Cada vez mais preocupados com as questões ambientais, escassez de recursos e com qualidade de vida das pessoas, o mercado e grande parte dos consumidores estão tomando uma maior consciência a fim de se adequarem ao conceito de Sustentabilidade na Construção Civil.

A grande quantidade de resíduos e entulhos gerados por obras, o desperdício de materiais produzidos através de atividades nocivas de extração de matéria-prima de grande impacto ambiental, o consumo exacerbado de energia e escassez de água, são alguns dos fatores que levaram a população a uma maior consciência sustentável com relação à construção civil.

Apesar de ainda representarem um grande desafio para a minimização dos impactos ambientais provocados pela demanda dessa área, está cada vez mais possível construir sem causar maiores danos e não abrindo mão da qualidade e segurança necessários à um bom empreendimento.

Isso porque hoje existem alternativas viáveis de construção, materiais e produtos, além de matérias-primas diferenciadas que estão ganhando mais espaço e ficando mais disponíveis à quem aderir à sustentabilidade.

Se você se enquadra nesse grupo, seja empresa ou consumidor final, entenda um pouco mais sobre o que é uma construção sustentável e o papel da sustentabilidade na construção civil, suas principais vantagens e práticas disponíveis para que você possa daqui pra frente adotar o conceito em todas as áreas da sua vida.

Aproveite também para conferir todas as novidades do ramo! Vamos lá!

Afinal, o que é uma Construção Sustentável?

A construção sustentável visa cumprir as boas práticas da sustentabilidade na construção civil.
A construção sustentável visa cumprir as boas práticas da sustentabilidade na construção civil.

Segundo a Agenda 21 para a Construção Sustentável em Países em Desenvolvimento, instrumento de planejamento para a construção de sociedades sustentáveis, que concilia métodos de proteção ambiental, justiça social e eficiência econômica, define-se como construção sustentável:

“o processo holístico que aspira a restauração e manutenção da harmonia entre os ambientes natural e construído, e a criação de assentamentos que afirmem a dignidade humana e encorajem a equidade econômica”.

De maneira resumida, uma construção sustentável é um sistema de diretrizes que viabiliza um modelo de construção criado para que as intervenções no meio ambiente sejam feitas sem o esgotamento de recursos naturais, a fim de preservá-los para as gerações futuras.

Isso pode ser feito através do uso e reaproveitamento de materiais mais sustentáveis; implementação de soluções tecnológicas inteligentes, que promovam a redução de lixos, resíduos e poluição; e que façam bom uso da água e energia com economia; sempre com a consciência ambiental para o conforto dos usuários e conservação do ambiente.

Para tanto, a obra sustentável deve aproveitar ao máximo os recursos naturais (iluminação natural) e disponíveis no local, racionalizar a energia, prover sistemas e tecnologias que reduzam o consumo de água (reuso, aproveitamento da água de chuva), contemplar áreas para coleta seletiva de lixo (reciclagem) e criar ambientes saudáveis, utilizando tecnologias sustentáveis e inteligentes para regular ventilação, acústica e temperatura, entre muitas outras práticas que veremos mais a seguir.

Qual o Papel da Sustentabilidade na Construção Civil?

O papel da sustentabilidade na construção civil é diminuir os impactos das obras no meio ambiente.
O papel da sustentabilidade na construção civil é diminuir os impactos das obras no meio ambiente.

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente (MMA), o setor da construção civil tem um papel fundamental para se atingir os objetivos globais do desenvolvimento sustentável.

Isso porque, além dos impactos relacionados ao consumo de matéria-prima e energia, 50% dos resíduos sólidos gerados pelas atividades humanas são provenientes da construção, além dos resíduos líquidos e gasosos.

Além disso, o Conselho Internacional de Construção – CIB afirma que a indústria da construção é o setor de atividades que mais explora e consome recursos naturais e utiliza energia de forma intensiva, gerando assim impactos ambientais bastante consideráveis, e por vezes até, desastrosos.

Já vimos que uma construção consciente e sustentável, além de diminuir esses impactos, pode evitar também os prejuízos que uma obra normal costuma trazer, e ainda pode ser capaz de diminuir o custo final do projeto e até o seu tempo de conclusão.

Sendo assim, o papel da sustentabilidade na construção civil tem como objetivo principal minimizar os impactos ambientais provocados pela construção a fim de preservar o ambiente para gerações futuras, através de práticas sustentáveis em todos os âmbitos.

