Granilite: Piso, Preço, Como Fazer, Cores

Já reparou nos pisos que parecem ser feitos de uma série de pequenas pedras coloridas? Este é o granilite, que realmente é feito de pequenas pedras. Seu visual é bastante bonito, e cheio de vantagens para ambientes internos e externos.

A massa do piso granilite é composta por cimento (branco ou comum), água e areia. A mistura também recebe pedaços de pedras, grandes ou pequenos. Entre os itens minerais mais comuns estão o calcário, o quartzo, granito, mármore e diversos outros.

Geralmente, diversos tipos de pedra são utilizados numa mesma massa. Ainda assim, é comum encontrar pisos feitos apenas com o mármore – neste caso, ele recebe o nome de marmorite.

Um dos principais destaques do granilite é a sua resistência. Neste quesito, o material se assemelha bastante ao cimento queimado, famoso por sua durabilidade. O granilite, contudo, é ainda mais forte, graças aos pedaços de pedras em sua composição.

Apesar de possuir grande durabilidade, porém, o piso pode sofrer fissuras. A característica é inerente ao produto, e não costuma trazer grandes prejuízos. Afinal, as fissuras geralmente são pequenas e pouco influentes na resistência do pavimento. De qualquer modo, no entanto, é fundamental ter atenção no momento de instalação do piso. Uma base e massa bem-feitas serão as responsáveis por diminuir a incidência e tamanho das fissuras.

Tipos de granilite

Caso opte pelo granilite, o consumidor pode escolher entre dois tipos do material: o Granilite Polido e o Granilite Fulgê. O primeiro, como o nome sugere, passa por polimento em sua finalização. Isso torna a superfície do pavimento bastante lisa e brilhante, criando um belo efeito visual. Para isso, o material recebe uma camada de resina, e logo depois é polido com máquina específica.

Além de brilhante, este processo torna o piso polido impermeabilizado. Isso significa que a água não é absorvida pelo solo, o que é bastante prático e fácil de limpar. No entanto, é necessário atenção: este tipo de granilite se torna escorregadio quando molhado. Por isso, é fundamental garantir que não haja acúmulo de água sobre a superfície.

Ainda por essa característica escorregadia, o granilite polido é mais indicado para ambientes internos. Afinal de contas, em áreas externas ele ficaria mais sujeito à chuva. Assim, o tipo de piso é um dos preferidos para aplicação em escolas, hospitais, escadas e escritórios. Armazéns, frigoríficos, incubatórios, pátios, shoppings e outros também costumam utilizar do material.

Não significa, contudo, que o produto polido não possa ser utilizado em ambientes externos. Nesse caso, porém, é essencial aplicar faixas antiderrapantes na superfície. A aplicação vai diminuir os riscos de escorregamento dos indivíduos.

O granilite fulgê, por outro lado, é perfeito para áreas externas, sem faixas antiderrapantes. Isso porque, a superfície do piso não recebe acabamento de resina. Pelo contrário: ao fim da aplicação e certo tempo de secagem, o piso é lavado para retirada do excesso de argamassa. O resultado é que os pedaços de pedra permanecem em relevo. A textura final é áspera, e por isso antiderrapante.

Por esse motivo, o fulgê (também chamado de fulget) é muito utilizado nas calçadas, rampas, e salas externas. O entorno da piscina é, ao mesmo tempo, um ótimo local de aplicação, pois a superfície molhada requer um piso que previna acidentes. Além disso, o fulgê pode ser aplicado dentro do imóvel, desde que o objetivo seja um visual mais rústico e antiderrapante.

Piso granilite: como fazer

Executar a aplicação do piso granilite não é um processo difícil. O que não significa, contudo, que qualquer um possa fazê-lo. Para garantir que o produto seja bem aplicado, com a argamassa correta, é fundamental contratar mão de obra qualificada. Um profissional que domine a técnica garantirá muito mais durabilidade da superfície.

Para fazer o piso granilite, é importante que a superfície de aplicação esteja bem nivelada. Depressões e saliências poderiam prejudicar o resultado, e por isso devem ser completamente eliminadas. Ao mesmo tempo, o local deve estar limpo, e livre de produtos como óleos e graxa.

