Achou esse texto procurando saber o que são fundações profundas? Não sabe nem do que se trata? Saiba que é normal não sabermos de alguma coisa, faz parte do inicio de aprendizado. Afinal, não nascemos já andando com as duas pernas igual a um modelo de fashion week.

Agora, quer saber de algo surpreendentemente maravilhoso sobre o inicio do aprendizado? É a busca por mais conhecimento.

Se você está aqui por estar procurando o que são as fundações profundas, então está no lugar certo!

Nesse artigo abordaremos sobre:

  1. Fundações, o que você necessita saber primeiro;
  2. O que são fundações profundas?
  3. Estacas de fundação;
  4. Tubulões;
  5. Caixões;
  6. Normas;
  7. Escolhendo o melhor tipo de fundação para obra.

Eaí? Tudo preparado para a leitura?

Continue sem precaução.

Fundações, o que você necessita saber primeiro

Primeiramente, as chamadas fundações são elementos da construção civil responsáveis na transmissão de cargas da edificação para as camadas do solo sem provocar rupturas do terreno de fundação.

Basicamente, as fundações é quem aguenta todo o tranco da obra. Igual nossas pernas que aguentam o peso do nosso corpo o dia (quase) inteiro.

Existem vários tipos de fundações que são separadas em duas categorias: fundações rasas (também denominadas de superficiais ou diretas) e as fundações profundas. Iremos abordar apenas dessa última a seguir.

O que são fundações profundas?

Fundações profundas

O nosso protagonista desse texto, as fundações profundas são elementos da construção civil aonde a carga provinda da superestrutura é transmitida para a fundação por meio de ponta ( base), pela resistência de fuste (lateral) ou até podendo ser de ambas. Ademais, a fundação profunda precisar ser assentada em profundidade superior ao dobro de sua menor dimensão em planta, no mínimo de três metros.

Outro bom jeito de definir o que é fundação profunda é o seu modelo de ruptura. Nesses tipos de fundações, a ruptura não atinge a área da superfície do terreno, como acontece em fundações rasas.

As fundações profundas podem ser separadas em diferentes tipos: estacas, tubulões e caixões.

1 – Estacas de fundação

As estacas são elementos de fundação profundos, geralmente executados por equipamentos e ferramentas. Podem ser cravadas ou perfuradas. Uma de suas características físicas são o seu grande comprimento e seções transversais pequenas. O uso de estacas na construção são relativamente mais seguras para operários, já que não existe necessidade da descida de alguém dentro da escavação. Elas podem ser feitas de madeira, aço e concreto pré-moldado ou concreto moldado.

Atualmente existem vários tipos de estacas, se quiser saber mais sobre elas, clique aqui. A seguir iremos mencionar algumas delas:

  • Estaca escavada: a mais usada na construção civil brasileira e pode ser usada em diferentes tipos de solo, menos naqueles com presença de nível de água ou que tenham camadas com risco de desmoronamento. Nela não há nenhum deslocamento de solo adjacente ou subjacente, podem ter menos resistência em comparação a outros tipos de estacas, entretanto, produz menos ruídos e vibrações.
    O seu diâmetro varia de 30 a 180 centímetros, chegando à profundidade de até 70 metros;
  • Estaca Franki: São fundações moldadas no local. Seu fuste é feito pelo processo de cravação no lugar da escavação, além disso, possui um bulbo de concreto na sua ponta.
    Ela é a estaca mais flexível de todas, sendo possível sua construção em diferentes tipos de solos, inclusive com presença de água! A sua grande desvantagem é o fato dela gerar muita vibração ao terreno, podendo danificar edificações vizinhas;
  • Estaca Strauss: o que diferencia essa estaca das outras é seu método executivo. A escavação é feita por meio de uma sonda metálica e toda a superfície é protegida por um tipo de revestimento metálico que são introduzidos até a profundidade máxima da estaca. A estaca Strauss é uma fundação moldada no local;
  • Estaca raiz: É uma fundação moldada no local. Ela pode ser utilizada em qualquer tipo de solo. Possui variações de diâmetro entre 10 a 50 centímetros com profundidade de até 60 metros. A escavação é realizada por meio de perfuração rotativa/roto-percussiva.
    Esse sistema de escavação é a melhor opção para a perfuração de rochas e matacões;
  • Estaca de madeira: A estaca de madeira foi uma das primeiras a serem utilizadas como elemento de fundação, sendo datada desde a antiguidade.
    Estas estacas são troncos retos de madeira e com ótima resistência. Os principais tipos de madeiras usados são o ipê, peroba e a aroeira.
    As estacas de madeira fazem parte das estacas de deslocamento.