Portanto, ter a consciência de preservação da natureza e do meio onde vive não é apenas um diferencial competitivo para as construtoras, mas uma exigência cada vez maior por parte de todas as empresas do ramo e da população que interage com essas mudanças.

Tanto é verdade que o conceito de sustentabilidade já está presente em todos os tipos de construções – edifícios, casas, centros comerciais e espaços públicos.

Condições para a Sustentabilidade na Construção Civil

É preciso seguir certas condições para garantir a sustentabilidade na construção civil.
É preciso seguir certas condições para garantir a sustentabilidade na construção civil.

Dentro do contexto do desenvolvimento sustentável, o conceito transcende a sustentabilidade ambiental, para se incorporar também a sustentabilidade econômica e social, enfatizando a agregação de valor à qualidade de vida dos indivíduos e das comunidades envolvidas.

Apesar dos desafios para o setor serem diversos (redução e otimização do consumo de materiais, energia e resíduos gerados; preservação do ambiente natural e melhoria da qualidade do ambiente construído), podemos contar com a realização de práticas e métodos na construção civil, através de algumas diretrizes para uma construção sustentável:

  • Pensar no planejamento da obra a longo prazo;
  • Buscar mudar conceitos da arquitetura convencional para projetos mais flexíveis que permitam a readequação em detrimento de futuras mudanças de uso e novas necessidades, a fim de reduzir as demolições;
  • Buscar soluções eficientes para o uso racional de energia ou de energias renováveis;
  • Fazer uso adequado da água e promover o seu reaproveitamento;
  • Fazer uso de técnicas passivas das condições e dos recursos naturais;
  • Fazer uso de materiais e técnicas com baixo impacto ambiental;
  • Fazer a gestão adequada de resíduos sólidos para reduzir, diminuir perdas e permitir a reutilização;
  • Promover o conforto e qualidade interna dos ambientes com ventilação, vedação e temperatura adequadas;
  • Considerar a permeabilidade do solo e o assentamento adequado;
  • Integrar transporte de massa e ou alternativas ao contexto do projeto que promovam e facilitem a mobilidade dos usuários.

Vantagens da Sustentabilidade na Construção Civil

A redução de custos é uma das vantagens da sustentabilidade na construção.
A redução de custos é uma das vantagens da sustentabilidade na construção.

Ao abranger as práticas do consumo consciente de matéria prima, reaproveitamento de resíduos e minimização de desperdícios, o conceito de sustentabilidade na construção civil, traz uma série de vantagens.

Uma das principais vantagens em dar atenção especial aos aspectos sociais e ambientais envolvido na obra, é também o fato de que ser sustentável também pode garantir uma maior viabilidade econômica.

Isso porque reutilizar materiais, explorar recursos naturais e encontrar novas formas de geração de energia são atitudes que diminuem os impactos da construção no ambiente, mas também tornam os processos economicamente viáveis.

Sendo assim, seguem os principais benefícios da sustentabilidade na construção civil:

  • Redução de gastos pela otimização dos processos;
  • Incentivos fiscais dados por governos municipais, que induzem e fomentam as boas práticas por meio da legislação urbanística e código de edificações e convênios com as concessionárias dos serviços públicos de água, esgotos e energia;
  • Mais conforto aos proprietários através de medidas arquitetônicas sustentáveis relacionadas ao controle térmico, de luz, ventilação entre outros;
  • Maior apelo e conforto visual pelos mesmos fatores;
  • Melhor argumento de vendas por ser cada dia mais valorizado o conceito de sustentabilidade.

Principais Práticas de Sustentabilidade na Construção Civil

As coberturas naturais fazem parte das práticas da sustentabilidade na construção civil.
As coberturas naturais fazem parte das práticas da sustentabilidade na construção civil.

A boa notícia é que as tecnologias sustentáveis estão cada vez mais comuns, eficientes e baratas, proporcionando uma grande influência positiva no meio ambiente.

Ao aderir a essas práticas, você estará contribuindo para a conservação do ambiente, e ainda diminuirá os custos a longo prazo. No caso de uma empresa, elevará a sua imagem perante o mercado, ganhando maior destaque. Confira abaixo as melhores práticas de sustentabilidade na construção civil:

1. Adote o “Green Building”

O conceito de “Green Building” ou edifício verde (construção sustentável) define-se por um espaço que utiliza processos de sustentabilidade na construção civil desde a sua concepção, construção e operação, a fim de gerar benefícios para a economia e saúde.

