Diferença entre Mármore e Granito

Você provavelmente tem algum móvel ou estrutura de mármore ou granito dentro de casa. Muito utilizados em bancadas, mesas, pisos e paredes, os materiais são resistentes e bonitos, podendo oferecer muito à decoração de um imóvel. Apesar de muito parecidos, porém, eles não são iguais. Mas você conhece a diferença entre mármore e granito?

O granito

O nome granito tem origem na palavra em latim “granum”, que significa “granulado”. Logo, o título indica exatamente a característica principal do material: sua textura granulada. É possível percebê-la visualmente, mas principalmente pelo toque, uma ver que sua superfície é áspera.

Este produto é uma rocha natural formada por três minerais: o quartzo, a mica e o feldspato. O granito é bastante utilizado para bancadas de áreas de serviços e cozinhas. Muito resistente, ele possui medida de “dureza” de 6 a 7 Mohs. Por isso, não pode ser riscado, nem danificado facilmente. Ele também não mancha, e absorve pouca água, uma vez que tem porosidade quase nenhuma.

As tonalidades do produto são variadas. É possível encontrar no mercado peças em amarelo, creme, rosa, verde, vermelho, cinza, marrom, preto e branco. O preço do material varia de acordo com essas tonalidades, sendo que as peças pretas e brancas são as mais caras.

Nenhum granito possui cor homogênea. Todas as peças são formadas por uma série de pontinhos, que apenas mantêm-se fiéis à suas tonalidades. Ou seja, um granito vermelho tem pontos mais claros e mais escuros, que juntos criam seu tom avermelhado. Todas as peças, de qualquer forma, possuem pontos pretos por toda sua extensão. Essa é uma das principais particularidades desta pedra.

Veja também: Nanoglass: Cores, preço, como limpar, onde comprar

O Mármore

O mármore é uma rocha natural metamórfica, ou seja, que foi formado a partir do calcário. Sua transformação aconteceu quando esse componente foi exposto a grandes temperaturas, geralmente vinda do magma derretido dos vulcões. Após passar por resfriamento natural, deu-se origem ao material que conhecemos e extraímos hoje da natureza.

Como o Brasil não possui vulcões que formassem o produto, precisa importá-lo. É por esse motivo que o mármore é mais caro que o granito no país.

Utilizar-se desse produto é indicado apenas para ambientes internos. Afinal, ele é mais poroso, e fica sujeito à manchas e poluição. Fatores naturais como a chuva e o sol também podem prejudicá-lo.

Sua resistência também é menor se comparada do granito – a “medida de dureza” do mármore é de apenas 4 Mohs. Sua resistência contra produtos químicos também não é grande. Até mesmo o limão e produtos de limpeza mais fortes podem tirar seu brilho, tirando parte da beleza da peça.

No mercado há mais 50 cores diferentes de mármore disponíveis. Como o branco, o marrom ou rosa. Seus acabamentos também são variados: há o cristalizado, o polido, o bruto, o jateado e o resinado. Todos eles, de qualquer forma, trazem a característica principal do material: “veias” desenhadas por toda a superfície, que criam belos contrastes entre partes mais claras e mais escuras da placa de pedra.

Qual a diferença entre mármore e granito?

A primeira diferença entre mármore e granito é a resistência de cada. Como citado anteriormente, o granito suporta melhor o atrito e a ação de agentes externos. Também não risca, o que pode facilmente ser feito no mármore.

Claro, também existe a diferença de composição entre os dois produtos. O mármore também é mais poroso, e por isso mais sujeito a manchas. Enquanto isso, o granito quase não sofre com esse tipo de problema. Como é mais poroso, o mármore acaba por ser mais leve que seu semelhante.

De qualquer forma, o que melhor diferencia os dois produtos é sua indicação de uso. Por ser mais poroso, o mármore é também mais leve, e assim é ideal para o revestimento de paredes. Nesse caso, é interessante utilizá-lo em ambientes como a sala de estar ou o banheiro. O resultado é único e bastante interessante, oferecendo inclusive um visual mais clean ao espaço.

Em locais com grande circulação de pessoas, o melhor é utilizar o granito. Isso porque o material é mais resistente, e não sofrerá tanto com esbarrões, impactos ou arranhões. Se os espaços também precisam ser constantemente limpos com produtos fortes de limpeza, o granito também é mais interessante, pois não será danificado pelos materiais corrosivos.

Isso significa, por exemplo, não utilizar o mármore numa banheira, por exemplo, pois ela deverá ser constantemente limpa. Os clássicos sais de banho ou produtos semelhantes também poderiam prejudicar a superfície da estrutura se feita em mármore.

