Atualmente, não há uma obra que não leve junto um projeto hidráulico. Afinal de contas, ninguém vive sem água!

Todas as tubulações que levam a água diretamente até nossa residência fazem parte do projeto hidráulico, bem como as tubulações que levam nosso esgoto para bem longe. E, é claro, tudo isto necessita ser cuidadosamente planejado desde a etapa inicial da construção.

Aqui neste artigo nós iremos focar no projeto hidráulico, descrevendo tudo que o compõem e sua real importância, para que você, ao final deste artigo, saiba exatamente o quão importante ele é.

Preparado para embarcar nesta leitura sobre projeto hidráulico? Pois então vamos lá!

O Projeto Hidráulico

Parte essencial de qualquer obra, o projeto hidráulico é composto de: projeto arquitetônico e hidráulico, rede de distribuição de água quente e fria, caixa d’água, rede de esgoto e coleta de águas pluviais e esgoto.

Quer saber o que está incluso em uma planta hidráulica? A gente te ajuda nisso também!

Em uma planta hidráulica você irá encontrar todo o conjunto de ramificações por parte dos encanamentos, bem como os lugares por onde cada ano irá passar, seus tamanhos e outros tipos de detalhes. É bom ter em mente que os encanamentos não são exclusivos para a distribuição de água, mas também para gás, eletricidade, etc.

Se você pretende realizar alguma reforma em sua residência, do tipo que irá resultar na quebra de alguma parede, é importante que você tenha em mãos seu projeto hidráulico, bem como a planta geral. Isso irá lhe ajudar a:

  • Identificar se há algum tipo de cano naquela parede a qual você planeja mexer;
  • Ter em mente qual o registro fechará a água, ou então qual caixa se desconecta a um determinado cômodo;
  • Saber quais serão as ramificações ficarão com falta de água (ou no escuro) durante o tempo de sua reforma.

Uma outra coisa para se atentar é com relação a pressão da água na rua. Uma pressão muito baixa fará com que sua caixa d’água demore para encher, e isso poderá acarretar alguns problemas para sua residência. Problemas como a escassez de água em casa, o mau funcionamento de lavadoras de roupa, chuveiros, louças, etc.

“Então quanto mais alta for a pressão melhor?”

Mais ou menos. Quanto mais alta for a pressão, mais larga deverá ser sua tubulação, e mais fortes suas conexões, do contrário elas podem acabar não suportando uma pressão tão elevada. A melhor estratégia aqui é instalar dispositivos que possam controlar estes dois extremos de pressão.

Itens que compõem um projeto hidráulico

Vamos focar agora em descrever cada um dos itens que compõem o projeto hidráulico, para que você consiga entender cada um deles separadamente

1 – Projeto hidráulico e arquitetônico

Estes dois projetos costumam andar praticamente de mãos dadas. É no projeto arquitetônico que serão definidos os pontos de água, a localização dos registros, pias, chuveiros, ralos, duchas, tanque, grelhas, máquina de lavar, vasos sanitários, fornecimento de água quente para chuveiros e torneiras, dentre outros elementos que fazem parte do sistema.

Já o projeto hidráulico analisa os aspectos técnicos presentes na instalação hidráulica. É nele que serão definidos os caminhos e posições das tubulações e suportes da caixa d’água, bem como dimensões e conexões destas tubulações. Porém, por ser considerado como um projeto auxiliar, isto faz com que a maioria das obras acabe não contando com ele, mas isto acaba trazendo consequências futuras com gasto de materiais, manutenções e reformas.

O ideal aqui é a contratação de um bom encanador para executar estes serviços e, como as instalações hidráulicas se iniciam desde o começo da obra, o recomendado é que este encanador participe da construção como um todo, do inicio ao fim.

2 – Rede de distribuição de água fria e quente

A água fria presente em um projeto hidráulico é toda aquela água que você utiliza diariamente, seja para lavar um prato ou matar a sede. Com isto em mente, tubulações de água fria são aquelas que trazem até você a água potável proveniente da rede pública, ou da caixa d’água, para vasos sanitários, pias, chuveiros, torneiras, tanque, e para o que mais você a utilizar.

Sistema de água fria

Neste sistema a água sai da caixa d’água, descendo pelas colunas de distribuição, passando pelas conexões e tubulações (geralmente feitos de PVC) até atingir os pontos de uso, espalhados por toda a residência.

Observe que nos pontos de uso são usadas conexões azuis feitas de PVC roscável. Tais conexões possuem uma rosca interna de latão, e são usadas para conectar as os registros e torneiras dos pontos de consumo com base roscável.