Construções que partem desse princípio, seguem requisitos de segurança, praticidade e conforto durante a obra, além de promover uma maior qualidade de vida para seus moradores.

Neste tipo de projeto, os custos dos materiais utilizados, como o tijolo ecológico, são menores, uma vez que a sua produção é diferente dos demais materiais convencionais. Além disso, o impacto no ambiente e para as comunidades no seu entorno é mínimo e a economia de recursos (água e energia elétrica) maior.

Bem como a obtenção e manutenção de insumos, dentro dos padrões de sustentabilidade na construção civil através de procedimentos de extração e fabricação que permitem a recuperação das jazidas.

2. Gerencie resíduos de forma eficiente

Para diminuir os impactos gerados por uma obra a fim de contribuir com a sustentabilidade na construção civil, a gestão eficiente de resíduos é fundamental. Sendo assim, ela deve abranger todas as etapa de construção – do início ao fim – promovendo locais para a sua triagem e facilitação da reciclagem.

Afinal, os canteiros de obras são responsáveis por uma enorme parcela de lixo acumulados, que devem ser armazenados em locais que facilitam a separação para depois serem levados aos locais apropriados de despejo.

Esse processo é fundamental para a sustentabilidade na construção civil, pois quando feito adequadamente, permite o reaproveitamento, reduz os custos de coleta e garante a reciclagem.

3. Invista em novas tecnologias

Investir em novas tecnologias podem auxiliar na otimização de tempo no gerenciamento do canteiro de obras e das etapas de uma obra. Os softwares, por exemplo, podem contribuir para a sustentabilidade na construção civil ao reduzir o número de papéis e o custo final das edificações.

Existem muitos diversos softwares para smartphones e tablets que auxiliam na elaboração de projetos e no acompanhamento das obras, ajudando a calcular a quantidade de materiais, tempo de construção, etc.

Além disso, muitos documentos importantes podem ser armazenados digitalmente, como planilhas de custos, dados de vistorias de rotina entre outros.

4. Obtenha certificação dentro das normas reguladoras

Algumas empresas optam por aderir a um padrão de excelência que pode ser atestado pela máxima qualidade de suas atividades, através de diferentes processos de certificação, que avaliam o seu desempenho com base em normas específicas para cada setor.

Com relação às construtoras, existe a certificação LEED da Greenbuilding Council Institute, reconhecida internacionalmente que exige requisitos de sustentabilidade na construção civil, avaliados perante Implantação Sustentável, Eficiência Hídrica, Energia e Atmosfera, Materiais e Recursos, Conforto Ambiental, Inovação e Projeto, além de Crédito Regional. No Brasil, a certificação pode ser obtida pela GBC Brasil – Green Building Council do Brasil.

A norma de desempenho ABNT NBR 15575 também é bastante relevante no mercado da construção civil nacional, pois remete a pontos fundamentais como as características geomorfológicas do lugar, as condições de agressividade ao ambiente, a necessidade de interações com construções próximas para a diminuição de impactos, o controle de resíduos, o uso de recursos, entre outros.

5. Evite consumir energia em excesso

Devido a crise energética em que nos encontramos, reduzir o consumo de energia é indispensável para diminuir os danos ao meio ambiente, mas também para garantir o seu acesso e reduzir custos.

Para tanto, uma forma simples de garantir a sustentabilidade na construção civil é utilizando recursos para iluminação, ventilação e aquecimento naturais na fase de planejamento, através de avaliações da incidência de sol e de vento no local, os melhores meios de transparecer a luz durante o dia ou circular o vento nos espaços.

Ao planejar áreas que funcionam com iluminação natural é possível minimizar o uso da iluminação artificial. O isolamento térmico adequado também irá evitar perdas de calor no inverno e ganhos de calor no verão, podendo manter uma temperatura constante no interior da edificação, diminuindo e até evitando o uso de aparelhos elétricos para equilibrar a temperatura. Já a ventilação adequada evita que a umidade do ar interfira no conforto dos moradores, na necessidade de manutenção e obras futuras e na saúde.

Algumas sugestões encontradas no mercado são: painéis solares para aquecimento de água e de energia solar fotovoltaica, mini-turbinas de energia eólica para bombeamento de água e cisternas de aquecimento a biomassa ou para a captação da água da chuva com possibilidade de se injetar o excedente na rede pública.

