Ninguém resiste aos encantos de uma bela orquídea, principalmente se for uma das espécies mais populares, como a orquídea sapatinho. Dona de muitos apelidos, é chamada assim devido ao formato de suas flores, que possuem pétalas de labelo estufado que lembram muito um sapatinho, uma taça ou um queixo protuberante, por isso é também conhecida por orquídea queixuda.

A orquídea sapatinho é considerada das orquídeas mais primitivas do mundo, datadas desde o período Jurássico . Além disso, foram amplamente hibridizadas e contam hoje com mais de 100 espécies distintas. Elas possuem tantas variedades espalhadas pelo mundo, que pertencem até a dois gêneros distintos: Paphiopedilum ou Phragmipedium.

As orquídeas sapatinho Paphiopedilum, por exemplo, têm origem asiática e crescem em solo úmido, sem precisar de muita luminosidade para crescer. Já as variedades de orquídeas Phragmipedium são mais encontradas na América do Sul e Central, em regiões que vão desde o sul do México até a Bolívia, necessitando portanto, de muita umidade e bastante luminosidade para se desenvolver.

No Brasil, é mais comum encontrarmos a espécie de orquídea Paphiopedilum Leeanum, de aparência bastante exótica, com flores grandes e cores vibrantes, e de fácil cultivo, tanto fora quanto dentro de casa, pois ela é nativa de regiões com climas bem diversos.

De qualquer forma, e seja qual for o gênero, suas flores possuem sempre o labelo avantajado e formato que lembra o das carnívoras nepenthes. Quer saber mais sobre a orquídea sapatinho e entender como cultivá-la? Então, vamos lá!

Orquídea Sapatinho: Ficha Técnica

A orquídea sapatinho é uma das espécies mais exóticas que existe.
A orquídea sapatinho é uma das espécies mais exóticas que existe.
  • Nome científico: Paphiopedilum e Phragmipedium
  • Família: Orquidáceas
  • Origem: Ásia e América central e América do Sul – plantas híbridas desenvolvidas a partir de espécies nativas de regiões bem distintas.
  • Características: híbridos com mais de 100 espécies, maioria terrestre de crescimento monopodial.
  • Folhas: ornamentais, que se abrem como leques, totalmente verdes ou manchadas, com efeito marmorizado, coriáceas ou maleáveis.
  • Floração: entre a primavera e inverno com flores multicoloridas, de 5 cm a 14 cm de diâmetro, com labelo grande e estufado, sépalas laterais fundidas e sépala dorsal proeminente, isoladas no ápice de longas hastes.
  • Solo: fértil e poroso
  • Luz: meia-sombra
  • Clima: clima tropicale subtropical.
  • Reprodução: por sementes ou por brotações laterais.

Nomes Populares

A orquídea sapatinho possui muitos apelidos e nomes populares. Como por exemplo, Sapatinho, Sapatinho de vênus, Tamanquinho, orquídea sapatinho de boneca, orquídea sapatinho vermelho, Sapatinho de princesa, Sapatinho de anjo, Sapatinho de nossa senhora, Sapatinho de judia, Sapatinho chinês, Sapatinho de maneira, orquídea sapatinho de bebê, orquídea sapatinho gigante, orquídea sapatinho de dama, entre muitos outros.

Principais características da orquídea sapatinho

As características da orquídea sapatinho são muito peculiares, como o formato de suas pétalas, como das plantas carnívoras.
As características da orquídea sapatinho são muito peculiares, como o formato de suas pétalas, como das plantas carnívoras.

Orquídeas sapatinho é o nome popular dado às variedades de orquídeas pertencentes aos gêneros Paphiopedilum e Phragmipedium. Atualmente, possuem mais de 100 espécies e híbridos.

Em sua maioria, são orquídeas terrestres, que vivem no solo ou sobre folhas caídas na floresta. Raramente são epífitas, sendo originárias do continente asiático e América do Sul e Central, abrangendo territórios da China, Himalaia, Filipinas, Laos, México, Bolívia, entre outros países.

DESCUBRA COMO TER ORQUÍDEAS MAGNÍFICAS!

✔ Em menos de 1 mês!
✔ Guia gratuito
Baixe Agora!

Apesar de muitas variedades, todas possuem como característica em comum o seu labelo avantajado, que deu origem ao nome “paphiopedilum” (do grego Paphos, uma cidade do Chipre + Pedilum, que significa chinelo ou tamanco).

