envolvidos, um cronograma que de fato será usado e seguido pelo gerente de obra.

Anúncios

Esta fase, junto a duração das atividades, é a chave para se ter um bom planejamento e controle de obras, portanto atue nestas etapas com o máximo de detalhes e transparência. Um erro aqui e todo o esforço terá sido em vão.

4 – Cronograma da obra

Normalmente o cronograma de obra é representado pelo gráfico de Gantt, que é uma ferramenta indispensável para gestão de projetos, pois ajuda na leitura da configuração de cada atividade no decorrer do tempo.

Outras ferramentas também podem ser usadas para gerar este relatório, mas será através dos conhecimentos adquiridos que você conseguirá elaborar um cronograma coerente e próximo da realidade, pois o software não irá planejar a obra para você.

Quando não se utiliza cronogramas nas obras, atrasos são visto com frequência e isso gera desvalorização aos profissionais de planejamento e de campo.

5 – Compra de serviços e materiais

Nesta etapa serão adicionados os serviços e matéria-prima. Organize os estágios criados no orçamento e atente-se à estimativa de entrega. Além disso, verifique quantidades, custos e antecipe-se em caso de imprevistos.

No decorrer da compra dos materiais, é necessário calcular o espaço para armazenamento, tal como a validade dos produtos. O prejuízo com o desperdício de materiais por vencimento ou má instalação pode ser grande, além de abortar o que foi anteriormente planejado.

Quanto à contratação e/ou terceirização de outros profissionais, o planejamento segue o mesmo raciocínio: quanto mais específico, maior será a facilidade na compra dos serviços. Tenha consciência que os trabalhadores estarão diretamente relacionados com a qualidade da entrega. Desta forma, a escolha apurada é fundamental para garantir bons resultados.

Crie uma lista por função, tempo de contrato e etapa do projeto. Em diversas situações, é indicado considerar à ajuda de um empreiteiro ao invés da procura pelo especialista de cada setor, por exemplo.

6 – Gerenciamento administrativo e operacional

O planejamento e controle de obras administrativo e operacional tende a ser feito com muita antecedência. Tendo em mente tanto o canteiro de obras, o fluxo de pessoas e materiais e a dimensão dos alojamentos provisórias, como também a escolha dos equipamentos. Esse é o momento de observar tudo o que sucede durante a execução.

Empregar um diário de obras com certeza será viável, pois é nele que ficará todos os registros a respeito do que está sendo realizado. Além de ter o controle do planejamento da obra para a próxima fase e também identificar as adversidades encontradas pelo caminho.

No momento em que todas as informações estão registradas, fica mais fácil enxergar o andamento das ações e prever os possíveis erros. O uso da tecnologia a seu favor também é uma excelente forma de controlar os dados em tempo real da obra e compará-los ao planejamento, com o intuito de apurar se tudo está de acordo com o previsto.

7 – Gestão das atividades

Junto ao processo de gestão é estabelecido um controle severo sobre as atividades. A fim de conseguir resultados eficientes, torna-se indispensável os meios de avaliação da produtividade. Desse modo, você será apto para verificar a qualidade dos serviços prestados e diminuir os desperdícios dos materiais e tempo, o que evita prejuízos financeiros.

8 – Adaptação do planejamento físico-financeiro

O feedback do planejamento físico-financeiro equivale a realizar todo e qualquer processo no decorrer da execução da obra. É necessário utilizar medidas para retificar possíveis erros e amenizar seus efeitos, com o objetivo de atingir as metas de custo e de prazo.

No decorrer do processo de planejamento e controle de obras, é normal que alguns imprevistos ocorram. Mesmo que pretendamos ver a programação seguida à risca, existe a chance de que atrasos ou a não disponibilidade na entrega de materiais acabem ocorrendo. Podemos citar doenças ou incapacidades temporárias por parte dos trabalhadores, oscilação e/ou instabilidades climáticas, entre outros, como exemplo disso.

Conclusão

Para  garantir um bom planejamento e controle de suas obras, faça sempre treinamentos e mantenha um diálogo aberto e transparente com sua equipe. Certifique-se dos detalhes e permaneça organizado. Tenho certeza que esse artigo trará mais clareza quando você for realizar as etapas desses processos.

Restaram dúvidas sobre planejamento e controle de obra?  Se sim, é só deixá-la nos comentários abaixo e nós estaremos prontos para lhe responder! Agora, caso tenha conseguido retirar suas dúvidas com este artigo, então não deixe de compartilhar com seus amigos e conhecidos, nunca se sabe quem você pode acabar ajudado no percurso!