Estaca Escavada – O Que São? Para Que Servem?

Nós já falamos antes aqui no Total Construção sobre os diversos tipos de estacas que existem na construção civil, e agora iremos focar neste artigo na estaca escavada.

Aqui neste artigo nós iremos focar no que é a estaca escavada, todos os seus aspectos, vantagens e desvantagens, seu funcionamento e se ela é ou não a mais aconselhável para você utilizar em sua obra.

Então, se você quer aprender um pouquinho mais é só continuar lendo este artigo até o fim. Vamos lá?

A Estaca Escavada

Não é a primeira vez que falamos aqui e se você faz parte da área da construção civil então com certeza já sabe, mas a fundação é a parte mais importante de uma obra! Claro, ela também costuma ser a mais cara, mas pode ter certeza de que todo o investimento é retornável, afinal de contas é ali onde nasce sua obra.

Mas voltemos a focar na estaca escavada, que na verdade trata-se de um grupo de estacas (Strauss, Trado Rotativo, Hélice Contínua e Estaca Raiz), as quais são executadas através da escavação mecânica com um equipamento de rotação, cujo único objetivo é perfurar o terreno para posteriormente o preencher totalmente com concreto.

A estaca escavada é geralmente moldada no próprio local da obra, logo após o solo ser escavado. Os diâmetros destas estacas variam desde 25 cm a até 2 metros, e sua profundidade pode chegar a até mesmo impressionantes 25 metros. Ou seja, tanto a profundidade quanto o diâmetro são variáveis, e dependem exclusivamente da construção que será realizada no local, se você irá necessitar de uma fundação de pequeno ou grande porte.

Já com relação a execução da estaca escavada, nós iremos abordá-la mais abaixo, mas antes vamos focar em uma etapa inicial que é realmente importante: o estudo do solo!

O estudo do solo

Estudo do solo

Anúncios

“Mas estudo do solo é mesmo tão importante assim?”

Extremamente importante! Há quem pense que o estudo do solo é um gasto desnecessário, mas é bem o oposto, afinal de contas, é aqui onde você verá seu a estaca escavada é realmente a melhor opção para sua obra, bem como a profundidade necessária/que você pode alcançar naquele solo e o que tem ali embaixo.

Deve-se classificar corretamente o solo de acordo com a NBR 6502 – Rochas e solos e com investigações geológicas e geotécnicas. A Norma também especifica alguns fatores que devem ser levados em consideração durante o processo de elaboração dos projetos, sendo eles:

  • É necessário realizar visitas até o local onde a escavação será realizada;
  • É necessário realizar avaliações topográficas que indiquem possíveis indícios de instabilidade nos taludes;
  • É necessário realizar averiguar indícios da presença de aterros na área;
  • É necessário averiguar se não há quaisquer peculiaridades no terreno (verificar o que tem lá embaixo) tais como áreas brejosas, a presença de matacões, minas d’água, afloramento rochoso nas imediações, materiais contaminados no subsolo, cemitério indígena (esse é brincadeira, mas nunca se sabe o que pode ter lá embaixo…), dentre outros.

A investigação geológica do solo deve ser realizada por um profissional devidamente capacitado, sendo que talvez a melhor opção seja recorrer a uma empresa especializada para este serviço, e sempre que se mostrar necessário ser acompanhado de estudos geológicos adicionais. A Sondagem a Percussão (famosa SPT) deve ser realizada no terreno, pois é ela a responsável por classificar e determinar a estratigrafia do solo, seu índice de resistência a penetração, bem como  seu nível d’água, tudo sempre de acordo com a NBR  – 6484 – Solo – Sondagens de simples reconhecimentos com SPT – Método de ensaio.

Estudos adicionais do solo devem sempre serem realizados quando houverem diferenças entre o encontrado no local com o que está previsto no relatório, para que assim todas as dissidências relacionadas aquele solo possam ser totalmente esclarecidas.