6. Utilize materiais de baixo impacto ambiental

Os materiais de construção de baixo impacto ambiental poupam recursos naturais e são mais duráveis. Embora o custo dessa prática possa ser um pouco maior a princípio, a longo prazo acabam exigindo menor manutenção.

Com relação a escolha dos materiais na construção, eles devem estar disponíveis no local, serem pouco processados, não tóxicos, potencialmente recicláveis e biocompatíveis para não agredir o ambiente, seja durante o processo de sua obtenção, fabricação, aplicação e a sua vida útil.

Além disso, deve-se evitar o uso de materiais químicos prejudiciais à saúde humana ou ao meio ambiente, como amianto, CFC, HCFC, formaldeído, policloreto de vinila (PVC), tratamento de madeira com CCA, entre outros. O ideal é que sejam produtos à base de água ou 100% sólidos, para não emitirem gases nem odores quando em contato com o oxigênio.

7. Incentive a mobilidade sustentável

Incentivar a mobilidade não se limita apenas à acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida ou possibilitar essa adaptação posteriormente, mas também incentivar meios de mobilidade sustentáveis, como o uso da bicicleta como meio de transporte.

Além de já ser uma tendência mundial, no Brasil já foram implantadas novas políticas adotadas por várias cidades, como São Paulo, por exemplo.

Um incentivo seria facilitar o acesso desses transportes e vagas por meio de bicicletários, e a construção de vestiários com duchas, para permitir a higienização de funcionários antes do expediente. A medida contribui principalmente para a redução da poluição e do trânsito.

8. Aposte nas cores para economizar

Você sabia que existem cores de tintas que ajudam a economizar? Pois é verdade. As cores escuras podem absorver até 98% do calor emitido pelos raios solares, enquanto que as cores claras absorvem somente 20%. Segundo a Agência Fapesp, isso pode gerar uma grande redução no consumo de energia elétrica ao tentar refrigerar o ambiente.

9. Utilize um sistema de reuso de água

A reutilização de água é uma solução econômica mais simples que se imagina e contribui demais para a sustentabilidade na construção civil, pois diminui consideravelmente o volume de água jogado nas vias públicas, prevenindo enchentes.

Além disso, infelizmente é uma necessidade por conta da crise hídrica, principalmente nas grandes capitais do país. Assim, no caso de águas e esgoto, prever a coleta e utilização de águas pluviais, utilização de dispositivos economizadores de água, reuso, tratamento adequado de esgoto no local e, quando possível, o uso de banheiro seco são formas de contribuição para a sustentabilidade na construção civil.

Recomendações para as Práticas de Sustentabilidade

Existem muitas recomendação para a implementação da sustentabilidade na construção civil.
Existem muitas recomendação para a implementação da sustentabilidade na construção civil.

Para contribuir com as boas práticas de sustentabilidade na construção civil, segue um conjunto de recomendações adequadas à realidade brasileira:

Para a implantação urbana

  • Adaptação à topografia local a fim de reduzir a movimentação de terra;
  • Preservação de espécies nativas para não impactar o ambiente;
  • Previsão de ruas e caminhos que privilegiam o pedestre e o ciclista e que contemplem a acessibilidade universal;
  • Previsão de espaços de uso comum para integração da comunidade;
  • Usos do solo diversificados, minimizando os deslocamentos.

Para a edificação

  • Adequação do projeto ao clima do local, a fim de minimizar o consumo de energia e otimizar as condições de ventilação, iluminação e aquecimento naturais;
  • Previsão de requisitos de acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida ou, no mínimo, possibilidade de adaptação posterior;
  • Atenção para a orientação solar adequada;
  • Utilização de coberturas verdes;
  • Suspensão da construção do solo (dependendo do clima).

Para as áreas externas

  • Valorização dos elementos naturais no projeto paisagístico e uso de espécies nativas;
  • Destinação de espaços para produção de alimentos e compostagem de resíduos orgânicos;
  • Uso de reciclados na pavimentação e de pavimentação permeável;
  • Previsão de áreas de sombreamentos no verão e ensolarados no inverno;
  • Permeabilidade do solo com espaços livres e vegetados para que os ambientes ao redor do edifício permaneçam mais frescos com a criação de microclimas e maior possibilidade de vazão de água acumulada.

Materiais sustentáveis disponíveis

Há uma infinidade de materiais naturais e recicláveis que podem ser usados para a sustentabilidade na construção civil.
Há uma infinidade de materiais naturais e recicláveis que podem ser usados para a sustentabilidade na construção civil.