Dicas de decoração

Para a cozinha, o mais indicado é o granito. Primeiro porque o produto lida melhor com a umidade. Ele ainda não sofre arranhões de facas e pode ser limpo com qualquer produto químico, facilitando bastante a higiene do espaço. O mármore é sempre indicado para locais mais secos.

Há várias situações, no entanto, que granito e mármore podem ser utilizados normalmente. Geralmente são espaços que não sofrem impactos constantes, como a soleira da entrada do imóvel. Balcões e objetos decorativos também entram nesse grupo. Em casos assim, a escolha deve ser feita de acordo com a preferência do consumidor por um visual específico: o mármore vai oferecer visual mais áspero e pontilhado, enquanto o mármore e suas “veias” será mais elegante.

Combinar ambas as pedras com belos vasos de planta é sempre uma saída interessante. Trazer a natureza para perto destaca ainda mais a cor do mármore ou do granito, e cria um ambiente marcante para qualquer um que visitá-lo.

Nesse caso, invista também em inserir as pedras como base do seu jardim, seja ele interno ou externo. Associado a pedras decorativas e plantas diversas, os materiais conseguem criar um visual encantador ao espaço. Principalmente porque seu aspecto “frio” contrasta facilmente com o verde e, no caso do mármore, cria reflexos interessantes na superfície de pedra.

Em espaços mais clean, é indicado sempre optar por cores claras, como o branco, o bege e o cinza. As cores mais intensas, como o preto, requerem maior “ousadia” na decoração, e devem ser combinadas com cuidado. Afinal, ver constantemente a peça de pedra pode se tornar cansativo visualmente caso ela não seja bem harmonizada ao restante da decoração de casa.

Tipos de acabamento

Visando manter tanto granito, quanto mármore e produtos bonitos e conservados, é fundamental dar às peças um acabamento bem feito. Existem diversas possibilidades para ambas, e assim é possível, inclusive, definir um estilo mais clássico ou moderno à decoração.

O acabamento bruto de uma pedra, por exemplo, cria resultado mais rústico. Já o flameado, produzido por jatos diretos de fogo, provoca no material um resultado rugoso e ondulado, criando característica antiderrapante na superfície.

Um material jateado, por sua vez, recebe sobre sua superfície jatos de areia. Logo, seu aspecto se torna opaco, algo bastante bonito para áreas externas de um imóvel. Outro acabamento indicado para áreas externas é o apicoado, obtido por meio de pequenas marteladas. Seu efeito é também poroso e antiderrapante.

A peça levigada, por outro lado, ganha um lixamento bruto. Isso lhe confere aspecto semi polido, rústico e com pouco brilho. Para brilho total, a opção é o acabamento polido, em que o produto tem sua superfície homogeneizada e escorregadia.

Os acabamentos laterais das peças de pedra são igualmente diversos. O boleado, por exemplo, é arredondado e o mais utilizado nas bordas de bancadas e pias. O bisotado cria um declive na beirada da pedra, e assim diminui sua chance de quebra.

Finalmente chamado meia esquadria é utilizado principalmente para disfarçar as emendas entre pedras. O meia cana geralmente é utilizado nas bordas de lavatórios, enquanto o acabamento em saia cria uma beirada vertical em direção ao chão, de modo a esconder cubas de pias que não terão gabinetes. Por fim, há a finalização reta do produto, que nada mais é que uma borda simples, sem nenhum acabamento especial.

Como conservar o granito e o mármore?

Para manter a durabilidade tanto do granito, quanto do mármore, é importante tomar alguns cuidados no dia a dia. Como no momento de fazer sua limpeza. O ideal é utilizar apenas água e detergente neutro, que não vai degradar a superfície. Produtos químicos mais fortes, como a água sanitária ou ácidos, podem acabar por danificar a superfície de ambas as pedras.

Além disso, o mármore é o que requer mais atenção durante seu uso. Afinal, ele mancha facilmente. Logo, é importante evitar colocar sobre ele líquidos que possam manchar caso derramados. Como é o caso do vinho, café, óleos ou refrigerantes.

Ainda falando do mármore, é interessante selá-lo aproximadamente duas vezes por ano. Isso significa utilizar um produto selante que vai evitar que líquidos penetrem na superfície da pedra. Esse mesmo processo deve ser realizado no granito, mas apenas a cada dois anos, aproximadamente. Isso vai garantir a melhor durabilidade dos materiais.

Por fim, uso das ceras não é recomendada nem para o mármore, nem para o granito. Isso uma vez que o produto poderá “grudar” nos furinhos do granito, ou danificar a superfície do mármore, Lembre-se que produtos químicos não são bem recebidos pela pedra cheia de “veias”.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.