Como o seu crescimento é monopodial, em que seu caule cresce por atividade de uma única gema apical, suas flores, solitárias, despontam a partir de uma haste na base das folhas, estreitas e compridas, permanecendo viçosas por cerca de até 30 dias.

Essas características fazem com que ela possa ser aproveitada tanto na época da florada quanto fora dela, já que possui um efeito ornamental bastante grande. Aliás, suas folhas dispostas em forma de leque e flores de aparência peculiar, as tornam um grande sucesso sucesso na decoração de ambientes internos.

No entanto, além do crescimento monopodial, a orquídea sapatinho não possui pseudobulbos, onde ficariam armazenados os nutrientes necessários à planta e reserva de água. Portanto, devido a estas características, elas possuem pouquíssima capacidade armazenar água, fazendo com que necessitem de bastante umidade.

Embora hajam muitas espécies e híbridos, a orquídea sapatinho não é tão comum como as orquídeas Phalaenopsis, por exemplo. Além disso, a sua multiplicação por semente também é difícil, o que limita muito a produção dessa orquídea. Porém, a orquídea sapatinho pode ser encontrada na natureza com uma enorme variação de flores e cores diversas.

Como Cuidar da Orquídea Sapatinho

Cuidar de uma orquídea sapatinho não chega a ser difícil ou muito diferente de outras espécies.
Cuidar de uma orquídea sapatinho não chega a ser difícil ou muito diferente de outras espécies.

Apesar de não haver uma maneira que permita identificar o local ideal para plantio da orquídea sapatinho apenas observando a aparência da planta, em geral, aprender como cuidar de orquídeas é razoavelmente fácil e o seu crescimento é rápido, desde que os ambientes sejam bem iluminados.

No entanto, a cor da folhagem da orquídea sapatinho pode dar algumas pistas, se você não tiver certeza da sua espécie exata. Orquídeas sapatinho com folhas totalmente verdes, geralmente são nativas das montanhas do Himalaia e outras regiões de altitude. Assim, serão ideais para as regiões Sul e Sudeste.

Já as orquídeas sapatinho de folhas manchadas e efeito marmorizado, normalmente, são originárias do litoral da Tailândia, Mianmar e Vietnã, portanto mais indicadas para as regiões tropicais.

Além das dicas básicas de como cuidar de orquídeas, o maior segredo do sucesso de cultivo da orquídea sapatinho é o vaso onde ela será plantada. Elas não gostam de vasos grandes, e podem não desenvolver suas raízes, ficando enfraquecidas e incapazes de nutrir a planta, caso sejam plantadas em vasos maiores que a muda. Além disso, o vaso ideal para o plantio é o de plástico, que retém mais a umidade.

Outro fator importante é sempre observar tanto o PH tanto do solo quanto da água, que deve ser entre 7,2 e 8 (medidos com fitas específicas). Caso estejam fora destas medidas, o valor deve ser corrigido com produtos específicos encontrados em lojas especializadas.

Leia mais: Como cultivar orquídeas? Em Vasos e Troncos

Substrato ideal para a orquídea sapatinho

O tipo de substrato da orquídea sapatinho pode variar, mas deve ser poroso e bem drenado.
O tipo de substrato da orquídea sapatinho pode variar, mas deve ser poroso e bem drenado.

Mesmo sendo uma orquídea terrestre, a orquídea sapatinho não deve ser plantada diretamente em um solo comum. No caso de orquídeas terrestres, quando dizemos solo, nos referimos à locais próximos ao chão, e não especificamente a terra.

Na natureza, as orquídeas terrestres ficam sobre solos em que vários substratos se acumulam, onde elas fixam suas raízes e retiram os nutrientes que caem das árvores, como folhas e animais em decomposição. A terra acaba compactando e atrapalhando o crescimento e a respiração de suas raízes, fazendo com que o seu cultivo seja mais difícil ou nem ocorra.

O maior cuidado que se deve ter no caso da orquídea sapatinho é com a sua capacidade de reter bem a água, pois elas não possuem pseudobulbo e nem caule para armazenar água. Por isso, precisam de uma boa quantidade de água sem encharcar o substrato.

Sendo assim, os substratos mais recomendados para seu cultivo podem ser muito diversos, desde que sejam capazes de manter a umidade ideal. Algumas das melhores opções de substratos para a orquídea sapatinho são o musgo de esfagno, perlite, fibra de coco e casca de pinheiro fino.