Hoje existem inúmeras possibilidades quanto o uso de materiais sustentáveis, desde a sua produção. Muitos materiais possuem impacto direto e negativo na natureza, que causam muitos problemas a longo prazo. Além disso, os recursos naturais estão cada dia mais escassos.

Por isso, a escolha de materiais sustentáveis está cada vez mais essencial para a sustentabilidade na construção civil. Veja as principais opções hoje disponíveis no mercado:

Tijolos de lã

Uma das novidades em termos de sustentabilidade na construção civil, é o tijolo de lã, que não é tóxico e muito usado em locais com fontes abundantes. Basta adicionar a lã e um polímero natural de algas misturados à argila do tijolo. Ele é 37% mais resistente que os que tijolos comuns e ainda seca muito mais rápido reduzindo a necessidade de aquecimento.

Coberturas verdes

Os telhados verdes como cobertura vegetal de grama e outras plantas, facilita a drenagem da água da chuva e fornece isolamento acústico e térmico. Além disso, é possível utilizar a área como jardim suspenso e combater as ilhas de calor, ao absorverem os gases emitidos por agentes poluentes, melhorando a qualidade do ar.

Materiais pré-moldados

Os materiais de concreto pré-moldado são naturalmente sustentáveis e facilita muito o processo de construção. A sua utilização possibilita projetar designs integrados e otimizar os desperdícios com outros materiais. Você diminui a quantidade de matéria-prima para construir, libera menos toxinas e reduz lixo. Além disso, eles podem ser reutilizados, absorvem o CO2.

Painéis de aquecimento solar

As placas de aquecimento solar para manter a eletricidade da casa são capazes de captar energia solar suficiente para transformá-la em energia elétrica e suprir completamente as necessidades da casa.

O consumo de energia torna-se muito mais barato e sustentável, apesar do processo de instalação e manutenção ainda ser um pouco caro para a maioria das pessoas. No entanto, essa realidade está cada vez mais perto de mudar e ficar mais acessível a todos.

Conclusões finais

Hoje em dia a preocupação com a sustentabilidade na construção civil está em alta, sendo possível encontrar profissionais bastante preparados para realizar projetos através de práticas mais sustentáveis.

Algumas soluções já estão disponíveis por conta da evolução de inúmeras tecnologias, mas também é possível tomar simples decisões como a escolha da cor da fachada para gerar economia de energia elétrica.

Muitas simples ações, como o uso de tintas sem solvente e materiais menos agressivos, redução de desperdícios com água e energia, o uso mais consciente do ar condicionado, a utilização de energia solar, podem fazer uma grande diferença para o impacto ambiental.

Apesar do processo de construção sustentável ainda ser responsável por cerca de 5% dos gastos, a economia a médio e longo prazo de 30% nos gastos com água e energia, acaba compensando os gastos extras.

Além disso, os consumidores estão cada vez mais enxergando a sustentabilidade na construção civil como um fator essencial para as relações com o ambiente. Mas as vantagens com a adoção das práticas de sustentabilidade na construção civil não são apenas comerciais.

Qualquer um que optar por meios mais sustentáveis, seja o consumidor final, construtora, profissional ou empresa, o comportamento irá afetar positivamente a todos, refletindo uma maior responsabilidade perante a sociedade e o meio ambiente.

Referências externas:

BOFF, Leonardo. Ecologia: grito da Terra, grito dos pobres. Ática, S.
Paulo, 1995. CORTINA, R. A. Personal vision of a good school. In: Phi Delta Kappan, 1990, n.71, p.512-571.
CUNHA, Aldo da et all. Águas doces no Brasil: capital ecológico, uso e conservação. São Paulo: Escrituras Editora, 2006.
DIAS, G. F. Pegada Ecológica e Sustentabilidade Humana. São Paulo: Editora Gaia; 2002.
GUERRA, F. Educação Ambiental, escola e transformação da realidade. In: Cadernos da Fundamentação em Educação Ambiental. Ciclos Consultoria Ambiental. Fundação Vale do Rio Doce, 2004.
HESPANHOL, Ivanildo. Águas Doces no Brasil. São Paulo: Escrituras, 2006.
LEFF, Enrique. Saber Ambiental. Rio de Janeiro: Vozes, 1998
Syene – Sustentabilidade na Construção Civil
Ministério do Meio Ambiente (MMA)

Write A Comment