Ademais, o piso deve ter certa aspereza, para que possa fazer a aderência correta da massa. Caso já não possua essa característica, o responsável pela obra poderá aplicar camada de concreto, com fissuras, antes de iniciar a aplicação do produto final. Por isso, aliás, o granilite nunca deve ser aplicado sobre cal, gesso ou fibrocimento, pois os materiais possuem pouca capacidade de aderência.

Aplicação do granilite

Com o contrapiso preparado, é preciso instalar sobre ele algumas juntas de dilatação. As juntas são semelhantes a grandes réguas plásticas, que separam o piso em grandes quadrados. Esse cuidado diminui as chances de fissuras, e facilita seu nivelamento. Para fixá-las no chão, é necessário utilizar uma fina camada de argamassa. As juntas devem permanecer retas, e dividirem áreas de até 1,5 metro quadrado.

Em seguida, é produzida a mistura do granilite. Pode ser utilizado cimento branco ou comum (cinza), misturado à água, areia e pedras. O responsável pela obra conhecerá exatamente as proporções de cada material, que varia de acordo com a pedra e o ambiente. Assim que pronta, e quando as juntas estiverem bem fixas, a massa é aplicada sobre o piso.

Após a aplicação da mistura, são “polvilhados” alguns grãos adicionais de pedras sobre a superfície. Logo depois, a massa é alisada e nivelada com desempenadeira de aço. Geralmente, a espessura do piso varia entre 12 mm e 15 mm.

Essa aplicação precisa passar por processo de cura, ou seja, secar, por aproximadamente 7 dias. Depois desse período, será feito o acabamento, que tem tempo de duração de acordo com o tipo de granilite escolhido. Quando o piso é polido, ele recebe camada de resina, e requer cerca de mais 13 dias para secar completamente. No caso do fulgê, o pavimento só é bem lavado, e leva mais 5 dias para ficar pronto. Essas estimativas podem variar, uma vez que esse exemplo se refere a uma área de 40 a 60 metros quadrados.

Como fazer um granilite colorido?

Sem dúvida, uma das grandes vantagens do granilite é seu visual. O aspecto de mosaico, cheio de pequenas pedras, encanta muita gente, e combina com os mais diversos ambientes e decoração. Isso é ainda potencializado quando o consumidor escolhe fazer granilite colorido, em vez dos clássicos branco e cinza.

Neste caso, há dois modos de obter as novas tonalidades. Primeiro, colorindo o cimento que será utilizado na massa. Aqui, é importante que o cimento seja branco, e que receba corante adequado ao material.

A segunda alternativa é pelo uso de pedras mais coloridas, utilizando, de preferência, o cimento branco. É fácil encontrar aquelas em tons verdes, alaranjados, vermelhos e outros. Além disso, é possível combinar as duas técnicas, utilizando pedras e cimento colorido. Neste caso, é importante apenas combinar os tons, para que o efeito visual não se torne cansativo após certo tempo.

Limpeza do piso

A limpeza do piso granilite varia de acordo com o seu tipo. Ambas, contudo, são bastante simples, e facilitam a manutenção no dia a dia.

Comecemos pelo granilite polido. Para sua limpeza, basta apenas utilizar água e sabão, por meio de uma pano úmido ou com balde e rodo. Quando molhado, porém, o pavimento se torna bem escorregadio. Por isso, é fundamental sinalizar o piso escorregadio, especialmente em ambientes comerciais, e fazer sua secagem o mais breve possível. Um pano seco dá conta da tarefa.

Já a superfície fulget requer mais algumas etapas. Primeiro, é importante retirar parte do acúmulo de poeira sobre o piso, com vassoura e/ou aspirador de pó. Em seguida, é possível utilizar água e sabão neutro, que devem ser levemente esfregados sobre o piso. Para o enxágue é necessário utilizar volume abundante de água limpa.

Outro modo de limpar o fulgê é utilizar máquina de água de pressão. No entanto, é essencial usar apenas bico regulado com leque, e nunca o pontual. Isso porque, o segundo, por ser mais direto, pode provocar o desagregamento de pedras do solo. Ou seja, pode arrancar parte da superfície.

Se for necessário remover manchas, basta utilizar uma esponja de limpeza. Ela deve ser esfregada com detergente neutro no ponto da mancha. Produtos abrasivos são completamente inapropriados, seja qual for o tipo de granilite.

