Em se tratando de orquídeas, a mais popular entre a maioria das pessoas é a Orquídea Phalaenopsis, facilmente encontrada decorando ambientes de elegantes interiores por todo o país.

A Orquídea Phalaenopsis, do gênero de mesmo nome, conta com cerca de 60 espécies verdadeiras e milhares de híbridos, em sua maioria epífita e, ocasionalmente litófitas, que vão desde o clássico híbrido branco (orquídea de traça) até mini-orquídeas semelhantes a jóias com florações amarelas e rosas.

Suas espécies são originárias das florestas tropicais da Ásia tropical, sudeste da Índia e Nepal, Bornéu, java, Nova Guiné, norte da China, Taiwan e Austrália, mais predominantemente nas Filipinas, onde se concentram a maior parte das espécies nativas.

O habitat ideal de uma orquídea Phalaenopsis seria presa a troncos de árvores por suas raízes, para se proteger do sol forte e da luminosidade excessiva, se beneficiando da umidade própria do ambiente, condições naturalmente necessárias para o seu desenvolvimento saudável.

No entanto, é possível cultivá-la em vasos, desde que fornecidas as condições necessárias de luminosidade, umidade, temperatura, substrato, entre outros fatores. Seu plantio deve ser feito após a sua floração, em local iluminado, porém meia-sombra, com proteção adequada durante o inverno.

Suas flores são exuberantes, em formato de borboletas, bastante ornamentais. Quer saber como cultivar essas belezuras? Então, continue lendo o artigo abaixo que iremos contar tudo sobre a exuberante orquídea Phalaenopsis!

Sobre a Orquídea Phalaenopsis: Principais Características

A Orquídea Phalaenopsis é também conhecida por orquídea borboleta, sendo uma das espécies mais populares e masi conhecidas comercialmente.
A Orquídea Phalaenopsis é também conhecida por orquídea borboleta, sendo uma das espécies mais populares e masi conhecidas comercialmente.

A orquídea Phalaenopsis faz parte do gênero Phalaenopsis, criado em 1825 por Karl Ludwig von Blume, e recebeu esse nome a partir de duas palavras gregas “phalaina” (falena, mariposa) e “ópsis” (visão, ação de ver), por isso o apelido popular de “orquídea borboleta”.

Uma das suas espécies naturais mais populares é a Phalaenopsis amabilis, que até serviu como modelo de estudo para descrever o gênero. De um modo geral, a orquídea Phalaenopsis apresenta caule praticamente nulo, com folhas largas, grossas e suculentas, onde são armazenadas suas reservas nutricionais.

CURSO GRATUITO DE COMO CUIDAR DE ORQUÍDEAS

✔ Como regar! ✔ Luz e ambientes corretos ✔ E muito mais!

Acesse agora! Clique aqui.

A planta possui crescimento monopodial sucessivo, com raízes longas, grossas e flexíveis. Sua floração ocorre a partir de uma haste a partir do caule, que desenvolve flores elegantes e arqueadas.

Orquídea Phalaenopsis: Como Cuidar?

A Orquídea Phalaenopsis não é muito exigente, mas inspira alguns cuidados específicos.
A Orquídea Phalaenopsis não é muito exigente, mas inspira alguns cuidados específicos.

A Orquídea Phalaenopsis vem das matas densas da Ásia tropical e assim, prefere áreas sombreadas. Porém, não é difícil aprender como cuidar de orquídeas se você entender as necessidades básicas de cada espécie.

De uma forma geral, orquídeas Phalaenopsis possuem grande capacidade de adaptação a forte insolação (sol direto), desde que sejam por períodos curtos de tempo, para evitar colapsos de seus tecidos ou queimaduras nas folhas.

Porém, o ideal é que ela receba um sombreamento de mais ou menos 50% a 70%, com picos de 40% a 80%, para facilitar o seu cultivo, assim como o seu crescimento saudável. No caso dos ambientes internos, a luminosidade necessária para a planta deve ser respeitada.