Mas, é possível também optar por uma mistura com todos esses substratos, como a mistura de terra preta com areia, carvão e húmus de minhoca ou casca de pinheiro, carvão e musgo esfagno.

Na terra preta com húmus de minhoca, a planta se desenvolve mais e as folhas se estendem muito bem, além das flores se apresentarem maiores e mais altas. Já no substrato à base de cascas de pinheiro, tanto a brotação quanto a floração são maiores, entretanto, as hastes das flores são mais baixas.

O importante é sempre verificar se o substrato está se compactando com o tempo, para evitar que ele sufoque as suas raízes.

Temperatura ideal para a orquídea sapatinho

Algumas espécies de orquídea sapatinho aguentam temperaturas extremas.
Algumas espécies de orquídea sapatinho aguentam temperaturas extremas.

A orquídea sapatinho costuma ser muito resistente com temperaturas, podendo aguentar por um pequeno período de tempo temperaturas extremas de 5ºC até 35ºC. No entanto, temperaturas extremas podem atrapalhar a sua floração e crescimento.

O ideal é que a orquídea sapatinho seja exposta durante o dia a temperaturas de 18ºC até 24ºC, e durante a noite 13ºC a 16ºC. Isso porque essa queda de temperatura da noite é essencial para estimular o seu crescimento e a sua floração.

DESCUBRA COMO TER ORQUÍDEAS MAGNÍFICAS!

✔ Em menos de 1 mês!
✔ Guia gratuito
Baixe Agora!

Caso você viva em regiões onde as temperaturas são maiores que as normais, aumente a umidade ou a ventilação do ambiente de seu cultivo.

Iluminação ideal para a orquídea sapatinho

A orquídea sapatinho gosta muito de locais bem iluminados. Pois é assim que normalmente, é encontrada na natureza. A luz, além de contribuir para a saúde da orquídea, também estimula a sua floração.

No entanto, isso não quer dizer que ela deve receber muito sol ou luz solar direta. A iluminação ideal para uma orquídea sapatinho é luz indireta, porém ensolarada. Isso vai evitar que suas folhas sejam queimadas pela incidência direta do sol.

Para saber se a iluminação está adequada, observe a coloração das suas folhas. Se as folhas estiverem verdes muito escuro, ela está precisando de luz. Caso estejam com folhas murchas e amareladas, ela está recebendo luz demais.

Umidade ideal para a orquídea sapatinho

Como dissemos acima, a umidade é importante para o desenvolvimento da sua orquídea sapatinho, mas o seu substrato não deve nunca ficar encharcado. Além disso, uma umidade ideal ajuda a planta aguentar temperaturas elevadas.

A temperatura ideal pode variar um pouco para cada espécie, mas a média é de 40 a 60% de umidade. Para aumentar a umidade da planta, o truque é deixar o vaso sobre uma bandeja rasa com algumas pedras e um pouco de água. Mas nunca diretamente abaixo do vaso, para não apodrecer as raízes dela.

Como regar a orquídea sapatinho

É preciso cuidado ao regar a orquídea sapatinho para não afogá-la e nem matar de sede.
É preciso cuidado ao regar a orquídea sapatinho para não afogá-la e nem matar de sede.

Não há regras para as regas com relação à periodicidade. Isso significa que deve-se observar se o substrato está seco para molhar a orquídea novamente. Portanto, o tempo que isso leva vai depender muito do clima da região e da época do ano.

Outra recomendação dos especialistas é regar a orquídea sapatinho sempre pela lateral, nunca molhando o centro da folhagem, para evitar acumular a água e apodrecer a planta. Também não se deve deixar acumular água no substrato, mantendo-o úmido, porém escoado. Por isso, é importante que o substrato utilizado seja bastante poroso.

Normalmente, a maioria das espécies de orquídeas devem tomar cuidado com o excesso de água, como as orquídeas dendrobium. No entanto, no caso da orquídea sapatinho, um dos maiores cuidados é não deixar faltar água, além de não encharcar. Isso porque, como já dissemos, elas não conseguem armazenar água.

Então, cuidado para não matá-la de sede e também para não afogá-la. Sendo assim, aumente as regas em dias de calor, pois a água evapora mais rapidamente. Quando for regar, opte pela manhã ou final de tarde. Quanto à umidade, opte por locais onde a umidade seja maior, proporcionando locais que garantam uma umidade constante em suas raízes.