2 – Tubulões

Os tubulões tem formato cilíndrico e necessitam da descida de um operário para a execução de sua base, sendo uma tarefa perigosa para o trabalhador, já que podem ocorrer soterramento ou outros tipos de acidentes sérios.

As bases dos tubulões podem ser ou não ser alargada, além de poderem ser executados com ou sem revestimento. Esse revestimento pode ser tanto de aço ou de concreto.

Os tubulões se dividem em duas categorias:

  • Tubulões de céu aberto: eles são executados concretando um poço aberto no terreno (daí vem o seu nome “tubulão de céu aberto”), normalmente sendo dotado de uma base alargada. Ela é escavada manualmente ou mecanicamente.
    Na etapa final, é necessário descida de pessoal para alargamento da base ou limpeza de fundo.
  • Tubulões de ar comprimido: Sua escavação é feita manualmente ou mecanizada, quando se pretende executar tubulões abaixo do nível de água. Sua principal característica é pelo seu uso de revestimento de aço ou concreto para a auxiliação na escavação do fuste.
    A base do tubulão pode ser alargada ou não. São necessários operários para que desçam para execução do alargamento da base ou da limpeza do fundo quando não existe base. Infelizmente, é um trabalho com sérios riscos que podem custar vidas.

3 – Caixões

São fundações de forma retangular, com a superfície concretada, que tem as paredes laterais pré-moldadas e instaladas por escavação interna. Sua base pode ser ou não alargadas, além disso, são executadas com ou sem ar comprimido.

Normas

Normas sobre Fundações profundas

As normas existem para padronizar o melhor método de execução de algum tipo de obra na construção civil. É importante lê-las para melhor aprofundamento do assunto tratado.

A norma que rege as fundações é a NBR 6122:2010 – Projeto e Execução de Fundações.

Escolhendo o melhor tipo de fundação para a sua obra

Escolhendo a Fundações profundas

Existe uma enorme variedade de solos nos território brasileiro, muitos delas são necessários o uso de fundações especifica para atender os requisitos necessários de uma determinada obra em um determinado solo. Por isso, é importante escolher sabiamente qual tipo de fundação usar.

A escolha sobre qual tipo de fundação a ser realizada é a partir da análise do sistema carga, nível de lençol freático, composição e resistência do solo pelo qual a construção será feita. Portando, é de extrema importância o uso de investigações geotécnicas para a análise da composição do subsolo no terreno. Um laudo técnico de sondagem é obrigatório para a realização da escolha do tipo de fundação a ser usada, devendo estar dentro do seu planejamento do projeto.

ATENÇÃO! Um único ensaio ou sondagem não é um parâmetro seguro para a escolha da fundação, sendo recomendado o uso de mais de um furo de sondagem. Pode até ser necessário à análise dos tipos de fundações que foram utilizadas nas edificações já existentes no entorno para ajudar na decisão.

Encerrando

Eaí? Agora sabe tudo sobre o que são fundações profundas? Se sim, maravilha!

Gostou do texto? Compartilhe! O melhor ato de caridade que um ser humano pode fazer é o ato de compartilhar conhecimento para as pessoas, ajudando-as a adquirir novo saberes e de fonte confiáveis. Por isso, quanto mais compartilhar melhor!

Escreva um Comentário