Veja mais detalhes de como cultivar orquídea Phalaenopsis, em cada uma das suas condições necessárias, abaixo:

Local para cultivo

Em seu habitat de origem, a orquídea Phalaenopsis vivem em baixas altitudes de florestas tropicais asiáticas, onde a temperatura média diurna varia entre 28º C e 35º C e a noturna entre 20º C a 24º C, sob luminosidade natural filtrada pela copa das árvores, onde normalmente crescem de forma epífita. Portanto, essa incidência solar não é direta nas folhas, a não ser a luz ainda fraca do amanhecer ou anoitecer.

Baseado nessas informações, fica mais fácil reproduzir uma atmosfera parecida para o seu cultivo em ambientes internos ou externos. No caso dos ambientes fechados ou apartamentos, o ideal é que o local tenha ventilação natural e boa luminosidade indireta, que exponha a planta a um mínimo de luminosidade solar fraca filtrada entre 7 e 9 horas da manhã, ou das 16 horas até o anoitecer.

Portanto, o local de cultivo mais adequado seria próximo a janelas, varandas ou terraços que recebam luminosidade indireta, com meia-sombra na maior parte do tempo e sol direto em algum momento do dia.

Luminosidade

Como vimos, a orquídea Phalaenopsis é uma planta de baixa luminosidade. Sendo assim, o seu desenvolvimento se dará melhor em um local voltado para o leste, ou com uma exposição solar sombreada ou no oeste protegida.

Portanto, de modo algum exponha a sua orquídea Phalaenopsis na luz solar direta para evitar escaldá-la. Uma Phal bem cultivada apresenta folhas verdes mais escuras em cima, riscadas de vermelho ou borgonha embaixo.

Temperatura

Geralmente, as pessoas confundem luminosidade com temperatura – mas são duas coisas diferentes, apesar de estarem relacionadas. A orquídea Phalaenopsis gosta de temperaturas entre 20º e 30º graus durante o crescimento ativo, porém podem se adaptar a uma temperatura normal de uma residência de 18º a 21º graus.

Mas lembre-se, quanto maior for a temperatura, maior será a sua necessidade de umidade por parte da planta, e mais atenção você terá que dar às regas. No entanto, suas espécies também gostam de um bom contraste entre as temperaturas noturnas e diurnas.

É importante prestar atenção na temperatura das folhas quando o sol estiver incidindo sobre elas. Caso as folhas estiverem muito quentes ao toque, retire-as do sol por um momento, para evitar queimá-las.

Substrato

A orquídea Phalaenopsis pode ser cultivada na maioria dos substratos disponíveis, incluindo pedaços de casca de pinheiro, grânulos de argila, carvão, brita, musgo sphagnum e isopor, desde que os recipientes forneçam uma drenagem livre. Sendo assim, o seu substrato ideal pode ser composto por:

  • Casca de pinus: a melhor opção são as cascas de tamanho médio ou grande, para evitar reter muita umidade e prejudicar as raízes da orquídea Phalaenopsis.
  • Palha de fibra de coco: esse substrato é facilmente encontrado nas lojas de plantas, mas ele deve ser livre de resina para não prejudicar o desenvolvimento das raízes, que não conseguem se fixar no substrato. No caso de placas e vasos de fibra de coco, deixe imerso na água por 15 dias, para retirar o excesso de tanino e hidratar a fibra.
  • Pedra brita: é um tipo de substrato indicado para drenagem livre, sendo o ideal colocar de 2 a 3 dedos de pedra no fundo do vaso com o substrato logo acima.
  • Semente de açaí: esse substrato possui baixa retenção de água, mas deve ser lavado para retirar o pó e fervido por 10 minutos para esterilizar e evitar a germinação.

