Como Fazer Mudas de Orquídeas

Comercialmente, as orquídeas são reproduzidas por sementes ou por uma técnica de micropropagação em laboratório, ambas inviáveis para cultivos domésticos. No entanto, em se tratando do cultivo doméstico, o método mais utilizado de como fazer mudas de orquídeas é por divisão das espécies adultas (ou divisão de rizomas), após a sua primeira floração.

Embora a divisão de rizomas seja a técnica mais fácil e acessível para quem quer multiplicar as espécies de orquídeas, a tarefa também vai exigir alguns cuidados específicos de acordo com cada espécie e classificação de crescimento.

Na verdade, existem dois tipos básicos de formas de crescimento para as orquídeas: monopodial (vertical) e simpodial (horizontal). Orquídeas de crescimento vertical crescem se alongando para o alto como um pé de milho, e geralmente são solitárias, com apenas uma planta por vaso (Vandas e as Falenópsis).

Já as orquídeas de crescimento horizontal são aquelas que crescem para os lados de forma descontínua. Essa estrutura é chamada de rizoma, um caule que cresce sempre no sentido do substrato, enraizando nele e emitindo os pseudobulbos ou hastes. Alguns exemplos são as espécies Cattleya, Dendrobiuns, Bulbophylluns, Catasetuns.

Por sua vez os pseudobulbos ou os “bulbos” são a estrutura de reserva de água e nutrientes dessas orquídeas, de onde também saem as folhas e flores. Daí a sua importância para o cultivo de novas mudas. Orquídeas que possuem muitos brotos podem ser divididas em 3 ou 4 pseudobulbos, formando novos vasos de mudas.

Chegou a hora de dividir a sua orquídea? Então continue lendo o artigo abaixo para aprender como fazer mudas de orquídeas lindas como as suas originais!

Classificação das orquídeas por tipo de crescimento

Existem dois tipos de crescimento que permitem aprender como fazer mudas de orquídeas.
Existem dois tipos de crescimento que permitem aprender como fazer mudas de orquídeas.

As espécies da família Orchidaceae também podem ser classificadas tipo de crescimento, ou seja, o seu sistema caulinar, que pode ser monopodial ou simpodial. Veja abaixo.

Orquídeas Monopodiais

As orquídeas de crescimento monopodial possuem uma única haste principal, que cresce no sentido vertical, produzindo uma série de folhas na gema apical em sua ponta de crescimento.

Esta ponta de crescimento, no final da haste, estende-se continuamente, e as hastes de flores emergem da haste principal entre os nós acima de cada folha. A haste pode, ocasionalmente, gerar ramos, mas é menos freqüênte.

Orquídeas que crescem verticalmente têm pouca capacidade para armazenar água, e precisam ser regadas com maior freqüência. Em alguns casos, as raízes ficam aéreas, expostas, sendo uma das principais fontes de umidade da planta, caso o ambiente tenha umidade suficiente para tal.

No cultivo doméstico, a divisão das orquídeas monopodiais é bem mais difícil, e deve ser evitado, a não ser que você seja um especialista. Neste caso, os “keikis” são geralmente a melhor forma de propagar este tipo de orquídea.

Uma das vantagens das orquídeas monopodiais é o seu crescimento vertical que permite reutilizar os vasos, apenas acrescentando um novo substrato, se for o caso. As orquídeas monopodiais mais comuns são as Phalaenopsis, Vanda e a Vanilla (baunilha).

Orquídeas Simpodiais

As orquídeas simpodiais crescem de forma descontínua, para os lados no sentido horizontal, formando rizomas a partir dos quais emergem uma série de brotos, normalmente um por ano.

Cada novo broto amadurecido torna-se um “pseudobulbo”, que pode durar anos, mas floresce uma única vez. Isso porque após a floração, quando a orquídea retoma o seu crescimento, um outro segmento de rizoma é desenvolvido e o processo é repetido.

No entanto, em algumas espécies de orquídeas as florações podem persistir por muitos anos, mas este pseudobulbo, com o tempo, vai perder suas folhas e depois acabará morrendo.

Normalmente, no cultivo doméstico as orquídeas simpodiais podem ser facilmente divididas. Nesta técnica, o rizoma pode ser cortado mantendo pedaços com 3 a 4 pseudobulbos em cada parte. Portanto, a orquídea deve ter, pelo menos 6 pseudobulbos, sendo que os traseiros também podem desenvolver novos brotos. As orquídeas simpodiais mais comuns são as Cattleyas e seus híbridos.

