Se o que te impedia de começar a cultivar essas plantas maravilhosas era não saber como cuidar de orquídeas em apartamento, já pode começar a investir em algumas espécies. Não é só possível, como muito fácil cultivar orquídeas em ambientes fechados ou pequenos, mesmo não tendo varandas.

Não acredita? Pois saiba que uma janela capaz de promover uma boa luminosidade já é o suficiente para que a sua orquídea se desenvolva e floresça lindamente. No entanto, tudo vai depender da espécie, do clima e do local onde você vai querer cultivá-la.

Se você dispor de uma varanda por exemplo, a disponibilidade de espécies é ainda maior. Como por exemplo, a Phalaenopsis, a Dendrobium e a Oncidium, que são gêneros mais fáceis de se cultivar e que só precisam estar próximos de uma janela ensolarada.

Muita gente não sabe, mas várias espécies se adaptam bem aos ambientes dos apartamentos, mas é preciso alguns cuidados, principalmente se o andar for alto demais. De um modo geral, podemos dizer que todas as orquídeas apreciam a incidência de luz e umidade, mas não suportam o excesso de calor, vento e água.

Sendo assim, na maioria dos casos, é a falta de conhecimento sobre a planta que faz com que o seu cultivo dê errado. Por isso, vamos explicar como cuidar de orquídeas em apartamento e obter sucesso, seja com varandas ou não, em andares mais baixos ou mais altos.

Vamos lá!

Como cultivar orquídeas em geral

Entender como cultivar orquídeas em apartamento é fundamental para o seu desenvolvimento adequado.
Entender como cultivar orquídeas em apartamento é fundamental para o seu desenvolvimento adequado.

Em geral, a vasta maioria das orquídeas vive sob a forma epífita na natureza, ao se fixarem no tronco das árvores, procurando por apoio. Não é uma relação parasita, por isso não causa nenhum dano à árvore.

Mas existem também orquídeas terrestres, também chamadas de orquídeas de chão ou de solo, como a orquídea sapatinho ou Paphiopedilum Leeanum, a orquídea sapatinho de princesa (Phragmipedium Sedenii), Cymbidium e a Arundina, a orquídea-bambu.

CURSO GRATUITO DE COMO CUIDAR DE ORQUÍDEAS

✔ Como regar! ✔ Luz e ambientes corretos ✔ E muito mais!

Acesse agora! Clique aqui.

Um terceiro grupo de orquídeas, um pouco menor, vive de forma rupícola, ou seja sobre as pedras, como por exemplo a orquídea Laelia Longipes. Por isso que para cuidar de orquídeas em apartamento, é necessário saber identificar cada espécie que deseja cultivar e seus hábitos de vida se você quiser obter sucesso.

Apesar de nestes habitats de origem as orquídeas não precisarem de cuidado para crescer e florescer, porque a natureza fornece tudo que elas necessitam, o ideal é tentar simular as mesmas condições dentro de casa. Por isso, muita gente as amarram em árvores, placas de madeira ou fibras naturais.

Mesmo assim, a umidade relativa do ar deve ser mantida alta e as regas controladas. Por isso, em ambientes internos, para facilitar o cultivo e a praticidade, cuidar de orquídeas em vasos fica mais fácil, especialmente nos apartamentos.

No entanto, para obter sucesso nesse tipo de cultivo você vai precisar ficar atento para não encharcar as raízes das orquídeas e evitar risco delas serem atacadas por fungos, bactérias e pragas. Além disso, como o vaso limita o crescimento da planta, é fundamental trocar a orquídea de vaso.

Portanto, para saber como cuidar de orquídeas em apartamento estas condições de cultivo é necessário observar uma série de detalhes e cuidados para que a sua orquídea não adoeça ou morra.

Leia mais: Orquídeas: O Guia Completo!

Principais Dificuldades de Cuidar de Orquídeas em Apartamento

Existem algumas dificuldades de como cultivar orquídeas em apartamento que precisam ser superadas para obter sucesso.
Existem algumas dificuldades de como cultivar orquídeas em apartamento que precisam ser superadas para obter sucesso.

