Sapata Isolada: Execução, Passo a Passo, Vantagens

Advertisements

O sistema de sapata isolada tem se tornado um dos tipos de fundação preferidos no Brasil. Isso porque, a opção é mais barata, além de ter uma execução mais rápida. Se você anda pensando em construir, é interessante que conheça a alternativa, para avaliar se ela é a melhor opção para a sua obra. Acompanhe no texto sobre este tipo de fundação!

A instalação de sapatas isoladas é indicada para terrenos com solo firme e boa resistência. Afinal, este tipo de fundação é quase que superficial, sendo inserida apenas a uma pouca profundidade no solo. Se o terreno não for resistente, o peso de uma construção pode afundar as sapatas. Com o tempo, o resultado seria o afundamento também do imóvel. Esse, com certeza, não é o objetivo de uma fundação: a estrutura deve suportar a casa, prédio, ponte ou viaduto, sempre acima do solo, e com segurança.

Como funciona a estrutura?

Uma sapata isolada é construída em forma de cubo de concreto, e será a responsável por suportar uma coluna ou pilar da casa. Para cada coluna, é necessário haver uma sapata na construção. Com essa instalação, a estrutura suporta o peso da edificação, pois a carga é recebida pelos pilares, transmitidas às sapatas e então distribuída pelo solo.

As formas de uma sapata variam. Mais comumente, sua base é quadrada, e seu topo é piramidal ou reto. A escolha pelo modelo do desenho da estrutura varia de acordo com o projeto do imóvel. Também considerando o projeto, o engenheiro avalia o tipo de sapata a ser utilizado na obra. São dois os mais comuns: o radier e a gaiola.

O radier é uma armação mais simples de fundação, e indicado apenas para casas térreas. Do contrário, ele não consegue suportar a edificação. Abordamos o assunto com detalhes no texto “Radier: Cálculo, Espessura, Passo a Passo”. Leia clicando aqui.

Já a sapata do tipo gaiola pode ser utilizada para imóveis de vários pavimentos. Isso porque, a estrutura é mais bem reforçada com cabos de aço e contrato.

Como fazer uma sapata isolada?

O primeiro passo para a construção de uma sapata isolada é contratar um engenheiro ou arquiteto para realizar o seu projeto. Apenas um especialista pode avaliar corretamente o terreno e indicar o tipo de fundação mais adequado ao prédio objetivado. Ele também deverá ser responsável por todo o cálculo do plano e dos materiais, assim como pela segurança de execução da obra.

Quando contratado, o profissional vai analisar, por exemplo, o solo. É fundamental conhecer a sua capacidade de carga, a presença ou não de água no terreno e a profundidade ideal do assentamento da fundação.

Ao mesmo tempo, o especialista verifica o tombamento e deslizamento da sapata. Analisa também se a tensão atuante é inferior à tensão admissível, ou seja, se a carga suportada pela estrutura é menor do que a que ela suporta. Isso garante uma margem de segurança à construção.

Além disso, é comum que a sapata seja posicionada no centro de onde a coluna será erguida. Logo, o profissional vai se certificar que todas as escavações para instalação da estrutura sejam feitas nos locais adequados. A distribuição correta dos pilares é fundamental para garantir a sustentação adequada de um imóvel.

Escavação e preparação do solo

Assim que as escavações forem realizadas de acordo com o projeto, é necessário compactar adequadamente o fundo do buraco. O solo desse furo deve, em seguida, receber uma camada de cinco centímetro de concreto magro.

Chama-se de concreto magro o concreto formado por uma pequena quantidade de cimento e água, e grande quantidade de agregados, como a areia. Ele é o responsável por nivelar o fundo da escavação. Também impede que a umidade chegue à estrutura de metal que será logo instalada – o que poderia causar deterioração do aço e prejudicar a estrutura da edificação.

Em vez do concreto magro, é possível forrar as valas com lonas plásticas, ou mesmo com uma camada de brita. Neste último caso, é fundamental que as pedras sejam bem compactadas e umedecidas antes do derrame do concreto na superfície.

Logo depois, é preciso posicionar no buraco as armações de aço. Para evitar que a estrutura se mova durante a concretagem é interessante utilizar espaçadores laterais à sua volta, fixando a armação no local adequado.

Execução da sapata isolada

Em seguida, deve-se fixar as colunas de aço de arranque, que ficam expostas na vertical. Serão essas barras as responsáveis pela fixação dos pilares ou colunas do imóvel na sapata. Para a correta execução do projeto, as colunas de arranque devem ser posicionadas de forma perpendicular, e bem no centro da sapata.