Foquemos agora na água quente, responsável por abastecer pias e chuveiros. Mas claro, este tipo de sistema é encontrado em casa com aquecedores, geralmente solares, a gás ou elétricos. Podemos dividir estes aquecedores em duas categorias, os de passagem e os por acumulação.

Os de passagem são pequenos, e eles aquecem a água conforme ela passa por dentro deles. Sua desvantagem reside no fato deles atenderem poucos pontos por vez.

Já os por acumulação são os chamado boilers, onde a água será aquecida em um reservatório. A vantagem aqui é que a água quente será disponível prontamente.

Agora, se tratando dos solares, sua popularidade tem aumentado bastante nos últimos tempos, devido a sua redução de preço e economia no consumo de energia. E claro, aqui você precisará dispor de um espaço para a exposição solar, sendo que ele é normalmente instalado nos telhados.

O CPVC, um tipo mais resistente de PVC que resiste a temperaturas elevadas, é o maus utilizado em tubulações de água quente. Alem dele, o cobre, PEX e PPR também são materiais bastante utilizados para este tipo de tubulação. Tubos de PVC não podem ser usados aqui, devido ao fato de não resistirem bem ao calor, podendo trazer problemas para a obra.

3 – Caixa d´água

A caixa d´água é parte presente em todas as construções, sendo ela a responsável por abastecer toda sua residência.

Seu projeto deve ser calculado a parte, desde o peso que ela acarreta para a laje que a suporta, até o cálculo próprio para caixa d’água. Entretanto, para o projeto hidráulico não é este o tipo de cálculo mais importante.

Aqui é importante entendermos as tubulações que compõem uma caixa d´água, de modo a não ter nenhum tipo de dúvidas quando for analisar o projeto hidráulico para sua construção.

Alimentação

A tubulação de alimentação da caixa é aquela responsável por encher sua caixa d´água com a água potável do sistema público, sendo seu nível controlado pela boia.

Boia

A boia é responsável por controlar o nível máximo de sua caixa d’água, sendo que quando sua caixa está cheia é a boia a responsável por interromper o fluxo de alimentação quando a caixa estiver cheia, ou permitir que a alimentação trabalhe quando a caixa estiver “vazia”.

Ladrão/Extravasador

Caso a boia falhe por algum motivo, o ladrão entrará em ação para impedir que sua caixa transborde, o que pode acabar gerando até mesmo infiltrações na laje.

Abastecimento

Esta é a tubulação que irá levar a água da sua caixa para os demais pontos de sua residência.

Ventilação

Tem como intuito retirar o ar de dentro do sistema sempre que o nível de água abaixa, ou então quando a caixa se esvazia e acaba entrando ar na tubulação.

4 – Rede de esgoto

A rede de esgoto é de extrema importância em um projeto hidráulico, é ela a responsável por mandar embora efluentes de vasos sanitários, ralos e pias de sua casa até o sistema de esgoto de sua cidade.

É importante que a água suja que tenha sido coletada aqui passe por sua caixa de gordura antes de ser mandada diretamente para a rede pública. Caixas de gordura tem como intuito separar gordura e restos de alimentos, para que eles não entrem na rede pública e causem entupimentos. É importante realizar a limpeza da caixa de gordura a cada 6 meses.

O escoamento do sistema de esgoto é feito pela gravidade, ou seja, tais tubulações deverão possuir uma declividade para que o escoamento ocorra. Tal inclinação é definida de acordo com o diâmetro da tubulação utilizada, sendo que tubulações menores ou iguais a 75 mm deverão possuir uma inclinação de 2%, já para diâmetros superiores a 100 mm a inclinação deverá ser de 1%.

Há um PVC próprio para este tipo de tubulação, sendo o PVC brando para esgoto série reforçada ou normal.

5 – Rede de águas pluviais

Responsável pelo escoamento de águas das chuvas, a rede de águas pluviais não está presente em todo projeto hidráulico. Não se trata de uma água potável, porém pode sim ser utilizada para tarefas como regagem do jardim e descargas. É sempre bom lembrarmos que este sistema deve estar a parte do sistema de esgoto pois, em épocas de chuva intensa, o volume em conjunto é alto demais para a rede de esgotos.

Tal sistema se dá inicio no telhado, com a utilização de calhas, bocais para escoamento e tubos de coleta de água em grelhas ou então em escoamentos na sarjeta logo a frente do lote. As grelhas são utilizadas para escoar a água que se acumula nos pisos.

A exemplo do sistema de esgotos, aqui o escoamento também é feito pela gravidade. A inclinação recomendada aqui é de 1%, podendo haver variações de acordo com a intensidade de chuvas da região. E aqui também há tubos PVC de linha própria para a função de drenagem de águas pluviais.