Manutenção da superfície de granilite

Ainda é possível recuperar ao visual do pavimento. Aqui, porém, é preciso possuir uma máquina específica, o que torna necessária a contratação de empresa especializada. Especificamente no caso do piso polido, costuma ser necessária a aplicação de uma nova camada de resina periodicamente. O tempo ideal varia de acordo com o fabricante do produto – por isso, é importante verificar as informações disponibilizadas na embalagem do material. De forma geral, o intervalo entre uma aplicação e outra é de três anos.

Granilite preço: Qual o custo por m2?

Os valores cobrados pela instalação do granilite variam de acordo com uma série de fatores: a região do País, as pedras utilizadas, o cimento escolhido, o tamanho dos quadros e mais. Em todo o caso, é possível estabelecer uma média de custo da opção. Para um piso com espessura de 10 mm, o consumidor pode ter que arcar com preço de R$ 56 por m2. O valor não é muito diferente de pisos tão duráveis quanto o granilite.

Outros tipos de piso

Além do piso granilite, existem diversos outros tipos de pavimento com incrível beleza e durabilidade. Eles podem ser aplicados em diferentes ambientes, e contribuem bastante para a facilidade do dia a dia. Confira alguns destes pisos logo abaixo.

Cimento queimado

Um pavimento de cimento queimado, diferentemente do que o nome sugere, não passa por nenhum tipo de processo com o fogo. Em vez disso, o produto recebe uma camada de cimento em pó, o que torna seu visual mais seco e moderno.

Funciona assim: a argamassa, feita de cimento, água e areia, é aplicada sobre o solo. Em seguida, é dado a ela algum pequeno espaço de tempo para secagem. Com a argamassa ainda úmida, então, o responsável pela obra “polvilha” sobre a superfície certa quantidade de cimento em pó.

Após a secagem, o visual do espaço é mais moderno, com diversos tons de cinza. Também é possível colorir ambos os cimentos utilizados, criando tonalidades de acordo com o gosto do consumidor. Leia mais sobre o cimento queimado neste texto.

Piso epóxi

Já o piso epóxi é um dos preferidos para indústrias. Ele é aplicado por meio de uma massa plástica líquida, que recebe um aditivo que a endurece. Após seca, a superfície tem enorme resistência, dificilmente risca, e pode ter uma aparência brilhante ou mais fosca, de acordo com seu tipo de acabamento. Sua manutenção tem enorme facilidade. Você pode conhecer um pouco mais sobre o piso epóxi clicando aqui.

Piso de porcelanato

Pisos de porcelanato, por outro lado, têm sido bastante utilizados em imóveis residenciais. Não apenas por sua enorme resistência, mas também por sua incrível beleza.

O piso de porcelanato é semelhante a cerâmicas. Seus quadrados, contudo, são maiores. Além disso, as peças são produzidas por meio da mistura entre argila, caulim, feldspatos e outros componentes. Os componentes são moídos, levados a uma prensa (onde obtém seu formato) e queimados ao fogo, numa temperatura de 1200 graus Celsius. O resultado é um material muito resistente ao calor e a impactos mecânicos.

Piso de pedra

São diversas as pedras disponíveis no mercado, e a grande maioria pode ser utilizada como componente principal de um pavimento. Entre as mais utilizadas estão as pedras Portuguesas, Lousa e São Tomé. Como o visual e a sensação tátil do material é mais frio, este tipo de piso é mais indicado para ambientes externos. Outra característica que o torna ideal para o lado de fora é sua capacidade antiderrapante, uma vez que as pedras são ásperas.

O visual de um piso de pedra é bastante bonito, e cria certa elegância ao imóvel. É importante, no entanto, que a aplicação das pedras seja feita por especialista. Isso porque, a reparação de apenas uma peça é bastante difícil, o que requer atenção e cuidado redobrado na hora de compor o pavimento.

São diversos os outros tipos de piso disponíveis no mercado, e cada um tem algo a acrescentar ao seu imóvel. Converse com o seu arquiteto e verifique se o piso granilite é o mais vantajoso para o seu objetivo!

Solicite um orçamento!

Você deseja realizar um orçamento com as melhores empresas de execução de piso Graniilte? Preencha o formulário abaixo com sua solicitação e receba as cotações em seu email!

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.