Como Fazer Mudas de Orquídeas

 

Como fazer mudas de orquídeas: keikis
Para aprender como fazer mudas de orquídeas é preciso escolher o método correto.

Multiplicar o número de orquídeas é um desejo de todo colecionador ou amante dessas espécies, seja para decorar ainda mais o seu ambiente em casa ou dar de presente. As orquídeas podem ser reproduzidas tanto por sementes, micropropagação em laboratório ou por divisão de seus rizomas, que se desenvolverão como uma planta independentemente.

Normalmente, a técnica de multiplicação de mudas mais fácil de se fazer no ambiente doméstico é por divisão de rizomas de orquídeas simpodiais. Caso opte por semeadura, o método simbiótico é mais indicado, porém bem mais lento.

Já as técnicas de semeadura assimbiótica e micropropagação (meristema) são feitas em laboratório, portanto utilizadas por especialistas, mais indicadas ao cultivo comercial.

1 – Como fazer mudas de orquídeas: Semeadura

A técnica de reprodução de mudas de orquídeas através das sementes é bem mais difícil e mais lenta por elas serem muito pequenas e não terem material de reserva suficiente para se manterem nutridas durante o desenvolvimento até se tornarem uma nova planta.

Por isso, a semente precisa se associar a determinados tipos de fungos (micorriza) para que eles fabriquem os nutrientes necessários para a sua germinação.

Assim, sem micorrizas, a semente não germina. Daí a razão se não ser tão simples semear orquídeas por processos naturais. Desse modo, há dois modos de semeadura: o método simbiótico e o assimbiótico.

O método simbiótico utiliza o processo natural, por meios caseiros, mas a germinação será bem menor. Já o método assimbiótico, é utilizado em laboratório através de conhecimento técnico para uma semeadura em ambiente totalmente controlado. O método é usado no cultivo comercial por ser mais efetivo e mais rápido.

Mas neste caso, vamos tratar aqui apenas da semeadura simbiótica, já que se pode fazer em casa.

Método Simbiótico

Para saber como fazer mudas de orquídeas por semeadura simbiótica, será preciso algumas raízes de orquídea (2 ou 3), água de coco e sementes. Além das raízes das orquídeas, é necessário obter os fungos micorriza que permitirão a germinação das sementes.

Para iniciar o processo, macere as raízes com um pouco de água de coco, depois passe tudo na peneira e junte as sementes da orquídea (abra a cápsula e retire as sementes) com o líquido macerado.

Em seguida, pegue um tronco de árvore, de preferência um pouco inclinado, e despeje a mistura devagar, espalhando sobre o tronco. Vale ressaltar que apenas uma cápsula possui milhares de sementes, mas somente algumas irão germinar.

Outra forma de simplificar o processo é jogando as sementes próximas às raízes de uma outra orquídea adulta (de mesma espécie) que já esteja crescendo na árvore, pois é muito provável que ali já exista o micorriza para sua germinação.

2 – Como fazer mudas de orquídeas: Divisão de Rizomas

Em geral, para saber como fazer mudas de orquídeas por divisão de rizomas é preciso que a planta tenha ao menos 6 pseudobulbos (caules), assim cada nova planta vai possuir inicialmente, ao menos 3 pseudobulbos para garantir a sobrevivência.

A primeira coisa antes de fazer o corte é avaliar se esta no momento certo de cortar. O corte é sempre um momento estressante e por isso devemos faze-lo da maneira a impactar o mínimo possível.

O melhor momento para dividi-las é quando estão emitindo novos brotos. Para isso, avalie se a planta esta em sua época de crescimento. A maneira mais fácil de ver isso é verificar se a mesma esta brotando.

Um corte sempre gerará uma nova planta que dará flores idendicas as da planta original. Mas vale lembrar que a divisão da orquídea é opcional, não essencial.

Se a frente esta brotando, então teremos as melhores condições possíveis para que uma gema adormecida da traseira também venha a brotar formando uma nova planta.

Leia mais: Como Identificar Orquídeas pelas Folhas

Como dividir a orquídea

Para aprender como fazer mudas de orquídeas pela divisão de rizomas, retire a planta do vaso original, tirando todo o substrato antigo das raízes e lavando em água corrente. Aproveite para retirar todas partes mortas da planta e sujeiras.