Agora que você já tem uma boa noção do que compõem um projeto hidráulico, que tal focarmos em sua real importância?

Motivos que tornam o projeto hidráulico importante

Abaixo nós separamos 5 motivos que tornam o projeto hidráulico super importante, acompanhe.

1 – A economia apresentada

“Como posso economizar se estarei gastando com o projeto hidráulico?”

A um primeiro momento você pode até pensar assim, achar que a contratação de profissionais específicos para a criação e execução dos projetos hidráulicos pode ser um gastos desnecessário, mas não é bem assim. Já de cara o projeto hidráulico reduz 20%, em média, do custo total de sua obra. E isso só levando em consideração o desperdício de material que será evitado, pois agora você terá um projeto específico para sua obra, e não um geralzão.

Ele também oferece uma economia a médio e longo prazo. Ao realizar tal projeto, você estará se resguardando de patologias futuras que poderão (e inevitavelmente irão) ocorrer em sua residência, problemas estes relacionados a instalações de água e de esgoto. Tais problemas surgem pela falta de um projeto hidráulico específico para aquela obra, ou então pela mão de obra sem treinamento ou experiência que tenta executar tal projeto.

2 – Orientação para manutenção

Todo tipo de projeto possui sua vida útil, sendo necessário em algum momento de manutenção ou reparos, e a sua estrutura hidráulica não é exceção a regra. Caso você não possua um projeto bem elaborado, isto se tornará um incômodo para quando for realizar reparos e manutenções. O que dissemos acima sobre a importância de ter um projeto ou planta hidráulica em mãos se torna necessário aqui, de modo que você possa saber exatamente onde cada tubulação está passando. Acredite, isto poderá evitar uma dor de cabeça enorme para você!

3 – Nada de inconformidades e patologias com o projeto hidráulico

O diferencial de se contratar um projetista que realmente sabe o que faz, é evitar as patologias que consequentemente surgem em projetos ruins. Fuja de quem oferece valores muito abaixo do mercado, geralmente são aventureiros de primeira viagem ou profissionais que nunca antes mexeram com um projeto hidráulico. Além da experiência, o conhecimento e as atualizações técnicas fornecidas por um projetista fazem toda a diferença. Estruturas hidráulicas má projetadas costumam frequentemente apresentar inconformidades e patologias, ocasionando incômodos futuros para você.

Tais inconformidades e patologias mais comuns de ocorrerem são:

  • Aquele cheirinho de esgoto que vem das instalações de esgoto má projetadas e executadas;
  • Tubulações plásticas que estão expostas a intempéries;
  • Insuficiência ou ausência da folga nas paredes laterais em cisternas com paredes limítrofes do subsolo e na laje de funco com o piso;
  • Cisterna semienterrada ou enterrada que acaba impedindo o escoamento total pela gravidade;
  • Falta de tampas estanques em cisternas e reservatórios;
  • Eletrodutos aparentes no interior da cisterna;
  • Tubulação de aviso ineficaz ou muitas vezes inexistentes, uma vez que o reservatório geralmente fica localizado em regiões que não são visíveis.

4 – Compatibilização do projeto hidráulico com todos os outros projetos

A Plataforma BIM tem como intuito a integração de todas as etapas que englobam um projeto, e isso por si só já faz com que a realização do projeto hidráulico seja importante.

Indo um pouquinho além, com um projeto hidráulico em mãos é possível compatibilizá-lo com demais projetos, de modo a conferir sua eficiência e se não há nenhum tipo de conflito entre projetos. Imagine só uma viga que passe justamente onde deveria haver uma tubulação? Tal problema poderia ser facilmente evitado com a integração dos projetos.

5 – Segurança e conforto

Garantir segurança e conforto ao morador é sempre o objetivo principal. Se você for o responsável pela construção de determinado imóvel, demonstre ao morador todo o ganho com segurança e conforto que ele terá ao optar por investir em um projeto hidráulico. E, caso você mesmo seja o morador, então a leitura deste artigo deve ter sido o suficiente para lhe fazer perceber isto.

Conclusão

Ao terminar de ler este artigo agora você sabe tudo o que compõem um projeto hidráulico e qual sua real importância, não é mesmo? Ainda assim, é sabido sobre a ausência destes projetos em construções de pequeno porte, o que pode constituir em um bom mercado para se investir, é algo a se pensar.

Dúvidas? Pois basta perguntar! E caso tenha gostado do artigo e conseguido aprender algo com ele, então não deixe de compartilhá-lo com seus amigos e conhecidos, nunca se sabe quem podemos acabar ajudando neste processo!

Escreva um Comentário