Todo tipo de estrutura precisa de ter uma boa fundação para se mantiver de pé, inclusive nós humanos, assim como qualquer outro seres vivos, nós também temos nossas próprias “fundações” que podem ser nossas pernas, as patas de um cachorro ou as raízes de uma árvore. Assim nós mantendo estáveis contra a ação da gravidade e suportando cargas provindas dos nossos passos ou outras ações externas ou de movimento.

Mas e as casas e outras edificações pequenas? Como elas conseguem se manter de pé o tempo todo sem cair, mesmo se passando anos? Ora, uma das razões é pelas fundações rasas.

O que são as fundações?

Primeiramente, é interessante conhecermos a função das fundações da engenharia civil como um todo.

Basicamente, as fundações são elementos estruturais que possuem a função de receber as cargas provindas da superestrutura de um edifício e transmiti-la ao solo.

Sem ela, além da estrutura acabar cedendo mais cedo do que deveria, além disso, pode ocorrer rachaduras nas paredes e outros tipos de acidentes.

Atualmente, as fundações são dividas em duas categorias: fundações rasas e fundações profundas.

Nesse artigo, citaremos apenas as fundações rasas e suas peculiaridades.

As fundações rasas

As fundações rasas são elementos de fundação em que a carga é levada ao terreno, sendo predominantemente pelas pressões distribuídas sob a base da fundação.

Essas fundações, diferente da fundação profunda, são geralmente feitas com pequenas escavações no solo, sendo desnecessário uso de maquinários ou equipamentos de grande porte para sua execução.

Imagine você brincando na praia com a sua família, daí você enterra apenas os seus pés dentro na areia. Pronto, você é um ser humano com fundação rasa.

Mas se seu sonho sempre foi ser uma fundação profunda, enterre suas duas pernas dentro da areia e mantenha seu corpo firme no alto. Parabéns! Você se tornou um homem fundação profunda!

Tipos de fundações rasas

As fundações rasas, assim como as fundações profundas, se dividem em vários grupos: sapatas de fundação, vigas de fundação (ou baldrame), blocos e radier.

1 – Sapatas de fundação

A sapata da fundação é como e fosse um “sapato”, mas de concreto armado.

Geralmente, tem a sua base em planta quadrada, retangular ou trapezoidal. As sapatas de fundação são dimensionada para que as tensões de tração que atuam sobre fundação sejam seguradas pela armadura, não pelo concreto.

A capacidade de carga de uma sapata de fundação tem capacidade de carga baixa a média. O seu uso é recomendado em caso do subsolo indicar presença de argila rija, dentre outros.

Ademais, as sapatas também se dividem em outros 4 grupos.

  • Sapata isolada: A fundação superficial mais usada dentro da construção civil. Normalmente, ela é dimensionada para suportar e transmitir esforços de apenas um pilar;
  • Sapata corrida: É usada quando existe a presença de uma carga distribuída linearmente pela fundação. O exemplo do seu uso seria em muros, paredes e outros tipos de elementos alongados;
  • Sapata associada: A sapatas associadas são quando duas ou mais sapatas isoladas estão próximas demais por causa de falta de espaço ou por questão estrutural. Essa sapata é criada para evitar que as bases se sobreponham e atrapalhe a obra. Portanto, devem ser sólida o bastante para receber a carga dos pilares de cada uma das sapatas isoladas;
  • Sapata alavancadas: Também chamadas de sapata com viga de equilíbrio, ela é utilizada quando a base da sapata não coincide com o centro gravitacional do pilar por estar próximo de alguma divisa ou outro obstáculo. Assim, é criado uma viga entre duas sapatas de maneira suportar o momento fletor gerado pela excentricidade.

2 – Radier

Radier são recomendados para solos com baixa resistência. Essa fundação é uma espécie de “laje” feita de concreto armado ou protendido que fica abaixo da casa e em contato direto com o solo. A carga é distribuída de forma uniforme para o solo.

Antes da concretagem, devem ser feitos duas coisas:

  1. Fazer as instalações hidráulicas e elétricas que passam por baixo da casa (tubulações de esgoto, águas pluviais, entradas de energia e comunicações);
  2. Os arranques devem ser posicionados e fixados ao radier. Eles servirão mais para frente para a fixação das colunas ou pilares da construção.

Agora, sobre o radier com concreto armado e o radier com concreto protendido:

  • Radier com concreto armado: Aqui, a estrutura é composta por telas ou malhas de aço cobertas com concreto. Muito comum em construções de pequeno porte.
  • Radier com concreto protendido: Ao contrario do concreto armado, ele é muito utilizado em áreas grandes, como estacionamentos ou salões de festas. Aqui se utilizar tela com cabos de aço coberto com concreto. Para depois ser aplicado o concreto e antes da secagem concreta/cura, os cabos devem ser esticados usando um macaco hidráulico. Assim que o concreto estiver totalmente seco, o macaco é retirado e a resistência do concreto é aumentada devido ao tensionamento dos cabos de aço

3 – Vigas de fundação ou baldrame

É uma fundação rasa de apoio. Feito de concreto armado e tem formato de retângulo. A viga baldrame fica abaixo do nível do solo e percorro todo o comprimento das paredes de construção.

Normalmente, a viga baldrame conecta sapatas isoladas para melhor distribuição dos pesos da construção, além de contribuir no travamento das colunas ou pilares. Geralmente, a armação de aço mais usada tem formato de coluna composta por quatro barras de aço.

4 – Blocos de fundação

Os blocos de fundação são bastante conhecidos pelo seu uso exclusivo de concreto. Geralmente tem a sua base em planta quadrada ou retangular.

Esse tipo de fundação é dimensionado sem a necessidade de armadura, pois as tensões de tração atuantes nesses elementos podem ser suportadas pelo concreto devido as dimensões do bloco.

O bloco de fundação é recomendado para pequenas obras em solos com boa capacidade de suporte. Seu uso é com concreto simples, usinado ou ciclópico.

Conclusão

Uma boa fundação é chave para que um edifício se mantenha em pé e que se sustente assim por várias décadas sem apresentar problemas de estabilidade.

Mas, dependendo do tamanho do edifício e da quantidade de carga que as fundações irão suportar, é o que define o tipo de fundação a ser construída.

Por isso que a escolha das fundações rasas, no qual não são usado escavações profundas, é a ideal para pequenas ou médias cargas.

Espero que tenha aprendido bastante nesse artigo, até mais!

Escreva um Comentário