Com uma faca bem afiada e esterilizada em chama azul do fogo, separe as plantas em mudas de 3 ou mais pseudobulbos, cortando seu rizoma. Há quem faça o corte sem tirar a planta do vaso até que a sua parte traseira emita brotos garantindo a nova muda.

É uma alternativa para evitar que as raízes sejam estragadas, dificultando a captação de nutrientes e água para formar a nova planta. Há também quem prefira cortar apenas a metade do rizoma ou fazer um furo no meio com um prego, para estimular a brotação da parte traseira gerando uma nova muda naturalmente.

Quando a muda resultante da parte traseira estiver formando novas raízes, retire todo o conjunto do vaso e plante cada uma delas em vasos separados com os substratos adequados, conforme já explicado em como cultivar orquídeas.

Leia mais: Como Regar Orquídeas: Saiba Como Mantê-las Sempre Belas

3 – Como fazer mudas de orquídeas: Meristema

A clonagem de plantas já é feita com sucesso há muitas décadas, sendo um processo largamente utilizado com sucesso no cultivo comercial de orquídeas. O processo é chamado de micropropagação, também conhecido por meristema.

O meristema é o tecido formado por células com capacidade de se dividir indefinidamente, presentes em várias partes do vegetal. No caso das orquídeas, essas células são retiradas das gemas e brotos para serem cultivadas em meio de cultura com o auxílio de estimulantes de crescimento.

A grande vantagem desse método de propagação é a obtenção de milhares de exemplares idênticos à planta mãe, tarefa praticamente impossível com a propagação por sementes. Por isso, não se trata de um método para ser feito em casa, portanto cabido apenas aos laboratórios especialistas em reprodução vegetal.

Orquídeas que propagam “Keikis”

Como fazer mudas de orquídeas: keikis
Como fazer mudas de orquídeas: keikis

Na horticultura, o termo Keiki significa “Bebê” em havaiano, e se refere a qualquer nova planta produzida assexuadamente. Assim, em se tratando de orquídeas, são as espécies que emitem pequenas mudas (bebês), os quais, ao se desenvolverem formarão uma nova orquídea que dará flores idênticas às da planta mãe.

É um método de propagação comum para orquídeas dos gêneros Phalaenopsis, Epidendrum e Dendrobium, normalmente formado quando a orquídea é mantida muito úmida e com luminosidade abaixo da ideal.

Na verdade, o Keiki era para ser uma flor, mas como havia muita água disponível e luminosidade baixa, a planta cria novas mudas ao invés de dar botões florais. Os Keikis, enquanto ligados à planta mãe, recebem água e nutrientes dela, e as suas raízes apenas fazem função secundária para o desenvolvimento.

Quando as raízes estiverem com mais de 5 cm, já pode destacar o keiki e plantar em um novo vaso. Quanto mais desenvolvido ele estiver, mais forte estará para se desenvolver sozinho.

Se na época de formação dos novos brotos, que gerarão uma nova floração, você manter a planta em ambiente de boa umidade, com menos luminosidade que a ideal para a espécie, formará keikis. Por outro lado, também existem pastas com hormônios próprios para estimular as gemas a gerar mudas.

Leia mais: Como Cuidar de Orquídeas? Conheça os Cuidados Necessários!

Como fazer mudas de orquídeas Dendrobium e Epidendrum

Como fazer mudas de orquídeas Dendrobium.
Como fazer mudas de orquídeas Dendrobium.

No caso das espécies de orquídeas Dendrobium e Epidendrum, como fazer mudas de orquídeas através dos keikis basta separar um caule da planta e cortar de modo que cada pedaço tenha dois ou três nós, onde se encontram as gemas.

Depois, sele os cortes passando canela em pó e coloque-os em uma bandeja com substrato (perlita com fibra de coco ou areia). Mantenha o caule úmido, pulverizando hormônio e vitamina B a cada 10 dias. Assim que os Keikis estiverem já com duas ou três folhas e umas duas ou três raízes, plante em vaso definitivo ou fixe em uma árvore.

Como fazer mudas de orquídeas Phalaenopsis

Como fazer mudas de orquídeas Phalaenopsis.
Como fazer mudas de orquídeas Phalaenopsis.

As espécies Phalaenopsis têm flores vistosas, coloridas, que variam do branco ao vermelho, passando pelo amarelo, creme-esverdeado, roxo, estriadas, pintalgadas ou não, principalmente nas espécies híbridas.

Cada nova floração é sempre na mesma haste floral da floração anterior, soltando nova inflorescência nos nódulos antigos (gemas). Por isso, nunca corte a haste mesmo depois da floração, até que ela esteja totalmente ressecada.