Leia mais: Como Regar Orquídeas: Saiba Como Mantê-las Sempre Belas

Como adubar a orquídea sapatinho

A orquídea sapatinho gosta de adubo para se desenvolver.
A orquídea sapatinho gosta de adubo para se desenvolver.

A orquídea sapatinho é uma espécie que “gosta” de grandes quantidades de adubo, tanto o orgânico quanto o foliar. Isso porque elas são plantas de crescimento mais lento, fazendo com que gastem menos nutrientes. Por isso, durante o período vegetativo adube uma vez por mês.

O recomendado é usar o orgânico a cada dois meses e o foliar a cada quinze dias. Também é importante que o substrato seja trocado num período entre 18 e 24 meses. Os adubos foliares, reduzem o risco de salinização do substrato.

Há quem gosta de dissolver o produto na água das irrigações e aplicá-lo de forma alternada, uma rega sim, outra não. Já outros preferem dar um espaçamento maior entre as fertilizações, pois o excesso de adubo pode deixar as folhas e flores com aspecto queimado.

O período vegetativo se dá entre a germinação e a floração, quando a planta cresce e se fortalece através da fotossíntese e acumula recursos que serão fundamentais na próxima fase. Já os adubos foliares adequados são:

  • NPK 10 10 10
  • NPK 20 20 20
  • NPK 30 10 10 (caso o substrato for cascas, que gastam muito nitrogênio para se decompor)

Lembre-se que ao aplicar, borrife as folhas e o substrato, de preferência no começo da manhã (até 9hrs), pois o sol com o adubo pode queimar as folhas e raízes.

Como fazer florir a orquídea sapatinho

A orquídea sapatinho floresce uma vez ao ano e dura por semanas.
A orquídea sapatinho floresce uma vez ao ano e dura por semanas.

A maioria das espécies de orquídea sapatinho floresce uma vez por ano e a iluminação é um fator determinante para a qualidade da florada. Caso não receba uma luminosidade adequada, suas flores podem demorar a surgir e serem escassas.

A orquídea sapatinho demora em média de 3 a 4 anos para dar suas primeiras flores, e floresce uma vez por ano, com várias durações diferentes. Mas normalmente, elas duram entre 6 a 8 semanas, em hastes uni-florais e outras hastes multi-florais. As cores podem ser muito variadas, como marrom, verde, vermelho e até amarelo.

Como já dissemos, suas flores possuem um labelo, uma pétala modificada em forma de bolsa, que serve como armadilha para capturar insetos polinizadores. Esses insetos, ao serem atraídos por suas cores e leve perfume, pousam na borda do labelo e escorregam até o fundo do labelo, sendo obrigados a se esfregar nos polínios para saírem de lá. Ao encontrar uma das duas saídas minúsculas da planta, o inseto leva consigo o pólen para fertilizar outra planta.

Depois da floração é possível fazer a divisão para replicação por touceiras em dois meses. Para isso, retira-se o vaso com cuidado, separando em pequenas touceiras para transplantar para o vaso escolhido, levando-se em consideração todas as orientações já apresentadas anteriormente, mas o que vamos explicar mais abaixo em “Como replantar a orquídea sapatinho”.

Como podar a orquídea sapatinho

DESCUBRA COMO TER ORQUÍDEAS MAGNÍFICAS!

✔ Em menos de 1 mês!
✔ Guia gratuito
Baixe Agora!

Caso a sua floração tenha ocorrido naturalmente, é necessário realizar uma poda, para garantir uma nova floração no ano seguinte.

No entanto, a poda deve ser feita quando as flores já estiverem mortas ou caídas. Para tanto, deve-se cortar a ponta até o nível das folhas com uma tesoura esterilizada, a fim de evitar a contaminação por doenças ou entrada de pragas.

Após a poda, basta continuar cuidando dela como descrito acima, que muito provavelmente, no ano seguinte ela terá com uma nova floração.