Regas e umidade

A orquídea Phalaenopsis se desenvolve bem com boa umidade no substrato em vaso ventilado com furos. Por ser uma orquídea de crescimento monopodial, isto é, a partir de um único tronco, ela não possui pseudobulbos que armazenam água, embora suas folhas suculentas possam armazenar um pouco.

Por isso, a orquídea Phalaenopsis tem uma baixa tolerância à seca. Mesmo assim, as regas devem ser cuidadosas. Durante a sua fase de crescimento, regue a planta sempre que suas raízes expostas ficarem brancas prateadas.

Geralmente, as regas são semanais, uma vez ao dia, e de preferência no amanhecer ou entardecer, quando os estômatos (micro orifícios localizados na parte de baixo das folhas) das folhas estão abertos e receptivos a nebulização úmida do ar.

Mantenha o substrato em vaso ligeiramente úmido, mas nunca encharcado. Durante a época de floração, alterne as regas, um dia sim outro não ou quinzenalmente. O mais importante é manter um bom fluxo de ar em torno das raízes e das folhas, através de um substrato bem drenado.

Para evitar acúmulo de água na junção de suas folhas, cultive a planta um pouco inclinada, regando com esguicho ou aspersores.

Leia mais: Como Regar Orquídeas: Saiba Como Mantê-las Sempre Belas

Adubação

CURSO GRATUITO DE COMO CUIDAR DE ORQUÍDEAS

✔ Como regar! ✔ Luz e ambientes corretos ✔ E muito mais!

Acesse agora! Clique aqui.

A adubação da orquídea Phalaenopsis também merece cuidados, pois é diferente durante a sua manutenção e fases de crescimento e de floração. Sendo assim, a adubação de manutenção e crescimento deve ser feita com adubo cristalizado solúvel em água com micronutrientes já incorporados na sua fórmula química e macronutrientes N-P-K na proporção 10-10-10 ou 20-20-20.

Para a floração, a composição deve ter um maior em Fósforo (P) e um pouco mais de Potássio (K), na proporção de 10-30-20. Caso não encontrar, compre algo com proporção parecida, mesmo que em números reduzidos.

Se você optar por uma adubação orgânica, que seja composta pela mistura de torta de mamona para substituir o Nitrogênio (ureia) com farinha de osso ou de ostras para substituir o Fósforo (P) e cinzas de madeiras diversas no lugar do Potássio (K).

Mas lembre-se, apesar de orgânico, esses componentes devem ser usados com a mesma cautela da adubação química, idealmente em quantidade mínimas ou homeopáticas a fim de evitar danos à sua planta.

Recomenda-se também cortar a adubação ou diminuir para uma vez por mês durante o inverno e na floração. Alguns produtores potencializam a adubação em setembro ou outubro para provocar uma maior floração.

Leia mais: Adubo caseiro para orquídeas: veja 4 incríveis receitas!

Podas

As podas devem ser feitas apenas para retirar flores murchas, mortas, secas ou com doenças em que as hastes florais já estiverem secas. Isso deve ser feito com tesoura específica de jardinagem pequena e bem afiada, sempre esterilizada com fogo a cada novo corte para evitar contaminações e danos à planta.

Doenças e pragas

Para evitar que a orquídea Phalaenopsis seja atacada por pragas, muito comum em cultivo em apartamentos, é importante tomar alguns cuidados.

Sempre que podar, esterilize a tesoura em fogo até que o metal fique com a cor alaranjada ou deixando na água sanitária pura por 25 minutos. Ao mudar de uma planta para outra, deve-se esterilizar o material novamente para evitar a contaminação pelo transporte de doenças e fungos.

O substrato também deve ser de boa procedência e esterilizado para evitar a entrada de doenças pelas raízes da planta. O ideal também é deixar um espaçamento entre os vasos de 20 cm, para que uma praga ou doença não passe de uma folha para outra planta.