Se o terreno está abaixo do nível da rua, também é necessário utilizar as chamadas caixarias. Ou seja, tábuas de madeira que darão formato às sapatas. Apenas após o posicionamento dessas caixarias é possível aplicar o concreto na superfície.

É possível ou produzir o concreto no canteiro de obras, ou comprá-lo pronto. Novamente, a escolha depende do projeto realizado para a construção. De qualquer modo, a mistura deve ser homogênea e com consistência pastosa.

Após sete dias, a massa estará seca. As sapatas adequadas a suportar o imóvel terão uma cor e consistência homogênea, sem “manchas” ou furos.

Ainda é importante destacar que, caso haja colunas muito próximas na construção, duas ou mais sapatas isoladas podem ser “transformadas”. Neste caso, em uma sapata isolada, ou seja, em uma sapata com comprimento maior. Retangular, a estrutura também terá dois arranques.

Sapata isolada: cálculos

Todos os cálculos da estrutura e da quantidade de materiais necessária para uma sapata isolada deve ser feita pelo engenheiro ou arquiteto responsável pela obra. Apenas o especialista possui o conhecimento para considerar todos os fatores envolvidos na fundação do imóvel. Por isso, lembre-se de contratar alguém de confiança e, especialmente, que possua registro profissional.

Para obter a quantidade de concreto necessária, por exemplo, o especialista deverá multiplicar a largura pelo comprimento e pela altura de cada sapata. Em seguida, precisará multiplicar o resultado pelo número de sapatas que será construído na edificação.

Caso o projeto envolva a produção do concreto no canteiro de obras, será preciso determinar a quantidade de areia, cimento, água e agregados necessários para a mistura. Isso considerando tanto o rendimento dos produtos, quanto a consistência adequada da massa.

Normalmente, o cálculo das armações de aço ocorre considerando o projeto estrutural do peso. O especialista também deverá indicar o tipo de aço e diâmetro dos cabos para a compra na loja de materiais de construção.

Por fim, o especialista poderá calcular também o tempo gasto para o projeto de fundação. Assim você, consumidor, poderá prever o gasto com mão de obra e organizar sua vida financeira. Ter dinheiro para arcar com o começo, meio e fim da obra é fundamental.

Vantagens da sapata isolada

Sem dúvida, a principal vantagem obtida com o uso da sapata isolada é a economia de custos. Considere este tipo de fundação e outra, que requeira grande quantidade de concreto e/ou uma escavação mais profunda. Nos segundos casos citados, o gasto com materiais será bem maior, assim como os valores pagos para a mão de obra contratada. Logo, o tipo de fundação mais simples é mais barato.

Ao mesmo tempo, é possível contar com a rapidez de execução do projeto. Isso uma vez que a escavação necessária é pequena, e porque montar a estrutura da sapata é bastante simples. O maior tempo gasto com a construção será o de secagem do concreto, que geralmente é de 7 dias.

Outra vantagem interessante da opção é que não são necessárias ferramentas ou máquinas especiais para a execução da obra. Além disso, as sapatas isoladas são capazes de suportar enorme quantidade de carga. Especialmente ao compararmos a alternativa a opções de fundação como os blocos não armados ou o baldrame. Desde que o número de sapatas seja adequadamente determinado no projeto de construção, o resultado para a obra será seguro e suficiente.

Desvantagens do sistema

Como citado, em uma obra com sapata isolada o custo com mão de obra costuma ser menor. Contudo, é importante contar com trabalhadores especializados no assunto. Isso porque, o sistema de fundação é artesanal, e nem todos estão adequadamente capacitados para executá-lo. Essa é uma das limitações da sapata: a necessidade de mão de obra especializada.

Antes da escolha por este sistema, é igualmente importante considerar sua capacidade de suporte. Uma sapata isolada radier não consegue suportar adequadamente mais do que um andar do imóvel. Por isso, seu uso é bastante limitado – apenas a casas térreas. Para edificações com mais de um pavimento, é imprescindível adotar ao tipo gaiola de fundação, ou outro.

Por isso, aliás, o projeto do imóvel deve estar fechado e bem definido quando as obras da fundação começarem. Afinal, o consumidor não poderá depois “mudar de ideia” e escolher fazer um novo andar. Do contrário, a fundação não suportará o peso.

Finalmente, há certa dificuldade de fazer a escavação dos espaços para instalação das sapatas em divisas. Até mesmo porque, a instalação das colunas e pilares nesses espaços é também mais complexo. Logo, é comum que os trabalhadores utilizem alguns dias extras para essa instalação.s

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.