Isso porque a planta pode desenvolver nesses nódulos velhos, novas mudas. Sendo assim, após a floração anterior, meça cerca de um palmo (22 cm) na haste floral a partir da base da planta, e corte ali, cauterizando o corte em seguida com uma colher quente e/ou pasta de canela em pó úmida, para evitar fungos e bactérias.

Nesse pedaço de 22 cm de haste que ficou na planta costuma nascer outra haste floral. Se quiser, borrife uma solução de água filtrada com complexo vitamínico B ou hormônio enraizador (tiamina de boro ou 2 comprimidos de BENERVA esmagados e dissolvidos num litro de água e ácido giberélico).

Com o tempo, novas mudas surgirão nos nódulos dessa haste, que poderão ser destacadas quando estiverem com as folhas duplas crescidas e apresentando enraizamento, para serem replantadas.

Como fazer muda de orquideas a partir do caule

O primeiro passo para saber como fazer muda de orquídeas a partir do caule de uma mesma espécie é retirar a haste com a raiz que já nasceu com uma tesoura esterilizada.

Depois, basta preparar um novo vaso com substratos adequados, rolhas de garrafas, fibra de coco, casca de pinus, carvão vegetal ou pedras no fundo e os devidos furos necessários para escoar a água.

Em seguida, encaixar a haste no substrato. Caso não consiga fixar direito por conta do tamanho pequeno da raiz, utilize um cabo para apoio bem preso ao fundo para amarrar a nova planta. Agora é só molhar bastante, escorrer bem a água e cuidar como você cuida da original.

Como fazer mudas de Orquídeas na areia

Para fixar uma muda de orquídea na areia, basta manter a areia úmida, sem estar encharcada. Em seguida, posicione o caule de forma a enterrá-lo na areia cerca de 5 a 8 cm. Com o tempo, os brotos sairão no caule e quando estiverem grandes o suficiente, estarão prontos para serem transportados para o local de cultivo apropriado.

Como fazer mudas de orquídeas Cattleyas

Como fazer mudas de Orquídeas Cattleyas
Como fazer mudas de Orquídeas Cattleyas

As espécies de Cattleyas são ideais para os vasos de barros com furos laterais para ventilação. Após a florada, é possível fazer mudas ou mudar de vaso, apenas quando não tiver mais espaço e cheio de mudas. O segredo em como fazer mudas de orquídeas Cattleyas é dividir as haste com pelo menos seis folhas para dividir 3 para cada vaso, pois elas precisam das folhas antigas como sustento.

Como fazer mudas de orquideas Vanda

Como fazer mudas de orquídeas Vandas
Como fazer mudas de orquídeas Vandas

Em relação à produção de mudas, as Vandas são espécies mais difíceis de soltar mudas ou keikes. Isso porque as Vandas crescem sempre na vertical. Então, como fazer mudas de orquídeas Vandas? Basta esperar que ela tenha pelo menos 20 a 25cm de altura e no mínimo 3 raízes para conseguir sobreviver.

Como fazer mudas de Orquídeas Bambu

Como fazer mudas de Orquídeas bambu
Como fazer mudas de Orquídeas bambu

As orquídeas Bambu costumam soltar os keikis, no meio ou na ponta de seus ramos. Mas para aprender como fazer mudas de orquídeas, é preciso esperar que os keikis tenham duas ou três raízes de 5 cm para destacá-los da planta-mãe, plantando as mudas com um pouco de esfagno em volta das raízes.

Esses brotos devem ser mantidos a meia sombra, borrifados semanalmente com NPK 10-52-10 diluído em água (1 colher de café para 1 litro de água) para estimular o enraizamento e a produção de novas folhas.

Como fazer mudas de Orquídeas Cymbidium

como fazer mudas de orquídeas cymbidium
Como fazer mudas de orquídeas Cymbidium

No caso das orquídeas Cymbidium a propagação das mudas é feita por divisão de touceiras, separando-as sempre com pelo menos dois pseudobulbos, e evitando sacrificar a planta-mãe, sem danificar as raízes ao retirar a muda.

Leia mais: Como plantar orquídeas? Veja o passo a passo

Pronto! Agora você já sabe como fazer mudas de orquídeas de quase todas as espécies mais populares e vai poder ter uma infinidade de vasos espalhados pela casa ou jardim. Bom cultivo!

você pode gostar também

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.