O cultivo de orquídeas em apartamento está cada vez mais comum, mas sob estas condições artificiais, é fundamental que se dê atenção à luz, umidade, ventilação e adubagem corretas.

Para tanto, são necessários alguns elementos de infraestrutura, dependendo do local em que você deseja cultivar as orquídeas. Como por exemplo, ralos, mangueiras, telas de sombreamento, que nem sempre estão disponíveis para quem pretende cuidar de orquídeas em apartamento.

Apesar de possível cultivar orquídeas em ambientes internos, além de precisar de um elevado índice de umidade relativa do ar em seu ambiente de cultivo, vários outros fatores precisam ser considerados ao tentar aprender como cuidar de orquídeas em apartamento.

Assim, vamos detalhar abaixo as principais dificuldades de como cuidar de orquídeas em apartamento e sugerir meios de solucionar esses problemas para que você obtenha sucesso. São elas:

Leia mais: Como cultivar orquídeas? Em Vasos e Troncos

1 – Falta de luminosidade adequada

A falta de luminosidade adequada é um dos fatores que podem complicar o cultivo das orquídeas em apartamentos, pois não é sempre que as janelas ou sacadas em que se pode cultivá-las possuem uma boa posição em relação ao sol.

O ideal seria dar preferência às faces norte e leste do apartamento, em que o sol incide de forma mais amena nas plantas. Na face leste, por exemplo, as orquídeas irão receber o sol das manhãs e, por isso, não precisarão de sombreamento. Já a face sul é a menos indicada, pois costuma receber menos luminosidade, exigindo orquídeas que toleram um maior sombreamento.

2- Ventos fortes devido a altura

Neste caso, quanto mais alto for o andar, mais o apartamento sofrerá com o excesso de vento. Os ventos fortes costumam secar mais rapidamente as orquídeas, e sem proteção que quebre esse vento (árvores, casas, outras estruturas etc.), a condição agrava o problema.

Para evitar que isso aconteça, será preciso regar as orquídeas com mais frequência porque a água irá evaporar rapidamente. Considere também misturar substratos que retenham mais umidade, como o coxim de coco ou esfagno e utilizar vasos de plástico ao invés de barro.

Existe também a opção de utilizar uma outra técnica conhecida por “humidity tray”, que criam um microclima mais úmido, evitando que a planta seque rápido (leia mais sobre isso abaixo).

Mas não é só isso, os ventos também costumam derrubar os vasos nos andares mais altos e arrancar suas flores. Para evitar isso, experimente deixar os vasos mais pesados com camadas extra de drenagem (brita, telha) dentro deles ou construir barreiras com plástico, sombrite ou outros tipos de plantas que servem de quebra-vento.

Você pode também agrupar as plantas sem que uma não faça sombra na outra para que elas se protejam e evitem que sejam derrubadas. Já para preservar as flores, coloque os vasos dentro de casa durante a floração.

3 – Falta de proteção

Falamos acima que a proteção contra os ventos fortes é essencial para quem deseja saber como cuidar de orquídeas em apartamento, mas nem sempre a legislação dos condomínios permitem colocar tela de sombreamento ou outros acessórios para contornar o problema.

Uma outra opção seria utilizar outras espécies de plantas que resistam aos ventos e sirvam de barreira de proteção e sombreamento, sem tirar a luminosidade do local. O cultivo também pode ser feito dentro do apartamento, em um local fresco, de preferência perto de uma janela com bastante luminosidade.

4 – Maior risco de ataques de pragas

CURSO GRATUITO DE COMO CUIDAR DE ORQUÍDEAS

✔ Como regar! ✔ Luz e ambientes corretos ✔ E muito mais!

Acesse agora! Clique aqui.