Orquídea Phalaenopsis: Floração

A floração da Orquídea Phalaenopsis é duradoura em vários botões em única haste.
A floração da Orquídea Phalaenopsis é duradoura em vários botões em única haste.

A orquídea Phalaenopsis costuma florescer ao final do inverno ou no início da primavera, durante os contrastes de temperatura entre o dia e a noite. É mais comum a queda de temperatura induzir a formação de hastes florais, mas como a maioria das espécies foi adaptada a ambientes para ter florações durante o ano todo, ela poderá florescer em outras épocas.

Assim, com sorte e o cultivo adequado, a sua orquídea Phalaenopsis poderá ter duas ou três florações durante o ano.

Suas flores são duradouras, podendo durar semanas à 3 meses, mantidas em galhos arqueados que vão se abrindo sucessivamente. Uma única haste pode ter mais de 20 flores, todas vistosas, coloridas, que variam do branco ao vermelho, passando pelo amarelo, creme-esverdeado, roxo, estriadas e incontáveis outras nuances de cores, pintalgadas ou não, principalmente nas espécies híbridas.

As flores são sempre trilobadas, podendo apresentar diferenças de formatos, de acordo com a origem de sua genética nos cruzamentos. Apesar da exuberância das flores, não possuem perfume.

As novas florações costuma ser na mesma haste floral da floração anterior, com nova inflorescência nos nódulos velhos (ou gemas). Por isso, mesmo depois da floração nunca corte a haste até que ela esteja totalmente ressecada.

Orquídea Phalaenopsis: Como fazer mudas (propagação)?

A orquídea Phalaenopsis se propaga através de mudas que surgem em nódulos velhos das hastes que já tiveram suas florações (keikis).

Após a floração anterior, alguns orquidófilos costumam medir cerca de um palmo (22 cm) na haste floral a partir da base da planta, para cortar ali. Em seguida cauterizam o corte com uma colher quente e/ou passam pasta de canela em pó úmida evitando a propagação de germes oportunistas como fungos e bactérias. Outra opção é borrifar uma solução de água filtrada com complexo vitamínico B ou hormônio enraizador (tiamina de boro ou 2 comprimidos de BENERVA esmagados e dissolvidos num litro de água e ácido giberélico).

Nesse pedaço de 22 cm de haste que ficou na planta costuma nascer outra haste floral., e com o tempo poderá surgir novas mudas nos nódulos dessa haste. No entanto, somente destaque as novas mudas quando elas estiverem com as folhas duplas crescidas e apresentando enraizamento, para poder replantá-las.

Muitos orquidófilos também colocam canela em pó na palma da mão e sopram sobre as raízes das novas mudas de Phalaenopsis, a fim de proteger contra fungos e bactérias, e obter melhor floração na nova planta.

É possível deixar mais do que uma muda no mesmo vaso, desde que as raízes estejam vivas e saudáveis (cinzentas, claras ou verdes). Raízes pretas, secas e castanhas, é sinal de que estão mortas, devendo ser retiradas.

CURSO GRATUITO DE COMO CUIDAR DE ORQUÍDEAS

✔ Como regar! ✔ Luz e ambientes corretos ✔ E muito mais!

Acesse agora! Clique aqui.

Leia mais: Como Fazer Mudas de Orquídeas: Passo a Passo!

Como mudar orquídea phalaenopsis de vaso

A Orquídea Phalaenopsis pode ser mudada de vaso a cada 2 anos.
A Orquídea Phalaenopsis pode ser mudada de vaso a cada 2 anos.

A melhor época para mudar uma orquídea Phalaenopsis de vaso é na primavera, depois da floração terminada. No entanto, uma espécie adulta pode durar até dois anos ou mais, antes de precisar ser replantada.

No caso de mudas, só se retiram as novas plantas quando as raízes tiverem cerca de 5 a 7 cm, com cuidado para não danificar a planta mãe ao transferir para um novo vaso.