Etapa executiva da uma estaca escavada

Vamos novamente lembrar que “estaca escavada” na verdade é um grupo de estacas, as quais nós citamo acima, e que caso você deseje se utilizar de uma delas é só entrar no artigo específico que escrevemos sobre elas e analisá-las separadamente.

Aqui nós escolhemos pegar uma estaca escavada, no caso o trado helicoidal, e a utilizarmos como base para explicarmos sua etapa executiva.

Passo 1 – Estudo do solo

Não atoa separamos uma seção inteira destinada ao estudo do solo, pois trata-se de uma etapa realmente importante, e não apenas para a estaca escavada, mas para todo tipo de fundação que você vá realizar em uma obra.

Então antes de mais nada, antes de já ir escolhendo e se programando para um tipo específico de fundação, realize o estudo do solo. É o estudo do solo que irá determinar se determinada fundação é ou não possível/aconselhável para o tipo de solo que você possui. Aconselhamos que você releia a seção de estudo do solo acima.

Passo 2 – Perfurando o solo com a estaca escavada

Anúncios

O trado helicoidal é então introduzido neste solo e, através do giro, o solo é então perfurado na extensão igual ao comprimento que este trado possui. Realiza-se este procedimento até que a profundidade que está prevista em projeto possa ser atingida.

Passo 3 – Hora de posicionar a armadura

Uma vez que o “buraco” já está pronto, agora é hora da armadura ser devidamente posicionada. Lembrando que a armadura deverá ser prevista em projeto (diâmetro e espaçamento), sempre de acordo com a resistência que se deseja alcançar para esta obra em específico.

Passo 4 – Agora é concretar

Buraco escavado e armadura posta, agora é a hora de concretar tudo.

Lembrando que a resistência do concreto que será utilizado também deverá ser previamente indicada no projeto estrutural, e atenção redobrada na hora de concretar. Isso pois, jogar o concreto de uma altura muito elevada pode fazer com que ele simplesmente se “quebre” quando atingir o solo, ocasionando em trincas/rachaduras e fazendo com que ele perca parte de sua resistência.

Estaca escavada - etapas de execução

Lembramos novamente que estas etapas são para uma das estacas escavadas, e caso você queira se inteirar melhor sobre as outras, é só clicar nos links acima e ir para o artigo específico de cada uma delas.

“Tá, mas vale realmente a pena utilizar uma estaca escavada em minha obra?”

Anúncios

Há diversos fatores que ajudam na hora da decisão entre utilizar esta ou aquela fundação, sendo que somente o engenheiro responsável pela obra poderá analisar qual a melhor. Entretanto, nós separamos algumas das vantagens que se utilizar de uma estaca escavada pode trazer para você e para sua obra:

A começar, ao se utilizar de uma estaca escavada você evita que sejam ocasionadas vibrações no terreno. Isso é particularmente bom quando há obras no entorno da sua, pois já lhe proporciona um certo resguardo com relação a problemas que você poderá acabar infligindo nas obras vizinhas.

Se você deseja atingir a grandes profundidades e a suportar cargas elevadas, a estaca escavada pode lhe ajudar bastante aqui, sendo que ela pode ser executada mesmo na presença de água, bastando que você utilize um revestimento ou uma camisa metálica.

Lembrando que é sempre bom dar uma olhada em todas as estacas escavadas que existem, pois cada uma pode apresentar uma vantagem em relação a outra que poderá lhe ser útil em sua obra.

Conclusão

Após ler este artigo você já consegue ter uma boa ideia do que é a estaca escavada, e que na verdade este termo é uma referência a mais de um tipo de estacas. Lembrando sempre que é extremamente necessário contar com um engenheiro capacitado, pois somente ele poderá julgar a viabilidade ou não de se utilizar uma estaca escavada, bem como desenvolver o projeto específico para aquela estaca escolhida.

Dúvidas? Pois basta perguntar nos comentários abaixo, estaremos prontos para lhe responder! E claro, caso tenha achado este artigo instrutivo então não deixe de compartilhá-lo com seus amigos e conhecidos, nunca se sabe que você poderá acabar ajudando no percurso!