Infelizmente, as orquídeas em apartamento estão mais sujeitas a pragas, principalmente pulgões e cochonilhas, que se disseminam facilmente pelo vento. A opção é utilizar repelentes para insetos, óleo de neem, calda de fumo e calda viçosa, além da catação manual em pragas visíveis.

5 – Excesso de poeira e poluição

Além do vento forte, a poeira e a poluição também são inimigos das orquídeas. Para evitar que elas sejam contaminadas, limpe sempre suas folhas para que a fotossíntese não seja prejudicada ou contribua para a proliferação de ácaros, que danificam as orquídeas.

Como Cuidar de Orquídeas em Apartamentos

É perfeitamente possível aprender como cuidar de orquídeas em apartamento.
É perfeitamente possível aprender como cuidar de orquídeas em apartamento.

Ao tentar cuidar de orquídeas em apartamento é preciso ficar atento à todas essas dificuldades, mas dentre todas elas a altitude é uma das mais ignoradas. Além dos ventos fortes, a incidência do sol também tende a ser maior, por conta da falta de proteção.

Assim, apartamentos em que os andares forem mais altos vão precisar redobrar os cuidados com a desidratação das orquídeas, devido aos ventos constantes e sol intenso. Para facilitar esse cultivo, o ideal é planejar a disposição das orquídeas, na varanda ou janela, colocando as mais resistentes, que toleram mais luminosidade e ventilação, na frente.

Já as mais frágeis vão poder ficar atrás mais protegidas pelas da frente. Como alternativa, pode-se utilizar jardins verticais ou cercas vivas com outras espécies de plantas para servirem de barreiras naturais contra o sol e o vento.

Se possível, os anteparos mecânicos, como vidro, policarbonato, treliças ou telas de sombreamento podem ajudar, principalmente em áreas abertas, como coberturas e varandas.

No entanto, vale ressaltar que essas barreiras não podem bloquear totalmente a ventilação e a luminosidade das orquídeas, assim como muitos outros fatores que devem ser considerados a fim de garantir os cuidados necessários de como cuidar de orquídeas em apartamento. Vejamos a seguir o que mais pode ser feito.

Leia mais: As Melhores Plantas para Apartamento: Guia Completo!

Controle o excesso de vento

Já que uma das maiores dificuldades de se cultivar orquídea em apartamentos altos é o vento forte, um dos primeiros cuidados é tomar cuidado para controlar o excesso de vento para que a umidade da planta não saia prejudicada.

O ideal é não deixar as janelas sempre abertas ou sempre fechadas, pois as orquídeas pedem ventilação e não ventania. Como já dito acima, caso as plantas estejam na varanda, invista em anteparos ou qualquer estrutura para protegê-las do vento (folhagens e telas de sombreamento).

Durante a floração, leve a orquídea para dentro do apartamento, para que fique mais protegida do vento. No entanto, a falta de ventilação pode aumentar as chances de proliferação de pragas, pois o ambiente deve ser úmido, mas nunca abafado.

Depois que as flores murcharem, elas podem voltar ao ambiente de cultivo. Saber como cuidar de orquídeas em apartamento tem à ver com conseguir identificar os melhores locais, em termos de iluminação, ventilação e umidade do ar, fazendo a distribuição das plantas de acordo com suas preferências específicas, ao longo do seu desenvolvimento.

Utilize a luminosidade à seu favor

A quantidade de luz disponível vai depender muito do apartamento, pois alguns espaços menores podem ser muito escuros, enquanto outros podem ser ensolarados o dia todo. Portanto, preste atenção nos cômodos que recebem ou não a luz do sol.

Alguns locais com janelas e varandas podem receber sol pela manhã, enquanto outros recebem são quentes demais, necessitando de ajuda com o sombreamento através de cortina ou mudança de espaço. Uma opção é ir mudando o vaso de lugar conforme as mudanças de estações.

Para saber quais gêneros de orquídeas poderão ser cultivadas no apartamento, é essencial identificar os locais de maior quantidade de luz. Para isso, o melhor parâmetro é descobrir a direção do sol que incide nas janelas e varandas.