Para o replantio no novo vaso, primeiro coloca-se metade do substrato, espalhando as raízes regularmente por cima, depois cobrindo com o resto do substrato. Tome o cuidado para calçar bem a planta para que ela fique firme e segura dentro do vaso, de modo que a junção das raízes com as folhas se situe ligeiramente acima da superfície do substrato.

Para as plantas menores, como mudas, utilize um substrato mais fino, e para as plantas maiores um substrato mais graúdo. De qualquer forma, ele deve ser poroso o suficiente para permitir a drenagem, a respiração e não comprir as raízes, evitando sufocá-las.

A mudança do substrato também pode ser feita de dois a três anos, quando as raízes se decompõem ficando castanhas ou pretas, sinal de que o substrato está esgotado, sendo necessária a mudança para outro vaso com novo substrato.

Para substituir o substrato, vire o vaso de cabeça para baixo segurando a planta numa mão, e corte as raízes mortas com cuidado depois de retirar todo o substrato. Depois, coloque a planta com as raízes limpas no novo vaso com novo substrato.

Dicas essenciais para o melhor cultivo

Cultivar orquídea Phalaenopsis é geralmente muito gratificante, pois elas não são plantas muito exigentes. Portanto, nas condições certas, facilmente recompensarão todo o trabalho com meses de flores lindíssimas.

No entanto, é essencial que seu cuidados e necessidades sejam respeitados, não deixando que a água se acumule nos vasos, nas raízes e no substrato. Regue-as com moderação sempre durante as manhãs ou ao final da tarde.

Como todas as orquídeas, quanto maior a umidade e temperatura, maior a necessidade de fluxo de ar para evitar apodrecimento das raízes e proliferação de fungos e doenças. Para um cultivo bem sucedido, deve-se encontrar o equilíbrio certo entre umidade, temperatura, luz e fluxo de ar.

Orquídea Phalaenopsis: Preço

As orquídeas Phalaenopsis são as mais fáceis de serem encontradas no mercado, com várias espécies e tamanhos. Portanto, o seu preço vai variar bastante, dependendo do local e da espécie.

Normalmente, é possível encontrar espécies de orquídea Phalaenopsis por cerca de R$ 10,90 até R$ 400,00. Portanto, uma variação infinita, dependendo do produtor, da quantidade de flores, cores, etc.

Mas lembre-se de pesquisar bastante e comprar apenas de produtores renomados, como o pessoal da ikebana flores certificando-se da sua procedência, que a planta é da espécie correta e que está saudável.

Orquídea Phalaenopsis mini

Mini orquídeas são incríveis. O tamanho reduzido fazem dela ideias par ao cultivo em apartamentos ou locais de pequeno espaço. A orquídea Phalaenopsis é uma das espécies mais cultivadas em tamanho miniatura, veja abaixo algumas imagens:

Orquídea Phalaenopsis mini Orquídea Phalaenopsis mini Orquídea Phalaenopsis mini

Orquídea Phalaenopsis amarela

CURSO GRATUITO DE COMO CUIDAR DE ORQUÍDEAS

✔ Como regar! ✔ Luz e ambientes corretos ✔ E muito mais!

Acesse agora! Clique aqui.

As orquídeas Phalaenopsis amarelas são maravilhosas e até mais difíceis de serem encontradas. Suas florações são exuberantes e alegres, podendo apresentar inúmeras tonalidades diferentes, veja abaixo alguns exemplos:

Orquídea Phalaenopsis amarela Orquídea Phalaenopsis amarela Orquídea Phalaenopsis amarela

Orquídea Phalaenopsis vermelha

As orquídeas vermelhas são realmente incríveis e muito admiradas. Normalmente, as cores das suas florações chamam muita atenção, por conta da variedade de tonalidades, veja abaixo alguns exemplos:

Orquídea Phalaenopsis vermelha Orquídea Phalaenopsis vermelha Orquídea Phalaenopsis vermelha

 

Write A Comment