Como plantar orquídeas sapatinho

Embora a maior parte das espécies de sapatinho seja terrestre e possa até ser cultivada diretamente no solo, o mais indicado é plantá-las em vasos plásticos, pois eles retêm melhor a umidade. Para plantar a orquídea sapatinho, basta seguir os passos abaixo:

  • Escolha o local onde ela será plantada (vaso ou terra)
  • Coloque o substrato com bastante matéria orgânica até o meio do vaso ou canteiro
  • Encaixe sua orquídea no local
  • Termine de preencher o local com terra orgânica e substrato
  • Adicione torta de mamona (opcional)

Em geral, os melhores substratos são uma mistura de 60% de casca de pínus pequena e 40% de pedra brita, mas o importante é que ele seja fértil e poroso. O ideal é misturar substratos mais densos, como terra vegetal e húmus de minhoca, com outros mais aerados como areia virgem, fibra de coco, argila expandida pequena e até gravetos em decomposição e folhas secas.

Como replantar a orquídea sapatinho

A orquídea sapatinho deve ser replantada em média a cada 2 anos. Mas caso ela ainda seja bem jovem, o replantio pode ser feito a cada ano, desde que os substratos estejam velhos, a planta muito grande para o vaso ou para a sua multiplicação.

Com o tempo, os substratos também vão se decompondo e perdendo a sua eficiência, começando a ficar muito encharcados ou não drenar mais água. Já no caso da planta crescer demais, apenas verifique se ela não está desajeitada em seu vaso.

Não se esqueça que o replantio deve ser feito após a floração, para evitar que a orquídea não gaste tanta energia para se adaptar ao novo local e prejudique a floração.

Ao decidir pelo replantio, escolha um novo vaso de plástico, com espaço para ela crescer por mais 1 ou 2 anos. Depois, escolha o local em que seu vaso ficará, optando por locais de boa umidade e luminosidade.

Orquidea sapatinho: Paphiopedilum insigne

A orquídea sapatinho Paphiopedilum insigne é uma das espécies mais populares.
A orquídea sapatinho Paphiopedilum insigne é uma das espécies mais populares.

Não há nenhuma outra espécie de orquídea sapatinho tão famosa e cultivada em todo o mundo quanto o Paphiopedilum insigne, cujas flores de até 12 cm de diâmetro despontam no inverno, no topo de hastes de 30 cm de altura.

Apesar de ser nativa de regiões frias e de altitude, como Índia e China, graças aos melhoramentos genéticos, hoje é possível cultivar a espécie em locais de calor, como o Centro-Oeste brasileiro. Ela pode até ser plantada no chão, tamanha sua resistência às condições adversas.

Orquidea sapatinho: Paphiopedilum leeanum

orquídea sapatinho Paphiopedilum leeanum
A orquídea sapatinho Paphiopedilum leeanum é uma obra de arte.

Essa espécie de orquídea sapatinho é originária do Himalaia, através do cruzamento natural entre Paphiopedilum insigne com o Paphiopedilum spicerianum, sem a interferência do homem. A Paphilopedilum leeanum tem folhagem que forma uma touceira meio bagunçada e flores com uma linha bordô na sépala dorsal.

Orquídeas sapatinhos: Phragmipedium

A orquídea sapatinho Phragmipedium Cardinalle é uma espécie de colecionador super delicada.
A orquídea sapatinho Phragmipedium Cardinalle é uma espécie de colecionador super delicada.

 

As orquídeas sapatinho do gênero Phragmipedium também apresentam flores de labelo avatajado. São encontradas em áreas que abrangem desde o sul do México até a Bolívia e quase todo o Brasil do extremo norte até o Estado de São Paulo.

O cultivo das espécies dessas espécies não é tão fácil como das espécies do gênero Paphiopedilum, por isso são mais frequentes em coleções. Normalmente, são cultivadas em terra vegetal, com mistura de fibra de xaxim, areia e carvão, em lugares levemente ensolarados e bastante úmidos.

DESCUBRA COMO TER ORQUÍDEAS MAGNÍFICAS!

✔ Em menos de 1 mês!
✔ Guia gratuito
Baixe Agora!

As espécies de Pragmipedium mais comuns no Brasil são: Phragmipedium warszewiczianum, Phragmipedium exstaminodium, Phragmipedium lindenii, Phragmipedium caudatum e Phragmipedium warszewiczii.

Veja mais algumas espécies:

Phragmipedium longifolium
Phragmipedium longifolium
Phragmipedium sargentianum
Phragmipedium sargentianum
Phragmipedium Sedenii
Phragmipedium Sedenii
phragmipedium caudatum
Phragmipedium caudatum
Phragmipedium besseae var. flavum
Phragmipedium besseae var. flavum

Escreva um Comentário