A face norte costuma ser a mais ensolarada. Já a face leste recebe apenas o sol da manhã e as janelas na face oeste costumam ser as mais quentes no verão, necessitando técnicas de sombreamento para amenizar o sol da tarde.

Por fim, apartamentos voltados para a face sul não funcionam para a maioria das orquídeas, por quase não receberem luz.

Outro fator importante é a distância entre a planta e o seu local de maior luminosidade, pois cada centímetro de distância conta, já que a luz diminui bastante à medida que ela se afasta da janela.

Sendo assim, os locais ideais para cultivar orquídeas é no parapeito da janela, ou o mais próximo possível. Outros locais, como as sacadas, áreas de serviço e até mesmo banheiros bem iluminados são ideais para cultivar orquídeas em apartamento.

Leia mais: Orquídeas que gostam de sol

Mantenha a umidade do ar controlada

CURSO GRATUITO DE COMO CUIDAR DE ORQUÍDEAS

✔ Como regar! ✔ Luz e ambientes corretos ✔ E muito mais!

Acesse agora! Clique aqui.

Normalmente, os ambientes internos estão totalmente isolados do solo, por isso acabam ficando extremamente secos, com baixa umidade relativa do ar. Isso acaba facilitando a desidratação e debilitando a planta, o que favorece a proliferação das pragas.

Além disso, os tecidos das cortinas, tapetes e estofados também contribuem para a diminuição da umidade do ar, tornando o ambiente mais seco. Assim, utilizar umidificadores de ar pode ajudar bastante a amenizar essa situação.

Outras opções possíveis, no caso de varandas e coberturas, são os tanques de água, fontes ou aquários que ajudam a manter uma boa umidade do ar.

Uma boa ferramenta para manter a umidade relativa do ar é o humidity tray, uma bandeja de apoio para os vasos que contém uma lâmina permanente de água com cascalho, brita ou argila expandida no fundo para evitar o contato com as raízes da planta e a proliferação de mosquitos.

Até as orquídeas penduradas também podem se beneficiar da umidade que estes aparatos proporcionam. Já nos dias muito quentes, recomenda-se molhar o chão do orquidário para aumentar a umidade, sem precisar regá-las diretamente. Já no caso dos apartamentos, estas bandejas promovem um efeito semelhante.

Adapte as regas ao local de cultivo

O segredo para regar as orquídeas em apartamento é adaptar as regas de acordo com a estrutura do espaço. O problema é que em alguns apartamentos não há acesso à torneiras, mangueiras, ralos ou espaço para escorrer água, mesmo nas varandas.

Nestes casos, os vasos terão que ser transportados para outro local, como a pia da cozinha ou a área de serviço, box do chuveiro ou quem sabe até um banheira para uma maior hidratação. O importante é molhar abundantemente cada vaso, semanalmente, permitindo que o fluxo de água passe pelas orquídeas. O problema é que nesses “banhos” mais caprichados, os sais da adubação podem ir embora.

Evite também molhar as flores e os botões florais, para evitar o aparecimento do fungo Botrytis cinerea, que causam as pintas amarronzadas nas pétalas e sépalas das flores.

Nos intervalos entre as regas semanais, controle a umidade do substrato com o borrifador, podendo borrifar as orquídeas duas vezes ao dia, em dias mais quentes e muito secos, de manhã e no final da tarde. No inverno não precisa borrifar.

O mais importante é permitir que o substrato e as orquídeas tenham chance de secar entre uma rega e outra. Quando se trata de como cuidar de orquídeas em apartamento, tudo vai depender da época do ano, do clima local, e das temperaturas de cada ambiente. Por isso, a frequência das regas precisará ser ajustada de acordo.

Mesmo assim, algumas alterações na rotina de regas podem ser necessárias em casos de gêneros específicos, como as orquídeas Dendrobium, que precisam de um período maior de seca (stress hídrico) durante o outono, para que ela floresça na primavera.

