Se existe algo que aguenta bastante pressão, cargas pesadas extremas, evitando a estrutura ceder por inúmeros motivos (seja para aguentar grandes caminhões, pessoas, ou até mesmo a própria estrutura), esse algo, nada mais é que os diferentes tipos de fundações.

Mas que tipos de fundações podem aguentar tanta pressão nas costas se nem mesmo o próprio autor desse texto consegue?

Bem… Nem todos os tipos de fundações aguentam o mesmo tipo de pressão, todo mundo é diferente.

Por isso que é ótimo conhecer cada um deles melhor, entender eles, to certo?

Esse texto é para você, que quer entender os diferentes tipos e suas características dessas fundações!

Acompanhe-me.

Primeiro o que é uma fundação?

As fundações são responsáveis da distribuição da carga da construção para o solo sem que danifique o edifício no processo.

Imagine que você está fazendo flexões e um pirralho demônio ver você fazendo o exercício e ele resolve empurrar suas costas contra o chão. Nesse caso, suas mãos são as fundações, seu corpo é o edifico e a criança, arruinando seu exercício, é a carga.

Além disso, essas fundações previnem deslizamento de terras e problemas como trincas e rachaduras na sua residência.

Dependendo do tipo de solo ou da carga que as fundações irão suportar, são usados diferentes tipos de fundações.

Entretanto, essas fundações são divididas em dois grandes grupos: Fundações superficiais (também chamadas de fundações diretas ou fundações rasas) e fundações profundas.

Fundações superficiais ou fundações rasas

Usada para cargas leves, como residências, as fundações rasas transmitem a carga diretamente para o solo por suas bases. Sua profundidade é igual ou inferior a 3 metros. As escavações dessas fundações são feitas manualmente.

FATO: A norma NBR 6122/2010 diz que se a fundação rasa for construída próxima à divisa com terrenos vizinhos, sua profundidade não pode ser menor do que 1,5 metros exceto quando for assente sobre rocha.

As fundações rasas mais conhecidas são:

1 – Sapata Isolada

Recomendadas principalmente para terrenos que possuam solo firme e de ótima resistência.

O peso do edifício é transmitido para as colunas para então ser transferida para as sapatas que a distribuem para o solo.

Seu formato é geralmente de base quadrada ou retangular e o topo pode ser reto ou piramidal.

2 – Sapata Associadas

As sapatas associadas são aquelas que se é comum o uso em vários pilares pelo qual os centros não estejam alinhados em planta. Podem ser consideradas como radier parcial.

Você é engenheiro(a)? Não está ganhando o quanto deveria?
Conheça essa oportunidade no mercado. Vistoria Cautelar de Vizinhança

Clique aqui

3 – Viga Baldrame

São localizadas abaixo do nível do solo e percorre todo o comprimento das paredes da construção.

Ela conecta as sapatas isoladas para melhor distribuição das cargas da construção, além de contribuir também para um melhor travamento das colunas ou pilares da construção.

4 – Sapatas corridas

São utilizadas quando existe a presença de uma carga distribuída linearmente pela fundação.

Por exemplo, se considera o uso de sapatas corridas para suportar cargas de muros, paredes e outros elementos alongados.

5 – Blocos de fundação

É conhecido pelo seu uso exclusivo de concreto, não sendo necessário o uso de armadura.

O concreto usado nesse tipo de fundação, normalmente o concreto ciclópico, já consegue aguentar tensões de tração devido ao seu dimensionamento.

6 – Radier

Fundação rasa recomendada para solos com baixo nível de resistência. O radier é uma placa de concreto armado que fica abaixo da casa em contato direto com o solo.

Na fundação radier, a casa é construída logo acima dele e o a carga da residência é distribuído de forma uniforme para o solo.

Fundações profundas

As fundações profundas são o tipo de fundação que transmitem a carga da estrutura por meio da resistência de ponta (base), pela resistência do fuste (lateral) ou ambas. Esse tipo de fundação deverá ser assentada em profundidade superior ao dobro de sua menor dimensão em planta, sendo o mínimo de 3 metros.

As fundações profundas pode ser dividas em três grupos: estacas, tubulões e caixões.

Estacas de fundação

São indicadas para solos com pouca resistência, como em aterros. Por causa dessa baixa resistência, se cava mais fundo para a construção de estacas, geralmente, as estacas têm mais de 3 metros de profundidade.

As estacas podem ser feitas de madeira, aço, concreto pré moldado e o concreto moldado misto. Este tipo de fundação transmite as cargas para o solo pelo atrito lateral. A escavação é feita através manualmente ou mecânico, normalmente chamado de broca.

Existem vários tipos de estacas, citaremos três delas a seguir.

1 – Estacas de deslocamento

São estacas introduzidas no terreno por meio de um processo pelo qual não provoca retirada do material. São moldada “in loco” e caracteriza-se pelo descolamento lateral do solo que é compactado na parede do furo até atingir a profundeza necessária para o projeto. Nesse caso, a concretagem ocorre simultaneamente com a retirada do equipamento utilizado para o furo e a armadura é inserida logo após o bombeamento do concreto.

2 – Estacas pré moldadas de concreto

Essas estacas podem ser de concreto armado ou concreto protendido e concretadas em formas horizontais e verticais. São cravadas por percussão, prensagem e vibração, cada escolha de um desses tipos é feita de acordo com as dimensões da estaca, características do solo e do projeto ou condições da vizinhança.

3 – Estacas metálicas

As estacas metálicas podem ser por perfis laminados ou soldados, tubos de chapas dobradas, tubo sem costura e trilhos. Além disso, as estacas de aço devem resistir à corrosão pela própria natureza do aço ou por tratamento adequado. Quando são realizadas obras especiais, como no fundo da água ou em água salga, as estacas devem receber tratamento especial para proteção.

Tubulões

Para cargas principalmente consideradas pesadas, como em pontes, viadutos e prédios de grande porte e até em solos com lençol freático, os tubulões são o mais recomendado para o trabalho.

Estamos falando de um estrutura cilíndrica de fundação profunda, em concreto moldado in loco. É um trabalho perigoso, pois exige a descida de um operário para fazer um poço fundo.

Eles podem ser de aço ou concreto, com ou sem revestimento, os tubulões podem ser feitos a céu aberto ou ar comprimido (pneumático).

Caixões

Com um formato de prisma, os caixões são concretados na superfície e instalados por meio de escavações internas. Os caixões podem ser usados ar comprimido e ter a base alargada.

Você é engenheiro(a)? Não está ganhando o quanto deveria?
Conheça essa oportunidade no mercado. Vistoria Cautelar de Vizinhança

Clique aqui

Normalmente, os caixões são grandes, impermeáveis e usados para escorar paredes de escavações e impedir que entre água enquanto a obra está sendo construída. Assim, depois de finalmente acabar a obra, os caixões são aproveitados para serem utilizados como pilares ou fundações da construção.

Conclusão

Como se percebe, existem diferentes tipos de fundações, cada uma delas com características diferentes e cada um é mais útil e eficiente em casos específicos.

Elas são importantes para que as obras não sofram rupturas sem sofrer instabilidade, evitam deslizamentos e desabamentos. Um elemento bem útil para que a construção não causem fatalidades ou prejuízos.

Write A Comment