Atenção ao tipo de adubação

À princípio não há diferenças significativas na adubação de orquídeas cultivadas em apartamento ou em qualquer outro local. A bem da verdade, as orquídeas na natureza não precisam de adubação, mas nos ambientes internos será preciso levar em consideração algumas questões práticas.

A principal é a escolha do adubo, que deverá ser o químico, ao invés do orgânico, que tem um cheiro desagradável e pode incomodar os vizinhos. Isto porque a adubação orgânica é constituída por torta de mamona, farinha de osso, bokashi, entre outros compostos, que entram em decomposição por micro-organismos para liberar os nutrientes à planta.

Além do odor, vários insetos também são atraídos, causando incômodos para quem convive próximo ao local de cultivo. Uma opção é o adubo químico NPK, balanceado, contendo macro e micronutrientes. A dica é alternar as formulações para manutenção e floração com diferentes proporções de nitrogênio (N), fósforo (P) e potássio (K).

Leia mais: Adubo caseiro para orquídeas: veja 4 incríveis receitas!

Observe a aparência das folhas

CURSO GRATUITO DE COMO CUIDAR DE ORQUÍDEAS

✔ Como regar! ✔ Luz e ambientes corretos ✔ E muito mais!

Acesse agora! Clique aqui.

Para entender como cuidar de orquídeas em apartamento é preciso saber identificar as necessidades e carências delas. Você faz isso observando a umidade do seu substrato para ver a hora de regar e a aparência das folhas, que já dizem muita coisa sobre elas.

Por exemplo, nem sempre folhas murchas ou secas nas orquídeas é sinal de doença, pois isso faz parte do processo natural delas para que novas folhas surjam à medida que a planta está se desenvolvendo.

Por isso, que é tão importante saber identificar os sinais que as orquídeas apresentam para cuidar adequadamente delas. Assim, será através da coloração de suas folhas, da aparência das raízes e dos pseudobulbos e pelo surgimento ou não de flores, que elas irão se comunicam conosco.

Muitas vezes, uma folha amarelada, um pseudobulbo murcho ou a queda das flores, podem ser processos normais do desenvolvimento das plantas. A coloração das folhas das orquídeas, por exemplo, é sinal de quantidade de luz que a planta está recebendo.

Se ela apresentar um tom de verde for muito escuro, isso é sinal de pouca luminosidade. Já as folhas amareladas é sinal de sol em excesso.

Por outro lado, folhas murchas são sinal de que a orquídea está encharcada ou sendo regada demais. Neste caso, suas raízes podem estar em contato com água por tempo prolongado e, com isso, a orquídea não está conseguindo captar água na mesma velocidade que transpira pelas folhas, ficando murcha e enrugada.

Leia mais: Orquídeas com folhas murchas e amareladas: o que fazer?

Evite a proliferação de pragas

Uma das vantagens do cultivo de orquídeas em apartamento é o fato de que determinadas pragas são menos frequentes, como lesmas, caracóis e formigas cortadeiras, que só atacam as orquídeas se forem trazidos de fora, por meio de outros vasos. Ainda assim, por serem pragas maiores e bastante visíveis, seu controle e erradicação são mais fáceis.

Por outro lado, existem pragas que chegam pelo ar com bem mais frequência, como cochonilhas, pulgões e tripes, que se desenvolvem rapidamente na falta de ventilação de locais fechados.

Muitas vezes é até muito difícil erradicar totalmente estas pragas, e apenas possível mantê-las sob controle através de métodos de prevenção, tentando ser os mais naturais possíveis.

Fungicidas e inseticidas, por exemplo, são bastante tóxicos e possuem alto potencial carcinogênico aos seres humanos. Por isso, exigem o uso de equipamento completo de proteção, como óculos, luvas e botas.

Em caso de como cuidar de orquídeas em apartamento, isto está fora de cogitação, pois você pode contaminar os vizinhos por mais que se proteja.

Assim, cuidar de orquídeas em apartamento exige atenção redobrada quanto ao uso de defensivos químicos, devido a sua ação sobre as pessoas no convívio, mesmo que em outro apartamento (de cima ou de baixo do seu).

Portanto, o controle manual deverá ser feito através da eliminação dos insetos com uma limpeza das folhas com escovinha, água e sabão.

Fique atento a parte de trás das folhas, onde eles mais se concentram. Para prevenção, borrife as orquídeas com óleo de neem, a cada quinze dias. E se a infestação for grande, opte por inseticidas pouco tóxicos, à base de água.

Sugestões de orquídeas para apartamento

como cuidar de orquídeas ema partamento: sugestão de espécies
Várias espécies de orquídeas podem se adaptar ao cultivo em apartamento.

Não sei se você já reparou, mas atualmentes os produtores e hibridizadores de orquídeas vêm se dedicando às versões em miniatura. Isso porque o público que vive em apartamentos tem aumentado bastante, e muitas vezes existe uma limitação de espaço. Assim, as mini orquídeas têm sido desenvolvidas com esse intuito de agradar esse público.

Leia mais: Tipos de orquídeas

Gênero Phalaenopsis

Um exemplo disso é a mini Phalaenopsis, encontradas em uma grande variedade de cores e padrões, inclusive em tamanhos tão pequenos que cabem em uma rolha.

Gêneros Cattleyas e Epidendruns

Há também uma grande variedade de mini Cattleyas, de todas as cores e formatos e a Epidendrum, uma orquídea bastante resistente e de baixa manutenção, mas que precisa de bastante luminosidade como sol direto.

Gênero Oncidium

Para quem está começando a aprender como cuidar de orquídeas em apartamento, os híbridos mais populares são ideais: a famosa orquídea Chuva de ouro (Oncidium Aloha ‘Iwanaga’), bastante florífera e de fácil cultivo; a Orquídea chocolate (Oncidium Sharry Baby ‘Sweet Fragrance’) e a Oncidium Twinkle ‘Yellow Fantasy’.

Gênero Dendrobium

Todos ss representantes do gênero Dendrobium também são bastante resistentes, pois dificilmente são atacados por pragas e florescem bastante sob os devidos cuidados. Um dos maiores exemplos é a clássica Orquídea olho de boneca (híbrida do Dendrobium Nobile), o Dendrobium Stardust, e a Orquídea denphal.

Para quem já tem mais intimidade com o cultivo de orquídeas, espécies mais exóticas como o Dendrobium kingianum, Dendrobium purpureum album, Dendrobium victoria-reginae, Dendrobium loddigesii e Dendrobium aggregatum são excelentes para apartamentos.

Gênero Ludisia discolor

Já para quem não dispõe de muita luminosidade, recomenda-se a orquídea terrestre Ludisia discolor ou Orquídea jóia (jewel orchid), que possui lindas folhas.

Ela é ideal porque é capaz de se desenvolver bem em ambientes mais sombreados, com luminosidade indireta, como as orquídeas dos gêneros Phalaenopsis e Paphiopedilum.

Micro orquídeas

As micro orquídeas também exigem menos luminosidade. Por isso, possuem duas vantagens para quem quer aprender como cuidar de orquídeas em apartamento: o porte minúsculo e a necessidade de menos luz.

No entanto, elas costumam ser bastante delicadas e exigentes quanto aos níveis de umidade relativa do ar. Exemplos mais comuns: Rodriguezia venusta, Capanemia superflua, Oncidium pumilum, Masdevallia infracta, Masdevallia discoidea, Sophronitis cernua, Dendrochilum filiforme, Ornithophora radicans, Epidendrum peperomia.

Leia mais: Mini Orquídeas: Como Cuidar? Guia Completo!

E aí, curtiu saber como cuidar de orquídeas em apartamento? Se ainda tiver dúvidas sobre como cuidar delas deixe o seu comentário abaixo.

Write A Comment